Aposentadoria Especial para pessoas com deficiência [OLD]

Agora é Lei. Pessoas com deficiência têm direito a aposentadoria especial

A Presidente Dilma Roussef publicou no dia 09 de maio de 2013, no Diário Oficial da União, a Lei Complementar nº 142 de 08 de maio de 2013, que concede aposentadoria especial para as pessoas com deficiência. A Lei é originária do Projeto de Lei Complementar (PLP) 277/2005, de autoria de Leonardo Mattos (PV), ex-deputado federal e atual vereador de Belo Horizonte. “Estamos fazendo história”, destacou Mattos.

De acordo com Leonardo Mattos, esta Lei encerra um ciclo de 30 anos de luta por direitos. “Primeiramente lutamos para garantir o emprego para as pessoas com deficiência. Agora, lutamos para que tenhamos um regime de aposentadoria diferenciado”, afirmou.

Mattos explicou ainda que o nível de degradação do corpo das pessoas com deficiência é diferenciado. “Durante nossa atividade laboral, sentimos um desgaste maior tanto nas partes do corpo que possuem deficiência quanto no organismo como um todo. Por isso, sem esta Lei éramos obrigados a nos aposentar por invalidez”.

Entenda a Lei Complementar nº142/2013

A LC 142 de 08 de maio de 2013 regulamenta o §1º do art 201 da Constituição Federal em relação à aposentadoria especial para pessoas com deficiência seguradas pelo Regime Geral de Previdência Social (RGPS).

Conforme o texto da LC para reconhecimento do direito à aposentadoria “considera-se pessoa com deficiência aquela que tem impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas”.

A Lei Complementar determina ainda que para a concessão de aposentadoria especial deve se observar as seguintes condições:

• Deficiência grave:

– 25 anos para homens e 20 para mulheres

• Deficiência moderada:

– 29 anos para homens e 24 para mulheres

• Deficiência leve:

– 33 anos para homens e 28 anos para mulheres

Aposentadoria por Idade

Aos 60 (sessenta) anos de idade, se homem, e 55 (cinquenta e cinco) anos de idade, se mulher, independentemente do grau de deficiência, desde que cumprido tempo mínimo de contribuição de 15 (quinze) anos e comprovada a existência de deficiência durante igual período.

Tipo de deficiência que se enquadra na lei
• Um regulamento especificará o grau de limitação física, mental, auditiva, intelectual ou sensorial, visual ou múltipla que classificará o segurado como pessoa com deficiência.

Esta Lei Complementar entra em vigor após 6 (seis) meses de sua publicação oficial.

>> Confira as fotos.

6.657 respostas para “Aposentadoria Especial para pessoas com deficiência [OLD]”

  1. Obrigado Paiva e Rogério. Vejam como são as coisas. Minha advogada me disse que eu não posso entrar com pedido de aposentadoria, tendo um processo tramitando na JF. Disse, inclusive, que o juíz pode suspender o benefício e me aplicar uma multa. Acho que ela está equivocada. Vou seguir o conselho do Paiva. Farei uma visita a Vara onde meu processo está tramitando. Abraços.

    1. Boa tarde Leandro!
      Você pode entrar com novo pedido sim. Caso seja aceito você estará aposentado.
      Quanto ao processo na justiça, ele continuará correndo até se resolver.
      Caso você ganhe ele, será tu que escolherás o mais vantajoso, pois podem ter valores diferentes. Se optar pelo que ganhará na justiça tudo vai depender do acordo que fizestes com sua advogada pois ela também terá direito do combinado (nº de pagamentos e porcentagem do atrasado).
      Se não assinou procuração te ferrando quanto a isso (o que normalmente acontece), você estará livre para escolher.
      Observe que se ganhar na justiça você terá direito a um bom dinheiro de pagamentos atrasados e mesmo dando a parte da advogada ainda sobra muito, mas veja o valor da renda mensal inicial (RMI), pois isso será para o resto da vida.
      Abraço e boa sorte!.
      Rodolfo.

    2. Leandro, bom checar.
      a minha advogada me disse que se sair a minha aposentadoria ela entra com o recurso para receber a diferença do periodo que não recebi (2014 a 2018). bom checar com outros escritorios de advocacia pois uma coisa é ela te cobrar 20% sobre um montante X do que de Y… (ou seja ela dever querer o mais vantajoso pra ela, 20% de 100mil é diferente de 20% de 10mil…. e assim por diante. por isso fique atento.
      abraços e boa sorte.

  2. Boa tarde,
    Estou na JF desde 2014, pois meu primeiro pedido de aposentadoria PL 122 foi negado por que não quiseram me dar a moderada. Só que agora, tenho o tempo suficiente para dar entrada novamente com pedido. Pergunta: Posso dar entrada com novo pedido de aposentadoria, tendo um processo tramitando na JF?

    1. Sim.
      Também estou na mesma condição.
      Já dei entrada 4x.
      1a deficiência leve
      2a contagem equivocada sem tempo
      3a perito Jesus me curou não sou deficiente.
      4a tenho tempo de sobra pra def leve está em trânsito.
      A 1a formalizei processo na junta Federal.
      A 2a em recurso.
      A3a. Em recurso
      Na 3a anexei 13 laudos notificando a irresponsabilidade do perito fanfarrão. Sem resultado.
      Então entra e garanta seus direitos pq se deixar e mudarem as regras ferrou.

  3. Vou dar um dica importante pra voces, nao deixem o processo correr solto, apenas sobre os cuidados do advogado. é muito importante voce ir até a Justiçca Federal, conhecer as pessoas que sao os diretores dentro da justiçca, se possivel peça uma conversa com o assessor do juiz que está cuidando do seu caso, é muito importante que ele te veja, veja teus problemas, suas limitações, eu fiz isso direto, só primeira instancia eu estive 5 vezes cobrando, onde encontrei pessoas que se sensibilizaram com o meu caso, fui também a Procuradoria Federal do INSS quando eles pegaram o processo em carga, conversei com a procuradora, e por ultimo fui a turma recursal o que foi tambem importante, pois o processo passaria uns 2 anos lá e só passou 4 meses

    1. Consegui sim, desde de outubro ganhei na justiça e foi implantado, mesmo assim o INSS recorreu e agora ganhei definitivamente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *