Aposentadoria Especial para pessoas com deficiência

30 de abril de 2010

Agora é Lei. Pessoas com deficiência têm direito a aposentadoria especial

A Presidente Dilma Roussef publicou no dia 09 de maio de 2013, no Diário Oficial da União, a Lei Complementar nº 142 de 08 de maio de 2013, que concede aposentadoria especial para as pessoas com deficiência. A Lei é originária do Projeto de Lei Complementar (PLP) 277/2005, de autoria de Leonardo Mattos (PV), ex-deputado federal e atual vereador de Belo Horizonte. “Estamos fazendo história”, destacou Mattos.

De acordo com Leonardo Mattos, esta Lei encerra um ciclo de 30 anos de luta por direitos. “Primeiramente lutamos para garantir o emprego para as pessoas com deficiência. Agora, lutamos para que tenhamos um regime de aposentadoria diferenciado”, afirmou.

Mattos explicou ainda que o nível de degradação do corpo das pessoas com deficiência é diferenciado. “Durante nossa atividade laboral, sentimos um desgaste maior tanto nas partes do corpo que possuem deficiência quanto no organismo como um todo. Por isso, sem esta Lei éramos obrigados a nos aposentar por invalidez”.

Entenda a Lei Complementar nº142/2013

A LC 142 de 08 de maio de 2013 regulamenta o §1º do art 201 da Constituição Federal em relação à aposentadoria especial para pessoas com deficiência seguradas pelo Regime Geral de Previdência Social (RGPS).

Conforme o texto da LC para reconhecimento do direito à aposentadoria “considera-se pessoa com deficiência aquela que tem impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas”.

A Lei Complementar determina ainda que para a concessão de aposentadoria especial deve se observar as seguintes condições:

• Deficiência grave:

- 25 anos para homens e 20 para mulheres

• Deficiência moderada:

- 29 anos para homens e 24 para mulheres

• Deficiência leve:

- 33 anos para homens e 28 anos para mulheres

Aposentadoria por Idade

Aos 60 (sessenta) anos de idade, se homem, e 55 (cinquenta e cinco) anos de idade, se mulher, independentemente do grau de deficiência, desde que cumprido tempo mínimo de contribuição de 15 (quinze) anos e comprovada a existência de deficiência durante igual período.

Tipo de deficiência que se enquadra na lei
• Um regulamento especificará o grau de limitação física, mental, auditiva, intelectual ou sensorial, visual ou múltipla que classificará o segurado como pessoa com deficiência.

Esta Lei Complementar entra em vigor após 6 (seis) meses de sua publicação oficial.

>> Confira as fotos.

Palavras Chaves:

Comentários

  1. Leonardo Mattos

    Boa tarde,
    Pedimos desculpa, pois detectamos que vários comentários e publicações sumiram do Blog. Estamos tentando resolver.

    Att,

    Equipe Vereador Leonardo Mattos

    Responder

  2. Mariza

    Não entendo porque algumas postagens desaparecem deste BLOG, eu respondi para Alline, Barradas e Angella, mas meu comentário sumiu…

    Responder

  3. Angella

    Prezado vereador Leonardo Mattos, em referência a sua informação constada nesse blog em 30-07-2014, às 15:32, conforme abaixo especificada:
    “Foi formada uma Comissão contendo peritos, assistentes sociais e pessoas com deficiência para criar um documento e, por nosso intermédio, encaminha-lo para o Ministério da Previdência. No entanto, ainda estamos aguardando a conclusão deste.
    Por outro lado, nosso gabinete está em contato permanente com o INSS e o Ministério da Previdência para acompanhar o andamento dos processos de aposentadoria especial com o intuito de verificar erros e procurar soluções.
    Att,
    Equipe Vereador Leonardo Mattos”

    Pergunto se o Sr. já tem alguma novidade sobre o assunto.
    Agradecemos e aguardamos.

    Responder

    • ribamar

      A Sra Angella está repleta de razão, o Sr Leonardo Mattos e assessoria deveriam buscar e postar mais informações, afinal ele é o pai da criança e no entanto a criança está abandonada, ou pelo menos desamparada. Sr Vereador, mostre sua cara, não faça como os outros que só aparecem para pedir votos. Mostre para seu público suas ações. Peça para sua equipe postar as informações que tanto nos aflige. Onde está a Comissão? É preciso que a lei 142/13 seja considerada ESPECIAL como a dos professores e outros.

  4. Angella

    Bom dia amigos de caminhada!
    Que bom seria que o Sr. Leonardo Mattos participasse mais ativamente desse blog.
    Mariza, por favor reforço do pedido do BARRADAS, nos dê maiores detalhes sobre o que você nos informou referente a recorrer.
    Agradecemos.

    Responder

  5. Mariza

    Pessoal, nós podemos recorrer, entrar com processo na justiça federal e também dar nova entrada, tudo junto!!!! Quando sair o recurso devemos escolher ficar com eles para receber os atrasados, então quem apenas recorreu deve entrar novamente com o pedido do beneficio. Espero ter ajudado.

    Responder

    • Aline

      Mariza, eu também queria entender melhor. Entrei com recurso e estou aguardando. Posso entrar na justiça antes da resposta , que só deve sair em final de setembro?

    • BARRADAS

      Mariza , não entendi a sua colocação, poderia nos explicar melhor, agradecemos.

  6. Soraya das Graças F

    Meus caros Ribamar, Angela e Mariza. Fui hoje na perícia medica. Respondi todo o questionário e fiz até exame físico comprovando a aquela de pólio. Depois que saí de lá já me ligaram marcando para dia 3/9/14 a entrevista com a assistente social. Não me falaram nada sobre os pontos de hoje. Como estou tentando por idade pra mim se considerarem leve ta bom. Acho que vou conseguir. Obrigada pela força . Dia 3 dou notícias

    Responder

    • ribamar

      Prezada Soraya, é direito seu saber a pontuação do questionário. Na próxima perícia com a assistente social pergunte, antes de responder, a sua pontuação, pois as perguntas serão as mesmas e faça tudo para comprovar sua dificuldade no dia a dia. boa sorte.

  7. rita moreno

    Vou fazer 50 anos no mês 10 deste ano. Faz 13 anos que eu estou encostada. Já tiraram meu benefício 4 vezes. A última eu entrei com advogado. Tenho vários problemas de saúde. Tem dia que eu nem levanto da cama. Tomo remédios para 5 tipos de doenças. Só para hipertensão e 12 por dia sem contar o restante e até agora não conseguir me aposentar. Talvez eles estejam esperando eu morrer para dar.

    Responder

  8. Angella

    Olá Lilian e amigos, pelo que vejo, o INSS até foi generoso com alguns em considerar “leve”, pois muitos nem isso. Está havendo mesmo em todo o Brasil (pelas postagens aqui) falta de critério para o julgamento das aposentadorias. O”sistema” parece estar programado para negar a maioria dos casos, e os peritos instruídos a dificultar todo o processo.
    Creio que estamos sem poder fazer nada, recorrer é um caminho, um direito, mas de acordo com opiniões de advogados, quem irá julgar são as mesmas pessoas, e com isso eles ganham tempo, pois o recurso é demorado para se ter uma resposta, e correndo o risco de ser negado novamente.
    As postagens nos ajudam a ficar informados.
    Que Deus nos ajude

    Responder

  9. MARCOS B.

    Marquei recurso para o dia 09/09/2014, o pedido foi indeferido por falta de tempo de contribuição, eles consideraram até o dia da minha primeira ida ao inss (04.02.2014) e só tenho 32 anos 10 meses e 18 dias, consegui achar um recolhimento no carnê que não foi computado, portanto tenho 32 anos 11 meses e 18 dias, estou a perder por conta de 12 dias, pode?

    Responder

  10. Mariza

    Andréia e Lilian muito obrigada, eu dei entrada em Barueri…já estou recorrendo e dando nova entrada, Soraya pense positivo, muitas pessoas que tem o tempo suficiente se aposentaram, boa sorte!

    Responder

  11. Lilian

    Angella, meu pedido também foi indeferido e levei meu laudo de 1967. Comecei a contribuir com o inss em 1984, logo meu tempo de contribuição como deficiente é total, mas mesmo assim eles não me consideraram nem como leve o que me fez procurar um advogado. Penso que não existe um parâmetro que o inss se baseie, é tudo feito no improviso e com má intenção pois dois colegas de um grupo que participo no facebook que tem a mesma deficiencia que a minha conseguiram pelo menos a leve.

    Responder

  12. Andréia Figueiredo

    Mariza, boa tarde, a agência que fiz o pedido é de Bragança Paulista interior de São Paulo.

    Responder

  13. Angella

    Soraya, os peritos vão levar em conta o exame mais antigo e não o mais recente, depois a assistente social fará o complemento da perícia com base nas respostas do questionário específico para cada fim. O meu foi indeferido, sou deficiente auditiva e consideraram “leve”, tenho 29 anos de contribuição, o meu exame mais antigo foi de 2007, assim o sistema faz uma conversão com o tempo de contribuição como não deficiente e como deficiente, prevalecendo o de maior tempo, assim o meu foi indeferido “falta tempo de contribuição”, questionei pois a cartinha não explica nada, e de acordo com lei, diminuiria 2 anos no meu tempo, já que tenho 29 de contribuição,mandaram meu processo para análise, estou aguardando, e já está correndo os 30 dias para recorrer, vou esperar mais um pouco
    Algum caso parecido com o meu?
    Amigos, é importante ver o motivo do “indeferimento” para recorrer é preciso estar claro a alegação deles.

    Responder

    • Rogerio Luis

      Também possuo deficiência auditiva (moderada/severa), fizeram pontuação separadas já que também tenho LER e Bursite, def.fisica (7pinos no pé 2 placas devido a acidente) ocorre que pontuaram a def.auditiva em 7.325 e a física 6.700 (dá pra perceber pelo período do relatório) amanhã 28 é meu recurso, conforme comentários no blog a def. moderada é até 6.355pts, tenho 31anos de contribuição no inss, se persistir o resultado como def. leve, vou entrar com ação na junta federal (já que deve demorar em torno de 2anos e faltam 2anos pra cumprir os 33anos) creio que não devemos abaixar a cabeça, a má vontade em reconhecer nossos direitos é evidente entre os peritos do inss, visto que quem consegue aposentadoria já cumpriu o prazo dos 33 anos, tem até casos de pessoas que tiveram polio e não são consideradas como deficientes o que é um absurdo pois o inss rasga nossa constituição e é ignorante ao cumprir a lei 142/13 já que tempo teve, mas fica nessa enrolação e insistem em serem os verdadeiro DEFICIENTES, POIS SÃO CEGOS E SURDOS, ALÉM DE SEREM INCOERENTES COM A REALIDADE QUE EXAMINAM. POIS TEM LAUDOS, EXAMES QUE COMPROVAM A DEFICIÊNCIA E AINDA ASSIM ACHAM QUE É GOLPE… ISSO É BRASIL!

  14. Soraya das Graças F

    Muito obrigada Ribamar. Você sabe as perguntas do questionário ? Seriam estas:
    3.1 Mudar e manter a posição do corpo
    3.2 Alcançar, transportar e mover objetos
    3.3 Movimentos finos da mão
    3.4 Deslocar-se dentro de casa
    3.5 Deslocar-se dentro de edifícios que não a própria casa
    3.6 Deslocar-se fora de sua casa e de outros edifícios

    Responder

    • ribamar

      Prezada Sra Soraya: São 41 perguntas incluindo estas que a Sra postou. Outras pessoas já postaram as 41 perguntas. A senhora tem que fingir de morta para responder as perguntas se não será indeferida e considerada normal. O INSS ESTÁ PROCESSANDO UM VERDADEIRO MILAGRE!!!

  15. Ricardo Calaca

    Olá, tenho deficiência no ouvido esquerdo (surdez) tenho 39 anos, sai muita secreção do meu ouvido (mal cheiro) preciso de orientação. Trabalhei 11 anos como Auxiliar e Técnico de Laboratório em Manipulação de Remédio. Alguns anos com insalubridade. Tenho ou não o direito a Aposentadoria? Aguardo contato.

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Ricardo, tudo bem?
      Primeiramente, é preciso ficar claro que a Lei 142/2013 concede aposentadoria para pessoas que comprovarem algum tipo de deficiência e estiverem trabalhando ou contribuíram para a previdência social. As regras para conseguir a aposentadoria hoje são:
      • Deficiência grave:
      - 25 anos de contribuição para homens e 20 para mulheres
      • Deficiência moderada:
      - 29 anos de contribuição para homens e 24 para mulheres
      • Deficiência leve:
      - 33 anos de contribuição para homens e 28 anos para mulheres

      Aposentadoria por Idade
      Aos 60 (sessenta) anos de idade, se homem, e 55 (cinquenta e cinco) anos de idade, se mulher, independentemente do grau de deficiência, desde que cumprido tempo mínimo de contribuição de 15 (quinze) anos e comprovada a existência de deficiência durante igual período.

      É importante destacar que você terá que comprovar a sua deficiência. Isso pode ser feito através de laudos médicos. Outra observação importante é que é preciso ter contribuído para a previdência social, sem isso não há que se falar em aposentadoria especial.

      Atenciosamente,
      Equipe vereador Leonardo Mattos

  16. Soraya das Graças F

    Meus caros, boa tarde. Alguém tem um modelo de laudo médico para portador de pólio para fins de pericia do INSS? Sofri Polio aos 2 anos de idade e estou com 55. Pela lei já posso me aposentar. Estou com pericia marcada para a próxima quinta feira dia 28/08/2014 e estou insegura dos exames e laudos que tenho. Fiz até o exame de eletroneuromiografia que comprova a pólio mas tenho duvidas do que deve conter no laudo médico. Se alguém puder me ajudar, desde já agradeço.

    Responder

    • josé

      Soraya não adianta leva nada eles só fazem pergunta ,mais avaliar a nossa deficiência eles não faz , você pode leva tudo o que vc tem .eu também sou tenho pólio com seguela na perna esquerda já passei pelos peritos e deram a minha aposentadoria indeferido já entrei com recurso e vou amanha no INSS fazer a tal senha card pra acompanhar, o meu recurso .

    • ribamar

      Prezada Soraya, não adianta vc ter vários laudos. O que vai avaliar o grau da sua deficiência são as perguntas do questionário utilizado pelo INSS. Você deve responder NEGATIVAMENTE o máximo delas, caso o contrário, vc será avaliada como NORMAL, sem direito de usufruir da LC 142/2013.

  17. ALCIONE LIMA

    Sou deficiente auditiva a mais de 10 ano, Consegui o aparelho auditivo, mas não tem me ajudado muito. Queria saber se eu tenho como me aposentar. Tenho 36 anos de idade. Aguardo resposta.

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Alcione, tudo bem?
      Primeiramente, é preciso ficar claro que a Lei 142/2013 concede aposentadoria para pessoas que comprovarem algum tipo de deficiência e estiverem trabalhando ou contribuíram para a previdência social. As regras para conseguir a aposentadoria hoje são:
      • Deficiência grave:
      - 25 anos de contribuição para homens e 20 para mulheres
      • Deficiência moderada:
      - 29 anos de contribuição para homens e 24 para mulheres
      • Deficiência leve:
      - 33 anos de contribuição para homens e 28 anos para mulheres

      Aposentadoria por Idade
      Aos 60 (sessenta) anos de idade, se homem, e 55 (cinquenta e cinco) anos de idade, se mulher, independentemente do grau de deficiência, desde que cumprido tempo mínimo de contribuição de 15 (quinze) anos e comprovada a existência de deficiência durante igual período.

      É importante destacar que você terá que comprovar a sua deficiência. Isso pode ser feito através de laudos médicos. Outra observação importante é que é preciso ter contribuído para a previdência social, sem isso não há que se falar em aposentadoria especial.

      Atenciosamente,
      Equipe vereador Leonardo Mattos

  18. Lilian

    Mariza, a agencia que eu fui é a da Vila Mariana em São Paulo. Meu problema é que nem a leve me deram, nem para mim nem para uma colega de trabalho que tem pólio. Entramos com o advogado no começo de agosto, e o inss agendou o mesmo para 8 de outubro. É muita enrolação.

    Responder

  19. Mariza

    Lilian e Andréia , só por curiosidade a agencia de vocês é aonde??

    Responder

  20. LIM

    GOSTARIA DE SABER SE ALGUÉM TEM HISTÓRICO DE TER CONSEGUIDO SE APOSENTAR EM DEFICIÊNCIA GRAVE OU MODERADA E SE CONSEGUIU QUAL ERA A DEFICIÊNCIA?
    ABRAÇO PARA TODOS.

    Responder

  21. Lilian

    Meu pedido foi indeferido com a alegação de falta de tempo de contribuição e não comprovação da deficiencia na perícia. Detalhe que eu tenho 29 anos de contribuição na mesma empresa e é obvio que eu levei a comprovação pois tenho laudos de 1967, mas no processo não veio as cópias dos laudos (conveniente né) e não fui classificada como deficiente. Já coloquei com advogado e assim que sair algo coloco aqui.

    Responder

  22. Andréia Figueiredo

    Minha aposentadoria foi indeferida por falta de tempo de contribuição, final de setembro completa o tempo, a atendente disse que quando for solicitar novamente é pra eu solicitar que se use os dados do processo anterior(indeferido) de janeiro deste ano, também me informou que poderia continuar trabalhando, no meu caso é deficiência leve. Tendo novidade eu posto pra vocês;

    Responder

  23. MARCOS B

    21/08/2014 – Hoje fui no INSS e recebi a noticia que meu processo foi indeferido por falta de tempo de contribuição, perguntei quanto tempo eles tinham considerado e ele falou que 32 anos 10 meses e 18 dias, sendo que sei que não foi computado um mês devido a autenticação do banco esta errada, então falta somente 12 dias, dei entrada na solicitação em 04/02/2014 e este período é ate esta data, não contam até a presente. vou ver se existe mais algum erro para poder solicitar revisão, caso contrario faço nova solicitação. só que não receberia o valor de fev até agora, e também não sei se teria que refazer as pericias médica e social?
    mais novidades envio para vocês

    Responder

  24. luiz

    Boa noite gente, desapareceu as postagens de agosto? equipe do leonardo mattos favor restaurar.
    Mariza se você foi enquadrada como deficiência leve, no inss eles irão passar quantos anos de contribuição você tem e se realmente falta pouco aguarde o tempo e de entrada novamente. Gente vamos continuar trocando idéias aqui no blog, tenho uma pergunta para aqueles amigos que já conseguiram se aposentar, podemos continuar trabalhando após aposentadoria?
    Cadê o Paulo que deu entrada na justiça federal de Porto Alegre, é muito importante saber como está o andamento, pois sabemos que deficientes tem prioridade nos processos, eu estou aguardando o recurso que fiz no próprio inss e assim que obtiver o resultado e se não me derem o grau moderado irei entrar na justiça federal.
    Abraços a todos e não vamos desistir nunca.

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Luiz, estamos tendo problemas no Blog e por isso muitas publicações e comentários sumiram. Estamos tentando resolver.
      Att,
      Equipe vereador Leonardo Mattos

    • Mariza

      Boa noite Luiz , em setembro eu completo os 28 anos e consigo me aposentar em qualquer grau…vou pensar se dou entrada de novo ou se recorro..Pode sim continuar trabalhando a lei não proibe. Abraços!

  25. Mariza

    Desculpem ” depois de 3 meses” e não 32 como escrevi antes…

    Responder

  26. Mariza

    Boa noite amigos , depois de 32 meses hoje finalmente a resposta , “INDEFERIDO” segunda-feira vou ao INSS verificar em que grau fui enquadrada , provavelmente na leve. completo 28 anos de trabalho agora em setembro não sei se recorro ou se dou nova entrada em setembro…o que eu faço Leonardo Mattos?

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Mariza, sugiro que você faça o recurso administrativo junto ao INSS. Se mesmo assim, permanecer o indeferimento, sugiro que ajuíze uma ação na justiça.
      Att,
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

  27. Mariza

    Chato esta configuração do BLOG, não consigo visualizar as postagens de agosto…preferia a anterior…

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Mariz, tudo bem?
      estamos tendo um problema com o Blog, por isso muitas publicações e comentários sumiram. Estamos tentando resolver.

      Att,
      Equipe vereador Leonardo Mattos

  28. Luciana123

    Sr Leonardo de Mattos, cade as postagens de Agosto/2014???????
    Nela constava explicações de como acompanhar o processo do recurso no inss via on line
    Grata

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Luciana, o site está passando por problemas, por isso perdemos várias postagens, incluindo os comentário, mas estamos tentando resolver.

      Att,

      Equipe Vereador Leonardo Mattos

  29. MOACIR

    VENHO ATRAVÉS DESTE SITE AGRADECER AS PESSOAS QUE ASSINARAM Á PETIÇÃO. PARA MUDAR Á LEI COMPLEMENTAR 142/2013 QUE É MUITO INJUSTA COM AS PESSOAS QUE JÁ TRABALHARAM PELO MENOS 32 ANOS 11 MÊS, PORQUE SE NÃO TIVER OS 33 ANOS COM CERTEZA É INDEFERIDO O PEDIDO. EM 6 DIAS JÁ TEMOS 50 ASSINATURAS………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….1 Gislaine Quaglia Brazil
    2 Peterson Rigon Brazil
    3 JULIANE Brazil
    4 Radames Brazil
    5 jose pacheco Brazil
    6 Jadson Pacheco Brazil
    7 MOACIR SILVA Brazil
    8 clovis dutra oliveira Brazil
    9 Jesuino Agostinho Brazil
    10 Leandro Santos da Silva Brazil
    11 Miguel Batista Evangelista Brazil
    12 José Francsico Paiva Brazil
    13 HAROLDO ABREU DINIZ Brazil
    14 Sônia Naufel Brazil
    15 Moacir Silva Brazil
    16 Fabiana Pereira da Silva Brazil
    17 ALEXSANDER RIGON DAA SILVA Brazil
    18 OSCAR BARRADAS Brazil
    19 MARCOS JOSE MARTINS DE OLIVEIRA Brazil
    20 José da Silva Brazil
    21 josé de ribamar lima de sousda Brazil
    22 Renata Brazil
    23 rogerio luis adorno dos santos tonhi Brazil
    24 sidnei aparecido penhas Brazil
    25 ANDREA DA COSTA SILVA Brazil
    26 ANGELO DA COSTA RIGON Brazil
    27 Sinval Zanquetta Brazil
    28 PEDRO PAULO TRIACA Brazil
    29 Osmar Pedroso Brazil
    30 Antonio Ambrosio Brazil
    31 Sedeval Esteves Brazil
    32 Viviane Malheiros Brazil
    33 Angeliázer Rigon Brazil
    34 Isabela Vaz de Melo Brazil
    35 Carlos Alberto de oliveira Brazil
    36 Heitor Fernandes Brazil
    37 Josevaldo de Melo Paiva Brazil
    38 Maria Antonia Alves Maciel Brazil
    39 Marylande Lima de Morais Brazil
    40 ROBERTO ALEXANDRE DE OLIVEIRA Brazil
    Page 1/2
    # Name Country
    41 Paulo Figueiredo Brazil
    42 PAULO ROBERTO DE SOUSA Brazil
    43 Odair Pires de Campos Filho Brazil
    44 Larissa Aparecida de Sousa Pacheco Brazil
    45 José Aguinaldo Rodrigues da Silva Brazil
    46 Valdilene de Sousa e Silva Pacheco Brazil
    47 Andreia Moraes Honorato Brazil
    48 Suraia El Bacha Brazil
    49 Ivair Attala Baptista Brazil
    50 Margareth GRISANTI Brazil
    Page 2/2

    Responder

  30. Edson Alves de Olive

    A LC 142-2013 está sendo totalmente desvirtuada, por isso as perícias são sempre: indeferido ou, quando muito, deficiência leve.

    Praticamente todos os deficientes deverão procurar o Poder Judiciário.

    Achei o X da questão, o porquê os peritos do INSS não classificarem corretamente as deficiências (grave, moderada ou leve) da LC 142-2013.

    PARECER DO SINDICATO NACIONAL DOS PERITOS MÉDICOS DO INSS SOBRE O INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE FUNCIONALIDADE BRASILEIRO ADOTADO PELO INSS PARA ANÁLISE DE CONCESSÃO DE APOSENTADORIA ESPECIAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA – LC 142/13

    Fundamentação legal:

    Constituição Federal de 1988, art.201

    Lei 8.213/91
    Lei 8.742/93
    Lei Complementar 142/13
    Decreto 3.048/99
    Decreto 8.145/13
    Decreto 6.949/09
    Decreto Legislativo 186/2008
    Portaria Interministerial AGU/MPS/MF/SEDH/MP Nº 1 DE 27/01/2014

    1) Preliminares

    A aposentadoria especial de pessoas com deficiência está sediada na Constituição da República, Art. 201, § 1º, regulamentada pela Lei Complementar 142/2013 e Decreto 8.145/13.

    A definição de pessoa com deficiência adotada para fins destas leis está contida no Artigo 1 da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com deficiência da ONU, acolhida pelo Estado Brasileiro como Emenda Constitucional conforme o Decreto Legislativo 186/2008, promulgada pela Presidência da República por meio do Decreto 6949/2009, ratificada pela LC 142/13.

    A definição de pessoa com deficiência independe de sua condição financeira ou status social. Estamos aqui falando de deficiência física e mental, não de insuficiência sócio-econômica. Essa condição social pode ser útil para análises de outras formas de acolhimento ou incentivo estatal, mas não servirá para qualificar ou desqualificar determinada barreira física ou mental que o ser avaliado possua na análise estritamente física e funcional da deficiência. Ninguém deixa de ser “deficiente” por ser rico. Facilidades proporcionadas por uma boa condição sócio-econômica não podem servir para subestimar o grau de deficiência funcional e física de um cidadão.

    2) Da Condição de Deficiência

    A Convenção define a deficiência, para efeito das normas protetivas dos Direitos das pessoas com deficiência, como sendo um atributo de determinada pessoa, a qual, ao interagir com as barreiras estruturais, urbanísticas, atitudinais, à comunicação, além de outras seja impedida ou tenha dificuldade de desfrutar de tudo o que houver na sociedade, em todo e qualquer espaço ou ambiente, em igualdade de oportunidade com as demais pessoas.

    Portanto temos aqui que a deficiência deve ser medida sob dois aspectos: O primeiro é aquele que diz respeito à limitação física, orgânica, anatômica ou cognitiva. Sob este prisma, a deficiência deve ser diagnosticada a partir de um conjunto de sinais e sintomas enquadradas sob um diagnóstico nosológico, complementado ou não por exames acessórios, sendo o médico o profissional apto a determinar a deficiência e sua gravidade.

    O segundo aspecto é o da funcionalidade do corpo humano, ou seja, aquele em que se analisa se uma pessoa com diagnóstico de determinada limitação anatômica ou orgânica, ao interagir com as barreiras existentes nos espaços públicos ou privados, nos espaços urbanísticos de qualquer natureza, nos passeios e travessias públicas e privadas, nos transportes coletivos e individuais de qualquer natureza, nos prédios, nos equipamentos de lazer e trabalho em geral, nos aparelhos, meios, sistemas e dispositivos de comunicação, nos ambientes domésticos, escolares, do trabalho e outros, possam ter dificuldades ou impedimentos de qualquer tipo, de desfrutar de tudo o que houver na sociedade em igualdade de oportunidade com as demais pessoas, sendo nesse caso a necessidade da presença não só de médicos, como de outros profissionais da área da saúde, em especial terapeutas ocupacionais, além de engenheiros, arquitetos e outras áreas afins.

    Qualquer coisa que fugir destes parâmetros são ilegais ou inconstitucionais, além de se afastarem da lógica e de qualquer critério de justiça e de equidade, que são previstas na Convenção.

    3) Da empregabilidade do deficiente e do objetivo de sua aposentadoria especial

    Por um lado, é grande a chance de uma pessoa deficiente não estar apta ao trabalho, parcial ou completa, temporária ou permanente. Nesses casos existem já benefícios concedidos pelo Estado para o amparo dessa pessoa. Obviamente, o grau de benefício poderá variar de acordo com o status sócio-econômico do deficiente.

    Por outro lado, todas as pessoas com deficiência que conseguirem ingressar no mercado de trabalho, sem qualquer dúvida, são pessoas reabilitadas, ou seja, pessoas com deficiência dotadas do devido treinamento para desenvolverem várias habilidades e capazes de, em algum grau, suprir aos cuidados corporais e as demais habilidades da vida diária, como fazer comida, limpar a casa, lavar os pratos, fazer compras, contratar serviços, ter vida conjugal normal, gerar e cuidar da prole etc, além de ter domínio da execução das tarefas a serem desempenhadas no trabalho. Se uma pessoa com deficiência não detiver estes atributos, por certo, não terá as devidas condições para ingressar no mercado de trabalho e, em via de conseqüência, nunca poderá requerer aposentadoria por tempo de trabalho, por absoluta falta de objeto.

    Portanto, a pessoa alvo da Lei Complementar 142/13 não é o deficiente incapaz, sem condição de prover a sua subsistência por si próprio por quaisquer meios, ou que era capaz e ficou incapaz. A pessoa alvo da LC 142/13 são deficientes com diversos graus de independência social e que estão inseridas no mercado de trabalho, dentro de suas limitações.

    Logo, um instrumento de avaliação para fins de aposentadoria especial de deficientes deve, ou deveria, focar neste cidadão apto e laborativo, jamais no incapaz. Como toda aposentadoria especial, pressupõe trabalho contínuo por anos, cuja aceleração da aposentadoria visa minorar efeitos maléficos da insalubridade do labor (especial clássica) ou efeitos maléficos do labor na condição de deficiente (especial de deficiente).

    4) Do instrumento proposto pelo INSS

    O INSS baseia a avaliação pericial do benefício contido na LC 142/13 em dois eixos: avaliação médica e avaliação funcional, ao qual designa a atuação do corpo de assistentes sociais do INSS e determina a utilização de um índice, o Índice de Funcionalidade Brasileiro Aplicado para Fins de Aposentadoria – IFBrA.

    Este instrumento de funcionalidade brasileiro ainda não possui validação técnica ou científica, mas foi regulamentado por uma Portaria Interministerial (norma infralegal), a Portaria Interministerial AGU/MPS/MF/SEDH/MP Nº 1 DE 27/01/2014.

    O IFBrA que, repito, ainda está sob processo de validação, está fulcrado na CIF, a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde, da OMS (clique aqui).

    O INSS inovou ao chamar de “social” a avaliação “funcional” prevista em Lei específica.

    5) Sobre o IFBrA

    Usar a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde como mola mestra do IFBrA é inadequado pois a CIF não se presta para este tipo de avaliação, simplesmente porque ela não tem um capítulo específico tratando da pessoa com deficiência que já estão inseridas no mercado de trabalho e nem poderia ter, porque ela é um documento que tem por objetivo, justamente, mostrar as falhas de funcionalidade orgânicas e anatômicas ao interagirem com as diversas barreiras, com a finalidade de que os profissionais especialistas possam adotar as medidas necessárias para que estas limitações sejam minoradas ou totalmente superadas, quando for possível.

    Se a pessoa com deficiência está no mercado de trabalho, sem dúvida, é porque já superou várias das etapas funcionais previstas na CIF. Consequentemente, se o instrumento de funcionalidade brasileiro está inteiramente baseado na CIF, por óbvio, não se presta para mensurar com justiça e equidade, as diferentes graduações de deficiência, para efeitos de concessão de aposentadoria especial por tempo de contribuição

    Não obstante isto, o instrumento de funcionalidade brasileiro validado pela Portaria Interministerial apresenta várias falhas metodológicas, as quais, sem a menor dúvida, ferem a dignidade da pessoa humana com deficiência e, por certo, se permanecerem, irão causar negativas indevidas de direitos e danos morais, expondo o INSS a uma tempestade de ações judiciais reparadoras tanto da negativa do benefício como indenizatórias pelo dano moral. O IFBrA é uma fonte de significativa injustiça e falta de equidade.

    Em um mundo ideal, os técnicos do governo deveriam ter feito primeiro uma pesquisa de campo com amostra estatística, para se familiarizarem dos conceitos próprios dos trabalhadores com deficiência sujeitos ao Regime Geral da Previdência Social. Assim sendo, eles conheceriam os conceitos de pessoas com deficiência, primeiramente à luz do diagnóstico exclusivamente médico, considerando apenas a CID-10, para depois passarem a análise das barreiras existentes, bem como, quais tipos de deficiências encontram dificuldades ao interagirem com estas ou aquelas.

    Sem a demonstração de como está estruturada no Brasil o trabalho do deficiente, qualquer metodologia proposta vira chute de teórico de academia desconectado da realidade social ao qual deveria estar ciente e inserido. Não á toa, a inadequação da metodologia adotada no instrumento, baseada meramente na CIF , o nos leva a concluir que, para o governo, todas as pessoas com deficiência, sem qualquer exceção, são deficientes físicos e/ou cognitivas e devem/deveriam ser aposentadas por invalidez, porque, como ao ingressarem no mercado de trabalho não tinham tais deficiências, haja vista que se as tivessem não seriam admitidas, só se pode concluir é que as deficiências diagnosticadas foram contraídas durante o pacto laborativo.

    Isso para mim só tem uma explicação: A total falta de metodologia na construção do modelo. A título de exemplo, vamos ver algumas perguntas formuladas no instrumento:

    3.1 Mudar e manter a posição do corpo
    3.2 Alcançar, transportar e mover objetos
    3.3 Movimentos finos da mão
    3.4 Deslocar-se dentro de casa
    3.5 Deslocar-se dentro de edifícios que não a própria casa
    3.6 Deslocar-se fora de sua casa e de outros edifícios

    Diante de tais perguntas, como já foi preparado acima, algumas conclusões são inexoráveis. A pessoa com deficiência que respondê-las negativamente, nunca ingressará no mercado de trabalho e nunca se aposentará, pelo menos por tempo de contribuição, que é o objeto desta lei.

    Aliás, a pessoa com deficiência que responder tais perguntas negativamente, sequer o fará diretamente, mas por meio de seu representante legal, eis que não terá o desenvolvimento cognitivo necessário para compreender tais questionamentos, logo não o terá também para responder.

    Por outro lado, estas perguntas não se aplicam às pessoas com deficiência mental leve, visual, auditiva e física, porque estas pessoas, como dito acima, só estarão no trabalho, se tiverem o devido discernimento das coisas da vida e do mundo e dominarem bem as habilidades comuns da vida diária e o talento para desempenhar as atribuições inerentes ao seu ofício. Sendo assim, por qualquer ótica, perguntas desta estirpe não têm cabimento, quando se estiver cogitando de aposentadoria especial por tempo de serviço.

    Não há nexo entre o tipo de pergunta e o tipo de avaliação ao qual ele se presta. Vejamos esta pergunta símbolo da total distócia entre o objetivo da lei e o instrumento regulamentado:

    6.3 Trabalho remunerado

    Aqui evidencia-se a total falta de critério do Instrumento de avaliação. É justamente a pessoa que trabalha remunerada que irá, em algum momento, pleitear uma aposentadoria especial por deficiência.

    Se a pessoa NÂO TRABALHA REMUNERADA, ela JAMAIS irá solicitar tal benefício. A pergunta é descabida, imprópria, absurda e somente beócios ineptos podem achar que faz algum sentido este tipo de pergunta, cuja resposta encontra-se no próprio CNIS do cidadão, previamente levantado pelo administrativo.

    6) Sobre a “perícia social”.

    A LC 142/13 e o decreto 8.145/13 determinam claramente que a avaliação para fins de aposentadoria será fruto de perícia própria do INSS e através de avaliação médica e funcional.

    A única perícia própria do INSS é a perícia médica. O corpo de assistentes sociais do INSS não se constitui, sob nenhuma ótica, em corpo de peritos. A atuação do Analista do Seguro Social – formação em Serviço Social, é regida pelo artigo 88 da Lei 8.143/91, que assim reza:

    Art. 88. Compete ao Serviço Social esclarecer junto aos beneficiários

    seus direitos sociais e os meios de exercê-los e estabelecer conjuntamente

    com eles o processo de solução dos problemas que emergirem da sua

    relação com a Previdência Social, tanto no âmbito interno da instituição

    como na dinâmica da sociedade.

    O art.20 da Lei 8742/93 (LOAS) também dá ao Serviço Social do INSS a atribuição de fazer a avaliação social de um benefício específico: O BPC LOAS.

    Não há um único texto legal que permita aos assistentes sociais do INSS realizar “perícia médica”, “perícia funcional” ou mesmo “perícia social” dentro do INSS, fora do contexto do BPC LOAS. Não há um único texto legal que diga que o deficiente tenha que se submeter a perícia social para obter seu benefício.

    A tentativa do INSS de, através de portarias, documento legal que não tem o poder de inovar na estrutura legal das profissões públicas ou de alterar leis, é claramente ilegal, inconstitucional e uma afronta ao direito constituído nesse país.

    Nesses termos, o parágrafo segundo do artigo dois da Portaria Interministerial 01 supracitada, que reza que: “§ 2º A avaliação médica e funcional, disposta no caput, será realizada pela perícia própria do INSS, a qual engloba a pericia médica e o serviço social, integrantes do seu quadro de servidores públicos.” é DUPLAMENTE ILEGAL. Ilegal pois a Lc 142/13 não prevê avaliação social e ilegal pois assistente social não tem regulamentação para fazer perícias fora do LOAS.

    A ilegalidade se multiplica quando ao analisar o instrumento de avaliação, vemos que as assistentes sociais serão instadas a ter que avaliar questões que dizem respeito ao exame físico, cognitivo e cinesio-funcional do cidadão, ao qual não possuem previsão legal segundo sua Lei de Carreira.

    7) Discussão

    A ausência de metodologia, o uso da CIF como única matriz de desenvolvimento do modelo, a inovação legal em colocar serviço social para fazer avaliação física e mental, todas essas características deixam claro que o INSS está se utilizando de uma oportunidade de regulamentar um novo benefício para implementar, na força bruta, ideologias pessoais de um grupo ligado ao pensamento sanitarista clássico de multiplicação dos atores e diminuição do espaço de atuação médica, trazendo para a área da saúde a luta de classes que marcou os dois últimos séculos, colocando a medicina e os médicos como detentores de um biopoder a ser combatido.

    O problema é que se utilizar de um mecanismo legal de regulação de direitos para brincar de luta de classe e fazer discurso sectário anti-médico se traduz em uma deturpação completa do objetivo da lei, o que irá inviabilizar a aplicação da mesma, por estar contaminada de ranço ideológico que se sobrepõe á necessária ciência para poder julgar com razão e isenção todos os casos de solicitação de aposentadoria especial por deficiência.

    O instrumento é burro e nulo, o uso da avaliação social é ilegal e colocará em risco profissional todos os assistentes sociais do INSS. O INSS, por mera ideologia sectária, quer transformar avaliação funcional em social, misturando conceitos. Uma coisa é aposentadoria especial, aposentar em menos tempo. Outra coisa é oferecer facilidades, bolsas e estímulos sociais a quem é mais exposto socio-economicamente..

    Além disso, o modelo obrigará o assistente social a fazer tarefa de médico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, nutricionista, engenheiro, desviando a função profissional desses importantes colegas. Na prática, diversos deficientes com barreiras funcionais deixarão de ser avaliados em prol de pessoas com problemas sociais, deturpando a função do instrumento.

    Não podemos dizer que uma pessoa é mais deficiente que outra apenas pela questão monetária ou social. A deficiência é igual e ambos merecem o mesmo tempo de aposentadoria, pois ambas trabalham e estão expostas à insalubridade secundária à deficiência.

    O INSS vai punir o deficiente que tenha uma família mais estruturada com MAIS TEMPO de trabalho em prol de uma outra pessoa com a mesma ou até menor deficiência mas que é mais pobre. O INSS está, por um misto de ideologia e falta de idéias, querendo transformar a aposentadoria do deficiente em um grande LOAS.

    Quando se for aferir se uma pessoa tem uma deficiência merecedora de um tratamento especial, no momento da concessão da aposentadoria por tempo de serviço, devem ser apenas aquelas que podem dificultar ou impedir, que quando esta pessoa, ao interagir com as barreiras típicas do trabalho, tenha dificuldade de superá-las com autonomia e segurança ou, simplesmente, precise buscar um atalho para continuar seu destino.

    8) Conclusões

    O modelo proposto pelo INSS para a avaliação de aposentadoria especial para deficientes é: a) ilegal, por colocar profissionais do serviço social para fazerem avaliações médicas e cinesiofuncionais; é b) restritiva de direito pois foi concebida sob uma matriz construída para avaliar incapacidade e não capacidade laborativa, logo por definição quem está trabalhando, justamente os aptos a requererem o benefício, dificilmente conseguirão enquadramento grave independente do grau de deficiência; e é c) inválida cientificamente, pois não foi construída mediante uma metodologia previamente estruturada e não foi submetida à validação.

    Desta forma, considerando que o instrumento estabelece que as pessoas com deficiência que obtiverem pontuação superior a 6.335 pontos serão consideradas apenas “deficiência leve” ou sequer serão consideradas merecedoras de aposentadoria especial se acima de 7.584 pontos, por não serem consideradas deficientes, fica claro, na prática, que o instrumento em foco tem a finalidade única de criar um meio legalista de fazer com que as pessoas com deficiência tenham negado seu direito à aposentadoria especial ou tenham enorme dificuldade em obter deficiência grave, uma vez que a quantidade de pontos perdidos necessários para chegar a tal graduação praticamente impede a pessoa de exercer qualquer trabalho.

    Portanto, ao ser aplicado indiscriminadamente, essa estultice de modelo vai, oficialmente, criar no Brasil apenas duas categorias de deficientes: os inválidos, que jamais poderão pedir aposentadoria especial pois não trabalham, e os deficientes leves. Os deficientes moderados e graves trabalhando serão tão raros quanto o eclipse lunar.

    O Sindicato Nacional dos Servidores Federais Peritos Médicos Previdenciários defende o abandono do modelo IFBrA atual e o recomeço, urgente, da construção de um modelo mais justo, humano e que julgue com ciência e isenção a real gravidade da deficiência do trabalhador investigado.
    Postado por Francisco Cardoso às sexta-feira, janeiro 31,

    PARECER DO SINDICATO DOS PERITOS SOBRE O MODELO DE AVALIAÇÃO DE APOSENTADORIA ESPECIAL PARA DEFICIENTES PROPOSTO PELO INSS

    Responder

  31. Sinval

    Sr. Leonardo Mattos,
    Lembro que no começo de maio o Sr. informou que estava criando uma comissão e elaborando documentos para contestar o INSS, como está o andamento deste evento? está evoluindo? pode esclarecer?

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Sinval,
      Foi formada uma Comissão contendo peritos, assistentes sociais e pessoas com deficiência para criar um documento e, por nosso intermédio, encaminha-lo para o Ministério da Previdência. No entanto, ainda estamos aguardando a conclusão deste.
      Por outro lado, nosso gabinete está em contato permanente com o INSS e o Ministério da Previdência para acompanhar o andamento dos processos de aposentadoria especial com o intuito de verificar erros e procurar soluções.
      Att,
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

  32. MOACIR

    BOA NOITE A TODOS. HOJE EU CONTEI PELO MENOS 87 NOME DE PESSOAS QUE POSTOU NESTE BLOG UMA RECLAMAÇÃO. SÉ DESTES 87 + DUAS PESSOAS DA FAMÍLIA JÁ ESTIVESSE ASSINADO Á PETIÇÃO JÁ TERÍAMOS MAIS DE 261 ASSINATURA. DESDE 6º FEIRA Á TARDE ATÉ AGORA OLHA O RESULTADO. SE CONTINUAR DESTE JEITO VAI TODOS PARA O RECURSO DO INSS PARA VER Á RESPOSTA .
    ASSUNTO:
    Requerimento de Aposentadoria por Tempo de Contribuição da pessoa com deficiência.

    DECISÃO: INDEFERIDO.
    MOTIVO:
    Falta de tempo de contribuição.

    FUNDAMENTAÇÃO LEGAL:
    Art. 3º, incisos I, II e III da Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013.

    PARA TODOS OS BRASILEIROS NÃO VER ESTA RESPOSTA SEM FUNDAMENTO LEGAL ASS PETIÇÃO

    https://secure.avaaz.org/po/petition/DEPUTADOS_FEDERAL_E_SENADORES_DA_REPUBLICA_E_PRESIDENTE_DA_REPUBLICA_NOS_PEDIMOS_QUE_O_SENHORES_REVOGUE_ALTERE_A_LC_1422/share/?new

    ENTRE NO FACEBOOK (MOACIR SILVA SUMARÉ SÃO PAULO) NA FOTO E UMA CADEIRA DE RODA

    Responder

    • MOACIR

      AQUI ESTA OS NOMES DAS PESSOAS QUE ASSINARAM PETIÇÃO. PARA MUDAR Á LC 142/2013.

      1 Gislaine Quaglia Brazil
      2 JULIANE Brazil
      3 jose pacheco Brazil
      4 MOACIR SILVA Brazil
      5 clovis dutra oliveira Brazil
      6 Jesuino Agostinho Brazil
      7 Leandro Santos da Silva Brazil
      8 Miguel Batista Evangelista Brazil
      9 HAROLDO ABREU DINIZ Brazil
      10 Sônia Naufel Brazil
      11 Moacir Silva Brazil
      12 Fabiana Pereira da Silva Brazil
      13 ALEXSANDER RIGON DAA SILVA Brazil
      14 OSCAR BARRADAS Brazil
      15 MARCOS JOSE MARTINS DE OLIVEIRA Brazil
      16 José da Silva Brazil
      17 josé de ribamar lima de sousda Brazil
      18 Renata Brazil
      19 rogerio luis adorno dos santos tonhi Brazil
      20 sidnei aparecido penhas Brazil
      21 ANDREA DA COSTA SILVA Brazil
      22 ANGELO DA COSTA RIGON Brazil
      23 Sinval Zanquetta Brazil
      24 PEDRO PAULO TRIACA Brazil
      25 Osmar Pedroso Brazil
      26 Antonio Ambrosio Brazil
      27 Sedeval Esteves Brazil
      28 Viviane Malheiros Brazil
      29 Angeliázer Rigon Brazil
      30 Isabela Vaz de Melo Brazil
      31 Carlos Alberto de oliveira Brazil
      32 Heitor Fernandes Brazil
      33 Josevaldo de Melo Paiva Brazil
      34 Maria Antonia Alves Maciel Brazil
      35 Marylande Lima de Morais Brazil
      36 ROBERTO ALEXANDRE DE OLIVEIRA Brazil
      37 Paulo Figueiredo Brazil
      Page 1/1

      TODOS OS QUE PARTICIPA DESTE BLOG. DESDE JÁ AGRADECE PELA AS ASSINATURAS GRATO

  33. MOACIR

    BOM DIA. jaine aparecida marq ((( HOJE É O 4º DIA JÁ TEMOS 35 ASSINATURAS )))
    O LINK PARA ASSINAR Á PETIÇÃO É ESTE. É SÓ COLOCAR O E-MAIL, NOME COMPLETO, E O CEP. CLICAR EM ASSINAR E AGUARDAR UNS SEGUNDOS…. https://secure.avaaz.org/po/petition/DEPUTADOS_FEDERAL_E_SENADORES_DA_REPUBLICA_E_PRESIDENTE_DA_REPUBLICA_NOS_PEDIMOS_QUE_O_SENHORES_REVOGUE_ALTERE_A_LC_1422/sign/?axCSfeb

    Responder

  34. josé

    Pessoal vamos assinar a apetição do Moacir ou vcs vão querer ficar só no na página do Leonardo Mattos, entra no facebook dele, lá é mais amplo e temos como compartilha o nosso descontentamento.

    Responder

  35. MOACIR

    BOA NOITE A TODOS
    EU VENHO ACOMPANHANDO ESTE BLOG DE DEZEMBRO DE 2013. EU AINDA NÃO CONTEI QUANTAS PESSOAS JÁ RECLAMARAM AQUI NESTE BLOG DA LEI 142/2013 EU ACHO QUE PELO MENOS UNS 1.000,00. JÁ VI ALGUNS PEDINDO PARA NOS CRIARMOS UM BLOK OU FACEBOOK. FIZ O FACEBOOK POUCOS ENTRARAM, FIZ Á PETIÇÃO HOJE E O 3º DIA ATÉ O MOMENTO TEMOS SÓ 31 ASSINATURAS. EU ACHO POUCO PELO O Nº DE PESSOAS QUE JÁ RECLAMARAM AQUI
    PARA ENTRAR NO FACEBOOK((moacir silva sumare são paulo))a foto é uma cadeira de rodas.
    PARA ASSINAR Á PETIÇÃO. LINK DEPUTADOS_FEDERAL_E_SENADORES_DA_REPUBLICA_E_PRESIDENTE_DA_REPUBLICA_NOS_PEDIMOS_QUE_O_SENHORES_REVOGUE_ALTERE_A_LC_1422

    Responder

  36. MOACIR

    OBRIGADO AS PESSOAS QUE ASSINARAM Á PETIÇÃO. SENHORES. REVOGUE ALTERE A LC 142/2013 DECRETO 8.145 HOJE É O 3º DIA SE CONTINUAR ASSIM LOGO ATINGIMOS O NOSSO OBJETIVO. ……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………1 Gislaine Quaglia Brazil
    2 JULIANE Brazil
    3 jose pacheco Brazil
    4 MOACIR SILVA Brazil
    5 Leandro Santos da Silva Brazil
    6 Miguel Batista Evangelista Brazil
    7 HAROLDO ABREU DINIZ Brazil
    8 Sônia Naufel Brazil
    9 Moacir Silva Brazil
    10 Fabiana Pereira da Silva Brazil
    11 ALEXSANDER RIGON DAA SILVA Brazil
    12 OSCAR BARRADAS Brazil
    13 MARCOS JOSE MARTINS DE OLIVEIRA Brazil
    14 José da Silva Brazil
    15 josé de ribamar lima de sousda Brazil
    16 Renata Brazil
    17 rogerio luis adorno dos santos tonhi Brazil
    18 sidnei aparecido penhas Brazil
    19 ANDREA DA COSTA SILVA Brazil
    20 ANGELO DA COSTA RIGON Brazil
    21 Sinval Zanquetta Brazil
    22 PEDRO PAULO TRIACA Brazil
    23 Osmar Pedroso Brazil
    24 Antonio Ambrosio Brazil
    25 Sedeval Esteves Brazil
    26 Viviane Malheiros Brazil
    27 Angeliázer Rigon Brazil
    Page 1/1

    Responder

  37. Alex

    Boa Tarde a Todos!
    Moacir, acabei de passar o link para todos os meus contatos de emails.
    COMPANHEIRO DESTE BLOG DEVEMOS TODOS ASSINAR E PEDIR PARA NOSSOS AMIGOS.

    Responder

    • MOACIR

      BOA TARDE ALEX.
      EU AGRADEÇO Á TODOS QUE ESTÃO ASSINANDO ESTA PETIÇÃO. MAS PRECISAMOS AGRADECER PRINCIPALMENTE O VEREADOR LEONARDO E Á SUA EQUIPE POR PERMITIR AS DIVULGAÇÕES NESTE BLOG.

      OS NOSSOS AGRADECIMENTOS Á TODOS ENVOLVIDO NESTA CAUSA((EM PRINCIPAL VEREADOR LEONARDO MATTOS))

  38. MOACIR

    OBRIGADO AS PESSOAS QUE ASSINARAM Á PETIÇÃO SENHORES. REVOGUE ALTERE A LC 142/2013 DECRETO 8.145 …………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………1 JULIANE Brazil
    2 jose pacheco Brazil
    3 MOACIR PEREIRA DA SILVA Brazil
    4 Leandro Santos da Silva Brazil
    5 HAROLDO ABREU DINIZ Brazil
    6 Sônia Naufel Brazil
    7 Moacir Silva Brazil
    8 Fabiana Pereira da Silva Brazil
    9 ALEXSANDER RIGON DAA SILVA Brazil
    10 OSCAR BARRADAS Brazil
    11 MARCOS JOSE MARTINS DE OLIVEIRA Brazil
    12 José da Silva Brazil
    13 josé de ribamar lima de sousda Brazil
    14 Renata Brazil
    15 rogerio luis adorno dos santos tonhi Brazil
    16 sidnei aparecido penhas Brazil
    Page 1/

    Responder

    • jaine aparecida marq

      Olá quero participar também pois tenho a deficiência auditiva mas é unilateral sendo que do lado esquerdo só tenho a orelha e tenho tempo de contribuição.

  39. MOACIR

    EM 2 DIA JÁ TEMOS 16 ASSINATURAS.SE CADA UM COMPARTILHAR COM 10 PESSOAS JÁ SÃO 160X10=1600 TENHA FÉ QUE NADA É IMPOSSÍVEL………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………. Amigos, esta petição e uma abaixo assinada em favor das pessoas com deficiência que entraram com pedido de aposentadoria especial para pessoas com deficiência lei complementar 142/2013 decreto 8.145. o inss esta considerando todos com deficiência leve indeferindo os pedidos.
    esta petição é para mudar esta lei. muito injusta.
    Eu acabei de criar minha própria petição no site de Petições da Comunidade da Avaaz. Chama-se: DEPUTADOS FEDERAL E SENADORES DA REPUBLICA E PRESIDENTE DA REPUBLICA : NOS PEDIMOS QUE O SENHORES. REVOGUE ALTERE A LC 142/2013 DECRETO 8.145.
    Eu realmente me importo com esse assunto e estou tentando conseguir 250 assinaturas — você pode me dar uma ajuda?
    Clique aqui para ler mais a respeito e assine:
    https://secure.avaaz.org/po/petition/DEPUTADOS_FEDERAL_E_SENADORES_DA_REPUBLICA_E_PRESIDENTE_DA_REPUBLICA_NOS_PEDIMOS_QUE_O_SENHORES_REVOGUE_ALTERE_A_LC_1422/?Day2Share
    Campanhas como essa sempre começam pequenas, mas crescem quando pessoas como nós se envolvem — por favor, gaste um segundo agora para ajudar assinando e passando adiante.
    Muito obrigado,

    Responder

  40. HAROLDO DINIZ

    JÁ ASSINEI.

    ASSINE VC TAMBÉM. VAMOS LÁ TODOS JUNTOS SOMOS MAIS FORTES.

    Responder

    • MOACIR

      BOA TARDE HAROLDO. OBRIGADO EM 2 DIAS JÁ TEM 16 ASSINATURA. VAMOS COMPARTILHAR. NÃO NECESSÁRIO SER DEFICIENTE. VAMOS TODOS ASSINAR

  41. MOACIR

    TEXTO DESTE SITE:: http://www.perito.med.br/2014_01_01_archive.html
    É POR ESTE MOTIVO QUE TODOS ESTÃO COM DEFICIÊNCIA ((( LEVE )))

    8) Conclusões
    O modelo proposto pelo INSS para a avaliação de aposentadoria especial para deficientes é: a) ilegal, por colocar profissionais do serviço social para fazerem avaliações médicas e cinesiofuncionais; é b) restritiva de direito pois foi concebida sob uma matriz construída para avaliar incapacidade e não capacidade laborativa, logo por definição quem está trabalhando, justamente os aptos a requererem o benefício, dificilmente conseguirão enquadramento grave independente do grau de deficiência; e é c) inválida cientificamente, pois não foi construída mediante uma metodologia previamente estruturada e não foi submetida à validação.

    Desta forma, considerando que o instrumento estabelece que as pessoas com deficiência que obtiverem pontuação superior a 6.335 pontos serão consideradas apenas “deficiência leve” ou sequer serão consideradas merecedoras de aposentadoria especial se acima de 7.584 pontos, por não serem consideradas deficientes, fica claro, na prática, que o instrumento em foco tem a finalidade única de criar um meio legalista de fazer com que as pessoas com deficiência tenham negado seu direito à aposentadoria especial ou tenham enorme dificuldade em obter deficiência grave, uma vez que a quantidade de pontos perdidos necessários para chegar a tal graduação praticamente impede a pessoa de exercer qualquer trabalho.

    Portanto, ao ser aplicado indiscriminadamente, essa estultice de modelo vai, oficialmente, criar no Brasil apenas duas categorias de deficientes: os inválidos, que jamais poderão pedir aposentadoria especial pois não trabalham, e os deficientes leves. Os deficientes moderados e graves trabalhando serão tão raros quanto o eclipse lunar.

    O Sindicato Nacional dos Servidores Federais Peritos Médicos Previdenciários defende o abandono do modelo IFBrA atual e o recomeço, urgente, da construção de um modelo mais justo, humano e que julgue com ciência e isenção a real gravidade da deficiência do trabalhador investigado.

    Responder

  42. MOACIR

    AGORA É PARA AGRADECER Á EQUIPE DO VEREADOR LEONARDO MATTOS. QUE ADMINISTRA ESTE SITE. POR COLOCAR DATA E HORAS NAS POSTAGEM.
    O MEU MUITO OBRIGADO.
    EM NOME TODOS OS PARTICIPANTES.

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Moacir,
      tentaremos sempre melhorar.
      Att,
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

  43. MOACIR

    Amigos, do Brasil e os que compartilha informações neste blog. esta lançado o desafio vamos ass. esta petição. porque ela e favor de todos os Brasileiros pra os que estão aqui, e para os que viram . E QUE DEUS POSA NOS PROTEGER.

    Eu acabei de criar minha própria petição no site de Petições da Comunidade da Avaaz. Chama-se: DEPUTADOS FEDERAL E SENADORES DA REPUBLICA E PRESIDENTE DA REPUBLICA : NOS PEDIMOS QUE O SENHORES. REVOGUE ALTERE A LC 142/2013 DECRETO 8.145.

    Eu realmente me importo com esse assunto e estou tentando conseguir 250 assinaturas — você pode me dar uma ajuda?

    Clique aqui para ler mais a respeito e assine:
    https://secure.avaaz.org/po/petition/DEPUTADOS_FEDERAL_E_SENADORES_DA_REPUBLICA_E_PRESIDENTE_DA_REPUBLICA_NOS_PEDIMOS_QUE_O_SENHORES_REVOGUE_ALTERE_A_LC_1422/?Day2Share

    Campanhas como essa sempre começam pequenas, mas crescem quando pessoas como nós se envolvem — por favor, gaste um segundo agora para ajudar assinando e passando adiante.

    Muito obrigado,

    Responder

    • Gislaine Quaglia

      MOACIR,
      BOA INICIATIVA, JÁ ASSINEI, VAMOS TODOS ASSINAR !

    • MOACIR

      BOA TARDE Á TODOS OS PARTICIPANTE DESTE BLOG.
      PARA DEIXAR CLARO NÃO SOU POLÍTICO NUNCA FOI, E NEM QUERO SER.
      MINHA PROFISSÃO DEDES MOLEQUE. APRENDIZ DE OFICINA DE POIS 1/2 OFICIAL AJUSTADOR MECÂNICO. ATUALMENTE FERRAMENTEIRO. UM POUCO DE CARRETEIRO
      (((FACEBOOK MOACIR SILVA SUMARE SAO PAUO))) NA FOTO UMA CADEIRA DE RODAS VERMELHA

  44. José

    Tenho 60 anos de idade e 30 de contribuições previdenciárias e meu pedido de aposentadoria de deficiente por idade foi indeferido. Na APS de Barueri.
    Sou portador de ortosclerose auricular grau severo nos dois ouvidos há 17 anos, comprovado por laudo médico e exame, para reforçar tenho um diagnóstico de 2004 emitido por um perito judicial, o qual relato no processo que movi contra o INSS que sou deficiente auditivo, e não poderia receber auxilio doença, cita a lei que integra a lei que integra o deficiente ao mercado de trabalho. Com todas essas provas não fui considerado deficiente, não levaram em conta nem o diagnostico do perito judicial, sequer olharam este documento.
    A avaliação pericial na realidade foi executada por médico, mas exercendo a função de técnico previdenciário, ele fez perguntas baseado no formulário que a previdência fornece e o preenche de acordo com as normas do regulamento, não pode fugir da regra, pelo que entendi o sistema não aceita. Em nenhum momento usa seus conhecimentos médicos para avaliar a deficiência, é um mero entrevistador e recebedor de documentos programado pelo sistema. Esta pericia deve ser contestada, como eu não sei.
    Categorias como agricultor, seringueiros, pescadores se aposentam com 60 anos de idade sem nunca terem contribuído com o sistema, utilizando-se para isso apenas a lei.
    Existe aposentadoria especial para trabalhadores que tenham exercido a função em condições prejudiciais a saúde, com redução de até 10 anos mais cedo Exigem o PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário) documento preenchido pela empresa e depois analisado pela pericia médica. Resumindo nossa aposentadoria teria que se basear neste modelo, pois contribuímos como eles e nossa saúde de forma diferente é degradada ao longo dos anos.
    Nosso modelo de aposentadoria está baseado no LOAS, que é um beneficio assistencial que contempla a pessoa deficiente sem nenhuma renda,que não pode trabalhar, que nunca contribuiu com a previdência ou já deixou de contribuir. Este sim necessita de avaliação social.
    Resumindo este regulamento foi elaborado por pessoas leigas que não entendem nada da área previdenciária.
    Devemos mover uma ação coletiva (se for possível) para eliminar este regulamento do nosso processo de aposentadoria. Algum advogado pode nos orientar como fazer. Você Leonardo que tem mais acesso a bons advogados poderia estudar este assunto.
    Porque isoladamente cada um entrar com processo ou recurso contra o INSS acredito que a espera será longa e imprevisível.
    Este regulamento de certa forma impede aplicação da lei que tem como principal objetivo beneficiar os trabalhadores deficientes que contribuíram. Pode um regulamento estar acima da lei?
    Moacir, gostei da sua iniciativa já é um bom começo.

    Responder

    • ROGERIO LUIS

      José, seu relato é parecido com a grande maioria que escrevem no blog, só vejo um unico caminho ENTRAR COM PROCESSO NA JUNTA FEDERAL, contrate um advogado, só assim os peritos vão enxergar os laudos, na mesa do Juiz de direito eles abaixam a bola e ao final reconhecem o quanto são burros, pois uma ação gera direitos como moral e eles tem de pagar todo o tempo que viraram as costas para nossos direitos, não perca tempo ou paciencia, procure alguem de confiança e entre na justiça a pior hipotese é te negarem, mas vc fez cumprir seus direitos. Abs

  45. MOACIR

    BOA TARDE A TODOS OS VISITANTES DESSE BLOG. PARA QUE NÃO CONCORDA COM Á FORMULAÇÃO DA LC142/13 DECRETO 8.145 POR FAVOR ASSINE ESTA ABAIXO ASSINADA. NESTE LINK ABAIXO. EM ASSINAR É SÓ COLOCAR O E-MAIL NOME COMPLETO, O CEP. E O PAIS . CLIK ASSINAR AGUARDE UNS SEGUNDOS ………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………https://secure.avaaz.org/po/petition/DEPUTADOS_FEDERAL_E_SENADORES_DA_REPUBLICA_E_PRESIDENTE_DA_REPUBLICA_NOS_PEDIMOS_QUE_O_SENHORES_REVOGUE_ALTERE_A_LC_1422/sign/?aXbacib

    Responder

  46. ALEX

    MOACIR,
    BOA INICIATIVA, JÁ ASSINEI
    VAMOS TODOS ASSINAR!

    Responder

    • MOACIR 25/07/2014

      BOA NOITE ALEX. EU CONFIRMEI NO SITE ESTA LÁ A SUA ASSINATURA. AGORA SE VC PUDER DA UMA OLHA NO SEU E-MAIL SE TIVER UMA MENSAGEM VC VAI EM ENCAMINHAR ENVIA PARA SEU CONTATOS AMIGOS E PARENTES.

  47. JOSÉ WILSON

    BOA TARDE A TODOS,
    COMO JÁ COMENTEI AQUI, MEU PEDIDO DE APOSENTADORIA FOI INDEFERIDO. JÁ CONVERSEI COM UMA ADVOGADA ESPECIALISTA EM CAUSAS PREVIDENCIÁRIAS. ELA JÁ ENTAR POR DENTRO DA LEI COMPLEMENTAR 142. ELA ME FALOU QUE É CAUSA GANHA. ESTOU JUNTADO A DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA QUE ELA ENTRE COM UMA AÇÃO DIRETA NA JUSTIÇA FEDERAL. SE ALGUÉM DESEJAR ALGUMA INFORMAÇÃO ESTOU AO INTEIRO DISPOR.

    Responder

    • Ricardo

      Boa noite, José Wilton.
      Eu gostaria de receber copia de sua petição por gentileza, pois tenho interesse em buscar no judiciário este nosso direito como pessoa com deficiência, no meu caso me tornei após ter ingressado ao RGPS por Doença.
      Meu E-mai :
      ricardorinaldini@terra.com.br
      Um forte abraço
      Obs: não esqueça de solicitar ao Juiz da Demanda Prioridade de Atendimento por Oficio, comente isso com seu Advogado para agilizar o julgamento pois isso é LEI se precisar o NR e Artigo te encaminho ok.

    • Jose Sousa

      Prezado companheiro Jose Wilson,
      Poderia postar a base da ação para verificarmos o conteúdo do pedido,ou seja, quais os argumentos jurídicos que a sua advogada está se baseando?
      Grato

  48. MOACIR

    DIA 25/07/2014
    BOA TARDE A TODOS OS VISITANTES DESSE BLOG. PARA QUE NÃO CONCORDA COM Á FORMULAÇÃO DA LC142/13 DECRETO 8.145 POR FAVOR ASSINE ESTA ABAIXO ASSINADA. NESTE LINK ABAIXO. EM ASSINAR É SÓ COLOCAR O E-MAIL NOME COMPLETO, O CEP. E O PAIS . CLIK ASSINAR AGUARDE UNS SEGUNDOS …………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………. https://secure.avaaz.org/po/petition/DEPUTADOS_FEDERAL_E_SENADORES_DA_REPUBLICA_E_PRESIDENTE_DA_REPUBLICA_NOS_PEDIMOS_QUE_O_SENHORES_REVOGUE_ALTERE_A_LC_1422/sign/?aXbacib

    Responder

  49. BARRADAS

    Obrigado Osmar Pedroso, se eu fosse vc entraria com recurso alegando algumas justificativa das perguntas do Perito Social para abater 195 pontos e vc se enquadrar na moderada que é o máximo de 6355 pontos, vc não mencionou quando tempo tem de contribuição, mas se vc tiver mas de 29 anos de contribuição vc deve entrar com este recurso eu estou entrando com recurso 31/07 pois tenho 30,3 anos e fui enquadrado na leve e esta faltando reduzir 695 pontos, porque teve perguntas que o perito não me fez e respondeu por mim, quem sabe da minha vida e a dificuldade Audiva sou eu e não ele. Se eu não conseguir entrarei na Justiça.
    abçs a todos

    Responder

  50. BARRADAS

    Você é um Ateu Previdenciário?

    Não creio na existência de vida após a aposentadoria.
    Deixe-me explicar como funciona minha fé.
    Para mim, há só dois tipos de existência previdenciária: o antes e o durante. Não há depois.
    Em quase todos os casos, o antes ocupa a maior parte do tempo. São décadas de muito trabalho, nas quais você dedica parte da renda a investimentos de longo prazo.
    Ao contrário do lugar comum, não entendo o antes como símbolo do sacrifício. Ninguém aguenta viver 30 anos no sacrifício. E mesmo se aguentar, não terá vivido nada.
    Depois disso, tem o durante. É a época em que você passa a desfrutar do patrimônio que construiu, dando-se a alguns luxos permitidos pelo tempo e dinheiro disponíveis.
    A ambição natural de aposentar-me de maneira bastante confortável.
    Mas apesar de tudo precisamos crer e lutar pelos nossos direitos ou se der tempo e tiver condições de pagar um plano previdenciário para não termos medo e o pavor de uma velhice pobre.

    Responder

    • OSMAR PEDROSO

      PARABÉNS PELO TEXTO BARRADAS!!!
      Pessoal, NADA FEITO!!!! KKKKKKKKKKKK
      A Documentação que me disponibilizaram, foi cópia do processo 20 folhas, das 20 folhas a que me interessou foi uma:
      QUE DIZ QUE FUI ENQUADRADO EM GRAU LEVE COM 6550 PONTOS!!!
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, PARECE PIADA!!!
      MEU DEUS!!!!!! ESTAMOS FERRADOS!!!!
      É O JEITO É IR NA JUSTIÇA!!!
      VOU PROCURAR UM ADVOGADO.
      Usarei as palavras do nosso colega BARRADAS, para terminar este post.
      “Mas apesar de tudo precisamos crer e lutar pelos nossos direitos ou se der tempo e tiver condições de pagar um plano previdenciário para não termos medo e o pavor de uma velhice pobre.”
      E VIVA O BRASILLLLLL……………………………………….@#$%!!!!!!

  51. osmar pedroso

    Bom dia, acabei de chegar da Ag. Sta Marina/SP, fui buscar uma cópia das minhas avaliações, bom ainda não consegui pegar.
    Sabem porque?
    ” Devido a quantidade de paginas, o Senhor tem que pagar uma Taxa GRU SIMPLES!!!, de R$1,35!!!!!!” VERDADE!!!!!
    Não Acreditei!!! Cara se EU tivesse condições tinha arrumado a maior confusão.
    O banco do Brasil mais próximo daquela agencia ficas uns 5, 7 quilômetros e tem um viaduto enorme no caminho, o viaduto da Lapa/SP, PODE ISSO!
    PORQUE OS DESGRAÇADOS, JÁ NÃO ME DERAM A GRU NO DIA EM QUE SOLICITEI ESTES DOCUMENTOS, JUNTO AO ATENDENTE NESTA MESMA AGENCIA!!!!!
    PESSOAL DESCASO TOTAL!!!! NINGUÉM, NINGUÉM !!! QUER SABER DA GENTE!!!!!
    A minha sorte é que tenho o MEU HERÓI, QUE SEMPRE ME AJUDOU, O MEU PAI O SEU OSCAR!!!!!!
    Voltei pra casa, esperar abrir as agencias do Banco do Brasil e depois voltar novamente para aquela PORCARIA de agencia.
    REALMENTE SOMOS UMA PEDRA ENORME NO SAPATO DA SOCIEDADE E GOVERNO!!!!!!
    NINGUÉM AJUDA, NINGUÉM FAZ NADA!!
    E DEPOIS “ELES”, OS GOVERNANTES FICAM “BRAVOS” QUANDO SÃO CHAMADOS DE “anão diplomático”!!!!!
    É MENTIRA!!!!
    BOM CONTANDO OS MINUTOS PARA IRA AO BANCO DO BRASIL……….
    ATÉ MAIS!

    Responder

    • ANA OLIVEIRA

      Olá, Osmar Pedroso, gostaria de saber onde viu o total de seus pontos, pois no processo que peguei do meu marido que tem pólio desde os 2 anos, e que foi indeferido mesmo com o próprio perito considerando ele deficiente foi indeferido, mas não vi o total dos pontos. Onde vc conseguiu visualizar?
      Grata.

  52. MOACIR

    HOJE DIA 25/07/2014 H 00:28
    BOA NOITE Á TODOS OS PARTICIPANTE DESTE BLOG.
    PARA DEIXAR CLARO NÃO SOU POLÍTICO NUNCA FOI, E NEM QUERO SER.
    MINHA PROFISSÃO DEDES MOLEQUE. APRENDIZ DE OFICINA DE POIS 1/2 OFICIAL AJUSTADOR MECÂNICO. ATUALMENTE FERRAMENTEIRO. UM POUCO DE CARRETEIRO
    (((FACEBOOK MOACIR SILVA SUMARE SAO PAUO))) NA FOTO UMA CADEIRA DE RODAS VERMELHA

    Responder

  53. MOACIR

    HOJE DIA 24/07/2014 AS H 23:49
    BOA NOITE A TODOS
    TEMOS QUE FAZER UMA ABAIXO ASSINADO. NÃO PRECISA SER NO PAPEL. PODE SER PELA Á INTERNET. PARA CHAMAR Á ATENÇÃO DOS DEPUTADOS E DOS SENADORES ESTE ANO AINDA. PORQUE DEPOIS DAS ELEIÇÕES, PODE ESQUECER. SERIA MUITO SIMPLES. NO PROPIO FACEBOOK (( ESCREVER APOSENTADORIA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS)) LEI COMPLEMENTAR 142/2013 DECRETO 8.145 ASSINADO EM 12/2013 PELA Á SRª PRESIDENTE DILMA.
    PRIMEIRO NOME…….TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO……..TEMPO DEFICIÊNCIA………..CONSIDERAÇÃO
    XXXXXXXXXXXX………. 27 ANOS OBS INSALUBRES……O MEU CASO 10 ANOS……LEVE 24,2………………

    O FACEBOOK JÁ ESTA FEITO DESDE O DIA 17/07/2014((MOACIR SILVA SUMARE SAO PAULO)) NA FOTO TEM UMA CADEIRA DE RODAS VERMELHA. NO CONVITE SITE O BLOG DO VEREADOR LEONARDO MATTOS FICA MAIS PRATICO PARA INDENTIFICAR A SOLICITAÇÃO

    Responder

  54. MOACIR

    HOJE DIA 24/07/2014 AS H 23:49
    BOA NOITE A TODOS
    TEMOS QUE FAZER UMA ABAIXO ASSINADO. NÃO PRECISA SER NO PAPEL. PODE SER PELA Á INTERNET. PARA CHAMAR Á ATENÇÃO DOS DEPUTADOS E DOS SENADORES ESTE ANO AINDA. PORQUE DEPOIS DAS ELEIÇÕES, PODE ESQUECER. SERIA MUITO SIMPLES. NO PROPIO FACEBOOK (( ESCREVER APOSENTADORIA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS)) LEI COMPLEMENTAR 142/2013 DECRETO 8.145 ASSINADO EM 12/2013 PELA Á SRª PRESIDENTE DILMA.
    PRIMEIRO NOME…….TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO….. TEMPO DE DEFICIÊNCIA………..CONSIDERAÇÃO
    XXXXXXXXXXXX………. 27 ANOS OBS INSALUBRES………. O MEU CASO 10 ANOS……………..LEVE 24,2………………
    O FACEBOOK JÁ ESTA FEITO DESDE O DIA 17/07/2014((MOACIR SILVA SUMARE SAO PAULO)) NA FOTO TEM UMA CADEIRA DE RODAS VERMELHA. NO CONVITE SITE O BLOG DO VEREADOR LEONARDO MATTOS FICA MAIS PRATICO PARA INDENTIFICAR A SOLICITAÇÃO

    Responder

  55. MOACIR

    HOJE DIA 24/07/2014 AS H 23:49
    BOA NOITE A TODOS
    TEMOS QUE FAZER UMA ABAIXO ASSINADO. NÃO PRECISA SER NO PAPEL. PODE SER PELA Á INTERNET. PARA CHAMAR Á ATENÇÃO DOS DEPUTADOS E DOS SENADORES ESTE ANO AINDA. PORQUE DEPOIS DAS ELEIÇÕES, PODE ESQUECER. SERIA MUITO SIMPLES. NO PROPIO FACEBOOK (( ESCREVER APOSENTADORIA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS)) LEI COMPLEMENTAR 142/2013 DECRETO 8.145 ASSINADO EM 12/2013 PELA Á SRª PRESIDENTE DILMA.
    PRIMEIRO NOME TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO TEMPO DE DEFICIÊNCIA CONSIDERAÇÃO
    XXXXXXXXXXXXX 27 ANOS OBS INSALUBRES NO MEU CASO 10 ANOS LEVE 24,2

    O FACEBOOK JÁ ESTA FEITO DESDE O DIA 17/07/2014((MOACIR SILVA SUMARE SAO PAULO)) NA FOTO TEM UMA CADEIRA DE RODAS VERMELHA. NO CONVITE SITE O BLOG DO VEREADOR LEONARDO MATTOS FICA MAIS PRATICO PARA INDENTIFICAR A SOLICITAÇÃO

    Responder

  56. ZÉ RESENDE

    OS SENHORES BLOGUEIROS FALAM TANTO EM PROCURAR A JUSTIÇA, CONFIAM TANTO, FALAM DE UM JEITO COMO SE A JUSTIÇA EXISTISSE. NÃO EXISTE JUSTIÇA GENTE. SE VOCÊS PROCURAM A JUSTIÇA ELES ENGAVETAM E O POBRE ACABA FICANDO ANOS E ANOS SEM TER RESULTADO E QUANDO SAI JÁ NEM PRECISA MAIS.O CERTO MESMO SERIA OS POLÍTICOS TER FEITO ESSA LEI DE UMA MANEIRA QUE O INSS NÃO TIVESSE ESSA BLÉCHA PRA FAZER O QUE ESTA FAZENDO.

    Responder

  57. Vladimir

    Pessoal!
    Em primeiro lugar, tenho que agradecer a Deus por iluminar pessoas que se disponham a lutar em benefício dos nossos direitos. E portanto, agradecer diretamente ao Nobre Leonardo Mattos pela minha aposentadoria que foi concedida nesta data.
    Peço a ele que continue a abraçar e empreender esforços, no sentido de buscar que a Lei 142/13 seja cumprida a todos nós, pessoas com deficiência.

    Que o bom Deus ilumine a todos que estão em busca desse direito, e peço, não desistam de fazer valer o direito de se aposentar como deficiente.

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Parabéns Vladimir, ficamos muito contentes com sua vitória.
      Att,
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

  58. Leandro Santos

    Boa noite. (24/07/14)
    Gostaria de saber se algum dos amigos deste blog já entraram com processos na Justiça Federal de suas respectivas cidades.
    Grato. leandrossil@ig.com.br

    Responder

  59. Marcos Silva

    Caro Leonardo,

    Passei pela perícia e fui considerado como deficiente leve e vou completar os 33 anos de contribuição no ano que vem.
    Nesse caso existe possibilidade do INSS indeferir o pedido de aposentadoria no próximo ano alegando, por exemplo, que não sou deficiente em nova perícia?
    Um forte abraço,
    Marcos

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Marcos, tudo bem?
      não há está possibilidade, pois no ano que vem você não precisará mais ser avaliado em relação ao grau de deficiência.
      Att,
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

    • ZÉ RESENDE

      Pelo que já ouvi, se o senhor foi aprovado como leve, moderada ou leve, não tem como dizer mais que o senhor não é. É só aguardar o dia, mas tem que continuar trampando,ou melhor recolhendo.

  60. BARRADAS

    ENQUANTO ISSO …….Os servidores continuam errando e a nossa nada….

    24/07/2014 00:02:32
    100 mil aposentadorias do INSS terão valor reduzido
    Correção foi determinada pelo TCU após auditoria. Erro de informações é o principal motivo
    MAX LEONE
    Rio – Mais de 100 mil aposentados por tempo de contribuição e também por idade vão ter os valores de seus benefícios do INSS revisados em todo o país. A determinação é do Tribunal de Contas da União (TCU), após ter feito auditoria nos bancos de dados do instituto e constatado irregularidades. Segundo relatório do tribunal, outros mais de 415 mil benefícios apresentaram falta de cadastros, como campos para preenchimento de nome em branco, data de nascimento, nomes de titulares e das mães sem sobrenomes ou abreviados. O INSS tem 180 dias para fazer os acertos.
    Os técnicos do TCU se debruçaram sobre um total de 12.532.960 de benefícios. Sendo 8.286.009 aposentadorias por idade e 4.246.951 por tempo de contribuição . O montante representa R$11,9 bilhões na folha do INSS.
    De acordo com o relatório do TCU, foram encontrados 2.305 benefícios com suspeitas de acumulação indevida. Para a equipe da auditoria, as principais causas para a concessão irregular são: falha no sistema, erro do servidor que liberou o benefício, concessão por recurso, divergências de dados cadastrais do segurado e fraude. Mas a concessão ou revisão por meio de decisão judicial é considerada a que mais propicia erros, tendo em vista a baixa segurança do sistema quando benefícios são deferidos ou reativados a pedido Justiça.
    Conforme o relatório, boa parte das ocorrências foi provocada por “erro do servidor durante o cadastro para a concessão do benefício, a apresentação de documentação inidônea e a falta de condição dos servidores de atestar a veracidade da documentação”. No texto, no entanto, o tribunal ressalta que as falhas cadastrais não constituem, de imediato, “danos aos cofres previdenciários, mas que elas podem, no futuro, provocar o pagamento de benefícios indevidos, além de dificultar as ações de controle”.
    O TCU encontrou também 45.923 aposentadorias que não têm relação com o banco de dados do CPF. O tribunal verificou ainda existência de 11.628 benefícios de aposentadoria por idade em que os segurados, na data de concessão, não observavam os critérios para recebimento dos benefícios: 60 anos de idade para mulheres e 65 anos para homens.

    Responder

  61. eder geraldo alves

    A pericia do INSS negou a minha deficiência monocular. Eu queria saber se visão monocular não é deficiência, se eu tenho dois olhos um não vejo nada qde a lei 142\13 para deficiente . Para trocar minha CNH eu tenho deficiência para INSS eu não tenho vamos para Brasília Sr. LEONARDO MATTOS

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Eder, tudo bem.
      Na Lei 142/13 não há nenhuma restrição as pessoas que possuam visão monocular. Se acontecer de sua demanda for negada, sugiro que ajuíze ação na justiça.
      Att,
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

  62. Paiva

    A lei até o momento serve para duas coisas: Se você tiver 33 anos de contribuição, aí diminui 2 anos para sua aposentaria Grau leve, mas lembrem-se que para isso você tem que provar sua deficiencia – que é o mais difícil.
    Segunda coisa e você completar 60 anos e ter o tempo mínimo de contribuição exigido – também tem que provar por A mais B que você tem deficiencia.

    Responder

  63. Rogerio Luis

    Equipe do Leonardo Mattos, caso seja de interesse de todos neste blog, nos organizar e protestar em Brasilia contra o inss e a falta de respeito como estamos sendo tratados, assim como a LEI 142/13, gostaria de participar, creio que bem organizados poderemos ser ouvidos em Brasilia, Sou de Campinas/sp, tive meu pedido indeferido, e como a grande maioria pela avaliação do inss como deficiencia Leve, sinto-me frustrado como a forma que estamos sendo tratados e os relatos aqui no blog do Leonardo revela esse sentimento, não sou ligado a partido algum e acho que precisamos nos unir e levantar nossas vozes contra mais esta injustiça, se a idéia for compartilhada e os amigos que aqui relatam as dificuldades e frustrações poderemos nos unir e dar um basta nesta injustiça. Abraços Rogerio 24/07/2014.

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Rogério,
      Se vocês organizarem alguma coisa nos avise. Nós estamos acompanhando os trabalhos do INSS referente a está Lei e analisando qual o melhor caminho para corrigir os erros apontados.
      Att,
      Equipe Leonardo Mattos

  64. luiz

    Para : Clovis Oliveira 23/07/2014 as 22:32hs
    Boa noite Clovis, eu tenho 28 anos de contribuição e por isso que vou lutar para obter o grau moderado junto ao INSS.
    Abraços.

    Responder

    • MOACIR

      HOJE DIA 24/07/2014 H 00:37
      BOA NOITE LUIZ VOCÊ ME DESCULPE. POR EU ENTRAR NO SEU QUESTIONAMENTO.
      SE O SR LER Á LEI 142/2013 E O DECRETO 8.145 ELE É CHEIO DE ARMADILHAS .
      NÓS PRECISAMOS FAZER OS POLÍTICOS CONCERTAR ESTA LEI URGENTE. ISTO NÃO É ESPECIAL.PORQUE EU TENHO 27 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO 20,5 NORMAL E 7 COM DOENÇA O MEU TEMPO FOI REDUZIDO PARA 24,2 COMO QUE UMA LEI PEGA O SEU TEMPO E REDUZ. NA APOSENTADORIA ESPECIAL INSALUBRE PEGA O TEMPO SE FOR 25 ANOS E MULTIPLICA POR 1.40 AI VAI PARA 35 ANOS. OS MEUS 27 ANOS É TODOS INSALUBRES EU TENHO 16 REGISTRO TEM UNS QUE TRABALHEI ATE 4 VEZ NA MESMA EMPRESA QUE É ANTES DE 1995 QUE ALEI ME GARANTIA ATÉ PELA Á PROFISSÃO. E O MEDICO QUE VIU PPP REJEITOU PORQUE Á EMPRESA MUDOU DE ENDEREÇO. RESUMINDO O INSS ESTA FALIDO ESTA LEI É SÓ UM CENSO PARA VER QUANTAS PESSOAS ESTA NESTA SITUAÇÃO. ESTE ANO É ANO DE ELEIÇÃO TEMOS QUE MUDAR ESTA LEI JÁ. 20 ANOS PARA MULHER X 1.20 OU 1.25 INDEPENDENTE DA DEFICIÊNCIA. PORQUE 20 ANOS DE TRABALHO JÁ É MUITO. E 25 PARA HOMEM X 1.40 INDEPENDENTE DA DEFICIÊNCIA. PORQUE DEFICIÊNCIA É DEFICIÊNCIA. NÃO EXISTE DEFICIÊNCIA MENOS OU MAIS. PORQUE SE EXISTIR NÃO É DEFICIÊNCIA.
      EU PESO PARA TODOS LER O QUE EU ESCREVENDO AQUI É Á PURA VERDADE. EU QUANDO FUI PASSAR COM O MÉDICO PERITO EU GRAVEI TODA Á MINHA CONVERSA COM ELE.
      BOA NOITE Á TODOS

  65. Maria

    Olá, tenho surdez severa no ouvido esquerdo a mais de 30 anos, com 31 anos de contribuições dei entrada na aposentadoria e fui chamada para fazer a pericia em uma agência no Ceará, o médico estava totalmente perdido creio eu, olhou para o meu processo e disse: mais o ambiente que você trabalha não é barulhento, você pode perfeitamente trabalhar com um ouvido só,(que não era essa a questão), e me encaminhou para a assistente social, essa me ouviu e colheu detalhadamente minhas informações mas avisou que o resultado dependerá da pontuação dela e do medico. Alguém teria um caso de deficiência semelhante? Será que tenho alguma chance? Obrigada.

    Responder

  66. BARRADAS

    Enquanto isso os nossos DIREITOS estão sendo indeferido

    23/07/14 11:57 Atualizado em 23/07/14 11:59
    INSS terá que revisar mais de 400 mil benefícios suspeitos de irregularidades
    O INSS terá que revisar mais de 400 mil benefícios após receber uma determinação do Tribunal de Contas da União (TCU), responsável pela fiscalização dos gastos do governo. O relatório feito em 2012 foi aprovado na semana passada. O prazo dado ao instituto é até janeiro do ano que vem. Entre os problemas, há casos de aposentadorias com pagamento duplicado e erros no cadastro, como falhas de grafia no nome do segurado ou de seus pais.
    O problema, segundo o TCU, é que esses erros acabam gerando irregularidades, como a concessão de mais de um benefício ao mesmo segurado ou mesmo o corte da aposentadoria, se ele for confundido com alguém que morreu, por exemplo.
    O INSS informou que já revisa constantemente todos os benefícios com indícios de irregularidades e que, possivelmente, como o relatório de auditoria foi feito em 2012, os benefícios citados no documento já tenham passado por revisão

    Responder

    • Sidnei

      Isso é ótimo…quem sabe acaba com esse monte de esquema…e nossos benefícios podem ser concedidos.
      Pode ter certeza se passar pente fino vai um monte de perito pra cadeia e ai os verdadeiros direitos vão poder ser atendidos…..Venho rezando diariamente pra isso acontecer…Esse bando ir pra cadeia e aprender respeitar nossos direitos…

    • MOACIR

      DIA 23/07/2014 HORAS 18:07

      BOA NOITE BARRADAS
      VOCÊ PRECISA ME AJUDAR A DIVULGAR O FACEBOOK PARA AS MAIS DE 4.000,00 PESSOAS QUE JÁ ESCREVERAM NESTE BLOG. SE NÃO PRESSIONARMOS OS DEPUTADOS E SENADORES. ESTA LEI EM VEZ DE FACILITAR Á APOSENTADORIA VAI SER UM COMPLICADOR. PORQUE ESTA LEI VAI CONSTAR NO CNIS A DEFICIÊNCIA E O TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO. PARA O ANO QUE VEM ELES FAZEREM Á NOVA LEI 85 MULHER E 95 HOMEM. FACEBOOK moacir silva sumaré são paulo (( na foto tem uma cadeira de rodas)))

  67. ZÉ RESENDE

    ALGUÉM SABE ME DIZER COMO FUNCIONA ESSE NEGÓCIO DE PONTUAÇÃO? PRA EU PEGAR UMA GRAVE, QUANTO PONTOS EU PRECISO PEGAR? OBRIGADO MATTOS E BLOGUEIROS

    Responder

    • MOACIR

      BOA NOITE ZÉ RESENDE
      HOJE DIA 23/07/2014 AS 18:00 DE MOACIR
      PARA ZÉ RESENDE.
      VOCÊ TEM QUE SER SEGO, SURDO, MUDO, LOUCO DE RASGAR DINHEIRO. DEPENDER SE UMA PESSOA PARA FAZER TUDO. E MAIS ALGUMA COISA . SÉ NÃO É CONSIDERADO DEFICIÊNCIA LEVE. PARA TE AJUDAR VOU DAR UMA DICA VOCÊ TEM QUE PROVAR QUE DEFICIÊNTE Á 33 ANOS E TER 33 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO CASO CONTRARIO VAI SER NEGADO.

  68. BARRADAS

    23/07/2014 RJ
    É.. com este novo formado do blog o pessoal está desistindo de postarem aqui, acho que não devemos desanimar, pois sei que é estressante a ansiedade, mas aqui muitos acabam aprendendo e tirando suas duvidas sobre a nova LC 142/2013 que creio que ela será modificado com a força de todos. abçs

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Barradas, toda mudança causa ansiedade. Mas elas foram necessárias, pois o site estava defasado e desprotegido, podendo inclusive ser atacado por hackers. Porém, o site mantem o mesmo sistema que o anterior. Tentamos manter as mesmas características de interação. Esperamos que com o tempo as pessoas se acostumem com este novo visual.
      Att,
      Equipe Leonardo Mattos

  69. ZE RESENDE

    LAZARO LONGA. PELO QUE SEI VOCÊ SÓ TERÁ DIREITO A PLEITEAR ESSA APOSENTADORIA DEFICIENTE, CASO VOCÊ VOLTE A TRABALHAR. E AINDA MAIS TER PELO MENOS 25 ANOS DE TRAMPO.SE VOCÊ TIVER 60 ANOS PODE CONSEGUIR COM 15 ANOS DE TRAMPO.

    Responder

  70. lazaro longarai dorn

    Tive um acidente de moto, perdi a perna esquerda, em 1/3 superior da coxa esquerda, em 1990, estava 11 meses e 15 dias de metalúrgico, instrumentos, cirúrgicos Edlo produtos médicos, não recebi, de nem um órgão, pois tratava de ultima instância, dito por Brasília, governo federal, recuperei em três anos, colocando prótese de quadril, voltei trabalhar na mesma empresa, ficando 8 anos, adaptação insatisfatória, me derrubando machucando, o único joelho, estou 11 anos, como auxilio doença, 3 anos na justiça quero me aposentar,especial não aguento mais tenho 40 amos, será que tenho direito?

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Lazaro, tudo bem?
      Acredito que o seu caso não se trata de aposentadoria especial e sim aposentadoria por invalidez.
      Para conseguir a aposentadoria especial para pessoas com deficiência você tem que comprovar tempo de contribuição.
      Se sua deficiência for considerada grave, você poderá aposentar com 25 anos de contribuição/ Se a deficiência for moderada: 29 anos de contribuição se homem / Se a deficiência for leve: 33 anos para homens (quem faz este enquadramento é o INSS)
      Outra opção é por idade, que no caso de homem é de 60 anos.
      Pelo que entendi, você não se enquadra nestes requisitos. A solução é a aposentadoria por invalides. Ligue para o 135 e marque uma perícia no INSS.
      Att,
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

  71. MOACIR

    DIA 22/07/2014 13:02 BOA TARDE A TODOS

    ESTA LEI E UM CENSO PARA VER QUANTOS MIL DE DEFICIÊNTES TEM NO BRASIL. PARA A PARTIR DO ANO QUE VEM NO NOVO MANDATO DOS POLÍTICOS APROVAR LEI 85 PARA MULHER E 95 PARA OS HOMENS. EU JÁ CONTRIBUI 27 ANOS, TENHO 53 ANOS. 27+53=80 VAI FICAR FALTANDO 15 ANOS AI EU TENHO QUE TRABALHAR MAIS 7 ANOS E MEIO, E FICAR MAIS 7 ANOS E MEIO MAIS VELHO,COM 60,5 ANOS EU VOU ME APOSENTAR. E OUTRA COISA OS MEUS 27 QUE CONTRIBUI TODOS INSALUBRES . EM 2013 EM PEDIDO DE APOSENTADORIA ESPECIAL O MEDICO PERITO DO INSS QUE QUE OLHOU MEUS LAUDOS PPP SÓ FOI ACEITO 8 ANOS QUE X 1.40 FOI PARA 29 ANOS E 8 MÊS. AGORA 2014 PEDIDO DE APOSENTADORIA LEI 142/2013 TEMPO APURADO 24 ANOS . E NA SUA OPINIÃO E DE MAIS DE 4.000,00 ESTA LEI É ESPECIAL. SÁBADO DIA 19/7/2014 EU FIZ UM FACEBOOK. PARA ACESSAR moacir silva sumaré são paulo contem uma foto de uma cadeira der odas

    Responder

    • BARRADAS

      22/07
      Moacir gostei maneira de postar aqui com a data, pois depois da formulação a data não e mas visivel se todos puderem fazer o mesmo será interessante, pois temos que rolar abaixo para observar tudo que alguem responder com comentários, ai fica dificil, valeu

  72. Rogerio Luis

    Leonardo Mattos, bom dia! Sua equipe poderia me encaminhar a cópia de petição, tenho o intuito de apresentar ao meu advogado também como o Ricardo escreveu abaixo, a Luta ainda não acabou e cada esforço de cada um será fundamental para que a LEI atinja seu principal objetivo, que é amparar e assegurar os direitos á pessoa com deficiência. Atualmente sofremos a decepção das respostas de indeferimento do INSS, nunca foi fácil nossas conquistas e é preciso, pois vc foi a porta que abriu para que pudessemos pelo menos subir um degrau e todas as injustiças quanto a não reconhecer esta LEI e nomeá-la não como LEI 142/13 mas como LEI Leonardo Mattos ainda é um sonho e será realizado, pois vc é o interlocutor e nossa voz, vamos firmes e não vamos desistir pois ao final de tudo seremos todos vencedores e merecedores do seu projeto. Abraços Rogério.

    Responder

    • Rogerio Luis

      Vixe, desculpem pessoal, li o nome rapidamente e confundi, a pessoa que postou foi Leonardo Santos, não Leonardo Mattos, li com pressa e me equivoquei, ainda assim obrigado pela resposta e ao Leonardo Santos sua iniciativa está de parabéns, precisamos uns dos outros. Abraços!

    • Leonardo Mattos

      Olá Rogério, tudo bem?
      De que petição você está falando? Pois se estiver se referindo a petição inicial que é utilizada por advogados para ajuizar ações na justiça, nós não fazemos isso, pois está fora do nosso alcance e isso é de responsabilidade do profissional que você for contratar.
      O que podemos fazer é orientações básicas para recursos no próprio INSS.
      Att,
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

  73. luiz

    Boa noite sr Leonardo Mattos, preciso de uma orientação, tenha poliomelite desde 1 ano e 6 meses, uso muletas para locomoção, minha perna direita é atrofiada, o que me resta a perna esquerda que também tem sequela da pólio (EXEMPLO se tirar a muleta eu caio pois não consigo me manter em pé), e minha pericia foi considerada grau leve, minha dúvida é que entrei com recurso no próprio INSS e a atendente me disse que não tem previsão para resposta, não aceito o grau leve e quero que seja revisto pois considero meu grau como moderado, o que devo fazer aguardar o INSS ou pedir cópia do processo e entrar direto na Justiça Federal?
    Agradeço a atenção e fico no aguardo de sua resposta.

    Responder

    • Clovis Oliveira

      Luiz, quanto tempo tu tens de contribuição?

    • Leonardo Mattos

      Olá Luiz,
      Você pode aguardar a resposta e ao mesmo tempo procurar um advogado. Uma coisa não impede a outra.
      Att,
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

  74. MOACIR

    DIA 21/7/2014 BOA NOITE A TODOS.
    SOB ESTA LEI. O VEREADOR LEONARDO MATTOS BRIGOU POR ELA COM BOA INTENÇÃO. SÓ QUE OS POLÍTICOS EM GERAL. FEZ OQUE É O MELHOR PARA O INSS. TODAS AS PESSOAS ENTROU NESTA FURADA AGORA VAI CONSTATAR NO EXTRATO DO CNIS COMO DEFICIENTE LEVE. E O TEMPO REDUZIDO. NÃO DANDO DIREITO Á PEDIDO DE APOSENTADORIA POR INVALIDEZ. E SE AGENTE ENTRAR NA JUSTIÇA TAMBÉM VAI SER INDEFERIDO PORQUE VAI CONSTAR NO CNIS ESTA LEI É UMA ARMA PODEROSA CONTRA AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. NOS PRECISAMOS. LUTAR PARA MUDAR ESTA LEI. PARA ELA SER ESPECIAL PEGAR 20 ANOS PARA MULHER E 25 ANOS PARA HOMEM SER MULTIPLICADO POR 1.40 QUE VAI ATINGIR OS 35 ANOS INDEPENDENTE DO GRAL DA DEFICIÊNCIA. PORQUE DEFICIÊNCIA É DEFICIÊNCIA . TEMOS QUE FOCAR NO QUE ESTA ESCRITO NA LEI (APOSENTADORIA ESPECIAL PARA PESSOA COM DEFICIÊNCIA) DO JEITO QUE ELA ESTA ELA NÃO É ESPECIAL. PORQUE TIRAR SÓ O FATOR PREVIDENCIÁRIO. ESTE ESPECIAL TINHA QUE SER PARA TODOS OS BRASILEIROS. VÊ SE NA APOSENTADORIA DOS POLÍTICOS TEM FATOR PREVIDENCIÁRIO…..

    Responder

    • Clovis Oliveira

      Moacir, nem o fator previdenciário esta sendo tirado, se tu analisar verá que só ta se aposentando quem tem 35 anos homem e 30 mulher e eles não estão tirando o fator previdenciário, estão fazendo um crime com os deficientes.

  75. MOACIR

    DIA 21/7/2013

    BOA NOITE Á TODOS. EU VI PELO SITE DO INSS DIA 04/07/2013 FUI AO MESMO E PEDI PARA Á PESSOA QUE ME ATENDEU NO ADMINISTRATIVO COPIAS DISCRIMINATIVO DO TEMPO APURADO. ORIENTADO POR IZABELE DO GABINETE DO VEREADOR LEONARDO MATTOS. CONCLUSÃO TEMPO CONSIDERADO 20,5 ANOS SEM DEFICIÊNCIA. DE 30/03/2004 A 09/06/2014 LEVE 6.850 PONTOS. TEMPO CONSIDERADO 24 ANOS 2 MESES 24 DIAS.

    ATENÇÃO A TODOS ENTRE NO FACEBOOK moacir silva sumare sao paulo NO LUGAR DA MINHA FOTO E UMA CADEIRA DE RODA VERMELHA..
    E VAMOS A LUTA E VER NO QUE PODEMOS MELHORAR A NOSSO FAVOR. ESTOU AGUARDANDO AS 4.377 PESSOAS QUE ATE ESTA DADA VIAM PUBLICADO AQUI. E QUE DEUS NOS PROTEJA.

    Responder

    • Rogerio Luis

      Moacir, temos que ficar atentos, o INSS é um lobo no cio, veja eu tenho 30 anos 8 meses e 12 dias de carteira assinada, o INSS indeferiu meu pedido e ainda reconheceu apenas 29 anos 6 meses, como pode se tenho apenas um carimbo na Carteira profissional? Outra coisa analisaram (isso nunca vi) minha deficiência (auditiva e Ler) num período de 1995 a 2008 cm 7.350pts e outro período (atropelamento, tenho 7pinos no pé e 2placas) de 2009 a 2014 com 6.700 pts. Acho que fazem isso para nos confundir, contratei uma advogada e ela me disse que com certeza o INSS orienta aos peritos “se reconhecer deficiência” que sejam todos na LEVE, para o órgão não pagar benefícios, pois está deficitário e cada ano fica pior…

  76. ZE RESENDE

    EU ACHO QUE QUEM TINHA QUE FAZER A AVALIAÇÃO E DIZER SE É DEFICIENTE OU NÃO TERIA QUE SER UMA OUTRA ENTIDADE E NÃO O PRÓPRIO INSS.TERIA QUE SER O MINISTÉRIO DO TRABALHO POR EXEMPLO. SE É EU MESMO QUE RECEBO ALGUM DE VOCÊ, COMO PODE EU MESMO APOSENTAR VOCÊ? É LÓGICO QUE EU IRIA FAZER DE TUDO PRA DIZER QUE VOCÊ ESTA BOM,PERFEITO.

    Responder

    • Clovis Oliveira

      Gostei desta sugestão Zé Resende.

  77. Paiva

    Zé Resende, esse cara que tu conversou no INSS é mesmo um trampa, não sabe de nada, está conversando abobrinha.

    Eu tenho 26 anos e 11 de contribuição comprovada, e a resposta foi a mesma que saindo no indeferimento: sem tempo de contribuição. É lógico que eles estão fazendo isso, haja vista que, todos nós estamos sendo considerando grau LEVE, ou seja, para eu ter direito só com 33 anos de contribuição.

    O que nós estamos questionando aqui é a forma como estão nos avaliando, eu por exemplo tenho polio nas duas pernas e ando de muleta e dependo de terceiros. Avaliação social foi a real, só que o médico me deu uma pontuação alta e fui considerado grau LEVE. O médico teve a cara de pau de dizer que não concordava com esse método, mas que foram treinados assim e não poderia fazer nada.

    Responder

  78. Adeilson Marinheiro

    Pessoal, sou portador de deficiência – atrofia de membro inferior por Pólio – tenho 54 anos idade e 36 anos de contribuição. A minha aposentadoria (graças a DEUS e a nosso amigo LEONARDO) foi CONCEDIDA. O único problema é que o INSS usou de má fé quando foi corrigir os valores, pois sempre paguei com base no teto e eles não corrigiram estes valores de forma correta, mas já falei com um advogado que garantiu que isto é um erro do tipo SE COLAR COLOU, e se não for resolvido com um solicitação de revisão, na justiça é líquido e certo.

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Adeilson,
      Parabéns pela sua conquista.
      Att
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

    • Vladimir

      Olá Adeilson, boa noite.
      Fiquei feliz com sua conquista. Terminei as avaliações no dia 18/07 e estou aguardando resposta. Tenho 34,5 anos de contribuição e 54 anos de idade, e nas avaliações médica e social, minha deficiência (Hemiplegia infantil, lado esquerdo) ficou devidamente comprovada. Estou com muita fé que vai dar certo.

  79. Salatiel ]jose de So

    Não estou entendendo sei que na lei beneficia os monoculares, mas na pratica quando vai os peritos desconhece, sou monocular e já tenho 33 anos de previdência pagos. Será que compensa tentar?

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Salatiel, tudo bem.
      Acredito que vale a pena tentar sim. Pois na Lei não há nenhuma restrição as pessoas que possuam visão monocular. Se acontecer de sua demanda for negada, sugiro que ajuíze ação na justiça.
      Att,
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

  80. SINVAL

    COMO DESABAFO.
    ANTES: Lutamos, sonhamos e comemoramos, HOJE: desilusão, decepção, frustração e abandono por parte dos que criaram a lei.
    Está parecendo o TITANIC, todos se afogando e não tem onde se agarrar. Será que os políticos de boas intenções não podem intervir por nós?

    Responder

    • MOACIR

      DIA 21/07/2014
      PARA O SR SINVAL.
      OLHA SINVAL ESTA LEI E UM CENSO PARA VER QUANTOS MIL DE DEFICIENTES TEM NO BRASIL. PARA A PARTIR DO ANO QUE VEM NO NOVO MANDATO DOS POLÍTICOS APROVAR LEI 85 PARA MULHER E 95 PARA OS HOMENS. EU JÁ CONTRIBUI 27 ANOS, TENHO 53 ANOS. 27+53=80 VAI FICAR FALTANDO 15 ANOS AI EU TENHO QUE TRABALHAR MAIS 7 ANOS E MEIO, E FICAR MAIS 7 ANOS E MEIO MAIS VELHO,COM 60,5 ANOS EU VOU ME APOSENTAR. E OUTRA COISA OS MEUS 27 QUE CONTRIBUI TODOS INSALUBRES. EM 2013 EM PEDIDO DE APOSENTADORIA ESPECIAL O MEDICO PERITO DO INSS QUE OLHOU MEUS LAUDOS PPP SÓ FOI ACEITO 8 ANOS QUE X 1.40 FOI PARA 29 ANOS E 8 MÊS. AGORA 2014 PEDIDO DE APOSENTADORIA LEI 142/2013 TEMPO APURADO 24 ANOS. E NA SUA OPINIÃO, E DE MAIS DE 4.000,00 ESTA LEI É ESPECIAL. SÁBADO DIA 19/7/2014 EU FIZ UM FACEBOOK. PUBLIQUEI AQUI NESTE BLOG COMO AS PESSOAS TER ACESSO, SÓ QUE NÃO PUBLICARAM.

  81. MOACIR

    HOJE DIA 21/07/2014 AS 00:33 EU MOACIR DO Á SUGESTÃO PARA COMEÇAR O ASSUNTO NESTE BLOG. COLOCANDO DATA E HORÁRIO. VAI SER PRATICO PORQUE O ÚNICO CANAL DE COMUNICAÇÃO QUE NOS TEMOS É ESTE. PORQUE FALE COM SENADO NÃO TEMOS RESPOSTAS. COM FALE COM Á PRESIDENTE NÃO TEMOS RESPOSTAS. FALE COM O VATICANO NÃO TEMOS RESPOSTAS, EU FIZ FACEBOOK PARA NOS PEDIR MAIS AJUDA. ESTE SITE APAGOU. ENTÃO É SÓ ESTE QUE TEMOS. BOA NOITE Á TODOS

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Moacir,
      já pedimos que o programador coloque essa informação nas postagens.
      Att,
      Equipe Vereador Leonardo Mattos

  82. Gilmar

    Boa noite. Esta dificuldade em conseguir esta aposentadoria, está em todo Brasil aqui em Sorocaba SP não está diferente. Estamos pedindo este Beneficio com vários laudos dizendo sobre á deficiência e todas estão sendo Indeferidas. A resposta é sempre não tem tempo de contribuição e não conseguiu comprovar sua deficiência. Esperamos que na Justiça conseguiremos reverter estas injustiça.

    Responder

  83. Carlos Prado

    Será que mudaram para que desistamos de ler e escrever aqui? Não gostei.

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Carlos, as mudanças no site são para melhorar a nossa comunicação. Desta forma, nós podemos, por exemplo, responder direto nas mensagens postadas, e vocês podem fazer o mesmo, como estou fazendo neste momento.
      Além disso, o nosso site está ultrapassado correndo o risco, inclusive de ser invadido por vírus e hackeado.
      Continuaremos primando pela interação entre vocês e entre nós, para que possamos fornecer respostas de forma mais velozes e eficientes.
      Atenciosamente,
      Equipe Leonardo Mattos

  84. simone costa

    Sou deficiente auditiva severa de um ouvido e moderada de outro. Uso prótese e sempre preciso de ajuda (como viajar,ir ao médico), pois não ouço quase nada. Apesar de comprovar minha deficiência com inúmeros laudos e audiometria, meu pedido de aposentadoria foi negado. Motivo? Falta tempo de contribuição. Afinal esse é o motivo de todos? Dia 21/07 irei pegar a cópia do meu processo e entrarei na justiça. E que o Papai do céu me ajude.

    Responder

    • BARRADAS

      Olá Simone, também sou deficiente auditivo igual a vc, e o meu também foi indeferido por falta de contribuição, fui ao INSS busquei copias do meu processo e o resumo do calculo de tempo de contribuição que informa se foi enquadrado ou não como deficiente, no meu caso eu fui considerado como leve e ainda falta 3 anos para completar os 33 anos exigidos, estou recorrendo para concederem os 29 anos (moderado), vc não mencionou o seu tempo de contribuição, mas pode pedir as cópias e o resumo para saber se o INSS comprovou sua deficiência ok, estamos aqui para nos ajudar se precisar pode me chamar.

  85. MOACIR

    BOA TARDE A TODOS . EU CRIEI UM FACEBOOK SÓ PARA AS 4.377 PESSOAS QUE EU JÁ LI AS SUAS RECLAMAÇÕES NESTE BLOG. PARA ENTRAR NESTE FACEBOOK É SÓ DIGITAR MOACIR SILVA SUMARÉ SÃO PAULO. NO LUGAR DA MINHA FOTO APARECE UMA CADEIRA DE RODAS E MOACIR SILVA. EU TENTEI FAZER ASSIM. PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS. SÓ QUE ELES NÃO PERMITE TEM QUE SER COM O NOME DA PESSOA QUE SE INSCREVE NO FACE. PARA MAIS INFORMAÇÕES. E-MAIL pessoas_com_deficiencias@outlook.com

    Responder

  86. HAROLDO DINIZ

    CONCORDO COM O CLOVIS, O NOVO FORMATO DESSE BLOG DIFICULTA A LEITURA EM RAZÃO DA COR DE FUNDO DA TELA EM CONJUNTO COM AS LETRAS ESCRITAS DE FORMA MUITO CLARAS. ALÉM DO QUE, A FALTA DE UMA DATA COMO TÍNHAMOS NO MODELO ANTIGO, TORNA OS DEPOIMENTOS SOLTOS E PERDIDOS NO ESPAÇO. É DE SUMA IMPORTÂNCIA HAVER UMA DEFINIÇÃO TEMPORAL(DATA DO FATO) PARA QUE POSSAMOS NOS SITUAR DE FORMA MAIS PRECISA.

    GRANDE ABRAÇO EM TODOS!

    HAROLDO DINIZ

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Haroldo,
      obrigado pelas considerações. Já colocamos o novo formato do site no ar justamente para testarmos a usabilidade dele. É de suma importância a contribuição de vocês para futuras correções.
      Vamos verificar suas sugestões.
      Att,
      Equipe Leonardo Mattos

  87. Ricardo Rinaldini

    Bom dia a todos.
    Muito obrigado Leonardo Santos pela postagem de copia de sua peticao, vou passar a meu advogado e assim que houver algum ponto à contribuir retorno, uma coincidência tb sou Deficiente Auditivo.
    Um forte abraço
    Até breve caríssimo.

    Responder

    • Leandro Santos

      Bom dia, Ricardo. Tenho perda auditiva moderada bilateral. Vamos batalhar pelo nosso direito. Gostei do fato da a minha advogada já entrar, na exordial, com pedido de antecipação de tutela (liminar). Vamos ver o que o Juiz vai dizer.
      Abraço.

    • Ricardo Rinaldini

      Correcao nome:
      Leandro Santos
      Desculpe o equivoco !
      Um forte abraço

  88. MOACIR

    Situação do Benefício Indeferido

    COMUNICAÇÃO DE DECISÃO

    Número do Benefício:
    Espécie: 42
    Ao(a) Sr(a):
    ASSUNTO:
    Requerimento de Aposentadoria por Tempo de Contribuição da pessoa com deficiência.

    DECISÃO: INDEFERIDO.
    MOTIVO:
    Falta de tempo de contribuição.

    FUNDAMENTAÇÃO LEGAL:
    Art. 3º, incisos I, II e III da Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013.

    Prezado(a) Senhor(a),

    Em atenção ao requerimento de Aposentadoria por Tempo de Contribuição da pessoa com deficiência, efetuado em 13/01/2014, a Previdência Social comunica que, após a análise dos documentos, não foi reconhecido o direito ao benefício, em razão de não ter sido comprovado o tempo de contribuição necessário para a concessão da Aposentadoria por Tempo de Contribuição à pessoa com deficiência, observado o disposto no art. 3º, incisos I, II e III da Lei Complementar nº 142/2013:
    25 (vinte e cinco) anos de tempo de contribuição, se homem e 20 (vinte) anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência grave;
    29 (vinte e nove) anos de tempo de contribuição, se homem e 24 (vinte e quatro) anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência moderada;
    33 (trinta e três) anos de tempo de contribuição, se homem e 28 (vinte e oito) anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência leve.

    Caso discorde dessa decisão, o(a) Senhor(a) poderá apresentar recurso à Junta de Recursos da Previdência Social, no prazo de 30 (trinta) dias contados a partir do recebimento desta comunicação, observado o disposto nos art. 305, § 1º, do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048/99.

    A apresentação do Recurso poderá ser agendada por meio do portal da Previdência Social na internet (www.previdencia.gov.br), da Central 135 ou em uma Agência da Previdência Social.

    O prazo para a revisão do benefício é de 10 (dez) anos contados da data da concessão ou do indeferimento de acordo com o prazo decadencial previsto no art. 103 da Lei nº 8.213/91 e art. 347 do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048/99.

    BOA NOITE Á TODOS. EU VI PELO SITE DO INSS DIA 04/07/2013 FUI AO MESMO E PEDI PARA Á PESSOA QUE ME ATENDEU NO ADMINISTRATIVO COPIAS DISCRIMINATIVO DO TEMPO APURADO. ORIENTADO POR IZABELE DO GABINETE DO VEREADOR LEONARDO MATTOS. CONCLUSÃO TEMPO CONSIDERADO 20,5 ANOS SEM DEFICIÊNCIA. DE 30/03/2004 A 09/06/2014 LEVE 6.850 PONTOS. TEMPO CONSIDERADO 24 ANOS 2 MESES 24 DIAS.

    AGORA OLHA A ONDE ESTA Á PEGADINHA NA LEI 124/2013 DECRETO 8.145

    Art. 70-F. A redução do tempo de contribuição da pessoa com deficiência não poderá ser acumulada, no mesmo período contributivo, com a redução aplicada aos períodos de contribuição relativos a atividades exercidas sob condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física.

    § 1o É garantida a conversão do tempo de contribuição cumprido em condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física do segurado, inclusive da pessoa com deficiência, para fins da aposentadoria de que trata o art. 70-B, se resultar mais favorável ao segurado, conforme tabela abaixo:

    COMUNICAÇÃO DE DECISÃO

    Número do Benefício:

    1636073686

    Espécie: 42
    Ao(a) Sr(a):
    MOACIR PEREIRA DA SILVA

    ASSUNTO: Pedido de Aposentadoria por Tempo de Contribuição
    DECISÃO: Indeferimento do Pedido.
    MOTIVO: Falta de tempo de contribuição até 16/12/98 ou até a data de entrada do requerimento.
    FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Emenda Constitucional nº 20 de 16/12/98 e Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048 de 06/05/99, Art. 187.

    Em atenção ao seu pedido de Aposentadoria por Tempo de Contribuição, apresentado em 15/08/2013, informamos que, após análise da documentação apresentada, não foi reconhecido o direito ao benefício, pois até 16/12/98 foi comprovado apenas 26 anos, 08 meses e 04 dias, ou seja não foi atingido o tempo mínimo de contribuição exigida, 30 anos, se homem e 25 anos, se mulher, nem tampouco comprovou na data do requerimento o período adicional de contribuição equivalente a, no mínimo, 40% do tempo que, em 16/12/98, faltava para atingir o tempo mínimo exigível nessa data.
    Desta decisão poderá ser interposto recurso à Junta de Recursos da Previdência Social, dentro do prazo de 30 (trinta) dias contados da data do recebimento da presente comunicação.

    De acordo com o art. 103 da Lei 8.213/91, e suas alterações posteriores, é de dez anos o prazo de decadência para Revisão do ato de concessão ou de indeferimento do benefício.

    Atenciosamente,
    INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL – INSS

    AGENCIA DA PREVIDENCIA SOCIAL SUMARE

    Exigências cumulativas para o recebimento deste tipo de benefício:

    1 – Comprovação de tempo de contribuição, observado o disposto no Art. 55 da Lei nº 8.213/91 e Art. 60 a 63 do Regulamento aprovado pelo Decreto nº 3.048/99;
    2 – Comprovação da carência, isto é, período mínimo de contribuições mensais. No caso de contribuinte individual ou empregado doméstico, a primeira contribuição a ser contada deve ter o seu pagamento efetuado dentro do prazo legal de vencimento (Art. 27, Lei nº 8.213/91 e Art. 30 da Lei nº 8.212/91)
    2.1 – O tempo de gozo de auxílio-doença ou de aposentadoria por invalidez, intercalado com período de atividade não é computado para efeito de carência e somente para tempo de contribuição (Art. 55, Lei nº 8.213/91 e Art. 60, Regulamento aprovado pelo Decreto nº 3.048/99)
    2.2 – O tempo de serviço como trabalhador rural, anterior à 11/91, não é computado para efeito de carência ( § 2º, Art. 55, Lei nº 8.213/91)

    OS 26 ANOS COMO FERRAMENTEIRO TODOS INSALUBRE QUE DARIA MAIS 35 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO. SÓ CONSIDEROU 29 ANOS E 8 MÊS.

    ATENÇÃO A TODOS ENTRE NO FACEBOOK moacir silva sumare sao paulo
    E VAMOS A LUTA E VER NO QUE PODEMOS MELHORAR A NOSSO FAVOR. ESTOU AGUARDANDO AS 4.377 PESSOAS QUE ATE ESTA DADA VIAM PUBLICADO AQUI. E QUE DEUS NOS PROTEJA.

    Responder

  89. Leandro Santos

    Segue petição inicial de meu processo na Justiça Federal de Porto Alegre. Fatos e direitos.
    II- DOS FATOS
    O autor é deficiente auditivo – surdez neurosensorial moderada em ambos os ouvidos
    (CID H 90.3) sem causa etiológica definida, conforme atestados médicos e exames anexados a
    esta exordial.
    Ocorre que o mesmo entrou com requerimento perante o INSS de Aposentadoria por
    Tempo de Contribuição para Pessoa com Deficiência em 11/11/2013 (NB n° 165.466.488-7),
    benefício este que foi INDEFERIDO, consoante Comunicado de Decisão anexado.
    No comunicado a autarquia ré refere que negou o benefício, com fundamento que
    “após a análise dos documentos e da avaliação médica e social, não houve enquadramento da
    deficiência declarada como leve, moderada ou grave, não sendo preenchido, portanto, o tempo
    de contribuição necessário para a concessão da Aposentadoria por Tempo de Contribuição à
    pessoa com deficiência, na forma prevista na Lei Complementar n° 142/2013”.
    Ocorre que este indeferimento não deve prosperar, pois o autor é deficiente auditivo e
    labora há anos, e quando a legislação pátria enfim vem socorrer aqueles que apesar das
    deficiências procura o mercado formal de trabalho e verte contribuições ao Regime de
    Previdência, esta nega a concessão alegando a inexistência de incapacidade em qualquer grau.
    Assim, não devem prosperar a negativa da autarquia ré, vez que na época do
    requerimento administrativo, 11/11/2013, o autor já contava com o tempo de contribuição,
    conforme cálculo da própria autarquia ré (página 15/16 do Processo Administrativo anexo),
    com 30 anos, 07 meses e 25 dias de labor, e a legislação em comento veio justamente para
    reduzir o tempo de labor das pessoas com deficiência que no caso, do homem, reduz os 35
    anos necessários à concessão da aposentadoria por tempo de contribuição para 33 anos se
    deficiência em grau leve, 29 se deficiência em grau moderado e 25 se deficiência em grau
    grave, como veremos.
    III- DO DIREITO
    A Lei complementar 142/13 veio regulamentar a aposentadoria das pessoas com
    deficiência e dispõe no seu artigo 3° que:
    Art. 3o
    É assegurada a concessão de aposentadoria pelo RGPS ao segurado com
    deficiência, observadas as seguintes condições:
    I – aos 25 (vinte e cinco) anos de tempo de contribuição, se homem, e 20 (vinte) anos, se
    mulher, no caso de segurado com deficiência grave;
    II – aos 29 (vinte e nove) anos de tempo de contribuição, se homem, e 24 (vinte e
    quatro) anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência moderada;
    III – aos 33 (trinta e três) anos de tempo de contribuição, se homem, e 28 (vinte e oito)
    anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência leve;
    IV – DO PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA
    Diante de todo o exposto, não resta alternativa ao requerente, senão propor a
    presente ação em relação o Instituto-requerido, para se obter a garantia da aposentadoria por
    tempo de contribuição desde a data do requerimento administrativo 11/11/2013, posto que
    há evidências de um verdadeiro ilícito civil cometido pela requerida, requer-se a V. Exa.
    digne-se a conceder: A ANTECIPAÇÃO DA TUTELA JURISDICIONAL, uma vez presentes seus
    requisitos de verossimilhança da alegação e fundado receio de dano irreparável ou de difícil
    reparação para a requerente. Razão porque seja o instituto requerido compelido a pagar ao
    requerente, desde o requerimento administrativo, conforme determinam os preceitos legais.
    V- DOS PEDIDOS:
    Diante do exposto REQUER:
    a) A concessão da antecipação dos efeitos da tutela, condenando a autarquia ré a implantar o
    benefício de Aposentadoria por Tempo de Contribuição liminarmente, nos termos do art. 273 do
    CPC conforme acima fundamentado;
    b) A total procedência da ação confirmando a liminar concedida, com a condenação da ré a
    conceder o benefício de Aposentadoria Por Tempo de Contribuição ao deficiente ao pagamento
    das parcelas em atraso desde a data do requerimento administrativo em 11/11/2013, corrigidas
    monetariamente e acrescidas de juros legais até a data do efetivo pagamento;
    c) a citação do Instituto Réu, bem como sua intimação para, querendo, contestar a presente
    ação, sob pena de revelia e confissão;
    d) o pagamento de honorários advocatícios calculados à razão de 20 % sobre o valor da
    causa.
    f) a produção de todos os meios de prova em direito admitidos, testemunhal, pericial,
    g) Seja concedido o benefício da Justiça Gratuita, em face da condição de pobreza da Autora,
    que não tem como arcar com as custas processuais e demais despesas sem prejuízo de seu
    sustento e de sua família.
    Abraços a todos.

    Responder

    • Esio Nogueira

      Prezaddo Leandro,

      O seu caso é semelhante ao meu. Parabéns por partilhar com todos os que estão sendo humilhados pelos INSS; que ao buscarem suas justas reivindicações, sofrem estes danos morais.
      Que Deus nos iluminem em nossas ações.

    • Rogerio Luis

      Leandro, parabéns e muito obrigado por compartilhar sua ação em porto alegre, parabenizo também sua advogada, pois o que está escrito é justamente aquilo que me identifico, essa sua atitude ajuda e muito, estou tomando providências para fazer o mesmo, já estou com a cópia do processo em mãos, pedi revisão, mas não acho que eles vão mover uma palha, fui considerado deficiente LEVE tenho 30 anos oito meses de contribuição num único emprego e o INSS descaradamente considerou 29 anos e seis meses, vamos a luta amigo, sua atitude é muito valiosa a todos nós.

  90. Clovis Oliveira

    Quero alertar ao moderador do blog que esta configuração ficou muito ruim para minha leitura visto que tenho deficiência visual enxergo 10% e tenho fotofobia, não sei se tenho como alterar por aqui. Gostava também que na antiga configuração vinha a data. Abraço.

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Clóvis,
      Qual exatamente é o problema? Pergunto para ver se conseguiremos melhorar a configuração aqui.
      Em relação a data vou ver o que podemos fazer.
      Att,
      Equipe Leonardo Mattos

  91. MOACIR

    BOA TARDE SR LEONARDO MATTOS. ESTE NOVO SITE ESTÁ MAIS BONITO. O SR PODERIA DEIXAR O OUTRO NO AR. PORQUE AQUELE ANTERIOR EU JÁ ESPALHEI. para mais de 1.000,00 PESSOAS. OS DEPUTADOS E OS SENADORES NÃO ESTÃO VENDO NADA. ELES QUE VER O PODER DA INTERNET. EU QUERO QUE AS 4.000,00 QUE ESTÃO RECLAMANDO NESTE SITE ENTRE NO FACEBOOK (moacir pereira da silva sumaré sp) PORQUE JÁ ENVIEI E-MAIL SENADO E DEPUTADOS, E PARA FALE COM Á PRESIDENTE. NA MINHA FAMÍLIA ENTRE IRMÃOS CUNHAS E CUNHADOS E SOBRINHOS DE 1º GRAL SOMOS 50 PESSOAS. IMAGINE AS 4.000,00 X 50 QUE ESTAVA NO SEU BLOG VAI DAR MAIS DE 200 MIL PESSOAS. SERA COM ESTES DUZENTOS MIL VOTOS. A DILMA CONSEGUE SE REELEGER

    Responder

    • Leonardo Mattos

      Olá Moacir,
      Agradecemos as considerações. Mas este novo site armazenou as informações no anterior. Na verdade, é só uma atualização. Então se você o indicou para outras pessoas, elas continuam conseguindo acessar todas as informações do site anterior.
      As mudanças foram necessárias para mordenizar e dar mais segurança.
      Att,
      Equipe Leonardo Mattos

  92. ZÉ RESENDE

    Conversei com um cara que trampa no INSS. Questionei o porque tantos deficientes não conseguem se aposentar e reclama nesse blog dizendo que esta tudo ok e que merece .Ele respondeu que se não consegue é porque não tem tempo de contribuição ou está no auxilio doença,ou esta aposentado por invalidez ou deixou de pagar alguns anos. Só que muitos só acha que tem direito, mas esta irregular e as irregularidades que tem não colocam aqui no blog.

    Responder

    • MOACIR

      Boa noite Zé Resende. Só que esse amigo seu não te explicou. Se uma pessoa tem 20 anos sem deficiência. E tem 13 anos com deficiência que os 13 anos cai para 9,23 somando vai dar só 29.23. Na minha opinião, como os políticos diz ser uma aposentadoria especial teria que ser um multiplicador para subir o tempo para 35 anos como aposentadoria especial que 25 anos x por 1.40 vai para 35 anos. Não um multiplicador que diminui o tempo. Esta lei é só propaganda política. De especial ela não tem nada. Porque todos que trabalharam nesta lei. Eles já sabia que muitos não teria provas que a 33 anos era deficiente. Tenho certeza se fosse para um deputado ou senador se aposentar com uma semana de serviço eles iam fazer bem feita da noite para o dia. é para todos entrar com recurso até as eleição eles vão nos enrolando. agora depois das eleições só deus é quem sabe. Eu sempre confiei no pt agora já não da mais para confiar, no PSDB foi o que mais fuuu. Os trabalhadores do brasil. abraços Zé e que deus nos proteja. Só Deus, porque dos políticos não podemos esperar nada de bom. Para a presidente Dilma já enviei umas dez mensagem o pessoal que lê as eu acho que não sabem ler porque não dão nem um retorno. Nem para dizer o palhaço faz contato com o Papa Francisco é ele que faz milagre não á presidenta. á e outra coisa que eu esqueci eu tinha uns laudo digitalizado e alguns escrito com letras de medico. O perito só quis os escrito por medico para assistente social não entender nada do que estava escrito. Até mais abraços Zé

    • Sidnei

      E outra….Fiquei um ano esperando decisão da junta que me dava por unanimidade 100% e esse babacas do INSS recorrendo só pra ganhar tempo…Um ano e um mes esperando…Junta de recursos 100% favorável e Câmara de Julgamento 100% favorável, uma coisa que qualquer leigo compreenderia e esses idiotas….Só pode ser…por que nem ler sabem…Ainda bem que temos gente honesta julgando…Mais mesmo assim vou ter que entrar na Justiça, por que foi concedido por tempo de serviço e o Fator previdenciário vai me pegar…quando tenho direito com a nova lei de deficiência…UM BANDO DE BABACAS MESMO MIL VEZES…

    • Sidnei

      Seu amigo é um tremendo babaca…..Puxa saco….Pergunta pra ele como é a gratificação deles…que isso ele deve saber muito bem como conseguir….Ferrando a vida de todo mundo…isso ele sabe.

    • Lilian

      Pois ele está enganado Zé Resende, porque eu trabalho há 29 anos na mesma empresa, continuo trabalhando, e nesses 29 anos só me ausentei do serviço por 2 meses por acidente de trabalho (que não interrompe a contagem), e mesmo assim meu pedido foi indeferido por falta de tempo de contribuição e não comprovar deficiência na perícia, sendo que além dos laudos levei até a conta do hospital da época (1963). Não tiro a razão de seu amigo, mas acho que talvez eles estejam generalizando e com isso cometendo grandes injustiças.

  93. Antonio Alvim

    Olá Osmar Pedroso !

    APOSENTADORIA ESPECIAL DEFICIENTE POR IDADE.

    por Idade

    Aos 60 (sessenta) anos de idade, se homem, e 55 (cinquenta e cinco) anos de idade, se mulher, independentemente do grau de deficiência, desde que cumprido tempo mínimo de contribuição de 15 (quinze) anos e comprovada a existência de deficiência durante igual período.

    vC. TEM 60 ANOS E 39 DE CONTRIBUIÇÃO.
    Vc preenche perfeitamente essa condição: Vc. terá direito a 70% do salário + 1% para cada período de 12 meses, perfazendo um total no máximo de 30 anos. Então , : Vc. terá direito a 100% .
    Nesse caso nao tem como ser INDEFERIDO !

    Um abraço a vc. e demais amigos !!

    Responder

  94. OSMAR PEDROSO

    Bom dia.
    Após ler as palavras do nosso colega Enéas “meu pedido foi indeferido. como tenho 60 anos e 39 anos de contribuição”, DEVERÍAMOS ENTRAR COM UMA AÇÃO COLETIVA NA JUSTIÇA, SERIA MUITO MELHOR DO INDIVIDUALMENTE, CHAMARIAMOS MAIS A ATENÇÃO, TAMBÉM DEVERÍAMOS FAZER MANIFESTAÇÕES, COM CARTAZES EM PONTOS ESPECÍFICOS, SE FICARMOS AQUI SÓ NESTE SITE NÃO VAI DAR. O QUE ACHAM?

    Responder

    • Lilian

      Eu acho ótimo Osmar, penso que não temos outra opção pois 99% dos comentários postados aqui são indeferidos, inclusive o meu a qual semana que vem vou no inss pegar a cópia do processo para levar ao advogado.
      Temos que ficar unidos nessa hora…. contem comigo

  95. Vladimir

    Bom dia!
    Ontem passei pela avaliação Social. As perguntas não foram diferentes das já postadas nesse Blog. Disseram que a resposta sairá em até 20 dias.
    Comentei sobre a expectativa gerada por essa Lei e os diversos indeferimentos que estão ocorrendo e causando frustração a nós que sabemos das dificuldades para chegar até aqui. A Ass. Social disse que poderia ser ocasionada pelo não enquadramento (grave, moderada ou leve) com o tempo de contribuição.
    Ai eu disse que tenho 34,5 anos de contribuição e deficiência desde o nascimento, comprovada por Laudos Médicos e atestada pela perícia médica. E que não haveria motivos técnicos para o INSS me desenquadrar.
    Um fato chamou a minha atenção:
    Comentaram que muitos deficientes agendam as perícias e não comparecem no dia marcado.
    A ansiedade até ter o resultado é angustiante. Mas tenho fé.
    Abs à todos.

    Responder

  96. josé

    Enviado em 17/07/2014 as 23:26
    Sou deficiente desde os 2 anos de idade, e dei entrada no meu pedido de aposentadoria segundo a lei 142/2013, pois tenho hoje 51 anos e 30 anos contribuição como deficiente, e foi indeferido ( falta tempo de contribuição dia 30/07/2014 entrei com recurso tem divergências, pois segundo o laudo pericial e social, eu não fui qualificado como deficiente, porém para a sociedade, IRRF, DETRAN, prefeitura, Sarah, governo do estado, pois possuo todos os benefícios para uma pessoa com deficiência. Porque o INSS não me considera deficiente e vamos ver o que dá e se não dá vou a justiça. Cadê os parlamentares,jornalistas, presidente e outros. Será que estão todos cegos vamos encher o facebook da dona Dilma e mostra pra ela o que INSS ta fazendo com agente..

    Responder

  97. JOSE WILSON

    BOA NOITE A TODOS,
    EU AGENDEI PARA DIA 21.07.2014, A SOLICITAÇÃO DA CÓPIA DO PROCESSO DO BENEFÍCIO INDEFERIDO. DIANTE DISSO, SEM DÚVIDA ALGUMA, VOU INGRESSAR COM UMA AÇÃO NA JUSTIÇA E SÓ AGUARDAR OS ACONTECIMENTOS.

    Responder

  98. Enéas

    José Wilson e demais participantes,
    como vc. também tenho sequela de pólio, e meu pedido foi indeferido. como tenho 60 anos e 39 anos de contribuição acabei cancelando o benefício sexta feira passada e na terça entrei com novo pedido, que em razão da demora do processo anterior, o novo cálculo acabou ficando maior. A luta tem que continuar para mudarmos a forma de avaliação.
    Enéas

    Responder

  99. carlos alberto de so

    Bom dia,
    queria saber se deficiente físico (nanismo) eu tenho 44 anos se poderia ter este beneficio? Muito obrigado.

    Responder

  100. Jose Romulo

    Sou deficiente desde os 15 anos de idade, e dei entrada no meu pedido de aposentadoria segundo a lc 142/2013, pois tenho hoje 34 anos de contribuição como deficiente, e foi indeferido ( falta tempo de contribuição). Pedi copia do processo e no mesmo tem divergências, pois segundo o laudo pericial e social, eu não fui qualificado como deficiente, porem para a sociedade, IRRF, DETRAN, prefeitura, Sarah, governo do estado, pois possuo todos os benefícios para uma pessoa portadora de deficiente. Porque o INSS não me considera deficiente. Entrei com recurso no mesmo e vamos ver o que dá. Cadê os parlamentares, juízes, jornalistas, presidente e outros. Será que estão todos cegos..

    Responder

  101. Paulo

    ABSURDO!!
    QUALQUER PESSOA PORTADORA DE DEFICIENCIA DEVERIA COMEÇAR SUA PERICIA/AVALIÇÃO MÉDICA E SOCIAL, COM O GRAU LEVE NO MINIMO.
    OS PERITOS DO INSS, COM SUAS VARINHAS MÁGICAS, ESTÃO CURANDO NOSSAS DEFICIENCIAS.
    JUSTIÇA NELES! NÃO É POSSIVEL, QUE O JUIZ (CAPA PRETA) COMPACTUE COM ISSO.

    PAULO.

    Responder

  102. JOSE WILSON

    Boa tarde pessoal,
    Sou portador de paralisia infantil desde os 2 anos de idade, a qual me deixou sequelas na perna esquerda, ela ficou atrofiada e mais curta que a direita. Tenho 30 anos de tempo de contribuição para o INSS. No dia 03.12.2013 requeri aposentadoria por tempo de contribuição com base na lei complementar 142. No dia 23.05.2014 passei pela perícia médica e hoje dia 16.07.2014 passei pela avaliação social. Meu pedido foi indeferido. Não fui enquadrado como pessoa com deficiência. Se alguém se enquadrar com deficiência grave, pode cuidar na certidão de óbito porque ele não está mais vivo, se alguém se enquadrar na moderada, é rezar muito e pedir a Deus para que ele saia do coma e resta para as pessoas incapacitadas para o trabalho o grau leve.

    Responder

  103. MARCELO PETRUZZELLIS

    Pessoal fiz a pericia médica dia 7 de julho e da assistência social dia 8 de julho na qual me perguntaram somente 15 perguntas em uma folha de rascunho, entreguei laudo ao perito sobre a minha deficiência, visão monocular desde aos 5 anos de idade e glaucoma de angulo aberto desde 2005, no final foi dito que em 30 dias receberia uma carta avisando o resultado da pericia, para minha surpresa no outro dia entrei com o numero da DER e estava lá escrito pedido indeferido motivo não comprovação da deficiência, como que pode um perito não aceitar o laudo do médico especialista junto com os exames, já estou entrando na justiça federal rs com recurso contra esta decisão absurda. Abraços Marcelo

    Responder

  104. MARCOS

    Ontem fui fazer minha agenda com a assistente social, e a mesma solicitou informações desde minha infância até a presente data e pediu para com trinta dias voltar e procurar saber da conclusão do processo de aposentadoria, então dia 14/08/2014 irei ver o resultado, mando noticias.

    Responder

  105. Vladimir

    Amigos, boa noite!
    Hoje passei pela perícia médica. A social será dia 17/07 (depois de amanhã).
    Fui muito bem atendido pela Médica. Ela fez muitas perguntas de um modo bastante profissional. Verificou todos os Laudos, e efetuou minuciosamente os exames físicos para avaliar minha deficiência.
    Saí da perícia com uma ótima impressão, dado o respeito e profissionalismo com a qual fui tratado e avaliado. Quanto a pontuação, não tive acesso e também não ousei perguntar, pois entendi que sua conclusão dependerá da Avaliação Social.
    Após a experiência de hoje, fiquei bastante otimista e tenho fé em Deus que as coisas irão acontecer.
    Após a Social, darei detalhes a todos.

    Responder

  106. Mariza

    Boa tarde! Para quem não viu veja esta postagem do nosso amigo e dono da Lei 142/2013 Leonardo Mattos feita em 25/06/2014, ele está sim nos acompanhando. obrigada!
    Leonardo Mattos
    25 de junho de 2014
    Olá, estou acompanhando as postagens neste Blog sobre aposentadoria especial.
    Peço para quem teve o seu pedido negado que me encaminhe um e-mail para leonardo@leonardomattos.com.br com todas as informações possíveis, como nome, telefone, endereço, e-mail, data de nascimento, deficiência e motivo da recusa.
    Minha assessoria, na medida do possível, dará orientações sobre recursos.
    Abraços,
    Leonardo Mattos

    Responder

  107. PAULO ROBERTO DE SOU

    Leonardo queria saber se você esta acompanhado estas reclamações que estamos fazendo quanto as pericias que já foram realizada, por muitos deficiente e todos com o mesmo problema, pois a lei e para avaliar o grau da deficiência de cada deficiente, mas o questionário que esta no sistema do INSS não tem nada a ver com os nosso direitos para aposentadoria. Este questionário tem esse respaldo para prejudicar todos nós o ou tem como alguém verificar esse abuso que inventaram para não aposentar os deficiente deste pais, desta forma não estamos vendo como fazer para que esta lei passe a valer avaliando os deficiente pelo grau de deficiência não seria necessário levar isto para impressa para mostrar esse abuso com todos nós.

    Responder

  108. antonio ambrosio

    Atendendo seu pedido, enviei o email, não sei se vai dar para ver direito, mesmo assim agradeço,

    Responder

  109. Antonio Alvim

    Olá Pessoal !!

    Tantos indeferimentos … !! O problema pode estar a seguir :

    15/07/2014

    Tribunal vê risco de falha na concessão de aposentadorias

    Clayton Castelani e Juliano Moreira
    do Agora

    Se o segurado da Previdência Social sofre hoje com a falta de funcionários capacitados para conceder aposentadorias e pensões, a coisa poderá ficar ainda pior nos próximos três anos.

    A conclusão é de uma auditoria do TCU (Tribunal de Contas da União) no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

    Um dos pontos que mais recebeu atenção no relatório é a falta de profissionais capacitados para analisar os requerimentos de aposentadorias e pensões por morte.

    Dos 39.392 servidores do órgão, 5.868 foram responsáveis por 80% das concessões realizadas entre maio de 2012 e junho de 2013.

    Segundo o TCU, a concentração desse serviço nas mãos de poucos funcionários aumenta o risco de erros e fraudes.

    A investigação, realizada entre maio de 2012 e junho de 2013, mostra que 46% dos servidores da autarquia terão condições de se aposentar até 2017.

    Hoje, 26% já estão nessa situação.

    Resposta

    O INSS informou que está trabalhando sobre o relatório e responderá no prazo de 90 dias.

    Com relação ao quadro de pessoal, o órgão comunicou que trata o assunto constantemente com o Ministério do Planejamento.

    Entre 2013 e 2014, o INSS nomeou 3.900 técnicos.

    A maioria das ações recomendadas pelo TCU, segundo a autarquia, são ações já executadas, faltando ajustar detalhes.

    O Ministério do Planejamento espera ser notificado.
    Leia esta reportagem completa na edição impressa do Agora nesta terça, 15 de julho, nas bancas

    Um abraço a todos !!

    Responder

  110. luiz

    Boa tarde a todos, eu entrei com recurso no INSS e vou aguardar o andamento e se acaso não conseguir reverter o meu grau de leve para moderado com certeza irei pedir cópias do processo e também entrarei na justiça federal, prezado Leandro Santos por favor continue postando aqui o andamento do seu processo pois acredito que irá auxiliar muita gente que como eu não irá aceitar o que o INSS está fazendo com a gente.
    Não devemos deixar de lutar, pois é o que fazemos todos os dias saindo de casa para trabalhar, enquanto muitos que se dizem perfeitos estão encostados pelo INSS recebendo auxilio doença sem tem 10% dos problemas que temos. ABRAÇOS A TODOS.

    Responder

  111. MARCOS

    Paulo fui ao INSS e adquiri todas as copias do meu processo, uma coisa que me chamou a atenção é que nele não consta nada sobre parecer do medico e assistente social nada nada. O único parecer e essa cartinha que nos recebemos. Vou entregar copias ao meu advogado seja o que deus quiser enquanto isso estou trabalhando me arrastando pra lá pra cá e vivendo como deus nos permite. Abraços a todos e boa sorte.

    Responder

  112. Clovis Oliveira

    Se queremos chamar a atenção devemos fazer nossas postagens no grupo do face que foi criado Guerreiros da Paz ou criar um outro grupo que não acho necessário, mas que façamos apelos para que resolvam esta lei, que esta uma vergonha. Aqui nossas postagens não são visualizadas nem por políticos, nem pelo público em geral, temos que sair do casulo.

    Responder

  113. Clovis Oliveira

    Boa noite Leandro Santos, Sou aqui de Sapucaia do Sul, também gostaria de saber detalhes da tua ação, pois certamente também terei que entrar na justiça. Sou deficiente visual com visão subnormal 10%, meu e-mail e meu face. clovisoliveira2005@hotmail.com e Clovis Oliveira Viva Sapucaia.

    Responder

  114. osmar pedroso

    Boa Noite, acabei de enviar um e-mail pedindo ajuda ao Jornal da Band, para fazerem uma matéria sobre está situação, acho que devemos nos mobilizar e mais pessoas do nosso meio fazer isto também.
    Abraços a todos.

    Responder

  115. Aline

    Sandra , ótima idéia. A Dilma tem perfil no twitter.: twitter.com/dilmabr
    Poderíamos, em massa, enviar nossa insatisfação com a aplicação da LC142/13. Eu já fiz isso. Se não colocarmos a boca no trombone, ficaremos limitados a queixumes.

    Responder

  116. Sandra Maria

    Colegas,
    Diariamente leio as observações escritas neste blog. Concordo com a falta de respeito e até de critérios padrões.
    Escrevi ao programa CQC da Band, contando o que está acontecendo com essa Lei.
    Vamos ver se eles ajudam a divulgar.

    Responder

  117. Paulo

    É Marcos,
    Mas o problema, na condição atual, eu não aposento nem com os 33 anos (tenho 31 anos e poucos meses). Vou poder aposentar apenas com os 35 anos e ter fator previdenciário, que vai consumir boa parte da aposentadoria.
    Mas, a justiça está aí, tenho certeza que vou conseguir no minimo grau Leve.
    Abç.
    Paulo.

    Responder

  118. MARCOS

    Paulo, no meu ver essa merda de Lei não vai aposentar ninguém com deficiência, que trabalha, que tem carro, casa e é casado tem filhos e etc. A lei quando foi criada nela diz que o INSS iria criar um Regulamento pelo Poder Executivo que definirá as deficiências grave, moderada e leve para os fins desta Lei Complementar. Ai é aonde entrou toda sacanagem. Quando eu fui fazer minhas avaliações verifiquei que era para ter respondido que não dirigia, não era casado, não tenho casa que eu não trabalho em casa não fazia porra nenhuma, achei dizer tudo isso por isso foi indeferido. No momento de todos os comentários aqui postado no momento essa lei só vai aposentar homens com 33 anos de contribuição e mulheres com 24. Vou tentar na justiça federal já conversei com com um advogado e ele pediu que eu solicite do inss copia de todo o meu processo. Esta agendado para amanha eu ir ao inss me fornecer esses documentos e eu estou curioso para ver o que nele tem com relação aos parecer dos peritos. Estou muito chateado com tudo isso porque se todos nos hoje aposentado por essa lei com o maior salario que o inss paga lhe confesso amigo que não paga 1% dos traumas que todos nos sofreu na infância, ser deficiente hoje e bom demais com relação ao respeito que na minha época não tinha respeito a palavra usada era aleijado e não deficiente ou especial como e hoje tratado. Já falei com meu advogado sobre esse assunto que e um dos temas que vou bater. Isso amigo amanha quando eu tiver em mãos e depois eu dar aquela analisada nos parecer irei informar a todos como e que eles dão esses pareceres. Abraços e ate mais.

    Responder

  119. Paulo

    MARCOS, HEITOR:
    Eu recebi a mesma cartinha de vocês..Não fui considerado pessoa portadora de deficiência..Possuo sequelas, deformidades congênitas na perna(mais curta e fina do que a outra), braço(mais fino que outro), mão(menor e dois dedos colados), coluna(deformidade grave, com grande escoliose para o lado esquerdo), além de ausência de músculo peitoral direito).
    É ridículo, o que aconteceu comigo..Fui isento do exercito, consta na isenção que não pude servir por ter paralisia infantil, na perna e braço. Compro carro com isenções de ICMS e IPI,(sou reconhecido portador de deficiência pelo Detran do Paraná(possuo laudos que atestam a deficiência, e não posso dirigir motos, caminhões, somente carros adaptados ou automático, pois não tenho força na perna esquerda para erguer a mesma e pisar na embreagem), sou reconhecido deficiente pela Receita Federal do Brasil(que me isenta do IPI) e Estadual do PR(que me isenta do ICMS), além do SUS que emitiu laudo médico atestando que sou deficiente(que me isenta do IPVA).
    Sofro com minha limitações, tô me preparando para o recurso no INSS, no final do mês foi pegar a cópia do meu processo e ver o que o perito escreveu e me considerou pessoa igual ao Neymar, Pelé e demais pessoas sem deficiências.
    Na verdade, o INSS está me colocando numa tremenda desigualdade, o perito, ou o sistema praticado na lei 142/13 é muito desumano.
    Jamais vou desistir, vou até o fim, em todos os níveis da justiça.

    Abç a todos.
    Paulo.

    Responder

  120. Geloram

    Alguém tem que fazer algo, tipo contatar algum repórter de um grande jornal ou TV, pois do jeito que está, esta lei não beneficia quem deveria, ou seja, o contribuinte do INSS que trabalha e também é portador de uma deficiência que o deixa em desvantagem perante os demais trabalhadores. Até os próprios peritos ficam meio sem graça quando perguntam ao trabalhador deficiente se ele consegue fazer seu lanche, se consegue fazer compras, se consegue deslocar-se dentro de casa, etc Oras bolas, somos deficientes sim, mas trabalhamos todos os dias, com muito mais dificuldades que os “normais”, mas do jeito que está Lei, fica muito difícil, a não ser se a pessoa trabalhe numa maca e esteja imobilizado. E tem mais, não estamos pedindo esmolas ao governo, pois trabalhamos e contribuímos mensalmente ao INSS. Queremos uma diminuição justa do tempo de trabalho em comparação dos demais ditos “normais”.

    Responder

  121. Antonio Ambrosio

    Em que condições de deficiência uma pessoa nascida COM, e desde que trabalha, já trabalha com ela pode se aposentar nessa lei que não aposenta ninguém, dei entrada e foi INDEFERIDO tenho 33 anos de contribuição e negaram que eu faço? Alguém pode me responder

    Responder

  122. MARCOS

    BOA TARDE, FOI ASSIM QUE EU RECEBI MEU INDEFERIMENTO:

    ASSUNTO:
    Requerimento de Aposentadoria por Tempo de Contribuição da pessoa com deficiência

    DECISÃO: INDEFERIDO.
    MOTIVO:
    Falta de tempo de contribuição. Não comprovação da condição de segurado com deficiência junto à perícia do INSS.

    FUNDAMENTAÇÃO LEGAL:
    Artigos 3º e 5º da Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013.

    Prezado(a) Senhor(a),

    Em atenção ao requerimento de Aposentadoria por Tempo de Contribuição da pessoa com deficiência, efetuado em 13/12/2013, a Previdência Social comunica que, após a análise dos documentos e da avaliação médica e social, não houve enquadramento da deficiência declarada como leve, moderada ou grave, não sendo preenchido, portanto, o tempo de contribuição necessário para a concessão da Aposentadoria por Tempo de Contribuição à pessoa com deficiência, na forma prevista no art. 3º da Lei Complementar nº 142/2013:

    Responder

  123. Heitor Alves Fernand

    Sou deficiente físico (amputado perna esquerda acima do joelho) desde 12/07/1989, no dia 12/07/2014 completa 25 anos nessa condição. Trabalho desde 28/08/1986. No dia 28/05/2014 fiz a pericia medica e 04/06 social. Esta foi a comunicação de decisão do inss:

    Situação do Benefício Indeferido

    COMUNICAÇÃO DE DECISÃO

    Espécie: 42
    Ao(a) Sr(a):
    HEITOR ALVES FERNANDES

    ASSUNTO:
    Requerimento de Aposentadoria por Tempo de Contribuição da pessoa com deficiência

    DECISÃO: INDEFERIDO.
    MOTIVO:
    Falta de tempo de contribuição. Não comprovação da condição de segurado com deficiência junto à perícia do INSS.

    FUNDAMENTAÇÃO LEGAL:
    Artigos 3º e 5º da Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013.

    Prezado(a) Senhor(a),

    Em atenção ao requerimento de Aposentadoria por Tempo de Contribuição da pessoa com deficiência, efetuado em 11/02/2014, a Previdência Social comunica que, após a análise dos documentos e da avaliação médica e social, não houve enquadramento da deficiência declarada como leve, moderada ou grave, não sendo preenchido, portanto, o tempo de contribuição necessário para a concessão da Aposentadoria por Tempo de Contribuição à pessoa com deficiência, na forma prevista no art. 3º da Lei Complementar nº 142/2013:
    25 (vinte e cinco) anos de tempo de contribuição, se homem e 20 (vinte) anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência grave;
    29 (vinte e nove) anos de tempo de contribuição, se homem e 24 (vinte e quatro) anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência moderada;
    33 (trinta e três) anos de tempo de contribuição, se homem e 28 (vinte e oito) anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência leve.

    Caso discorde dessa decisão, o(a) Senhor(a) poderá apresentar recurso à Junta de Recursos da Previdência Social, no prazo de 30 (trinta) dias contados a partir do recebimento desta comunicação, observado o disposto nos art. 305, § 1º, do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048/99.

    A apresentação do Recurso poderá ser agendada por meio do portal da Previdência Social na internet (www.previdencia.gov.br), da Central 135 ou em uma Agência da Previdência Social.

    O prazo para a revisão do benefício é de 10 (dez) anos contados da data da concessão ou do indeferimento de acordo com o prazo decadencial previsto no art. 103 da Lei nº 8.213/91 e art. 347 do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048/99.

    Atenciosamente,
    INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL – INSS

    AGENCIA DA PREVIDENCIA SOCIAL ITAUNA

    Condições para o reconhecimento do direito ao benefício Aposentadoria por Tempo de Contribuição da pessoa com deficiência:
    Comprovar o tempo mínimo de:
    25 (vinte e cinco) anos de tempo de contribuição, se homem e 20 (vinte) anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência grave;
    29 (vinte e nove) anos de tempo de contribuição, se homem e 24 (vinte e quatro) anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência moderada;
    33 (trinta e três) anos de tempo de contribuição, se homem e 28 (viente e oito) anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência leve.
    A deficiência e o seu respectivo grau serão verificados por perícia própria do INSS, na forma do art. 5º da LC nº 142/13;
    A carência exigida será de 180 (cento e oitenta) contribuições mensais e está prevista no art. 25, inc. II, da Lei nº 8.213/91 e art. 29, inc. II, do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048/99.

    Responder

  124. Washington de jesus

    Prezados amigo bom dia!
    Na carta de concessão que recebi do INSS , está claramente que o beneficio foi concedido “APOSENTADORIA DEFICIENTE (42).Amigos toda aposentadoria por tempo de contribuição é espécie 42.Para tirar alguma dúvida de alguns amigos é o seguinte:
    Na lei 142/13 diz que para se aposentar como deficiente é preciso comprovar que todo o período de contribuição foi feito como deficiente; ou seja quem tiver deficiência leve precisa de ter 33 anos , moderada 29 anos, etc. Quem tem período sem deficiência , este tempo será convertido para que possa ser contado de maneira diferente e acrescentado ao tempo de contribuição.Quem não conseguir comprovar todo o período , o pedido será analisado como sendo aposentadoria por idade.Aos amigos que preenchem todos os requisitos e não conseguiram estou torcendo por vocês, não desistem.
    Aproveitando o momento; nas pericias do INSS a maioria das perguntas são subjetivas.Então quando perguntarem pra alguém se ‘Você consegue fazer trabalho doméstico?Não esqueça que trocar uma lâmpada é trabalho doméstico e muitos não conseguem subir numa escada.Você consegue mover um objeto? Não esqueçam que o objeto pode ser um celular mas também pode ser um botijão de gás por exemplo.
    Espero ter ajudado de alguma maneira!
    Um abraço!

    Responder

  125. Ricardo Rinaldini

    Boa noite, a todos.
    Leandro Santos, parabéns pela ação em pleitear na Justiça seu direito.
    Gostaria de saber quais as alegações apresentadas em sua peticao inicial: FATOS – DIREITOS
    Como o judiciário hoje não tem Jurisprudências e não existe Sumulas a respeito pela novidade da Matéria.
    Seria bom como sugestão todos nós tomarmos conhecimento se vc assim permitir aja visto que podemos trocar experiências junto com nossos Advogados e assim aprimorando ainda mais nossas petições.
    Caso seu advogado entenda que não, por favor encaminhe por E-mail : ricardorinaldini@terra.com.br
    Fico grato e mais uma vez parabéns
    E fico aqui torcendo por vc.
    Um forte abraço

    Responder

  126. Leandro SANTOS

    Boa noite. Aos amigos deste site, informo que hoje foi ajuizada a minha ação contra a Previdência Social na Justiça Federal de Porto Alegre. Fui orientado pela minha advogada a não entrar com o recurso, pois demoraria muito tempo. Acho que serei o primeiro a entrar na justiça aqui em Porto Alegre neste caso. Postarei aqui o andamento do processo.
    Grato.

    Responder

  127. MARCELO RESENDE

    ROSA. SEU MARIDO NÃO TEM DIREITO A ESSA NOVA APOSENTADORIA, PORQUE ELE JÁ É APOSENTADO.

    Responder

  128. WLADIMIR

    PARA QUEM ESTÁ PRETENDENTO ENTRAR COM AÇÃO JUDICIAL, ESTE É UM ÓTIMO MATERIAL, JÁ DIVULGADO NESTE ESPAÇO:

    1. PARECER DO SINDICATO NACIONAL DOS PERITOS MÉDICOS DO INSS SOBRE O INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE FUNCIONALIDADE BRASILEIRO ADOTADO PELO INSS PARA ANÁLISE DE CONCESSÃO DE APOSENTADORIA ESPECIAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA – LC 142/13
    Fundamentação legal:
    Constituição Federal de 1988, art.201
    Lei 8.213/91
    Lei 8.742/93
    Lei Complementar 142/13
    Decreto 3.048/99
    Decreto 8.145/13
    Decreto 6.949/09
    Decreto Legislativo 186/2008
    Portaria Interministerial AGU/MPS/MF/SEDH/MP Nº 1 DE 27/01/2014
    1) Preliminares
    A aposentadoria especial de pessoas com deficiência está sediada na Constituição da República, Art. 201, § 1º, regulamentada pela Lei Complementar 142/2013 e Decreto 8.145/13.
    A definição de pessoa com deficiência adotada para fins destas leis está contida no Artigo 1 da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com deficiência da ONU, acolhida pelo Estado Brasileiro como Emenda Constitucional conforme o Decreto Legislativo 186/2008, promulgada pela Presidência da República por meio do Decreto 6949/2009, ratificada pela LC 142/13.
    A definição de pessoa com deficiência independe de sua condição financeira ou status social. Estamos aqui falando de deficiência física e mental, não de insuficiência sócio-econômica. Essa condição social pode ser útil para análises de outras formas de acolhimento ou incentivo estatal, mas não servirá para qualificar ou desqualificar determinada barreira física ou mental que o ser avaliado possua na análise estritamente física e funcional da deficiência. Ninguém deixa de ser “deficiente” por ser rico. Facilidades proporcionadas por uma boa condição sócio-econômica não podem servir para subestimar o grau de deficiência funcional e física de um cidadão.
    2) Da Condição de Deficiência
    A Convenção define a deficiência, para efeito das normas protetivas dos Direitos das pessoas com deficiência, como sendo um atributo de determinada pessoa, a qual, ao interagir com as barreiras estruturais, urbanísticas, atitudinais, à comunicação, além de outras seja impedida ou tenha dificuldade de desfrutar de tudo o que houver na sociedade, em todo e qualquer espaço ou ambiente, em igualdade de oportunidade com as demais pessoas.
    Portanto temos aqui que a deficiência deve ser medida sob dois aspectos: O primeiro é aquele que diz respeito à limitação física, orgânica, anatômica ou cognitiva. Sob este prisma, a deficiência deve ser diagnosticada a partir de um conjunto de sinais e sintomas enquadradas sob um diagnóstico nosológico, complementado ou não por exames acessórios, sendo o médico o profissional apto a determinar a deficiência e sua gravidade.
    O segundo aspecto é o da funcionalidade do corpo humano, ou seja, aquele em que se analisa se uma pessoa com diagnóstico de determinada limitação anatômica ou orgânica, ao interagir com as barreiras existentes nos espaços públicos ou privados, nos espaços urbanísticos de qualquer natureza, nos passeios e travessias públicas e privadas, nos transportes coletivos e individuais de qualquer natureza, nos prédios, nos equipamentos de lazer e trabalho em geral, nos aparelhos, meios, sistemas e dispositivos de comunicação, nos ambientes domésticos, escolares, do trabalho e outros, possam ter dificuldades ou impedimentos de qualquer tipo, de desfrutar de tudo o que houver na sociedade em igualdade de oportunidade com as demais pessoas, sendo nesse caso a necessidade da presença não só de médicos, como de outros profissionais da área da saúde, em especial terapeutas ocupacionais, além de engenheiros, arquitetos e outras áreas afins.
    Qualquer coisa que fugir destes parâmetros são ilegais ou inconstitucionais, além de se afastarem da lógica e de qualquer critério de justiça e de equidade, que são previstas na Convenção.
    3) Da empregabilidade do deficiente e do objetivo de sua aposentadoria especial
    Por um lado, é grande a chance de uma pessoa deficiente não estar apta ao trabalho, parcial ou completa, temporária ou permanente. Nesses casos existem já benefícios concedidos pelo Estado para o amparo dessa pessoa. Obviamente, o grau de benefício poderá variar de acordo com o status sócio-econômico do deficiente.
    Por outro lado, todas as pessoas com deficiência que conseguirem ingressar no mercado de trabalho, sem qualquer dúvida, são pessoas reabilitadas, ou seja, pessoas com deficiência dotadas do devido treinamento para desenvolverem várias habilidades e capazes de, em algum grau, suprir aos cuidados corporais e as demais habilidades da vida diária, como fazer comida, limpar a casa, lavar os pratos, fazer compras, contratar serviços, ter vida conjugal normal, gerar e cuidar da prole etc, além de ter domínio da execução das tarefas a serem desempenhadas no trabalho. Se uma pessoa com deficiência não detiver estes atributos, por certo, não terá as devidas condições para ingressar no mercado de trabalho e, em via de conseqüência, nunca poderá requerer aposentadoria por tempo de trabalho, por absoluta falta de objeto.
    Portanto, a pessoa alvo da Lei Complementar 142/13 não é o deficiente incapaz, sem condição de prover a sua subsistência por si próprio por quaisquer meios, ou que era capaz e ficou incapaz. A pessoa alvo da LC 142/13 são deficientes com diversos graus de independência social e que estão inseridas no mercado de trabalho, dentro de suas limitações.
    Logo, um instrumento de avaliação para fins de aposentadoria especial de deficientes deve, ou deveria, focar neste cidadão apto e laborativo, jamais no incapaz. Como toda aposentadoria especial, pressupõe trabalho contínuo por anos, cuja aceleração da aposentadoria visa minorar efeitos maléficos da insalubridade do labor (especial clássica) ou efeitos maléficos do labor na condição de deficiente (especial de deficiente).
    4) Do instrumento proposto pelo INSSO INSS baseia a avaliação pericial do benefício contido na LC 142/13 em dois eixos: avaliação médica e avaliação funcional, ao qual designa a atuação do corpo de assistentes sociais do INSS e determina a utilização de um índice, o Índice de Funcionalidade Brasileiro Aplicado para Fins de Aposentadoria – IFBrA.Este instrumento de funcionalidade brasileiro ainda não possui validação técnica ou científica, mas foi regulamentado por uma Portaria Interministerial (norma infralegal), a Portaria Interministerial AGU/MPS/MF/SEDH/MP Nº 1 DE 27/01/2014.O IFBrA que, repito, ainda está sob processo de validação, está fulcrado na CIF, a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde, da OMS (clique aqui).
    O INSS inovou ao chamar de “social” a avaliação “funcional” prevista em Lei específica.
    5) Sobre o IFBrA
    Usar a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde como mola mestra do IFBrA é inadequado pois a CIF não se presta para este tipo de avaliação, simplesmente porque ela não tem um capítulo específico tratando da pessoa com deficiência que já estão inseridas no mercado de trabalho e nem poderia ter, porque ela é um documento que tem por objetivo, justamente, mostrar as falhas de funcionalidade orgânicas e anatômicas ao interagirem com as diversas barreiras, com a finalidade de que os profissionais especialistas possam adotar as medidas necessárias para que estas limitações sejam minoradas ou totalmente superadas, quando for possível.
    Se a pessoa com deficiência está no mercado de trabalho, sem dúvida, é porque já superou várias das etapas funcionais previstas na CIF. Consequentemente, se o instrumento de funcionalidade brasileiro está inteiramente baseado na CIF, por óbvio, não se presta para mensurar com justiça e equidade, as diferentes graduações de deficiência, para efeitos de concessão de aposentadoria especial por tempo de contribuição
    Não obstante isto, o instrumento de funcionalidade brasileiro validado pela Portaria Interministerial apresenta várias falhas metodológicas, as quais, sem a menor dúvida, ferem a dignidade da pessoa humana com deficiência e, por certo, se permanecerem, irão causar negativas indevidas de direitos e danos morais, expondo o INSS a uma tempestade de ações judiciais reparadoras tanto da negativa do benefício como indenizatórias pelo dano moral. O IFBrA é uma fonte de significativa injustiça e falta de equidade.Em um mundo ideal, os técnicos do governo deveriam ter feito primeiro uma pesquisa de campo com amostra estatística, para se familiarizarem dos conceitos próprios dos trabalhadores com deficiência sujeitos ao Regime Geral da Previdência Social. Assim sendo, eles conheceriam os conceitos de pessoas com deficiência, primeiramente à luz do diagnóstico exclusivamente médico, considerando apenas a CID-10, para depois passarem a análise das barreiras existentes, bem como, quais tipos de deficiências encontram dificuldades ao interagirem com estas ou aquelas.
    Sem a demonstração de como está estruturada no Brasil o trabalho do deficiente, qualquer metodologia proposta vira chute de teórico de academia desconectado da realidade social ao qual deveria estar ciente e inserido. Não á toa, a inadequação da metodologia adotada no instrumento, baseada meramente na CIF , o nos leva a concluir que, para o governo, todas as pessoas com deficiência, sem qualquer exceção, são deficientes físicos e/ou cognitivas e devem/deveriam ser aposentadas por invalidez, porque, como ao ingressarem no mercado de trabalho não tinham tais deficiências, haja vista que se as tivessem não seriam admitidas, só se pode concluir é que as deficiências diagnosticadas foram contraídas durante o pacto laborativo.
    Isso para mim só tem uma explicação: A total falta de metodologia na construção do modelo. A título de exemplo, vamos ver algumas perguntas formuladas no instrumento:
    3.1 Mudar e manter a posição do corpo
    3.2 Alcançar, transportar e mover objetos
    3.3 Movimentos finos da mão
    3.4 Deslocar-se dentro de casa
    3.5 Deslocar-se dentro de edifícios que não a própria casa
    3.6 Deslocar-se fora de sua casa e de outros edifícios
    Diante de tais perguntas, como já foi preparado acima, algumas conclusões são inexoráveis. A pessoa com deficiência que respondê-las negativamente, nunca ingressará no mercado de trabalho e nunca se aposentará, pelo menos por tempo de contribuição, que é o objeto desta lei.
    Aliás, a pessoa com deficiência que responder tais perguntas negativamente, sequer o fará diretamente, mas por meio de seu representante legal, eis que não terá o desenvolvimento cognitivo necessário para compreender tais questionamentos, logo não o terá também para responder.
    Por outro lado, estas perguntas não se aplicam às pessoas com deficiência mental leve, visual, auditiva e física, porque estas pessoas, como dito acima, só estarão no trabalho, se tiverem o devido discernimento das coisas da vida e do mundo e dominarem bem as habilidades comuns da vida diária e o talento para desempenhar as atribuições inerentes ao seu ofício. Sendo assim, por qualquer ótica, perguntas desta estirpe não têm cabimento, quando se estiver cogitando de aposentadoria especial por tempo de serviço.
    Não há nexo entre o tipo de pergunta e o tipo de avaliação ao qual ele se presta. Vejamos esta pergunta símbolo da total distócia entre o objetivo da lei e o instrumento regulamentado:
    6.3 Trabalho remunerado
    Aqui evidencia-se a total falta de critério do Instrumento de avaliação. É justamente a pessoa que trabalha remunerada que irá, em algum momento, pleitear uma aposentadoria especial por deficiência.
    Se a pessoa NÂO TRABALHA REMUNERADA, ela JAMAIS irá solicitar tal benefício. A pergunta é descabida, imprópria, absurda e somente beócios ineptos podem achar que faz algum sentido este tipo de pergunta, cuja resposta encontra-se no próprio CNIS do cidadão, previamente levantado pelo administrativo.
    6) Sobre a “perícia social”.
    A LC 142/13 e o decreto 8.145/13 determinam claramente que a avaliação para fins de aposentadoria será fruto de perícia própria do INSS e através de avaliação médica e funcional.
    A única perícia própria do INSS é a perícia médica. O corpo de assistentes sociais do INSS não se constitui, sob nenhuma ótica, em corpo de peritos. A atuação do Analista do Seguro Social – formação em Serviço Social, é regida pelo artigo 88 da Lei 8.143/91, que assim reza:
    Art. 88. Compete ao Serviço Social esclarecer junto aos beneficiários
    seus direitos sociais e os meios de exercê-los e estabelecer conjuntamente
    com eles o processo de solução dos problemas que emergirem da sua
    relação com a Previdência Social, tanto no âmbito interno da instituição
    como na dinâmica da sociedade.
    O art.20 da Lei 8742/93 (LOAS) também dá ao Serviço Social do INSS a atribuição de fazer a avaliação social de um benefício específico: O BPC LOAS.
    Não há um único texto legal que permita aos assistentes sociais do INSS realizar “perícia médica”, “perícia funcional” ou mesmo “perícia social” dentro do INSS, fora do contexto do BPC LOAS. Não há um único texto legal que diga que o deficiente tenha que se submeter a perícia social para obter seu benefício.
    A tentativa do INSS de, através de portarias, documento legal que não tem o poder de inovar na estrutura legal das profissões públicas ou de alterar leis, é claramente ilegal, inconstitucional e uma afronta ao direito constituído nesse país.
    Nesses termos, o parágrafo segundo do artigo dois da Portaria Interministerial 01 supracitada, que reza que: “§ 2º A avaliação médica e funcional, disposta no caput, será realizada pela perícia própria do INSS, a qual engloba a pericia médica e o serviço social, integrantes do seu quadro de servidores públicos.” é DUPLAMENTE ILEGAL. Ilegal pois a Lc 142/13 não prevê avaliação social e ilegal pois assistente social não tem regulamentação para fazer perícias fora do LOAS.
    A ilegalidade se multiplica quando ao analisar o instrumento de avaliação, vemos que as assistentes sociais serão instadas a ter que avaliar questões que dizem respeito ao exame físico, cognitivo e cinesio-funcional do cidadão, ao qual não possuem previsão legal segundo sua Lei de Carreira.
    7) Discussão
    A ausência de metodologia, o uso da CIF como única matriz de desenvolvimento do modelo, a inovação legal em colocar serviço social para fazer avaliação física e mental, todas essas características deixam claro que o INSS está se utilizando de uma oportunidade de regulamentar um novo benefício para implementar, na força bruta, ideologias pessoais de um grupo ligado ao pensamento sanitarista clássico de multiplicação dos atores e diminuição do espaço de atuação médica, trazendo para a área da saúde a luta de classes que marcou os dois últimos séculos, colocando a medicina e os médicos como detentores de um biopoder a ser combatido.
    O problema é que se utilizar de um mecanismo legal de regulação de direitos para brincar de luta de classe e fazer discurso sectário anti-médico se traduz em uma deturpação completa do objetivo da lei, o que irá inviabilizar a aplicação da mesma, por estar contaminada de ranço ideológico que se sobrepõe á necessária ciência para poder julgar com razão e isenção todos os casos de solicitação de aposentadoria especial por deficiência.
    O instrumento é burro e nulo, o uso da avaliação social é ilegal e colocará em risco profissional todos os assistentes sociais do INSS. O INSS, por mera ideologia sectária, quer transformar avaliação funcional em social, misturando conceitos. Uma coisa é aposentadoria especial, aposentar em menos tempo. Outra coisa é oferecer facilidades, bolsas e estímulos sociais a quem é mais exposto socio-economicamente..
    Além disso, o modelo obrigará o assistente social a fazer tarefa de médico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, nutricionista, engenheiro, desviando a função profissional desses importantes colegas. Na prática, diversos deficientes com barreiras funcionais deixarão de ser avaliados em prol de pessoas com problemas sociais, deturpando a função do instrumento.
    Não podemos dizer que uma pessoa é mais deficiente que outra apenas pela questão monetária ou social. A deficiência é igual e ambos merecem o mesmo tempo de aposentadoria, pois ambas trabalham e estão expostas à insalubridade secundária à deficiência.
    O INSS vai punir o deficiente que tenha uma família mais estruturada com MAIS TEMPO de trabalho em prol de uma outra pessoa com a mesma ou até menor deficiência mas que é mais pobre. O INSS está, por um misto de ideologia e falta de idéias, querendo transformar a aposentadoria do deficiente em um grande LOAS.
    Quando se for aferir se uma pessoa tem uma deficiência merecedora de um tratamento especial, no momento da concessão da aposentadoria por tempo de serviço, devem ser apenas aquelas que podem dificultar ou impedir, que quando esta pessoa, ao interagir com as barreiras típicas do trabalho, tenha dificuldade de superá-las com autonomia e segurança ou, simplesmente, precise buscar um atalho para continuar seu destino.
    ConclusõesO modelo proposto pelo INSS para a avaliação de aposentadoria especial para deficientes é: a) ilegal, por colocar profissionais do serviço social para fazerem avaliações médicas e cinesiofuncionais; é b) restritiva de direito pois foi concebida sob uma matriz construída para avaliar incapacidade e não capacidade laborativa, logo por definição quem está trabalhando, justamente os aptos a requererem o benefício, dificilmente conseguirão enquadramento grave independente do grau de deficiência; e é c) inválida cientificamente, pois não foi construída mediante uma metodologia previamente estruturada e não foi submetida à validação.
    Desta forma, considerando que o instrumento estabelece que as pessoas com deficiência que obtiverem pontuação superior a 6.335 pontos serão consideradas apenas “deficiência leve” ou sequer serão consideradas merecedoras de aposentadoria especial se acima de 7.584 pontos, por não serem consideradas deficientes, fica claro, na prática, que o instrumento em foco tem a finalidade única de criar um meio legalista de fazer com que as pessoas com deficiência tenham negado seu direito à aposentadoria especial ou tenham enorme dificuldade em obter deficiência grave, uma vez que a quantidade de pontos perdidos necessários para chegar a tal graduação praticamente impede a pessoa de exercer qualquer trabalho.
    Portanto, ao ser aplicado indiscriminadamente, essa estultice de modelo vai, oficialmente, criar no Brasil apenas duas categorias de deficientes: os inválidos, que jamais poderão pedir aposentadoria especial pois não trabalham, e os deficientes leves. Os deficientes moderados e graves trabalhando serão tão raros quanto o eclipse lunar.
    O Sindicato Nacional dos Servidores Federais Peritos Médicos Previdenciários defende o abandono do modelo IFBrA atual e o recomeço, urgente, da construção de um modelo mais justo, humano e que julgue com ciência e isenção a real gravidade da deficiência do trabalhador investigado.
    4

    Responder

  129. oscar rodrigues

    Bom dia,
    Consegui aposentar por deficiência leve. Posso continuar trabalhando na mesma empresa e mesmo cargo ou a lei não permite?
    Grato.

    Responder

  130. Rogerio Luis

    Pedro, bom dia! vc se refere ao CADSENHA, fiz o procedimento, mas o que chama a atenção é que o INSS se baseia em uma Lei de 1998, oras se foi sancionada uma LEI de 2013, ao meu ver o INSS está errado em sefazer valer pela lei de 1998, se estamos pleiteando a aposentadoria conforme a LEI 142/13 deve-se atentar o que diz a LEI e não baseado em 1998, acredito que o INSS se faz de desentendido, despreparado para aplicar a LEI, visto que os peritos foram treinados de “ultima hora” e a pontuação aplicada não reflete a realidade de 99% das pessoas com deficiencia que fizeram agendamento, levaram documentos, fizeram pericia médica e social pra no fim eles argumentarem conforme a Lei de 1998, ao meu ver está tremendamente errado, se algum advogado que participa deste blog poderá se pronunciar melhor que eu, é certo que nosso desânimo é tamanho e nossas esperanças eles jogam no ralo, mas o que não podem é tentar nos fazer de desentendidos, principalmente nós que acompanhamos os ultimos 5anos até a aprovação da LEI 142/13, é no minimo estranho uma resposta sem nenhum fundamento pois “não aposentaremos com 35anos de contribuição” e sim na pior hipotese com 33anos, precisamos reforçar este argumento e algum advogado previdenciario poder esclarecer. Estou triste por mim e pela grande maioria dos amigos deficientes, lutamos, enviamos email, tentamos nos fazer ser vistos e o inss quer jogar uma pá de cal em nossas cabeças, é errado e isso alem de injusto ao meu ver é leviano, pois “não há argumento ao óbvio” e quantos amigos com polio, com dificuldades auditivas, sofrendo dores que eles nem imaginam não tem um parecer transparente é obscuro e a isso todos devemos nos preparar para os tribunais, que demore 10anos, devemos fazer com que os futuros amigos deficientes tenham melhor sorte que a nossa. Abraços, Vamos continuar, não podemos jogar a toalha agora, estou triste mas creio que depois de reavaliar o processo meu caminho vai ser o judicial. Abraços.

    Responder

  131. Enéas Nucci Junior

    Amigos, é ridículo termos que contar com a sorte em nossas solicitações. Avisem aos seus conhecidos que como eu são portadores de sequela de pólio que no dia da perícia médica e da entrevista coma a assistente social cheguem de bengala, não digam que não precisam de ajuda no banho, trabalham sentados no computador, conseguem cozinhar, andam de ônibus e conseguem fazer compras, etc. Caprichem nas respostas que talvez seu pedido não será indeferido como foi o meu. Questionário ridículo e tendencioso.

    Responder

  132. Pedro Triaca

    O resultado do meu processo está no site como falta de tempo de contribuição. Não recebi a carta ainda, mas já agendei a cópia do processo. Para saber os detalhes do resultado o site solicita a senha. Pode ter acontecido o mesmo que o amigo Rogério Luis.

    Responder

  133. Rogerio Luis

    Milagre, chegou a carta do INSS depois de um mês do resultado sair no site, algo me chama a atenção, eles estão diferindo com base fundamentado na emenda constitucional nr 20 de 16/12/98 e regulamento da previdência social, aprovado pelo decreto nr. 3.048 de 06/12/98, Art. 187. Pergunto aos amigos que já receberam esta carta, “onde mencionam a LEI 142/13?” não achei em lugar algum, ainda eles informam que “após analise da documentação”, pois até 16/12/98 fui comprovado “apenas” 15 anos não atingindo o mínimo de 30 anos… oras se em 16/12/98 já tivesse 30 anos aposentaria em 2003, como a lei 142/13 DIZ QUE A PESSOA COM DEFICIÊNCIA PRECISA COMPROVAR 02 ANOS COM DEFICIÊNCIA… como eles podem RETROAGIR A UMA LEI DE 1998? AOS AMIGOS QUE TAMBÉM PERCEBERAM ESTA COMPARAÇÃO, ALGUÉM SABERIA DIFERENCIAR O TEOR DESTA CARA? POIS NÃO ESTAMOS PEDINDO APOSENTADORIA COM BASE EM LEI DE 1998 E SEM NA LEI 142/13 E QUE É MAL INTERPRETADA TANTO PELOS QUE ANALISAM NOSSO PEDIDO QUANTO AOS PERITOS QUE FAZEM UM PAPEL DE CENSO DO IBGE COM PERGUNTAS E RESPOSTAS…

    Responder

  134. Mariza

    Olá Pedro Triaca, bom dia! Obrigada mas Não precisa de senha para consultar este tipo de beneficio , eu consulto todos os dias e está em análise.Mas o seu está como “habilitado”?

    Responder

  135. Pedro Triaca

    Bom dia Mariza. Sugiro a todos que façam a cadastro CADSENHA na Previdência para verificar o andamento do benefício. No meu caso verifiquei o resultado há quase 15 dias pelo site, só que a correspondência da Previdência ainda não chegou e não sei se irá chegar.

    Responder

  136. ROSA VIRGINIA

    Meu esposo José Benedito se aposentou em 2000 por leugopemía, mas ñ conseguiu a aposentadoria integral. No ano de 2010 mais ou menos ele foi acometido por 3 derrames. E se encontra em uma cadeira de roda. Gostaria de saber se ele tem direito de receber essa aposentadoria especial? E qual os direitos dele diante ao INSS?. Agradeço desde já.

    Responder

  137. Rogerio Luis

    Pegando um gancho no que disse Barradas e Alvim, o Beneficio concedido a Atleta Lais Souza, deveria o INSS ser IMPARCIAL, os srs autores do pedido ter o minimo de noção, nada contra Lais, mas enquanto politiqueiros fazem MÍDIA om o drama da atleta, pergunto: Quantas pessoas com maior drama, maior sofrimento sofrem o descaso de peritos e morosidade do INSS, creio que “se dá pra um, tem de dar a todos” porque SOMOS IGUAIS PERANTE A LEI E A CONSTITUIÇÃO!!, o que difere a atleta de pessoas que contribuíram anos e anos com a previdência? quantos poucos anos a atleta contribuiu se é que contribuiu para o INSS? enquanto tiver esta “diferença” haverá injustiças, porque não deram beneficio ao João do Pulo, que morreu sem ser beneficiado? quantos atletas nas paraolimpiadas fazem jus a um beneficio são vistos como “Beneficio Leve?” ou sem beneficio algum, acho que se abrem a porteira pra fazer mídia devem olhar para os que estão na fila esperando que o INSS seja justo e pague pelo que contribuímos a vida inteira e que não seja “meias verdades” pois hipocrisia o INSS é craque! o que difere uma situação de outra? tudo bem a família ser humilde, mas RICO NÃO PRECISA DE INNS!!! então claro que fico feliz por reconhecerem a necessidade da atleta Lais e creio quem deveria lhe pagar pelo beneficio deveria ser o COI!! para não caracterizar beneficio politico, já que ainda duvido que a atleta tenha contribuído 15 anos pra previdência. O INSS comprova o que todos aqui dizem que além de não praticar a LEI 142/13 é totalmente obediente ao seu chefe (governo) que se utiliza de todos artifícios para DIFICULTAR NOSSA APOSENTADORIA COM UMA RIDÍCULA PONTUAÇÃO QUE NÃO CONDIZ A NOSSA REALIDADE DIÁRIA, QUE FERE O PROJETO, QUE DESVIA SUA FUNÇÃO SOCIAL E QUE NÃO PROMOVE IGUALDADES DE CONDIÇÕES E SIM OBEDECE ORDEM DA QUERIDA DILMA ROUSSEF QUE MENTE DESCARADAMENTE QUANDO DIZ QUE ESTÁ PROMOVENDO IGUALDADE DE DIREITOS AOS DEFICIENTES TRABALHADORES QUE CONTRIBUIRAM COM 25, 29 E 33 ANOS PARA UMA PREVIDÊNCIA INCOERENTE E SEM UM MINIMO DE CONDIÇÕES DE AVALIAR NOSSAS DIFICULDADES.

    Responder

  138. CONCEIÇÃO LOPES

    Meu nome é Maria da Conceição aparecida Lopes, sou moradora do Recanto das Emas, sou funcionaria pública há 24 anos, e tenho uma filha especial, com 21 anos e com atraso no desenvolvimento psicomotor e com idade mental de quatro anos e meio… Já tenho que carregar minha filha e vê-la ser discriminada pelo fato de ser diferente da outras pessoas eu também me sinto discriminada pelo governo quando não consigo fazer o direito da minha filha ser alcançado.
    Vou fazer algumas perguntas e gostaria muito de ser respondida de acordo com a constituição brasileira: Gostaria de saber por que uma criança com um quadro tão grave deficiência mental não tem direito a nenhum tipo de ajuda por parte do governo? Por que eu e minha filha somos punidas pelo fato de eu ser funcionaria publica? Eu já andei muito atrás de indenização, mas como toda documentação da minha filha sumiu do prontuário do Hospital de Taguatinga (HRT) e como o tempo caducou não tem como eu pedir indenização por um erro médico que aconteceu em 1993, às vezes eu penso que fui punida pelo fato de ter uma filha especial, gostaria de saber se tem como vocês me mostrar uma brecha na lei e fizer uma investigação e me ajudar? Tenho todos os laudos feitos pelos médicos do hospital Sarah Kubistchek, e neste momento nem estou conseguindo um médico para minha filha ser acompanhada pelo um hospital público, porque a minha filha só tem deficiência mental e não tem física isso o que diz o hospital Sarah ela tem uma lordose acentuada. Será que minha filha se enquadra nessa lei? Por favor, me ajude não tenho mais a quem recorrer. Obrigada desde já.

    Responder

  139. SERGIO MAXIMO ALVES

    ESSA APOSENTADORIA É UMA PIADA
    É A MAIOR SACANAGEM COM O DEFICIENTE

    Responder

  140. Paiva

    Hoje estive cara a cara com o médico que me avaliou, eu perguntei a ele o poque de ter me dado nota 100 em todos os ítens, mesmo eu tendo paralisia nas duas perna. Ele disse: embora eu não concorde com este tipo de avaliação, no treinamento nós fomos orientados agir como agir. Eu disse pra ele que isto não existia, haja vista que eles são orientados a observar a pontuação mínima e máxima, ou seja, 100 para total independência, 75 para adaptados, 50 para ajuda de terceiros e 25 total dependência de uma ou mais pessoas (para cada pergunta do questionário.
    Ele ficou sem palavras e eu disse que havia recorrido dentro do próprio INSS e que esperava se fosse ele novamente que ele revesse seus conceitos em relação a pessoa com deficiência. Ele se desculpou por ser a primeira pessoa que ele havia atendido e que tinha certeza que essa Lei ainda passará por ajustamentos.

    Responder

  141. Geloram

    Pessoal, falem com seus sindicatos ou com algum órgão de sua categoria (caso tenham). Será uma importante ajuda. A CUT já está ciente do problema e já começou a nos ajudar.

    Responder

  142. Geloram

    A Coordenação do Coletivo Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras da CUT com deficiência, composta por 9 representantes das CUTs estaduais, decidiu pela continuidade dos trabalhos do coletivo junto ao Governo Federal visando a modificação da Lei Complementar 142/2013, que dispõe sobre aposentadoria especial para pessoas com deficiência. Da forma como foi aprovada, a Lei não permitirá que trabalhadores e trabalhadoras com deficiência possam usufruir plenamente deste beneficio.

    Responder

  143. Clovis Oliveira

    Boa tarde Ananias, ligue para o 135 ou vá ao INSS e entre com o recurso o advogado poderá te ajudar, mas ele só entrará com a ação se o INSS te negar de novo.

    Responder

  144. Edgar Ventura

    Mariza, obrigado pela atenção e resposta, mas, infelizmente as coisas não são fáceis. Fiquei sem esperanças após a entrevista. O meu pecado é não mentir, disse toda a verdade,embora nesse país, somente os ‘espertos’ se bem, o desonesto virou ‘esperto’ e o honesto virou otário.
    Boa sorte a todos.

    Responder

  145. Mariza

    Edgar, as anotações são as pontuações de cada pergunta,para avaliar em qual grau sua deficiencia será definida, tipo LEVE, MODERADA, GRAVE ou até mesmo “sem deficiencia” , Boa sorte, eu também sou deficiente auditiva e estou aguardando a resposta.

    Responder

  146. Enéas Nucci Junior

    Bom dia a todos,

    Sr. Ananias, me encontro no mesmo caso. Sou portador de sequela de pólio desde os nove meses de idade e para o INSS não sou deficiente físico. Minha solicitação foi indeferida com a justificativa que não alcancei a pontuação necessária.
    Enéas

    Responder

  147. MARCOS

    ANANIAS SEU CASO FOI IGUAL AO MEU, PARA ADIANTAR FAÇA UM AGENDAMENTO NA OPÇÃO SOLICITAÇÃO DE COPIA DE PROCESSO DE BENEFICIO E LEVE UM CD OU PENDRIVER. E COM ESSAS INFORMAÇOES QUE O ADVOGADO VAI TRABALHAR. ABRAÇOS E BOA SORTE.

    Responder

  148. Wladimir

    Sr. Ananias, sem palavras. Boa Sorte!!!

    Responder

  149. Ananias

    Bom dia a todos.
    Mais um milagre do INSS!!! Peguei o resultado das minhas perícias e após ser acometido de pólio antes de um ano de idade, 9 cirurgias e todas as consequências estou curado… indeferido, não comprovada deficiência.
    Já vou juntar documentação e estou à procura de um bom advogado conhecedor previdenciário.
    boa sorte a todos.
    Ananias

    Responder

  150. Aline

    Bom dia a todos. Vcs conhecem o site reclameaqui.com.br? Sempre que reclamei , fui atendida. Que tal se todos nós fizessemos uma reclamação breve sobre o não cumprimento da lei 142? E para isso ussássemos o mesmo Assunto: Não cumprimento da LC142/2013 ? O que acham?

    Responder

  151. Vladimir

    Pessoal, bom dia!
    A “casa do povo” para fiscalizar as mazelas do poder executivo, é o Senado Federal. Á eles que temos que reclamar e também ao Ministério Público Federal, responsável por exigir do poder executivo o cumprimento às leis.
    Quem possuir contatos nesse nível, é o melhor caminho para nossas reclam ações.

    Responder

  152. JOVAL

    Meu filho tem o Loas que só permiti o ganho familiar de até 1/4 do salário mínimo. Ele pode mudar de beneficio para não correr o risco de perde-lo se a renda familiar ultrapassar o salário mínimo.

    Responder

  153. Edgar Ventura

    Boa tarde,
    Sou deficiente auditivo severo, com laudos médicos e tudo mais, passei pela perícia e assistente social,respondi algumas perguntas e a assist. social fez uma série de anotações numéricas, para que serve tais anotações?

    Sds

    Responder

  154. jorge torres

    Não sei se vocês concordam comigo caros colegas. Tudo bem a Lei foi criada, mas cadê os deputados que fizeram lei, por que não nos ajudam fiscalizar o INSS para possamos realmente usar a lei 142, só espero que não nos procure somente na hora das eleições. Pois somos número suficiente de Deficientes que podem eleger ou ate mesmo reeleger um deles.

    Responder

  155. Jorge Torres

    Passei pela avaliação Medica e Social, na concepção deles a minha deficiência é leve tenho 32 e 9 messes de contribuição.
    Mas o que me espanta o doc. que recebi indeferindo a minha aposentadoria. O texto não diz nada sobre a minha classificação se é Grave, Moderada ou Leve, simplesmente ele usam a redação de pessoa que não tem deficiência.
    Que dizer, fica tudo no achismo. Vou tentar de novo, pois em agosto terei os 33 anos para aposentadoria por tempo de serviço se me enquadro na LEVE.

    Responder

  156. Wladimir

    Concordo com vc xará, temos de meter a boca no trombone, cada um que se manifestar de algum modo, pode ser que sensibilize estes tecnocratas egoístas, que só pensam neles.

    Responder

  157. Vladimir

    Bom dia à todos!
    Sabem o que chama a atenção?
    Quando da publicação da Lei, ouvimos dizer que somos em torno de 24 MM. de pessoas no Brasil.
    E observo que nesse Blog, somos sempre os mesmos.
    Onde estão os outros deficientes, que acredito, grande parte em período de aposentadoria?
    Se todos nós protestássemos com “vuvuzelas” no ouvido dos tecnocratas do INSS, com certeza seríamos melhores atendidos.

    Responder

  158. Carlos Prado

    Acabei de ler uma reportagem na BOL e postaram ela aqui no blog. Uma atleta pode receber PENSÃO VITALÍCIA por sofrer lesão grave em esporte de inverno. Nada contra ela, tomara que aprovem. Mas e nós? Se ela tiver que passar por esta lei para se aposentar duvido que consiga alguma coisa. No máximo moderada.

    Responder

  159. Mariza

    Os que tiveram seus beneficios negados também vão ganhá-lo quando recorrerem, tenho certeza disto.

    Responder

  160. Mariza

    Olá Jesuino, eu pensei que a sua já tivesse saido, seria bom se todos que deram entrada na agencia de Barueri fossem lá cobrar, a impressão que tenho é que “engavetaram” o nosso processo…mas eu tenho esperança sim, e também fico feliz pois a maioria de nossos amigos conseguiram, então não quero criticar a Lei e sim a demora em nos responder.

    Responder

  161. BARRADAS

    Mas um caso na data de hoje

    02/07/2014 16h33- Atualizado em 02/07/2014 16h38
    Câmara aprova pensão mensal e vitalícia para a atleta Lais Souza
    Laís fraturou uma vértebra quando treinava para as Olimpíadas de Inverno.
    Antes de virar lei, texto ainda terá de ser submetido à votação no Senado
    A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (2) a concessão de pensão mensal e vitalícia para a atleta olímpica Lais Souza, que sofreu um grave acidente de esqui em janeiro deste ano quando treinava em Salt Lake City, nos Estados Unidos. Lais sofreu uma lesão na coluna cervical e faz tratamento para tentar recuperar os movimentos das pernas e dos braços.
    O projeto aprovado pela Câmara prevê que a pensão será no valor máximo pago atualmente pelo Regime Geral de Previdência Social, de R$ 4.390,24. O benefício não poderá ser transmitido aos herdeiros da atleta. O texto agora segue para votação no Senado antes de ser submetido à sanção presidencial.
    Na justificativa do projeto, os autores da proposta, os deputados Rubens Bueno (PP-PR) e Mara Gabrilli (PSDB-SP), alegaram que Lais é de uma família humilde de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo.

    Não que eles não merecem devem ter os mesmos direitos.
    E nós que trabalhamos e contribuímos a vida toda para o INSS mesmo com deficiência estamos sendo descartado.

    Responder

  162. Antonio Alvim

    Olá Pessoal !!

    Para defender os deficientes que estão com problemas nas perícias nao aparece ninguem !! Engraçado né ?

    Atualizado em 02/07/2014 – 15h44

    Câmara aprova pensão especial para a atleta Lais Souza

    O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (2) o Projeto de Lei 7657/14, dos deputados Mara Gabrilli (PSDB-SP) e Rubens Bueno (PPS-PR), que concede pensão especial, mensal e vitalícia, à atleta olímpica Lais da Silva Souza, que se acidentou em janeiro deste ano, antes das Olimpíadas de inverno na Rússia.

    A pensão será no valor atual equivalente ao benefício máximo pago pelo Regime Geral de Previdência Social, de R$ 4.390,24. O benefício não poderá ser transmitido aos herdeiros da atleta.

    Para a relatora da matéria pela Comissão de Seguridade Social e Família, deputada Rosinha da Adefal (PTdoB-AL), “é justo que o País honre os esforços dessa atleta, que representaria o Brasil. São inúmeros os obstáculos que a pessoa enfrenta a cada dia”, afirmou. A deputada é cadeirante.

    Emoção
    O coautor da proposta, deputado Rubens Bueno, se emocionou ao lembrar o desejo da atleta de voltar a andar, manifestado em reportagem do programa Fantástico, em março deste ano. “Por isso temos a obrigação de aprovar essa pensão mais que justa para Lais”, disse.

    Ao recordar o acidente sofrido durante os treinos preparatórios para os jogos de inverno de Sochi, na Rússia, Bueno teve a voz embargada. “A menina saltadora, que estava procurando novos voos, ficou paralisada e teve os sonhos e projetos suspensos. Hoje ela segue uma rotina de fisioterapia (pausa) e de acompanhamento psicológico”, disse.

    Bueno ainda relembrou a entrevista dada pela atleta recentemente, na qual revela que pensa todo dia em voltar a andar. “A menina agora precisa de nós e a aprovação desse projeto é uma homenagem a todos os atletas brasileiros”, completou.

    Família humilde
    Segundo os autores da proposta, Lais é oriunda de uma família humilde de Ribeirão Preto, no estado de São Paulo, que não teria condições de arcar com as despesas decorrentes de suas novas necessidades. Lais foi vítima de acidente na cidade norte-americana de Salt Lake City, em 27 de janeiro, e ficou tetraplégica.

    Desde o acidente, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) iniciou uma campanha de doações para arrecadar recursos para o prosseguimento do tratamento, pois o seguro usado pelo comitê cobre o atendimento de emergência, o transporte entre hospitais e o tratamento hospitalar de Laís.

    Entretanto, como ela se acidentou sem estar participando de nenhuma delegação do COB ou eliminatória ou classificatória para os Jogos Olímpicos, o seguro de vida ou invalidez não pode ser usado.

    Trajetória
    Já aos doze anos, Lais da Silva integrava a Seleção Brasileira de Ginástica Olímpica e, aos quinze anos, representou o Brasil nas Olimpíadas de Atenas, em 2004, na qual obteve a inédita nona colocação por equipes. No ano seguinte, alcançou seus mais expressivos resultados ao conquistar a medalha de ouro na Copa do Mundo de Cottbus e Sttutgart, na Alemanha.

    O convite para os esportes de inverno veio da Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN), que começou a treiná-la na modalidade esqui aéreo em maio de 2013, permitindo a estreia em uma competição na Finlândia, em dezembro do mesmo ano.

    Devido a uma lesão medular definitiva, houve comprometimento das funções motora, sensitiva e autonômica, ou seja, perda de movimentos, sensibilidade e controle de todos os órgãos abaixo do pescoço.

    Íntegra da proposta:
    PL-7657/2014

    Reportagem – Eduardo Piovesan
    Edição – Newton Araújo

    A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura ‘Agência Câmara Notícias’

    Comentar
    Enviar opinião para os deputados
    Imprimir

    Responder

  163. Antonio Alvim

    Olá Pessoal !!
    Notícias STF Imprimir
    Terça-feira, 01 de julho de 2014

    Ministro Lewandowski debate com deputada convenção da ONU sobre pessoas com deficiência

    O vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, recebeu na tarde desta terça-feira (1º) para uma audiência a deputada federal Mara Gabrilli (PSDB/SP), relatora de projeto de lei em tramitação na Câmara que busca dar efetividade a uma convenção da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre os direitos das pessoas com deficiência.

    De acordo com a parlamentar, a Convenção da ONU, primeiro tratado de direitos humanos do século XXI, foi aprovado por maioria absoluta do Congresso Nacional, tendo, por isso, peso de norma constitucional. O documento, assinado por 192 países, define como pessoas com deficiência, por exemplo, quem tem visão monocular ou audição unilateral. A legislação brasileira, contudo, exclui essas pessoas, revelou a parlamentar. Mesmo tendo peso de norma constitucional, no Brasil o tratado “não está sendo levado em consideração”.

    A deputada citou casos de pessoas com surdez unilateral que têm sido demitidas depois que são identificadas como trabalhadores que não têm deficiência e foram contratadas por cota de pessoa com deficiência. Esses cidadãos acabam não conseguindo emprego e ficam “numa espécie de limbo”.

    Exatamente por seu status constitucional, disse a deputada, essas discussões sobre o tratado devem chegar ao STF, como o caso sobre visão monocular, já debatido pela corte e lembrado pelo ministro Lewandowski. Mara Gabrilli disse ao final da conversa que o vice-presidente da Corte se mostrou bastante receptivo e atento à questão.

    MB/EH

    Responder

  164. Jesuino

    MARIZA

    Não desanime a nossa aposentadoria virá e uma questão de tempo…vamos confiar em Deus…
    Estou no mesmo barco que o seu, aguardando 33 dias…vou até Barueri para saber mais….

    Responder

  165. Roberto Mesquita

    Caros colegas.

    Não estou conseguindo nem marcar pericia. ficou indeferido, usando aquele criterio, ate o ano de 1998.bla, bla, bla, ou seja, vou começar o processo novamente

    Responder

  166. Joao

    Alex,

    Eu acho o seguinte:
    hoje temos uma lei, antigamente nao tinhamos e nao havia nem condição de ter.
    Tudo que se referia a ganhos sociais eram barrado pela base aliada.
    A Atual lei é boa para nos ,o que pegou foi a regulamentação, esta a gente pode forçar a mudar. Na própria regulamentação fala em revisão dos critérios(fala no período de 2 anos). A nossa missao é botar a boca no trombone, principalmente com açoes judiciais e deixar claro que esta havendo injustiça. E evidente que terá pessoas que realmente não se enquadra na classificação em que ela imagina,mas a maioria pode provar que os critérios são injustos.

    Quanto ao partido, volto a afirmar, nao me empolgo muito com o PT, mas duvido que este tipo de lei passasse na gestao de quem chamou os aposentados
    de vagabundos. E acho que devemos abstrair da gestao partidaria e lutar pela nossa causa, seja qual quem for esteja no poder.;

    Salatiel,

    Eu também sou das Lindas Minas Gerais

    Responder

  167. Mariza

    Olá Rogério Luiz, obrigada pelo apoio! Sidnei, obrigada pelo conselho, o problema é que os advogados ainda desconhecem a Lei e não conheço nenhum “bom” advogado, mas vou solicitar cópia do meu processo e pensar no que fazer, eu já passei um e-mail para o Leonardo Mattos conforme ele solicitou dia destes neste blog, mas também ainda não tive respostas…obrigada, vou tentando…

    Responder

  168. Sidnei

    A vocês que ainda tem alguma esperança.
    A Lei existe e ta ai.
    Se passou no INSS e foi concedido parabéns. Se concluiu as etapas da pericia e social e continua la a baboseira de BENEFICIO HABILITADO caia na real e peça uma copia do processo e coloca na mão de um bom Advogado…
    Porque recurso no INSS só perca de tempo e enrolação.
    Reclamar na Ouvidoria, Ja fiz duas por morosidade no processo e só frustração. Recurso que deveria durar no máximo 06 meses ja ta ha um ano e a Ouvidoria ajuda o INSS a ganhar tempo.Evite frustrações como a minha ja leva direto pra Justiça. Com um bom advogado resolve rápido.

    Responder

  169. Rogerio Luis

    Mariza, isso é um absurdo! essa ansiedade eu tb passei e confidenciei contigo, tem de haver uma resposta a sua solicitação, é um descaso e isso acho que além de imoral deve contar como danos morais em ação contra o inss, demora mais é a unica forma deles nos respeitarem, eles não estão deste lado, não dorminos nos enxemos de esperança, solicitei copia do meu processo, fiz procedimento pra revisão que será em agosto, fique firme confie vc tem direitos! Abraços.

    Responder

  170. Mariza

    desculpe, o correto é Wladimir”.

    Responder

  171. Mariza

    Olá Marcos e Vladimir, sim já entrei em contato no 135 e já tinha o numero do beneficio acompanho todos os dias pelo site e consta “habilitado”, reclamei na ouvidoria mandaram eu ir na agencia pois não haviam atualizado as pericias , consta ainda “aguardando agendamento para pericia e assistente social, eu passei pelas duas etapas em 05/05 e 08/05, fui na semana passada passei pelo assistente e insisti para falar com a chefe que com pouca vontade me atendeu,mas eu questionei e ela anotou prioridade no meu papel para passar para o analista ,mas até agora nada mudou…sexta-feira vou ligar de novo no 135 e reclamar novamente, mas sinto que estou de mãos atadas…obrigada amigos, nesta hora é muito importante contar com vocês!abraços.

    Responder

  172. MARCOS

    MARIZA, OUTRA OPCAO ENTRE EM CONTATO COM 135 E INFORME SEU NB QUE ELES VAO LHE DIZER ALGUMA COISA. BOA SORTE.

    Responder

  173. MARCOS

    BOM DIA MARIZA, VOCE JA ENTROU NO SITE INSS E SE CONSTA ALGUMA COISA, PQ ATE HOJE EU NAO RECEBI A CARTA DO INSS MAS LA CONSTA MEU INDEFERIMENTO ALEGANDO QUE A NAO FOI COMPROVADO DEFICIENCIA. PARECE ATE BRINCADEIRA TIVE POLIO AOS 02 ANOS DE IDADE FIQUEI COM SEQUELA DE POLIO E ESSA PERICIA DIZER QUE NAO TEM DEFICIENCIA.

    Responder

  174. Wladimir

    Mariza, você pode fazer uma reclamação na ouvidoria da Previdência, reclamando da morosidade do teu processo. Isto é de suma importância para todos. Boa sorte.

    Responder

  175. ALex

    A grande pergunta É O QUE PODEMOS FAZER????
    Gente participo muito pouco deste, blog mas acompanho desde a votação e a aprovação da Dilma, tive poliomielite aos 1,2 anos de idade perna esquerda totalmente sem função e direita afetada, sou bancário a 25 anos, atualmente, estou afastado por conta as lesões LER/DORT, nos ombros, cotovelos e punhos, além da SPP, síndrome pós pólio, fui enviado para
    reabilitação do INSS, e o perito do CRP me afastou o até 2016. Com a aprovação da 142, vi uma luz no fim do túnel, mas o que estou lendo neste blog,
    ref. aos deficientes que deram entrada pela lei 142, É SIMPLESMENTE UM ABSURDO!!!!
    E PENSAR QUE EU SEMPRE VOTEI NO PT É VERGONHOSO PARA MIN. SEMPRE DEFENDI, E FALEI MUITO COM TODOS OS MEUS AMIGOS HOJE SOU MOTIVO DE CHACOTA POR ALGUNS…

    Responder

  176. ALex

    Boa Noite a Todos!!!

    João. concordo com você. PSDB, nunca mais, como disse sempre votei no PT, mas fica difícil, ver o que o governo do PT está fazendo, com a lei 142…
    VOCÊ FAZ SEXO?
    VOCÊ COME LIXO?
    Eu fico sem palavras…
    O que fazer?

    Responder

  177. salatiel jose de sou

    estou com você joao, chega de fome e desemprego neste pais com este psdb era o q tinha ,sou de minas gerais

    Responder

  178. Lilian

    Mariza, concluí minhas perícias em 28/04… e até agora nada!!!!! Não sei que procedimento devemos tomar!

    Responder

  179. Mariza

    53 DIAS da minha passagem pela assistente social e nenhuma resposta, estive no INSS semana passada, e não tinham atualizado os meus dados no sistema , mandaram aguardar mais 30 dias…me sentindo frustrada e esquecida…o que devo fazer?

    Responder

  180. Joao

    Nao morro de amores pelo PT,mas PSDB ,nunca mais.

    Responder

  181. Joao

    E bom lembrar que recente ,em reuniao com empresarios paulistas, Aecio disse que tomaria medidas drasticas e impopulares , sem preciso, No dia seguinte , Arminio Fraga, cotado para ser ministro se Aecio Ganhar, disse que o salario minimo esta alto e sem lastro. Imagina o que sera feito com as aposentadorias!

    Responder

  182. Joao

    JOse,tirar a Dilma e colocar Aecio? ,vc so pode estar de brincadeira, foi FHC ,do PSDB, que mais prejudicou o trabalhador e o aposentado brasileiro(foi ele que criou o Fator Previdenciario, aumentou o limite de idade para aposentador, alterou para pior o calculo da media,hoje o INSS paga no maximo 4390,00, na regra anterior , hoje seria 7240,00 reias). Em um governo do PSDB esta lei seria sequer aprovada, Pelo menos temos a Lei e podemos lutar para melhora-la. Pior seria nao te-la.

    Responder

  183. Ananias

    CARO AMIGO ROGÉRIO, BOM DIA
    DESCONHEÇO A ATUAÇÃO DO SENADOR LINDBERGH EM ASSUNTOS GERAIS, PROVAVELMENTE É ESCRAVO DO SISTEMA E MAIS UM ADORADOR DO PODER COMO ESSE BANDO DO PT QUE ESTÁ NO PODER, PORÉM EU ACOMPANHO ESSE PROJETO QUE SE TORNOU LEI DESDE AS PASSAGENS PELA CÂMARA E PELO SENADO E MANDEI INÚMEROS E-MAILS À DIVERSOS SENADORES E DEPUTADOS ENTRE ELES A ROSINHA DA ADEFAL, A ANA AMÉLIA, O PAULO PAIM E VI QUE TINHA MUITA GENTE DO NOSSO LADO E QUANDO O LINDBERGH FICOU À FRENTE DA COMISSÃO ELE FOI MUITO ATUANTE E FOI POR NÓS SIM, TRABALHOU FIRME E FEZ SUA PARTE EM PROL DA APROVAÇÃO DA LEI, TALVEZ ATÉ POR TER UMA FILHA DEFICIENTE. NÃO ESTOU PUXANDO
    SACO DE NINGUÉM, NEM O CONHEÇO, AO CONTRÁRIO NAS MINHAS PERÍCIAS SEQUER ME PEDIRAM DOCUMENTOS, LAUDOS, NÃO ME PERGUNTARAM O QUE JÁ PASSEI E NEM MESMO CONCLUIRAM A PARTE SOCIAL, UM ABSURDO!
    ESTAMOS JUNTOS AMIGO, SÓ ACHO QUE NÃO DEVEMOS SER INJUSTOS COM PESSOAS PELO FATO DE ESTARMOS SOFRENDO MUITA INJUSTIÇA.
    ABRAÇOS.
    ANANIAS

    Responder

  184. Vladimir

    Participo desse Blog há muito tempo, e como foi longa a espera da aprovação da nossa Lei.
    Estou estarrecido com a forma que estamos sendo tratados.
    Não estamos pedindo favor ou assistencialismo, mas simplesmente o cumprimento frio da Lei.
    A Lei determina: Grave; Moderada e Leve.
    E quem está apto a determinar o grau são os peritos, e certamente se assim o fizerem ninguém poderá contestá-lo.
    Mas ao que parece, estão deixando de lado o juramento de Hipócrates e cumprindo a velha burocracia de interesses.
    Minha perícia está próxima, tenho 34,6 anos de contribuição. E sómente eu sei como foi para chegar até aqui. Por isso não vou perder a esperança, porque a LEI tem que estar acima de qualquer interesse partidário, econômico ou pessoal.
    Embora muitos tenham esquecido, a história recente da humanidade mostrou o que acontece com os desiguais quando a lei é deixada de lado. São simplesmente eliminados, como assim fez o regime nazista, que como poucos sabem, começou antes da guerra, precisamente em 1933 realizando eutánasias em idosos e deficientes de todo tipo.
    Ora! Não estamos falando de favor, mas de DIREITO.

    Responder

  185. Rogerio Luis

    Ananias, amigo queria só complementar, leio e acompanho seus comentários, respeito muito e sei que vc fala para nosso bem, que dá sua ajuda em suas opiniões, eu mais uma vez só reconheço o Leonardo e a Rosinha, os demais foi pela pressão que fizemos enviando email para que o “dragão” acordasse e olhasse um pouco pra nós.
    Abraços.

    Responder

  186. Rogerio Luis

    Ananias, bom dia amigo! talvez não estejamos falando do mesmo Linderberg, ex-cara pintada (pintou a nossa agora) uma frase pode resumir, “Dê o poder ao homem pra saber quem realmente é o homem” se estivessemos falando da Rosinha da adefal, retiraria todo comentária, pois essa sim em quantas e quantas vezes lutou por nós? o pestana o proprio nome diz que é peste…, troco pra ele nas eleições…, o Rosinha eu admiro queria votar nela, mas ela é de outro estado, o Linderberg “ao meu ver” tentou uma “causa popular” pra ser conhecido, além do Leonardo e da Rosinha, não vejo que ele tenha algo a acrescentar, é a minha opiniao, desculpe se sou contrário a sua, vc tem todo o direito de defender e falar sobre o que deseja, pois esse espaço é aberto pra gente elogiar, criticar e se ajudar, há tempos que esse linderberg deixou de ser o mesmo das “diretas já” conheceu o poder do mel e está se lambuzando todo, injustiça foi termos ficado quase 30anos pra ter o direito reconhecido e se fosse até o Tiririca poderia levantar nossa causa. desculpe amigo se não concordo com sua opiniao, ando frustrado, desanimado, desfilando veneno pq é um baque lutar depois de tanto tempo pelo seu direito e ter o sentimento de ter sido feito de palhaço, pelo INSS e por esse Governo corrupto que está ai a nossa frente, quem sabe com o poder do voto poderemos mudar a “mascara de palhaço” pra eles… ou a nossa permanecerá por mais 4anos. Abraços. e desculpe discutir a opiniao

    Responder

  187. Rogerio Luis

    Maura, lamento o ocorrido com vc, também na minha pericia médica informei que o 1o.médico queria me operar e que o risco era de 5% de perder a audição (direito ou esquerdo, o que operasse 1o.) pedi uma 2a. opinião, não operei uso aparelho até hoje, convivo com o zumbido, sabe o que a perita disse? que tinha de ter operado!!! é que não é o “dela” na reta, lembro disso e me revolto pois todos nós sofremos anos e anos a discriminação, as nossas dificuldades e uma imbecil que se diz médica te questiona porque não operar! operasse ela, garanto que se fosse filho, pai, mãe, alguém da família dela ela iria pedir outra opinião e fazer outro tratamento. é revoltante na hora de fazer valer seus direitos ter de ouvir um comentário infeliz. também em pericia demissional ouvi de uma médica (que é paga pela ex-empresa que trabalhei) e que nem posso chamar de médica só se teve diploma pela IUB (inst.universal brasileiro, por correspondência) que Bursite não é doença ocupacional…. a gente pega bursite jogando “birola” ou bolinha de gude… Pessoal é revoltante, sofremos tanto no passado e parece que sofreremos muito ainda no futuro…

    Responder

  188. valmir

    - deficiência auditiva é considerada leve ou moderada?
    - é preciso 15 anos como portador de deficiência para ter direito a aposentadoria especial?

    Responder

  189. jose

    Pessoal vamos todos unidos e Mostrar a dona Dilma a nossa força no voto se unir e tirar o PT do poder. eu também passei por pericia médica e não gostei, pois eles não avaliam nossa deficiência, só pergunta se vc sobe no ônibus com ajuda ,se vc tem adaptações em casa etc…

    Responder

  190. Irenilson Santos

    Por gentileza, acessem este blog, é muito importante para nós: http://www.perito.med.br/2013/12/no-modelo-de-avaliacao-de-aposentadoria.html

    Responder

  191. Irenilson Santos

    Boa noite aos colegas! Vou contar uma piada!Sério! Apesar de ser verídica e ter ocorrida comigo, é uma piada, vocês vão ver! Lá estava eu passando pela perícia. Sou deficiente físico de nascimento, não possuo o ante-braço esquerdo. Contribuo com o INSS a 26 anos. Durante a entrevista resolvi mostrar alguns laudos que apontavam uma tendinopatia aguda e bursite no ombro direito, pois sobrecarreguei muito o braço direito durante esses 28 anos de trabalho. O perito mandou-me guardar imediatamente pois os laudos (segundo ele) só serviam para solicitação de auxílio doença e que deveríamos focar em perguntas e respostas inerentes a minha deficiência propriamente dita. Ok. Disse eu um tanto frustrado. Próxima pergunta: – Você come lixo ou coisa parecida?

    Responder

  192. maura da silva

    Boa tarde, então levei atestados de dois especialistas com vários exames inclusive já fui operada do esquerdo por 2 vezes, ñ quis operar o direito pq perdi a audição quase total com a cirurgia ,mas a perita de de Patos contestou alegando q isso ñ me daria o direito de licença sendo q eu estou sempre em tratamento, e no dia da pericia .Obrigada meu ouvido estava até sangrando,e trabalho na escola, sofro muito pq tenho barulhos de três tipos em cada um, e ñ tem onde recorrer,gostaria de ser mais respeitada e saber o q fazer nessa situação.

    Responder

  193. ALex

    Sempre votei no PT, mas confesso que estou muito decepcionado
    Não da para acreditar no que eles estão fazendo com a lei 142,
    Estou com vergonha de admitir isto nunca pensei que depois
    de tanto espera e lutar ver tamanhos absurdos, É SIMPLESMENTE
    RIDICULO NÃO TENHO NEM PALAVRAGNS PARA DIZER A MINHA
    FRUSTRAÇÃO , É MAIS DIGNO TENTAR APOSENTAR POR INVALIDEZ…..

    Responder

  194. ALex

    SÓ FALTA PERGUNTAR VOCÊ CONSEGE RESPIRAR?

    QUAL O SEU SIGNO?

    VOCÊ É DESTE MUNDO?

    COMO JÁ FALEI VIROU UMA GRANDE PIADA!!!!!

    Responder

  195. ALex

    Só falta perguntar você consegue respiar????

    Responder

  196. ALex

    Boa Noite a Todos!

    Não acredito no que estou lendo, neste blog, depois de tanto esperar/lutar pelos nossos direitos ler que a assistente social perguntou se consegue fazer sexo, não pode ser verdade fica difícil acreditar em alguma coisa….

    Responder

  197. Sidnei

    Caros amigos,
    Vocês não perceberam nada não!!!!!
    A Lei é clara pra quem sabe ler e tem conhecimento em pericia medica.
    O maior problema é que o Lula disse ao Peritos que o povo é vagabundo e tem que mandar todo mundo trabalhar que ai o perito ganha gratificação no fim do mês. Só não pode mexer com as aposentadorias dele e quanto mais negar mais ganha no fim do mês.
    Os Peritos estão em choque porque no começo vai aparecer muita aposentadoria e o salario deles vai cair. Por isso estão assim.

    Responder

  198. Ananias

    Srs. e Sras.
    Fui hoje ao INSS fazer a perícia social aqui em Goiânia e como eu esperava foi um horror.
    A assistente social não sabia absolutamente nada, em um sistema que a deixou à beira de um ataque de nervos e fiquei sabendo que sua classe protestou bastante contra esse absurdo
    de avaliação indo até o ministério público mas de nada adiantou. Não acho que não devemos politizar os problemas com a nossa lei e nem os de mandos dos nossos políticos que são corruptos desde sempre e o PT uma grande decepção porém desde 1989 foi só neste governo que, ruim ou pior, a lei foi aprovada e quem participou do processo sabe que é uma grande injustiça falar que o senador Lindberg nada fez, ele foi o maior articulador para que a lei pudesse ser aprovada, foram alguns deputados da oposição quem colocaram maiores dificuldades,
    quem não se lembra de um tal Pestana…
    Mas vamos ter fé que Deus tudo pode!
    Ananias

    Responder

  199. Aline

    Concordo com vc Rogério Luiz.

    Responder

  200. Wladimir

    E isso Sr. Rogério, falou pouco mas falou bem!!! Tomara que acabe com o trem da alegria.

    Responder

  201. rogerio luis

    Sou ainda obrigado a concordar com um comentário postado aqui, em que fala como são enquadradas as aposentadorias, Grave -sujeito em coma / moderado – paraplégico / leve 99% dos deficientes, afinal não são eles que tem a dificuldade laboral, que sofrem com a discriminação e que lutam por melhores condições e dignidade de vida.

    Responder

  202. Rogerio Luis

    Azevedo, concordo com os agradecimentos ao Leonardo, mas desprezo agradecer qualquer coisa a Dilma, que se você observar não tinha saída, pois já havia sido aprovado no senado e congresso, em ano eleitoral ela não quis denegrir ainda mais sua imagem, outra coisa sancionou em maio, seriam 06meses, novembro/13 ela “segurou” até 04/12 pra “colar” no dia do deficiente, dificultou a aposentadoria ao transferir aos peritos sociais e médicos editando “regras” de concessão, tiveram 06 meses pra “treinamento” fizeram nada! os peritos estão mais atrapalhados pois não tem fundamentos e vão sofrer uma avalanche de processos na justiça federal. AGRADECER DILMA? só se forem petistas tentando levantar uma moral já abalada pela corrupção, pela politicagem no STF, portanto amigo, não sei se você está sendo ingênuo mas não temos de agradecer em nada este governo, o único que realmente vale a pena agradecer é o Leonardo Mattos, e ainda no dia da aprovação em 04/12, o Leo não foi homenageado como deveria, mais os “companheiros petistas” como Linderberg e cia foram, é bom ter esta consciência e não concordância, pois o quanto antes acabar este poder corrupto do PT melhor pra nós brasileiros.

    Responder

  203. Azevedu

    Pessoal, boa tarde! Vamos nos alegrar com os que já conseguiram suas aposentadorias e os que foram injustiçados procurem a justiça, e os que estão em andamento desejamos boa sorte, e devemos agradecer de coração ao Leonardo Mattos e todos os envolvidos e principalmente a Dilma que aprovou a Lei, devemos agradecer ao Senhor Deus, por todos eles e orar pelos nossos governantes (I Tm 2:1 a 4). Vamos em Frente. Abraço a todos.

    Responder

  204. Geloram

    Pessoal, sou novo por aqui. Gostaria de saber se algum portador de visão monocular passou pela pericia e foi classificado com alguma deficiência. Apesar de termos a deficiência e estarmos em desvantagem no mercado de trabalho com quem os 2 olhos, parece-me que também estamos tendo dificuldades na diminuição de prazo para a aposentadoria.

    Responder

  205. PAULO ROBERTO SOUSA

    Haroldo percebi que o maior problema na avaliação do deficiente é porque o questionário que elaboram não tem nada haver com deficiência e sim com o que você tem o consegue fazer, acho que avaliação primeiro teria que ser ref. sua doença para avaliar grau depois tudo bem ver as limitações de cada um, pois como percebi muitos não sabe nem abrir o sistema e ficam preocupados e responder relatório esquecem até de verificar nossa doença alguém teria que ver sobre este relatório e elaborar perguntas corretas para avaliar o deficiente.

    Responder

  206. HAROLDO DINIZ

    Sr. Leonardo Mattos,
    Agradeço pela atenção que vossa senhoria está dando aos deficientes, principalmente como autor da lei que instituiu a aposentadoria especial para os deficientes.
    Agora pergunto a vossa senhoria, como está o encaminhamento do documento que seria entregue ao ministro da previdência a respeito da forma como estão sendo feita as avaliações dos deficientes. O Sr. deve ter lido nesse blog depoimentos de deficientes relatando que nas avaliações sequer são examinados, alguns sequer mostram os exames, o que mais lhes são perguntados, é se os mesmos conseguem andar sozinhos dentro de casa, tem habilitação, e principalmente se conseguem fazer sexo. ora, sinceramente, até um deficiente mental, que na sua grande maioria são totalmente dependentes, conseguem fazer sexo. Ou será que a masturbação (ainda que solitária) não se enquadra mais como uma forma de “fazer sexo”. Pelo amor de Deus, se o Sr. que detém o poder político não consegue de alguma forma impedir tais absurdos nos questionamentos das referidas avaliações funcionais, quem neste país vai ter as condições para tal. Desculpe-me o desabafo, mas nós brasileiros estamos cansados de vermos as leis neste país serem deturpadas e desrespeitadas, por alguma portaria, resolução, decreto, regulamentação, etc. repito eu e todos os deficientes desse país querem ser avaliados por nossas deficiências. sexo nós ainda conseguimos fazer, nem que seja trancado dentro de um banheiro sozinhos.
    Grato pela atenção!!!!

    Responder

  207. Leonardo Mattos

    Olá, estou acompanhando as postagens neste Blog sobre aposentadoria especial.
    Peço para quem teve o seu pedido negado que me encaminhe um e-mail para leonardo@leonardomattos.com.br com todas as informações possíveis, como nome, telefone, endereço, e-mail, data de nascimento, deficiência e motivo da recusa.
    Minha assessoria, na medida do possível, dará orientações sobre recursos.
    Abraços,
    Leonardo Mattos

    Responder

  208. BARRADAS

    Olá, alguem do blog que tem a deficiencia auditiva e já teve o beneficio concedido poderia por favor entrar em contado comigo para algumas orientações ? o meu email e tel já está postado aqui no dia 23/06 obrigado

    Responder

  209. PAULO ROBERTO

    Sou da cidade de Rubiataba-Go no dia 06/06/14 foi ao INSS de Ceres-Go a 50 km da minha cidade onde agendei pericia para 24/06/14 17hs – qdo chegue medico me chamou para sala ela não sabia nem mexer no computador direito no sistema muito menos tive sorte, porque a assistente social esta la na agencia e foi dar suporte para ele só fez perguntas não olhou nada de exame pelo que pude notar eles estão preocupados e responder o relatório não verifica na sobre sua deficiência pois sofri poliomelite qdo tinha 05 meses fique com sequelas grave na perna danbulo de muletas deste 05 anos também tenho grave escoliose na coluna já tenho 28 anos de contribuição 52 anos de idade – as peguntas são se você consegue andar dentro de casa fazer alguma tarefa de casa se tem carteira de habilitação se e casado se consegue fazer sexo – fica complicado alguém conseguir aposentar com esse tipo de analisar nossa deficiência quando esta tudo pronto do ponto de vista do medico e da assistente social me disseram para aguardar carta no máximo 15 dias e disse para eles você não quer colocar meus assames no processo ele concondara – acho difícil aposentar todos vamos cair no leve………..

    Responder

  210. Valter

    Luiz Lima, o servidor público também terá direito, mas está dependendo só do Senado. Ligue e faça pressão também, pois vai ficar lá parado muito tempo infelizmente. A Justiça já deu direito.

    Responder

  211. MARIA ANGELICA MOURA

    Bom dia…amigos meu pedido foi indeferido por não comprovar os quinze anos de deficiência realmente eu apresentei doze anos…mas no primeiro exame o médico fez uma referência que eu já estava com a deficiência há anos atrás…meu primeiro exame ja saiu como moderado.o perito argumentou..saiu da sala..foi atrás de informações e passou adiante..fiquei feliz e a perita social…o sistema me avaliou como Deficiência leve..eu sou severa profunda bilateral enfim..fiquei feliz…tenho tempo e fui considerada deficiente…eu st tentando a aposentadoria por idade..Agora alguém poderia me informar..depois que eu receber a carta qto tempo eu posso rever meu processo…pq. fui atrás das primeiras otorrinas que passei….uma perdeu o arquivo ..a outra está de férias…mas vou correr atrás…de mais tres anos…quanto tempo eu posso recorrer depois de er recebido a carta…a qual ainda não recebi…Obrigada e fé a luta ainda não terminou….bjs

    Responder

  212. Vladimir

    Caros amigos!
    Preciso de uma informação dos que passaram pela perícia:
    - Além dos laudos Médicos, quais os documentos que precisam ser levados?

    Um abraço a todos.
    Parabéns aos que tiveram seu benefício concedido. E aos demais, que continuem lutando, porque é nosso direito e não podemos abrir mão dele.

    Responder

  213. Walter

    Boa Noite a todos.

    Oi Mariza , Boa Noite! Se voce puder ligue 135 é peça a copia do eu Processo , marque o dia e horas , la contem todas etapas das pericias e pontuações , amanhã de manhã vou buscar o meu. Se o resultado se for negativo , vou entrar com recurso pedindo nova pericia , abraços ….

    Responder

  214. Mariza

    Estou chateada…48 dias após passar com assistente social e meu beneficio ainda está” habilitado”, liguei de novo no 135 pedindo para reclamar na ouvidoria , onde eles observaram que não foi atualizada a ultima exigencia doa 08/05 quando passei na assistente social…amanhã irei novamente na agencia , mas desta vez com uma informação a mais e eles terão que verificar porque não atualizaram meus dados..

    Responder

  215. MARCELO REZENDE

    DEFICIENTE TÁ É FUDIDO NESSE PAIS,ISSO SIM.

    Responder

  216. Wladimir

    Dúvidas frequentes sobre Recurso

    1) O que é um Recurso?

    R: É o ato de recorrer ou apelar para outra instância com a finalidade de obter a reavaliação de uma solicitação inicial, com a finalidade de ter satisfeita essa solicitação.

    2) Como faço para recorrer de uma decisão do INSS?

    R: O interessado deverá protocolar o recurso no próprio INSS.

    3) Existe formulário próprio para protocolar o recurso?

    R: A previdência disponibiliza formulário para protocolização do recurso, entretanto, a sua utilização, não é obrigatória, podendo o interessado apresentar petição em folha à parte.

    4) O que deve conter um recurso?

    R: Deve conter:

    nome do órgão ao qual ele é endereçado;


    nome do segurado;


    a identificação do segurado (CPF e NIT);


    nome do recorrente;


    identificação do recorrente (Identidade e CPF);


    endereço completo do recorrente (para envio de correspondência);


    motivo do recurso (indeferimento, cessação, suspensão);

    •razões do recurso (exposição dos motivos que sustentam o direito do recorrente).

    5) Qual o nome do órgão para o qual vou endereçar o recurso?

    R: Se o recurso for contra uma decisão do INSS ele deverá ser dirigida à Junta de Recursos do CRPS.
    Se o recurso for contra uma decisão da Junta de Recursos ele deverá ser dirigida à Câmara de Julgamento do CRPS.

    6) Como fico sabendo da localização desses órgãos?

    R: Você poderá pesquisar na página da Previdência Social, no “link” CRPS o endereço de todas as unidades do Conselho de Recursos da Previdência Social.

    7) Como fico sabendo o andamento do meu processo de recurso protocolado no INSS?

    R: De posse do número de protocolo ou número do benefício você poderá ligar para o “135” ou ainda, caso o processo já tenha sido enviado pelo INSS aos órgãos do CRPS, você poderá acessar na página da Previdência Social seguindo pelo seguinte caminho: (Informar o caminho que será definido para consulta do andamento)

    8) Qual o prazo que o INSS tem para oferecer contra-razões?

    R: 30 (trinta) dias. A partir deste prazo o processo deverá ser encaminhado a instância julgadora.

    9) Como fico sabendo a data em que o INSS tomou ciência da decisão da Junta?

    R: De posse do número de protocolo do recurso você poderá ligar para o “135” ou comparecer em qualquer unidade do INSS ou do Conselho de Recursos para saber se o processo já foi recebido no setor no sistema de protocolo chamado “SIPPS”.

    10) Qual o motivo do indeferimento do meu processo?

    R: Quando do indeferimento de uma solicitação, o INSS envia um comunicado para o endereço informado no ato do requerimento, dizendo do motivo, o porquê a solicitação não pôde ser atendida. Caso, de posse dessa comunicação, ainda exista dúvidas quanto ao motivo da negativa, poderá procurar a Agência da Previdência Social para obter maiores esclarecimentos sobre o indeferimento.

    É importante que esteja bem claro o motivo da negativa uma vez que as razões do recurso deverão estar em consonância com essa decisão.

    Deve-se também ter o cuidado de observar se houve mais de um motivo para o indeferimento, sendo que, nessa situação o recurso deverá abranger as dois motivos.

    11) O que significa intempestividade?

    R: Intempestividade é quando o recurso é protocolado após o prazo legal estipulado que, atualmente corresponde a 30 dias da data da ciência da decisão do INSS.

    12) Qual o prazo para resposta conclusiva do recurso?

    R: Após protocolo do recurso o INSS tem o prazo de 30 dias para encaminhar o processo para a Junta de Recursos ou Câmaras de Julgamento. Após recebimento do processo pelas Juntas ou Câmaras, o prazo para decisão final do processo é de 85 dias.

    É importante salientar que caso haja necessidade de diligência no processo esse prazo será dilatado em função ao prazo necessário para cumprimento dessa diligência, que também é de 30 dias, podendo ser prorrogado por mais 30.

    13) O que é uma diligência?

    R: São providências solicitadas pelos órgãos julgadores, Juntas de Recursos e Câmaras de Julgamento, que visam a complementar a instrução dos processos que têm como finalidade firmar o convencimento do Conselheiro quanto ao direito pretendido.

    Responder

  217. Washington de Jesus

    Em tempo!
    O beneficio é espécie 42 , que indica que é por tempo de contribuição.

    Responder

  218. Washington de Jesus

    Prezados amigos boa Tarde!
    entrei no site hoje para conferir:
    BENEFICIO CONCEDIDO!!!
    Tive em Dezembro de 1984 fratura de coluna com traumatismo Raque medular.Fiz as duas pericias e graças a Deus foi concedido. Completei em 12/2013 , 29 anos como deficiente e tenho 3,5 anos sem deficiência!
    Desejo a todos a mesma sorte e vou estar acompanhando todos neste blog e se possível ajudando também!
    Um forte abraço!!

    Responder

  219. Alessandra

    Ola, meu filho tem 11 anos e ele fez um mapeamento que deu memória pouco lenta e vou fazer uma ressonância magnética. Posso aposentar ele? Uma pessoa que trabalha no INSS falou que pode. Será? Obrigada.

    Responder

  220. luiz carlos

    Estive hoje no INSS e entrei com o recurso, fui orientado que se for negado ainda posso recorrer mais uma vez e depois terei que recorrer a justiça federal, em minha defesa coloquei que como um deficiente com polio desde 1 ano e 6 meses de idade pode ser considerado grau leve, utilizo par de muletas para andar e minha perna direita é totalmente inutilizada e que a perna esquerda também tem sequelas e que se tirar as muletas eu caio, pois não tenho equilibro e não consigo ficar sem o apoio. Gente vamos continuar conversando e postando aqui sobre o andamento destes recursos e se for o caso também irei na justiça federal e para isso precisarei de um bom advogado que esteja com total conhecimento sobre a nova lei aqui em Curitiba. Abraços a todos e muita fé.

    Responder

  221. BARRADAS

    Olá carlos, segue meu email osbarra2013@gmail.com e meu tel 21-97173-8282 (vivo)96562-0930 (tim) abçs

    Responder

  222. jaine aparecida marq

    olá carlos prado,
    Quero que me direcione como fazer e se vc acha que tenho chances meu caso é o seguinte sou deficiente auditiva perda de 90% lado esquerdo e direito perda considerada normal e estou dentro do tempo conforme a lei e tenho outros problemas de saúde que talvez poderia tentar uma aposentadoria por invalidez vc acha se eu tentar com a especial e levando laudos desses outros problemas de saúde vão me ajudar? o que vc pode me dizer. grata JAINE

    Responder

  223. Sidnei

    Caros Amigos,
    Essa lei é uma balela. Uma lei que não importa a deficiência, mais sim o que o Perito achar ou a assistente social.
    Tenho 35 anos e 10 meses de contribuição com um período de especial e 50 anos de idade. dei entrada ano passado na aposentadoria por tempo de contribuição e foi negado recorri e esta na fase final de julgamento. Ai tentei com a nova lei, pois tenho deficiência desde os 03 anos de idade e minha perna esquerda e fui a pericia na sexta feira dia 20|06 e o perito me examinou disse que tenho deficiência mais quer um laudo de um medico que me acompanha desde o acidente de minha limitações. Agora como conseguir este laudo de um período de 47 anos de vida. Pelo jeito só na Justiça mesmo…Os peritos estão la é pra encontrar obstáculos e não dar nada..Alerta as pessoas de São Roque, São Paulo. Só humilhação nesse INSS.

    Responder

  224. Ananias

    Bom dia a todos
    Alguém conhece quem já entrou na justiça contra a decisão do INSS?

    Responder

  225. Luiz Lima

    Por favor alguém sabe me dizer se deficiente físico que trabalha no regime ESTATUTÁRIO (funcionário Publico)também pode pedir essa aposentadoria especial?

    Luiz Lima

    Responder

  226. Carlos Prado

    Olá a todos.
    Já escrevi neste blog e já até troquei conversas com uma pessoa daqui.
    Nossas limitações são no campo da visão e no casso desta pessoa é bem mais grave do que as minhas.
    Já passei pelas perícias médica e social e em consulta ao sitio da previdência minha aposentadoria foi dada indeferida.
    Ontem, aproveitei o feriado prolongado e fui a agência da minha cidade pedir recurso.
    O atendente, como a maioria deles, com pouco conhecimento desta nova modalidade de benefício, localizou minha solicitação e depois de analisar com a ajuda de outro funcionário contatou que minha deficiência foi enquadrada como leve e sendo assim só quando completar 33 anos de contribuição e que até a data tenho 26 anos 11 meses e 19 dias.
    Fui aconselhado, pelo atendente, se fosse de meu interesse entrar com recurso e o mesmo agendou por ali uma nova perícia e pediu pra preencher um formulário onde colocaria minhas alegações e levasse no dia da perícia.
    Agora estou na dúvida. Minha deficiência acho que não é das mais graves que no meu entendimento poderia ser enquadrada com moderada, visto que no meu trabalho é o sentido que mais utilizo para executar minhas tarefas que são de leitura, conferência e digitação de quantidades e valores e a cada dia fica mais difícil de desempenhar com tranquilidade e exatidão que ele precisa.

    Responder

  227. CARLOS

    BARRADAS MANDE SEU E-MAIL OU SEU TELEFONE QUE EU ENTRO EM CONTATO E EXPLICO COMO FOI.

    Responder

  228. Ricardo

    Adalberto
    Concordo com voce temos que lutar para que seja aprovado a Lei de isenção de Imposto de Renda. Esta na reta final. Temos que enviar emails para os deputados pedindo a aprovação da lei. Esta conquista vai ajudar muitos deficientes num todo.
    Com relação a Aposentadoria dois amigos tiveram sucesso conseguindo aposentar um tempo grave e outro com tempo da moderada. Como para min falta ainda dois anos penso que ate la vai mudar alguns conceitos de avaliações.

    Responder

  229. Adalberto

    Caros amigos,
    Tramita na Câmara o Projeto de Lei 6990/10, que isenta do Imposto de Renda os proventos de aposentadoria de pessoas com deficiência física, auditiva, visual e mental. O projeto tramita em caráter conclusivo.
    Precisamos lutar para o mesmo ser aprovado, pois esta proposta vai compensar os gastos das pessoas com deficiência com tratamentos de saúde, aquisição de cadeira de rodas, próteses e órteses, medicamentos e transportes especiais.
    Boa sorte a todos.

    Responder

  230. BARRADAS

    Enquanto nós deficientes, trabalhadores e cumpridor dos nossos deveres os políticos não tem
    Problema nenhum com seus super salários e ainda tem o prazer de manosprezar. Veja o jornal globo conf abaixo:
    Senadores trabalharão três dias em junho e deputados, quatro durante o recesso
    Salários e verbas extras, no entanto, não terão desconto nos vencimentos mensais
    Além dos salários, os parlamentares continuam recebendo o chamado “cotão”, para gastos com o mandato e compra de passagens. No Senado, o total do “cotão” varia de R$ 21 mil — para deputados do Distrito Federal e de Goiás — e R$ 44,2 mil — para os do Amazonas.
    é isso ai temos que mudar essa política.

    Responder

  231. Roberto Mesquita

    Caros colegas, bom dia.
    Vejo que a maioria ja passou na pericia e assistente, tenho uma duvida no questionamento das perguntas, ou seja, a gente participa das respostas ou perito coloca o que acha. Por favor, quem puder tirar minhas duvidas agradeço,

    Responder

  232. Clovis Oliveira

    Amigos o problema do nosso país não são só os políticos, pois todos nós queremos ter um político amigo para nos dar um empurrãozinho, então quando nós mudarmos nossas atitudes os políticos serão obrigados a mudar também.

    Responder

  233. Clovis Oliveira

    Amigos o problema do nosso país não são só os políticos, pois todos nós queremos ter um político amigo para nos dar um empurrãozinho, então quando nós mudarmos nossas atitudes os políticos serão obrigados a mudar também.

    Responder

  234. João Carlos Spirand

    Estou com odio de ver tantos comentarios de nos deficientes passando por mais essa vergonha nacional. Politicos e governantes desse pais que se dizem defensores do povo… v p p q p…chega.

    Responder

  235. fernando

    Ola amigos. Estava esperando a carta do inss não chegou até hoje desde 21/05 na data a atendente estava colocando meu endereço errado, logo vi e a alertei ela disse que corrigiu, bem agora conferindo pelo site vi que não corrigiu coisa nenhuma se esperasse a carta nunca chegaria fiquem de olho!!!

    Responder

  236. Aline

    Tive esse mesmo problema , eles entenderam que meu pedido era aposentadoria comum. Entrei com queixa na Ouvidoria e vou recorrer em 26/06. A nosso favor, temos a lei. Eles estão confusos e mal treinados. Sou do RJ e se precisar irei procurar o advogado indicado. Qqr notícia, postarei. Abraços

    Responder

  237. BARRADAS

    Ok Ribamar boa sorte e com certeza vc consiguirá, quando tiver resposta nos informa,tambem agendeu recuros para 31/07 mas enviei uma reclamação par ouvidoria relatando as ocorrencia e estou aguardando a análise o meu caso foi que avaliaram pela lei normal e não pela LC 142/2013 se não conseguir tambem vou procurar o Adv.

    abçs

    Responder

  238. Ribamar

    Sr Barradas, estou na luta com o 1º recurso que será na proxima sexta e já estou preparando outro recurso para a junta recursal e após, entrarei com processo judicial com o Dr Márcio.

    Responder

  239. Rogerio Luis

    Obrigado Wladimir / Jesuino, liguei hj no 135, agendado para 29/08. Minha deficiencia é Auditiva (moderada/severa), fisica (fratura exposta, hj possui 7pinos 2placas no pé direito), Ler (bursite de ombros e tenossinovite com CAT desde 1997 com benefcio 94). Obrigado também pela dica dos concursos, hj me encontro infelizmente deprimido, tinha muitas esperanças de sair um resultado favorável, foram 06meses esperando, junto de um processo de demissão. vcs dizem bem quando mencionam que quando estamos lá em baixo no fundo do poço encontramos forças, vou tentar também, é triste pois vc acredita e busca seus direitos depois de tanto sofrimento, depois do recurso vou pra via judicial, muito obrigado pelas dicas. Pra constar hj fui no inss ver a pontuação: Assistente social 6.700 pts e perito 7.325 vou pedir cópia do processo também. Abraços.

    Responder

  240. BARRADAS

    Ribar estou com sorte pois sou do RJ e vc? já deu entrada na aposentadoria ?

    Responder

  241. Ribamar

    o Dr Marcio é do Rio de Janeiro, DDD -21

    Responder

  242. BARRADAS

    Ribamar qual é o DDD do tel ?
    achao que o pessoa esta abandonado este blog por falta de incentivo e desanimo, com todas as ocorrencia que esta acontecendo, não vamos nos abandonar temos que ficar juntos para termos forças para brigar pelos nossos direitos, inclusive aquele já tiveram seus beneficios concedido, pois é nessas horas e que precisamos nos unir, abçs a todos

    Responder

  243. Wladimir

    Rogério, tenho 51 anos e sei muito bem como vc está se sentindo. Já passei por isso e desde então estou obtendo sucesso prestando concurso público onde tem vagas para cota de deficiente. Seria uma opção. Boa sorte.

    Responder

  244. Ribamar

    prezados

    Para os que se sentirem prejudicados e quiserem pleitear na justiça, favor telefonar para o Dr Marcio Losso, telefone 99732-1989 ele vai dar total assessoria jurídica para nós deficientes físicos.

    Responder

  245. Jesuino

    Rogerio Luis

    Tenha fé em Deus, na justiça eles teram que reconhecer, e vale danos morais…qual é a sua deficiencia?

    Responder

  246. Roberto Mesquita

    Caros colegas, não estou conseguindo postar, travando no moderador.
    Gostaria de saber como são feitas as perguntas, ou seja,vamos respondendo uma a uma junto com o perito, ou o PERITO responde da maneira que acha.
    Grato

    Responder

  247. BARRADAS

    caros amigos não vamos desistir sei que e dificil para todos. Nosso temor mais profundo não é que sejamos insuficientes, é que sejamos poderosos além da medida.
    O ser humano precisa ter momentos baixos na vida para sentir ainda mais fortes os momentos emocionantes.
    Quanto maior for a dificuldade, maior será a glória!
    E você? O que te faz falta agora para reagir?

    Responder

  248. Wladimir Degasperi

    Olá Rogério, vc pode entrar com recurso contra esta decisão no próprio site da Previdência fazendo uma reclamação tb na ouvidoria. No dia 11/07 sou eu que vou soltar os cachorros…DEUS NOS AJUDE.

    Responder

  249. Rogerio Luis

    Obrigado mais uma vez Mariza, sei que temos que ter muita calma, não é fácil, aliás nada é facil pra gente, a frustração foi enorme, tinha muita esperança que o inss fosse justo e reconhecesse minhas dificuldades, mas ele foi cruel e ainda nem observou meus laudos, todo o trabalho que tive, toda vez que compareci no orgão. é o que admiro neste blog, as vezes a gente de cabeça quente fala muitas vezes desabafa e desconta toda nossa raiva, e o amparo das pessoas aqui que nem conhecemos, nunca vimos, nunca apertamos as mãos, nos acolhe, isso me faz feliz e dá animo pra seguir em frente, vou 3a. feira lá fazer a vistas processual e entrar com recurso, desde já Deus te abençoe e a todos amigos que nos aconselham e nos ajuda no blog. Abraços Rogerio.

    Responder

  250. Mariza

    Olá Rogério Luiz, não fique assim, com certeza foi um erro do INSS, mas você deve ir lá e entrar com recurso eles te enquadraram na lei normal, eu ainda não tive o resultado e já estou me preparando para este tipo de resposta, mas vou recorrer direto na justiça federal contar o INSS.

    Responder

  251. ZÉ RESENDE

    BOM DOMINGO

    Responder

  252. Rogerio Luis

    Segue carta de CEGOS E BURROS, NÃO EM BRAILE….

    ASSUNTO: Pedido de Aposentadoria por Tempo de Contribuição
    DECISÃO: Indeferimento do Pedido.
    MOTIVO: Falta de tempo de contribuição até 16/12/98 ou até a data de entrada do requerimento.
    FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Emenda Constitucional nº 20 de 16/12/98 e Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048 de 06/05/99, Art. 187.

    Responder

  253. Rogerio Luis

    Parece piada de mau gosto, ontem saiu o resultado do meu pedido de aposentadoria, “Indeferido” mas percebi que não houve qualquer menção a LEI 142/13, parece que os deficientes são do lado de lá, ou cegos ou burros ou mau intencionados mesmo, pois como pode vc faz a solicitação desde 09/12, espera até 04/02, faz pericia em 28/04 e a ultima em 05/05, espera 39dias pra indeferirem pelo que percebi sem NOTIFICAR GRAU DE DEFICIENCIA, SEM ENQUADRAR NA LEI 142/13 pelo que vi INDEFERIRAM ENQUADRANDO NA APOSENTADORIA NORMAL!!!! é frustrante depois de passar todo esse tempo, essa angustia, esse martirio, e um IRRESPONSÁVEL ADM na hora da “decisão” não te enquadrar corretamente!!! realmente pessoal estou frustrado, desanimado, neste mês fui demitido depois de 31anos na mesma porcaria de empresa, sofrendo assédio, sofrendo discriminação, todo tipo de humilhação, apenas respondendo “sim senhor, não senhor” e a esperança era simplesmente “meus direitos” sofridos depois de tanto martirio, é triste, lamentável, dá ódio, vc justo não vale nada, se a pessoa é desonesta vale tudo, o crime compensa! e a gente tentando fazer valer nossos direitos, que @#!$*&***, hj é um dia mais frustrado da minha vida como deficiente, não conseguimos se fazer notar pela previdencia, conseguimos no detram,prefeitura,estacionamentos etc… mais o orgão responsável em nos proteger só nos @#$%@@##$***&, abaixo carta dos imbecis da previdencia, cegos e burros essessão com certeza muito mais deficientes que nós!

    Responder

  254. Joao

    Pessoal, quem ja tem o resultado dos pedidos de aposentadoria, poderia, por gentileza, dar os detalhes, como por exemplo, qual a deficiencia, com alguns detalhes, por exemplo, se anda de bengalas, cadeira, quais as sequelas(perna direito, esquerda, ambas, etc). E a idade e tempo de contribuiçao? To dando exemplo na baseado na minha deficiencia(motora), mas vale para todas. Isto ira dar noção de qual o criterio que o INSS esta adotando e pode servir para nos entramos na justica(aqueles que foram injustiçados) usando argumentos parecidos.

    Responder

  255. ZÉ RICO

    BOM SABADÃO GENTE FINA

    Responder

  256. Wladimir

    Ainda vou passar pela perícia médica em 11/07/2014, entretanto posso verificar a habilitação do benefício pelo site da previdência. Alguém saberia me explicar se o INSS atribui um nr de benefício, porém fica deferido no momento da conclusão da perícia?

    Responder

  257. BARRADAS

    Sr Carlos Obrigado pela informação, mas queria saber um pouco mais, o Sr é de qual estado, qual sua deficiencia e quanto tempo tem de contribuição e se o INSS não exigiu o seu agendamento para fazer esses acerto ? abçs

    Responder

  258. Ana LU

    Carlos
    Qual é sua deficiência e quais documentos vc levou para prova-la?
    grata
    Ana LU

    Responder

  259. Osmar Pedroso

    Sexta feiraaa!! após a vitória do Brasil….

    E o País com Políticos TUPINIQUINS continuam o mesmo.

    CHEGOU A MINHA CARTINHA DO INSS…….

    ***I N D E F E R I D O ***

    KKKKKKKKKKKKK!

    Pode!

    FATO: NÓS PNES, SOMOS UMA PEDRA NO SAPATO DA SOCIEDADE E DO GOVERNO.

    Responder

  260. CARLOS

    BARRADAS, BOM DIA .
    EU PEGUEI O COMUNICADO DO INDEFERIMENTO NA INTERNET E FUI DIRETO NO INSS E ELES REABRIRAM O PROCESSO E MANDARAM EU AGUARDAR QUE CHEGARIA UM CARTA,PASSOU UMA SEMANA E FUI NOVAMENTE AO POSTO PERGUNTAR SE JÁ TINHA ALGUMA NOVIDADE E ELES ME RESPONDERAM QUE ERA PRA EU AGUARDAR QUE JÁ TINHA SIDO REABERTO,PASSADO MAIS UMA SEMANA EU CONSULTEI COM O NUMERO DO BENEFICIO QUE EU PEGUEI NA PRIMEIRA VEZ QUE DEI ENTRADA E LA ESTAVA BENEFICIO CONCEDIDO A PARTIR DO DIA 12/02/2014 QUE FOI QUADO ENTREI E AGENDEI PELA PRIMEIRA VEZ.
    ESPERO QUE CONSIGA ABRAÇOS A TODOS E FIQUEM COM DEUS.

    Responder

  261. Silvia

    Bom-dia, a todos hoje 13/06/14 estive na agência do INSS de São Caetano do Sul e o meu pedido de aposentadoria foi deferido. Atenciosamente

    Responder

  262. Ricardorinaldini

    Bom dia, queridos amigos e amigas.

    Estou um pouco afastado desse espaço em tratamento clinico de saúde, mais acompanho diariamente todas as postagens.

    Hoje em especial resolvi postar aqui minha indignação contra todos os legisladores de Leis oportunistas em especial a falta de respeito as leis de proteção ao Portador de Deficiência em qualquer grau, pois não é justo contribuirmos por anos o no final de nossas vidas nem sermos enquadrados como deficiente e assim proibidos de gozar nossa Lei 142/13

    Fazer bondade com o dinheiro alheio é fácil, quero ver se cada político adotasse um como seus herdeiros, francamente um palhaçada estão e fazem conosco .

    Segue a matéria de um advogado previdencialista e todos irão entender meu desabafo, peço desculpas mais isso me revoltou não sou jogador de futebol campeão do mundo mais sou um Portador De Deficiencia CAMPEÃO NA VIDA.

    Jogadores de futebol que ganharam os mundiais vão receber o teto do INSS

    Em tempo de Copa do Mundo, a emoção da torcida aflora e os jogadores da seleção canarinha viram celebridades. Embalado por esse sentimento, talvez daí nasceu a ideia de premiar os atletas de futebol com indenização de R$ 100 mil e uma aposentadoria no valor máximo do teto do INSS: R$ 4.390,24. Concebido em 2010, o projeto de lei 7377/2010 é aprovado pelo Governo e começa a valer. Quem é aposentado no Brasil sabe o quanto é difícil trabalhar 35 anos e conseguir alcançar o teto da Previdência Social, principalmente quando existe o fator previdenciário que causa prejuízo de até 30% na renda e, uma vez aposentado, passar a receber reajustes salariais ridículos do Governo que achatam paulatinamente o valor da aposentadoria.

    O deputado Fábio Trad (PMDB/MS) teve a brilhante idéia de propor em 2010 a previsão de o Governo arcar com a indenização e uma aposentadoria para os jogadores (e os reservas) que ganharam as copas do Mundo dos anos de 1958, 1962 e 1970. O projeto de lei n.º 7737/2010 foi alterado para beneficiar os titulares da copa do mundo de 1994 e 2002, o que pode ser estendido para a atual seleção casos os jogadores ganhem o hexa.

    A justificativa do projeto para a aposentadoria, que não se chama de aposentadoria mas o singelo nome “auxílio especial mensal”, é que os “heróis esportivos encontram-se financeiramente em condições indignas, desamparados e sem uma aposentadoria que proporcione uma perspectiva de vida àqueles que tantas alegrias nos deram”. Aproveitaram o pacote de bondades e os jogadores atuais também vão gozar do benefício, já que de acordo com o projeto de lei 7737/2010 não há critério para aferição de miserabilidade.

    Se isso virar moda, os atletas campeões dos mundiais do voleibol, basquetebol, natação, tênis, xadrez etc vão reclamar o mesmo benefício. Afinal, por que apenas os heróis do futebol podem ganhar R$ 100 mil e aposentadoria no teto máximo?

    Nada contra os jogadores de futebol vencedores dos títulos mundiais, mas penso que para ter acesso à regalia do teto máximo é necessário contribuir como todo brasileiro mortal. O INSS é um seguro, ainda que social, que exige pagamento. Em outras palavras, não pagaram um real para receber esse benefício e, de uma hora para outra, vão ganhar o teto máximo.

    A medida é totalmente contrária ao bom-senso e a princípio de qualquer regime previdenciário: a da prévia fonte de custeio. É necessário contribuir para ganhar. Apesar de viver reclamando que a Previdência vai quebrar, o Governo fecha os olhos ao equilíbrio atuarial do sistema previdenciário e aceita que a despesa seja paga pelos cofres públicos, o Tesouro Nacional. Simples assim. Ao proceder dessa maneira, o Governo trata o INSS como se pudesse meter a mão e fazer qualquer coisa.

    O argumento de que os jogadores estão em situação de miserabilidade não prospera, pois a Constituição Federal já contempla o benefício assistencial chamado BPC/LOAS (benefício de prestação continuada); aquele pago a todo brasileiro com mais de 65 anos ou deficiente físico, que comprove ser pobre na forma da lei. A regalia dada aos jogadores quebra o princípio constitucional da assistência social e da isonomia entre miseráveis.

    O Governo fere o direito de igualdade quando concede um privilégio desses a uma determinada casta de atletas, em detrimento dos milhares de desvalidos do país que recebem o amparo social no valor de um salário mínimo. Ao meu sentir, a norma é inconstitucional, sendo bom motivo para ser contestada no Supremo Tribunal Federal pelo Ministério Público. Todavia, quando o assunto é seleção brasileira parece que os princípios jurídicos, como o da isonomia, da imparcialidade e da prévia fonte de custeio do INSS, são relativizados.

    Leia a íntegra do projeto de lei 7377/2010, que foi aprovado pelo Governo:

    O CONGRESSO NACIONAL decreta:
    Benefícios concedidos
    Art. 1o Fica concedido aos jogadores, titulares ou reservas, das seleções brasileiras campeãs das copas mundiais masculinas da Federação Internacional de Futebol – FIFA nos anos de 1958, 1962 e 1970:
    I – prêmio em dinheiro; e
    II – auxílio especial mensal para jogadores sem recursos ou com recursos limitados.
    Prêmio
    Art. 2o O prêmio será pago, uma única vez, no valor fixo de R$ 100.000,00 (cem mil reais) ao jogador.
    Art. 3o Na ocorrência de óbito do jogador os sucessores previstos na lei civil, indicados em alvará judicial expedido a requerimento dos interessados, independentemente de inventário ou arrolamento, poderão se habilitar para receber os valores proporcionais a sua cota-parte.
    Art. 4o Compete ao Ministério do Esporte proceder ao pagamento do prêmio.
    Art. 5o O prêmio de que trata esta lei não está sujeito ao pagamento de Imposto de Renda ou contribuição previdenciária.
    Auxílio especial mensal
    Art. 6o O auxílio especial mensal será pago para completar a renda mensal do beneficiário até que seja atingido o valor máximo do salário-de-benefício do regime geral de previdência social.
    Parágrafo único. Para fins do caput, considera-se renda mensal um doze avos do valor total de rendimentos tributáveis, sujeitos a tributação exclusiva ou definitiva, não tributáveis e isentos informados na respectiva Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda da Pessoa Física relativa ao ano base 2008.
    Art. 7o O auxílio especial mensal também será pago à esposa ou companheira e aos filhos menores de vinte um anos ou inválidos do beneficiário falecido, desde que a invalidez seja anterior à data em que completaram vinte e um anos.
    § 1o Havendo mais de um beneficiário, o valor limite de auxílio per capita será o constante do art. 6o, caput, dividido pelo número de beneficiários, efetivos, ou apenas potenciais devido à renda, considerando-se a renda do núcleo familiar para cumprimento do limite de que trata o citado artigo.
    § 2o º Não será revertida aos demais a parte do dependente cujo direito ao auxílio cessar.
    Art. 8o Compete ao Instituto Nacional do Seguro Social – INSS administrar os requerimentos e os pagamentos do auxílio especial mensal.
    Parágrafo único. Compete ao Ministério do Esporte informar ao INSS a relação de jogadores de que trata o art. 1o.
    Art. 9º O pagamento do auxílio especial mensal retroagirá à data em que, atendidos os requisitos, tenha sido protocolado requerimento no INSS.
    Art. 10. O auxílio especial mensal sujeita-se à incidência de Imposto de Renda, nos termos da legislação específica, mas não está sujeito ao pagamento de contribuição previdenciária.
    Origem dos recursos
    Art. 11. As despesas decorrentes desta Lei correrão à conta do Tesouro Nacional e constarão de programação orçamentária específica existente no Ministério do Esporte, no tocante ao prêmio, e do Ministério da Previdência Social, no tocante ao auxílio especial mensal.
    Vigência
    Art. 12. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

    Responder

  263. Roberto Mesquita

    Bom dia!

    Me tirem uma duvida. O perito e assistente faz a pergunta uma a uma para você ,ou coloco a nota de acordo com suas conclusões?

    Responder

  264. Roberto Mesquita

    Pessoa, bom dia!
    Leio atentamente os seus comentários, vejo que a maioria são deficiente por pólio. Meu caso é sequela do nervo ulnar no braço direita com enxerto sural. Será que consigo?

    Responder

  265. MARCOS

    Amigos, fui a pericia e agora marcaram para assistente social no dia 14.07.2014 vamos ver.

    Responder

  266. ZELADOR

    VEM AI UM FERIADÃO HEN GENTE.

    Responder

  267. BARRADAS

    Sr Carlos, aconteceu o mesmo comigo avaliaram com aposentadoria por tempo comtribuição esp 42, o que o Sr fez para resolver a sua situação foi direto ao INSS questionar o erro ? ou agendou o recurso, obrigado

    Responder

  268. CARLOS

    EU CONSEGUI O BENEFICIO A PARTIR DE 09/06/2014,NA PRIMEIRA FOI NEGADO POR FALTA DE TEMPO,MAIS FUI AO INSS E ELES VIRAM QUE O ERRO QUE TINHA SIDO CALCULADO SEM OBSERVAR QUE ERÁ PELA LEI 142 APOSENTADORIA PARA DEFICIENTE POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO. FIQUEM COM DEUS ESPERO QUE TODOS TENHAM A MESMA SORTE.
    ABRAÇOS A TODOS,FIQUEM COM DEUS.

    Responder

  269. Rogerio Luis

    Aline, bom dia! Contrate um advogado, o ambito é Federal, ele te orientará, pesquise um bom advogado e que esteja a par da Lei 142/13, veja em seu sindicato etc… faça como os amigos recomendaram, peça laudo, nessas horas o DEFICIENTE É O INSS, que se “faz de Cego”! não perca esperanças vc tem direito de sobra adquirido. Abraços e boa sorte.

    Responder

  270. ZÉZÃO

    QUINTA TEM JOGO DO BRASIL.POVÃO FEZ PROTESTO,RECLAMOU.MAS OS INGRESSOS JÁ ESTÃO ESGOTADOS

    Responder

  271. Aline

    João e Clovis obrigada por responderem. Marquei uma ida ao INSS em 26/06 para entrar com recurso. Quero entrar na Justiça Federal mas não sei como isso é feito. É pelo juizado de pequenas causas? Alguém entende disso? Pela lei eu posso me aposentar pela idade e pelo grau de deficiência. Nos tratam como golpístas mas golpistas são eles com essas atitudes patéticas de burlar a lei.

    Responder

  272. Joao

    Aline, eu se fosse vc faria duas coisas apos pegar as evidencias , entraria com o recurso interno no INSS e iria a Justiça Federal, ao mesmo tempo. Por que vc vai ganhar e recebera retroativo a data que vc foi a primeira vez no INSS.

    Responder

  273. Clovis Oliveira

    Aline, te considerarão sem deficiência, vá ao INSS pessa cópia de tudo, eles pedem para levarmos um cd para que eles de as cópias em cd ou pem drive. Tu terás 30 dias para fazer o recurso administrativo. Não te assuste para nós deficientes tudo é difícil.

    Responder

  274. Paiva

    Que tal depois da copa, nós fizermos uma marcha à Brasília e acamparmos em frente ao Ministério da previdencia?

    Temos que fazer alguma coisa, esses políticos só vão na pressão!

    Responder

  275. Aline

    Indeferido FALTA TEMPO DE CONTRIBUICAO ATE 16/12/98 OU ATE DER.
    Alguem sabe me informar o que é isso? Faço 60 a em outubro,completo 29 anos e 7 meses ,de contribuição , tb em outubro.A atendente disse que meu pedido estava como não deficiente. Estou atônita.

    Responder

  276. Joao

    No relatorio veio que vc precisa de 33 contribuicoes ou 33 anos? quanto tempo de contribucao vc tem hj?

    Responder

  277. Joao

    Eu achava que a graduacao seria dado automaticamente pelo sistema.

    Responder

  278. Joao

    Paiva, se nao sua avaliacao deu 5975, como ele Justificaram a graducao leve? Tem alguma observacao nos documentos que lhe deram?

    Responder

  279. Paiva

    Eu já estou com a cópia na mão, inclusive a do médico foi 3.125 pontos da assistente social foi 2.850, e fui informado no relario de tempo de contribuição que precisso de 33 contribuições, portanto a minha foi leve quando eles deveriam colocar moderada segundo a avaliação. Mesmo que a próxima perícia seja moderada entrarei na justiça, pois quem sabe o que passo sou eu e não eles. Quem enfrenta as barreiras, dores, humilhações, preconceitos, dificuldades sou eu. Ou melhor, somos nós deficientes!

    Responder

  280. Clovis Oliveira

    Barradas, Paulo e demais, fui ao INSS hoje para ver meu laudo, mas não conseguirão imprimir, pois acham que é sigiloso e só o médico pode dar o laudo mandarão eu voltar amanhã, mas diante mão não meclassificaram como deficiente. O funcionário sugeriu que eu entre com o recurso administrativo e entre com um novo pedido de aposentadoria tamanha a confusão que eles estão. Avaliem esta possibilidade os que estão com os pedidos indeferidos. Após não dando certo entrarei na justiça com certeza.

    Responder

  281. EDISON

    Vejam porque é super importanter termos um PCD no STF

    Assinem em: http://www.avaaz.org/po/petition/Supremo_Tribunal_Federal_STF_Queremos_um_Ministro_com_Deficiencia/?nhOXkbb

    APOSENTADORIA ESPECIAL DE PcD
    Inconstitucionalidade do método concessivo da LC 142/2013 (RGPS)
    Inviabilidade técnica de extensão, ‘de lege ferenda’, ao RPPS
    Considerações de ROBERTO WANDERLEY NOGUEIRA
    A pretexto de se conceder aposentadoria especial em razão de deficiência, lança-se o Estado, por força da LC 142/2013, ao propósito de investigar suas causas. Uma coisa não tem a ver com a outra. A aplicação da CIF (Classificação Internacional de Funcionalidades) diz com a necessidade de capacitação, desenvolvimento, ingresso, manutenção e readaptação em postos de trabalho e outras atividades das Pessoas com Deficiência. Só isso! E não diz com a possibilidade, consequente, de concessão de aposentadoria, especial ou regular que seja, a não ser que os riscos do trabalho insalubre ou perigoso componham a pauta natural para essa concessão. No caso das Pessoas com Deficiência isso não acontece, porque a concessão não depende, ontologicamente, do grau de verificabilidade das causas da deficiência, mas da condição jurídica de ser Pessoa com Deficiência, definido no Artigo 1 da Convenção de Nova Iorque (cláusula pétrea, cf. Decreto Legislativo nº 186/2008).
    A lógica encontrada pela legislação complementar, sobre conspirar contra as bases principiológicas da Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência, assinada em Nova Iorque e internalizada no país com força equivalente àquela das Emendas Constitucionais (Art. 5º, §3º, da Constituição Federal), é um completo ‘non-sense’, porque inverte a ordem natural das polaridades em foco. Em que se deveria considerar a deficiência – qualquer que seja ela, tenha o grau ou intensidade que for -, passa-se a considerar suas causas, como se essas causas resultassem relevantes na compreensão e para o advento e a concessão do benefício da aposentadoria especial.
    É preciso ter cuidado para que a Legislação Complementar a ser editada pelo Congresso Nacional no que se refere à Aposentadoria Especial para o Serviço Público (RPPS) não repita o mesmo erro estatuído na LC 142/2013 (não pode haver isonomia jurídica entre ilegalidades), que trata do mesmo benefício para o RGPS, e muito menos sugira restrições a maior que não sejam contempladas igualmente aos demais aposentandos. Vale dizer: o aposentando especial por ser Pessoa com Deficiência poderá, tanto quanto o aposentando regular, usufruir do direito de permanecer no serviço público e fazer jus ao abono de permanência, enquanto continuar na atividade.
    Um regulamento que divergisse do plano das igualdades estabelecido no Artigo 1, da Convenção de Nova Iorque, novamente, seria qualificadamente discriminatório e, pois, inconstitucional, por violar frontalmente os enunciados substanciais presentes na Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (Decreto Legislativo nº 186/2008).
    Palestra na Comissão de Assistência Social (CAS) – Senado Federal sobre o mesmo assunto, disponível em:
    http://www.senado.gov.br/noticias/tv/plenarioComissoes.asp?IND_ACESSO=S&cod_midia=295287&cod_video=294189&pagina=47

    Responder

  282. Paulo

    Pessoal,
    Se não me engano, pessoas portadores de deficiencia tem prioridade em ações judiciais que envolvam a própria deficiencia(que é o nosso caso) São julgadas mais rápido.
    Paulo.

    Responder

  283. Paulo

    Luiz,
    Eu não fui considerado portador de deficiencia. Compro carros com isenções de EPI e ICMS, tenho laudos médico do emitidos pelo Detran, atestando que sou deficiente. Entreguei pareceres de outros que atestaram que sou deficiente.
    Já solicitei cópia do meu processo (pelo 135)Só para o final de Julho e que tem agenda. Estou agendando um recurso e também jamais vou desistir, vou até o fim, e se nao der certo, vou chamar a imprensa e até o Fantástico se for o caso.
    Estou muito triste e decepcionado, acho que não merecia estar passando por isso.
    Abç a todos.
    Paulo.

    Responder

  284. luiz

    Boa noite a todos, se serve de consolo para alguns hoje estive no INSS e consegui saber que minha pericia tinha sido avaliada como leve, tenho poliomelite e uso muletas para andar, fiz um pedido e vou voltar no dia 23/06/2014 para entrar com pedido de recurso, mas digo a todos que caso meu recurso ou nova pericia continue com avaliação grau leve eu irei pedir cópia da minha pericia e com certeza irei procurar a justiça federal direto, acredito que nem é preciso procurar um advogado para defesa, não sei se alguem já foi na justiça federal, mas acredito que é mais fácil e mais rápido entrar direto na justiça federal.
    Boa noite a todos e vamos continuar lutando.

    Responder

  285. ZÉZÃOZINHO

    CADA CASO É UM CASO.

    Responder

  286. Paiva

    Barrada, a nossa aposentaria ela é lançada como 42 (que representa 142), e quando eles dizem que falta tempo de contribuição, é porque a sua deficiencia caso tenha sido LEVE precisa de 33 anos.

    O grande problema é que nem redigir eles sabem, no meu caso eles ainda disseram que eu não comprovei a deficiencia junto a perícia, ou seja eu tenho pólio e ando de muleta, como é que eu não comprovei? Se alem de visual eu mostrei todos os exames.

    Responder

  287. Gilson Luiz Santos L

    Caro Salatiel, a lei que rege a aposentadoria por invalidez já excluí os portadores de visão monocular. Tinhamos a esperança de que a Lei 142/13, fosse considerar os monoculares no mínimo em grau leve, o que não está ocorrendo.Eu vou recorrer administrativamente ao INSS, após o recebimento da carta, temos 30 (trinta) dias. Após o julgamento, se o INSS persistir no indeferimento, ajuizarei ação contra o INSS. Aconselho a procurar um advogado especializado em Direito Previdenciário. E se possível, junte publicações sobre a visão monocular (SÚMULA 377 do STJ- lEI 142/13, Decreto 8.145, de 03/12/2013, Manifesto dos Médicos Peritos do Inss(onde expressam a ilegalidade da Perícia Social), Mandado de Injunção no STF- Processo MI- 4153MS, Artigo sobre a visão monocular: Análise à luz da legislação e da jurisprudencia). Enfim, junte o máximo de legislação e jurisprudência para o advogado ter subsídios para o ajuizamento da ação. Abraços e boa sorte, não desista.

    Responder

  288. BARRADAS

    Bom dia a todos recebi informação do INSS que meu benefício foi indeferido, avaliaram como Espécie 42 Aposentadoria por tempo de contribuição e não como deficiente que me enquadro na LC 142/13, é uma falta de consideração com os deficientes, estão completamente desorientados, estou indignado até com os Advogados que não se interessam por nossos casos, procurei pelo menos 03 e não conhecem profundamente a LC 142/13 e ainda me informarão estou muito novo e que faltam tempo de contribuição para me aposentar, que Lei é essa de reduzir o tempo de contribuição e não termos os nossos direitos ? será que aqui no Blog não tem pelo menos 01 advogado acompanhando nossos casos ? que possam nos orientar e brigar por nós ? quando começarmos a ganhar os nossos direitos, vão aparecer um monte de advogados querendo nossas causas para ganhar às nossas custas.

    Responder

  289. Edison

    Assinem em: http://www.avaaz.org/po/petition/Supremo_Tribunal_Federal_STF_Queremos_um_Ministro_com_Deficiencia/?nhOXkbb

    MOÇÃO DE APOIO À INDICAÇÃO DE PcD PARA CARGO DE MINISTRO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL
    PcD SUGERIDA:

    PROF. DR. ROBERTO WANDERLEY NOGUEIRA

    COMPANHEIROS!

    Lutar pelos próprios direitos é, antes, conquistar espaços para lutar.
    Unamo-nos, pois, em torno do propósito de ocupar uma cadeira de Ministro no Supremo Tribunal Federal (STF) que é o órgão da República que, no âmbito interno, fala
    por último acerca dos direitos e obrigações das pessoas, dos grupos, empresas, instituições e do próprio Estado, alà©m das relações de uns e outros. Vela e guarnece
    a Constituição Federal na qual se encontra agasalhada a Convenà§ão sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

    Logo logo estará em pauta mais uma vaga na Suprema Corte em decorrà ªncia da aposentadoria de mais um de seus Ministros. Conquistá-la para um dos nossos devidamente
    qualificado é avançar no processo de emancipação das PcD no Brasil. É dotar o STF de mais sensibilidade na construçà£o de uma Jurisprudência Nacional perfeitamente
    de acordo com as cláusulas da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e demonstrar à Naà§ão brasileira que somos capazes de ocupar as funções mais
    proeminentes da República.

    Além do mais, o efeito simbólico dessa investidura é imenso, haja vista que o STF jamais conheceu um Ministro ou Ministra PcD ao longo de toda a sua história.
    Lutemos, então, por esse espaço de forma concentrada, unida e resolutamente. Trata-se de um objetivo imediato e factível que nos proporcionará mais esperança de
    melhores dias e de mais efetividade de nossos direitos.

    Desse modo, sugere-se que indiquemos à Exma. Sra. Presidenta da Repà ºblica, Dra. DILMA ROUSSEFF, o nome do ilustre Prof. Dr. ROBERTO WANDERLEY NOGUEIRA, PcD cuja
    bagagem jurídica e acadêmica tem sido destacada em diversos foros e também no Movimento Social, no qual vem se revelando um ardoroso defensor dos direitos dessa
    parcela significativa da população, sendo Magistrado com mais de 32 anos de experiàªncia, superando barreiras e se notabilizando como um profissional de alta qualificação
    técnica, produção científica e elevado senso ético, razões pelas quais está capacitado a nos representar a todos com total correção.

    As Pessoas com Deficiência precisamos nos fazer representar no Supremo Tribunal Federal.

    Responder

  290. BOM SABADO PRA TODOS

    Responder

  291. Joao

    ou isto, no caso de aposentadoria por tempo de contribuicao:
    http://agencia.previdencia.gov.br/e-aps/servico/822

    Cálculo do Valor da Aposentadoria por Tempo de Contribuição da Pessoa com Deficiência

    Aplica-se a média dos 80% maiores salários de contribuição desde a competência julho/1994 até a data de entrada do requerimento.

    Depois disso, aplica-se a porcentagem correspondente a 100% da média.

    Se o segurado contar com menos de 60% (sessenta por cento) de contribuições, no período decorrido de julho de 1994 até a presente data, o divisor a ser considerado no cálculo da média aritmética simples será sempre 60% (sessenta por cento).

    Contando o segurado com 60% (sessenta por cento) a 80% (oitenta por cento) de contribuições no período decorrido de julho de 1994 até a presente data, utilizar como divisor o percentual correspondente ao total de contribuições.

    Caso não haja contribuições depois de julho de 1994 (Período Básico de Cálculo – PBC) o valor do benefício será de um salário-mínimo.

    Não será aplicado o Fator Previdenciário, salvo se dele resultar renda mais elevad

    Responder

  292. Joao

    Clovis e Jose Antonio,
    Śe tiverem alguma duvida vejam no site da previdencia:
    http://agencia.previdencia.gov.br/e-aps/servico/847

    Cálculo do Valor da Aposentadoria por Idade da Pessoa com Deficiência

    Aplica-se a média dos 80% maiores salários de contribuição desde a competência julho/1994 até a data de entrada do requerimento.

    Depois disso, aplica-se a porcentagem correspondente a 70% da média, mais 1% para cada grupo de 12 contribuições mensais, até no máximo de 100% do salário de benefício.

    Caso não haja contribuições depois de julho de 1994 (Período Básico de Cálculo – PBC) o valor do benefício será de um salário-mínimo.

    Aplica-se a média dos 80% maiores salários de contribuição desde a competência julho/1994 até a data de entrada do requerimento.

    Depois disso, aplica-se a porcentagem correspondente a 70% da média, mais 1% para cada grupo de 12 contribuições mensais, até no máximo de 100% do salário de benefício.

    Se o segurado contar com menos de 60% (sessenta por cento) de contribuições, no período decorrido de julho de 1994 até a presente data, o divisor a ser considerado no cálculo da média aritmética simples será sempre 60% (sessenta por cento).

    Contando o segurado com 60% (sessenta por cento) a 80% (oitenta por cento) de contribuições no período decorrido de julho de 1994 até a presente data, utilizar como divisor o percentual correspondente ao total de contribuições.

    Caso não haja contribuições depois de julho de 1994 (Período Básico de Cálculo – PBC) o valor do benefício será de um salário-mínimo.

    Não será aplicado o Fator Previdenciário, salvo se dele resultar renda mais elevada.

    Para o trabalhador rural, o valor do benefício será de um salário-mínimo.

    Responder

  293. Alex

    Boa Noite a Todos!!

    Concordo com quem falou que a lei 142,virou uma piada, não ser considerado, deficiente uma pessoa que teve poliomielite só pode ser brincadeira.O meu neurologista, resumiu a pólio da seguinte maneira, vamos supor que você antes de ter a doença, tinha 5000 neurônios, quando você contraiu a pólio, passou a ter +- 2800 neurônios para cuidar das funções do sistema neurológico, hoje sabemos que a pólio afeta, todo o corpo ,por este motivo quando passamos dos 40 anos, devido a sobrecarga dos +-2800 neurônios
    começamos a ter a síndrome da pólio.
    Não podemos seguir em varias carreiras, por causa das
    seqüelas e agora para o INSS, não somos Deficientes! ISTO É BRAZZZZIL!!!!

    Responder

  294. ZEZITO

    O INSS SÓ NÃO DESCONTA O TEMPO EM QUE O ASSEGURADO FICA RECEBENDO AUXILIO DOENÇA QUANDO ELE VOLTA A TRABALHAR.QUANDO O ASSEGURADO RECEBE O AUXILIO DOENÇA E NÃO VOLTA A TRABALHAR E A RECOLHER, DESCONTA SIM, ISSO É CERTEZA.

    Responder

  295. Joao

    Andreia,

    Eu ainda nao passei pelas pericias , mas qdo foi na primeira vez no INSS, a atendente me disse que o tempo de auxilio doença não é descontado do total, se o seu foi , acho que vale a pena entrar com recurso.

    Responder

  296. Andréia Figueiredo

    Walter, boa tarde, no meu caso foi diferente, pois no mesmo dia em que fui lá no INSS, para verificar o detalhe do meu indeferimento, fui informada que no sistema não tinha detalhes, somente no meu Processo eu iria ter informações, na mesma hora já me foi agendado na própria agência a data para retirada das cópias, que foi uma semana depois, para retirada da cópia, resolvi não entrar na justiça pois terei que aguardar só mais 4 meses, por conta de 2 avaliações que tive, leve e moderada, outra dúvida que tive também foi se foi descontado o meu período de afastamento que foram 6 meses e a atendente me garantiu que não foi descontado da minha contagem. No seu caso, acredito que sem essas cópias fica difícil até de você recorrer, pois você fica sem argumentos e provas. Aqui em Bragança Paulista, consegui as cópias antes mesmo de receber a carta do indeferimento. Depois da data do recebimento da carta você tem 30 dias para recorrer, então acredito que você tenha tempo de sobra para avaliar e procurar advogado de posse da cópia de seu processo. Às vezes pode ser que como eu te falte apenas alguns meses. Boa sorte. Abraços à todos.

    Responder

  297. Joao

    Fazer conjetura é bobagem

    Responder

  298. ZE

    CALMA MIGUEL

    Responder

  299. Joao

    Para quem quer informaçao correta sobre a formula de calculo da media, consulte este link http://agencia.previdencia.gov.br/e-aps/servico/202; do site previdencia onde se pode simular a salario medio.

    Responder

  300. Miguel Renno

    Caros amigos. Este blog iniciou em 2010, fui um dos primeiros a postar comentários no mesmo, aompanhei e enviei muitos emails para Deputados e senadores brigando pela Lei 142, mas hoje infelizmente vejo o INSS transformando a Lei 142 numa grande piada, avaliando portadores de poliomelite como não deficientes. Que Pais é este que vivemos, onde estão os nossos representantes. Esta na hora de dar a resposta para eles, tem que ser nas urnas, não reelejam ninguem, votem somente em politicos novos que não estejam lá vivendo as nossas custas com salários milionários e no reino da propina. Vamos deflagrar uma grande campanha nesse sentido. Grande abraço a todos.

    Responder

  301. Jose Antonio

    Clóvis eu fui no INSS e num advogado previdenciário, e ele me disse a mesma coisa que você escreveu, já decidi vou me aposentar no final do mês, muito obrigado pelas informações.

    Responder

  302. salatiel jose de sou

    Gilson Luiz , você já tem retorno do INSS para saber se realmente o monocular não tem direito? Porque a lei deixa claro o nosso direito.

    Responder

  303. Joao

    so corrigindo o texto:
    Ta ai o artigo que rege o calculo, sao 80% das maiores e nao as 80 maiores. e qto a ir ao inss, eu perguentei isto la ja

    Responder

  304. Joao

    E so fazer a simulacao no site da previdencia que sera esta informacao .

    Responder

  305. joao

    Ta ai o artigo que rege o calculo, sao 80% da maiores e as 80 maiores. e qto a ir ao inss , eu perguentei isto la ja.

    Responder

  306. Joao

    Lei n° 9876, de 29/11/1999
    art 3.

    Art. 3º Para o segurado filiado à Previdência Social até o dia anterior à data de publicação desta Lei, que vier a cumprir as condições exigidas para a concessão dos benefícios do Regime Geral de Previdência Social, no cálculo do salário-de-benefício será considerada a média aritmética simples dos maiores salários-de-contribuição, correspondentes a, no mínimo, oitenta por cento de todo o período contributivo decorrido desde a competência julho de 1994, observado o disposto nos incisos I e II do caput do art. 29 da Lei nº 8.213, de 1991, com a redação dada por esta Lei.

    Responder

  307. rogerio luis

    Pessoal, quero fizar que quem obteve o direito até 10/11/97 o acidente B94 é vitalicio, depois desta data a Lei 9.528/97 passou a valer, lembrem quem teve até 09/11/97 tem esse direito, se informem e não se deixem perder o que já conquistou! o meu beneficio vale desde 03/97. Consultem o site em noticias postad em direito previdenciario, na possivilidade de cumulação do beneficio acidente. Abraços.

    Responder

  308. Rogerio Luis

    Pessoal, para quem tem o beneficio 94 por acidente de trabalho, e que estão em duvidas se perde ou não, consulte o site http://www.glomb.com.br direito previdenciário. a glomb e advogados associados, o Dr Vitor Tavares Botti, me respondeu via email que quem adiquiriu o beneficio de forma vitalicia “não pode ser desrespeitado” ou seja o INSS bem safado quis prejudicar o beneficiario do inss condicionando a aposentadoria a deficientes a “abrir mão” deste direito! isso é inconstitucional já que o beneficio foi concedido até 10/11/1997. o mesmo deverá ser restabelecido via judicial, portanto amigos não desanimem, pois direito adiquirido é direito e não podemos nos deixar levar pelas manobras que vem com intuito apenas de nos confundir e abrir mão de um direito constituido.
    Abraços.

    Responder

  309. BOA NOITE MINAS GRAIS DE LINDAS MINEIRAS

    Responder

  310. fernando

    no caso desta renda mensal vitalicia, tenho instituto de seguridade social e pretendo receber renda mensal vitalicia deste instituto neste caso nao poderei receber?

    Responder

  311. fernando

    A Aposentadoria por Tempo de Contribuição da Pessoa com Deficiência não pode ser acumulada com os seguintes benefícios:
    Auxílio-doença;
    Auxílio-acidente;
    Outra aposentadoria;
    Abono de permanência em serviço extinto em 15/04/1994, Lei nº. 8.870;
    Seguro-desemprego;
    Renda Mensal Vitalícia;
    Benefícios Assistencial Idoso ou Deficiente – LOAS.

    Responder

  312. Paiva

    Walter boa noite,

    Você poderia ter aproveitado a sua estada na agencia do INSS e ter pedido uma senha e ter agendado. foi o que eu fiz.
    Eu só recebi a carta hoje, mas antes eu agendei dizendo que tinha recebido a carta e queria uma cópia e já dei entrada no recurso.
    Eles querem é ganhar tempo.

    Na minha carta dizia assim:

    Decisão: Indeferimento do Pedido
    Motivo: Falta de Tempo de contribuição. Não comprovação da condição de segurado com deficiencia junto à pericia do INSS.

    Veja só a maluquice da carta: A Previdencia comunica que, após a análise dos documentos e da avaliação médica e social, não houve enquadramento da deficiencia declarada como Leve, moderada ou grave, não sendo preenchido portanto, o tempo de contribuição necessário para a concessão de aposentadoria por tempo de contribuição àpessoa com deficiencia, na forma prevista no art. 3 da Lei complementar 142.

    Só que na cópia está bem claro que tenho 26 anos e 10 meses de tempo de contribuição, inclusive estou recebendo auxilio-doença.

    No seu caso, se você voltou a contribuir depois do tempo de auxilio, as contribuição do auxilio conta sim.

    Responder

  313. Walter

    Boa Noite a todos.
    Andreia , Mariza , Jose ANTONIO , Paiva e Miguel : hoje faz 35 dias que estou aguardando a carta da Previdência, mas não chegou ate momento, então resolvi ir hoje no posto da previdência para averiguar a demora da carta e nisso atendente pediu numero NB e falou que se encontra como indeferido o meu processo ( falta de tempo de contribuição ate 16/12/1998 ou ate DER) . Lembrando do caso da Andreia , resolvi pedir a Copia do Processo , só que tem que agendar no fone 135 e depois marcar a data e horas para estar no posto da previdência para retirar a copia, mas quero ver a copia primeiro. Agora vai minhas duvidas : posso pedir o Recurso a previdência para nova Contagem , motivo fiquei seis anos como auxilio doença , será que entra na contagem???? Estou um pouco indeciso e preciso de uma orientação qual passo a seguir . Desde já agradeço……….

    Responder

  314. UM ÓTIMO DIA 6 DE JUNHO P VOCES.

    Responder

  315. ROBERTINHO DE GLORIA

    Notícias

    Aprovado PEC que trata da aposentadoria de pessoas com deficiência
    quarta-feira, 4 de junho de 2014
    Por: Heloíse Gimenes Foto: Giuliano Lopes

    Projeto de Emenda Constitucional foi aprovado na sessão de hoje. Três proposições foram aprovadas pela Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (4/6). Em segunda votação, o PEC (Projeto de Emenda Constitucional) 08/13, de autoria do deputado Pedro Kemp (PT), que determina que em Mato Grosso do Sul as pessoas com deficiência poderão se aposentar aos 25 anos de tempo de contribuição, se homens, e aos 20 anos, se mulheres, no caso de segurado com deficiência grave.

    O PEC também garante a aposentadoria aos 29 anos de tempo de contribuição, se homem, e 24 anos, se mulher, no caso de segurado com deficiência moderada. No caso de segurado com deficiência leve, a proposta compreenderá aposentadoria aos 33 anos de tempo de contribuição, se homem, e 28 anos, se mulher.

    O projeto ainda estabelece a aposentadoria a pessoas com deficiência aos 60 anos de idade, se homem, e 55 anos de idade, se mulher, independentemente do grau de deficiência, desde que cumprido tempo mínimo de contribuição de 15 anos e comprovada a existência de deficiência durante igual período. A medida também abrange os servidores públicos estaduais.
    - See more at: http://www.al.ms.gov.br/Default.aspx?Tabid=56&ItemID=40567#sthash.x58erzGl.dpuf

    Responder

  316. Clovis Oliveira

    José Antonio as informações do INSS, pelo que sei estão corretas, aproveita e aceita tua aposentadoria vamos dizer ¨correndo¨. João as tuas informações não procedem, vá ao INSS ou consulte no google para que tu confirme as informações que deram ao José Antonio.

    Responder

  317. Rogerio Luis

    Oi Mariza, muito obrigado pelas palavras, tenho percebido também esse fato, meu medo é chegar lá e não conseguir, dificil pra gente que se dedicou tanto a empresa e nos tratam com total descaso. Vamos lutar juntos, essa união no blog do Leo faz milagres e nos autoajudamos e vencer muitas barreiras. Att Rogerio.

    Responder

  318. Joao

    Isto quer dizer , se voce contribuiu desde de julho/94 ate hoje sem falhar um mes, sao 239 contribuiçoes. entao o Inss calcula os valores mes a mes atualizados por um indice que não a composição e pega os 191 maiores(80% de 239). entao soma e divide por 191.

    Responder

  319. Joao

    Jose Antonio.

    Ou te deram informação errada ou voce entendeu errado. A media é feita com 80% maiores contribuiçoes e nao 80 maiores contribuiçoes.

    Responder

  320. Jose Antonio

    Clovis Oliveira, eu fui no inss hoje e eles me informaram que era 80 maiores contribuições de 1994 até hoje, ele me deram grau leve, e eu perguntei se eu esperasse mais 1 ano e 6 meses para completar os 35 anos de contribuição, ele me deram um conselho, que era para eu pegar essa aposentadoria, pois se eu for pela normal, eu iria entrar no fator previdenciario ai eu ia receber menos ainda, ai fui num advogado previdenciario e ele me disse a mesma coisa.

    Responder

  321. salatiel jose de sou

    Gostaria de obter informação , por que os monoculares ficaram de fora da lei complementar 142-13?

    Responder

  322. Mariza

    Olá Rogério Luiz, fiquei triste pela sua demissão , lembro que vc queria continuar trabalhando…mas vc sabe que estava em estabilidade, não podiam ter te demitido. Eu também fiz pericia dia 08/05 e até agora não obtive resposta, liguei hoje no 135 e me disseram para aguardar ou ir até a agencia para me informar melhor. Mas o que me tranquiliza é que até hoje os pedidos negados tiveram respostas rápidas, os que demoraram mais de 20 dias foram concedidos.

    Responder

  323. Rogerio Luis

    Graças a imensa demora do INSS em decidir sobre meu pedido de aposentadoria por deficiencia, fui demitido depois de 30anos 08meses e 10dias na mesma empresa, tenho mais 09meses como estágio remunerado, ainda assim fico frustrado pelo Banco que me dediquei tanto tempo e só me deixou sequelas e ainda em tratamento de Bursite, mesmo assim o Santander me demitiu, um descaso com as leis trabalhistas, um descaso com quem contribui por uma vida ao inss, agora as forças se redobram para buscar meus direitos seja contra o banco, seja contra o inss. fiz pericia social em 05de maio, percebo que muitos deficientes já obtiveram a resposta, não sei se é bom ou ruim demorar tanto, ainda consta beneficio habilitado, é a unica esperança pq na rua com mais de 45anos colocaram um abismo pra que possa encontrar um emprego. Ainda na espera pela luz no fim do tunel…

    Responder

  324. Carlos Prado

    Olá Clóvis.
    Não sei nada de como me enquadraram.
    Devem ter me considerado normal
    Consultei no site minha situação.
    Ainda não recebi a carta e não liguei 135 ou fui a agência.

    Responder

  325. Clovis Oliveira

    Carlos Prado a minha decisão foi muito semelhante a tua, o que entendi com isso é que não nos consideraram deficientes, eles não me deram o resultado da minha perícia, tu foste enquadrado em algum grau de deficiência?

    Responder

  326. Carlos Prado

    Olá pessoal.
    No site da previdência calculei meu tempo de contribuição e vejam o resultado:
    Tempo de contribuição até o momento (04/06/2014) (?) 27 anos 5 meses 20 dias
    Tempo de contribuição até a Emenda Constitucional n. 20/98 (?) 12 anos 0 meses 2 dias
    Tempo de contribuição até a lei n. 9876/99 (?) 12 anos 11 meses 14 dias
    Tempo a cumprir para aposentadoria integral(?) 7 anos 6 meses 10 dias
    COMUNICAÇÃO DE DECISÃO

    Número do Benefício: 1646849997 Espécie: 42
    Ao(a) Sr(a): CARLOS ALBERTO DO PRADO

    ASSUNTO: Pedido de Aposentadoria por Tempo de Contribuição
    DECISÃO: Indeferimento do Pedido.
    MOTIVO: Falta de tempo de contribuição até 16/12/98 ou até a data de entrada do requerimento.
    FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Emenda Constitucional nº 20 de 16/12/98 e Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048 de 06/05/99, Art. 187.

    Em atenção ao seu pedido de Aposentadoria por Tempo de Contribuição, formulado em 03/12/2013, informamos que, após análise da documentação apresentada, não foi reconhecido o direito ao benefício, pois até 16/12/98 foi comprovado apenas 12 anos, 00 meses e 02 dias, ou seja não foi atingido o tempo mínimo de contribuição exigida, 30 (trinta) anos se homem e 25 (vinte e cinco) anos se mulher, nem tampouco comprovou na data do requerimento o período adicional de contribuição equivalente a, no mínimo, 40% do tempo que, em 16/12/98, faltava para atingir o tempo mínimo exigível nessa data.

    Tempo de contribuição apurado até a DER: 26 anos, 11 meses e 19 dias.
    Tempo mínimo necessário até a DER: 35 anos, 00 meses e 00 dias

    BRINCADEIRA ESTA LEI.

    Responder

  327. ZÉZITO

    UMA BOA NOITE FRIA HUMMMMM

    Responder

  328. Clovis Oliveira

    José Antonio, quantos anos de contribuição tu tens?

    Responder

  329. Clovis Oliveira

    Adeilson Marinheiro o melhor é pesquisar no google, me parece que é a média das 80 maiores contribuições desde 97.

    Responder

  330. Adeilson Marinheiro

    Antônio, o salário sem o FATOR PREVIDENCIÁRIO é o resultado de 80% da média das últimas 180 contribuições. Para que uma pessoa venha a receber 3.512,19(que é o máximo que alguém pode receber do INSS) é necessário que esta pessoa tenha contribuído nos últimos 15 anos(180 meses)sempre pelo teto do SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO, que hoje está em 4.390,24(11% disto dá 482,93 valor a recolher para o INSS).

    Responder

  331. Jose Antonio

    Gente alguém pode me explicar, pois recebia a carta do INSS ontem me concederam a aposentadoria, mas como grau leve, sendo que tenho paralisia infantil desde criança nas duas pernas e escoliose na coluna, e além de tudo veio com salario erra com fator previdenciário sendo que a lei complementar 142 fala que é 100% do salario, eu recebo 3.736,00 e veio para 1.821,00, vou a manhã no INSS, se não conseguir meu salario normal, vou procurar um advogado previdenciário.

    Responder

  332. BOA TARDE AMIGOS.ESSE É O NOME DE MEU PROGRAMA.

    Responder

  333. Ananias

    Boa tarde a todos
    Creio que recurso no INSS não mudará nada somente a justiça mesmo.
    Alguém que acompanha este espaço aqui já entrou na justiça? Aqui em Goiânia nem marcaram ainda as perícias…

    Responder

  334. Aline

    Obrigada, Clóvis. Ainda estou aguardando o resultado mas como boa mineira ,sou precavida.
    Abs

    Responder

  335. Clovis Oliveira

    Bom dia Aline, no primeiro momento deverá ir ao INSS e eles te darão um formular próprio para recurso e assim nós vamos indo aos trancos e barrancos.

    Responder

  336. Aline

    Bom dia a todos, Aguardo o resultado da minha pericia médica de 20 de maio. Tive pólio. Vi alguns aqui com resultados negados. Enquanto espero meu resultado, me preparo para a possibilidade de que seja negada e gostaria de saber como proceder. Alguém já entrou com recurso? Como se faz? Sou do RJ. Abraços e agradeço se alguém puder responder.

    Responder

  337. Miguel Batista Evang

    Bom dia amigos,
    Vamos enviar e-mais para o PAPA FRANCISCO, e vamos começar a festejar, pois em breve teremos vários feriados, serão tantos que nem precisaremos mais de aposentadoria, afinal com tantos ” milagres ” acontecendo, vamos pedir a canonização dos peritos médicos e assistentes sociais do INSS, são tantas curas que estão realizando que sem duvida serão declarados ” SANTOS “. Desculpem, ( rsrsrsrs )

    Responder

  338. Vladimir

    Nobre Vereador Leonardo Mattos.
    Bom dia!
    Certamente, o senhor continua acompanhando as publicações neste “site”, que é de sua propriedade. Assim espero.
    E como protagonista da Lei 0142/13, está tomando conhecimento das barbaridades e do desrespeito a Lei que estão sendo cometidas.
    A Lei 0142/13 é clara, o beneficio CONSTITUCIONAL da aposentadoria para pessoas com deficiência.
    Conforme dito por vários de nossos amigos, que irão ter que recorrer a Justiça, para se defender de um Questionário preenchido para atender, não sei qual interesse, que uma pessoa acometida de Poliomielite (DOENÇA INFANTIL) não É DEFICIENTE. É no mínimo uma piada.
    Por isso, peço ao nobre Vereador, que embora estejamos próximos a campanha eleitoral e talvez seja impedido de qualquer ação nesse sentido. Se utilize dos meios que possui, para intervir junto a Secretaria Nacional da Pessoa com Deficiência ou mesmo junto a Presidência da República, que busca à reeleição. No intuito de sensibilizá-los, mostrando a eles os absurdos que vem sendo cometidos por alguns profissionais, que em lugar de se utilizar de seus conhecimentos acadêmicos, atestando o que é fato: existe a deficiência, e seus efeitos limitam a pessoa em competir com igualdade de forças com pessoas “normais”.
    Se limitam a preencher uma ficha NÃO técnica, com perguntas que chegam ao cúmulo do ABSURDO. Criadas certamente por um tecnocrata de plantão e claro, NÃO deficiente. Sem ao menos, utilizarem o BOM SENSO, que aliás na maioria das vezes, é um divisor de águas do equilíbrio entre a verdade de fato e de direito.

    Responder

  339. Joao

    Eh Ribamar,
    concordo com voce, a um tempo atras postei uma planilha aqui com as 41 questoes e como eu imagino que seria a melhor classificacao dos peritos.Entao, seria bom a gente usar isto na hora da pericia, vamos tentar induzir o resultado, tipo , eu tenho polio, ando de benguelas.

    Nos itens comer e beber nao tenho nenhuma dificuldade propriamente dita, mas na hora em que eu tiver a palavra, acho que me darao em algum instante, vou frisar minhas dificuldades de me alimentar na empresa, tenho que andar uma boa distancia para chegar ao restaurante, preciso de ajuda de alguem para colocar os alimentos na bandeja(muitas das vezes tenho que esperar ter alguem disponivel para isto) e etc. Com este tipo de coisa a gente perde alguns pontinhos que farao diferenca no final.

    Responder

  340. um bom dia 4

    Responder

  341. salatiel jospe de so

    Gilson , também sou monocular com 33 anos de contribuição, gostaria de saber de você qual a medida você vai tomar, desse jeito devo nem entrar com a documentação.

    Responder

  342. Clovis Oliveira

    Muito bem lembrado João, a deputada rosinha da adefal pode nos ajudar, alias é a unica associação de deficientes que realmente aparece as outras milhares que tem por ai a gente não vê falar.É Ananias e Paulo são os milagres da Dilma.

    Responder

  343. Ananias

    Olá Paulo, viu só o poder da “nossa lei”… está operando milagre, sua deficiência foi curada! Glória a Deus! estão brincando conosco…

    Responder

  344. Paulo

    Olá Ribamar,
    Também fui considerado pessoa sem deficiencia. Não consegui provar que sou deficiente. O INSS conseguiu num passe de mágica, eliminar minhas deficiencias, ou seja, sequelas na perna, braço, mão, coluna.
    Gente, não acredito, não possuo mais deficiencias, limitações, sou uma pessoa normal…Não tenho direito a Lei 142.

    Tô repensando a vida, mais uma barreira..
    Paulo.

    Responder

  345. Paiva

    Ribamar boa tarde,

    Você pode dá entrada no recurso no próprio INSS, como eu fiz hoje, vou apenas aguardar se permitirão que eu faça outra vez a perícia, caso seja sim farei e caso não já estou com a documentação para impetrar ação na justiça

    Responder

  346. ZEZINHO DAS CONDONGA

    OI GENTE

    Responder

  347. salatiel jose de sou

    Alguém pode me informa baseado em q nós monoculares ficamos de fora da lei complementar 142-13?

    Responder

  348. Joao

    li uma reportagem sobre a cobranca da deputada Rosinha da Adefal sobre o processo de concessao da aposentadorisa especial para deficiente . Acho que ela pode ser o nosso canal para acerto destas discrepancias na determinacao do grau aqui comentadas. Quem sabe se passarmos a ela nossas experiencias ajuda a tornar mais justas as regras.

    Responder

  349. salatiel jose de sou

    o q entende q nos momoculares ficamos de fora

    Responder

  350. Ribamar

    Prezados amigos
    Sou portador de poliomielite no MID desde os 5 meses de nascido (agosto/1957). Trabalhei numa grande empresa durante 33 anos na cota de PPNE. Assim que a lei 142 foi aprovada, pedi para me mandar embora sem justa causa. Dei entrada no pedido de aposentadoria e fiz as duas avaliações, ao mesmo tempo. Fui examinado pela médica que preencheu o questionário de avaliação e pelo Assistente social. Ao final, falaram que o meu grau “seria” leve e que deveria aguardar a carta em casa ou mesmo através do cadsenha. Para minha surpresa, houve indeferimento. Fui ao posto e peguei, na mesma hora, cópia do processo e agendei recurso. No processo só constava que o total de pontos 8200, ou seja, não possuo qualquer tipo de problema.
    Estou elaborando uma ação junto ao juizado especial federal.
    Segue um “alerta” à todos: Se você for honesto na hora de responder às perguntas, você não será considerado deficiente, então, o melhor é fazer uma planilha com as 41 perguntas e pontuar da maneira que vc achar melhor e o resultado tem que ficar abaixo dos 7.584 pontos senão…já era!
    Este questionário é simplesmente perverso, então temos que nos preparar e se possível, MENTIR, pois vale somente a pontuação.
    Abs.

    Responder

  351. Andréia Figueiredo

    Giordano, boa tarde,
    Desculpe o atraso na resposta, pois estava em recuperação de cirurgia e estive ausente, na minha cópia do processo tive 2 avaliações, uma como moderada 10 anos e outra leve, 15 anos e meio, pois foi descontado 6 meses que estive afastada por auxilio doença, na cópia de meu processo, na última folha diz foi indeferido por falta de tempo de contribuição e que na data da entrada do requerimento completei 27 anos, 3 meses e 25 dias, e que o mínimo requerido seria 28 anos, não vou recorrer pois no meu caso faltariam meses, pois meu requerimento foi em 24/01/14, fui avaliado como grau leve e moderado.
    Quanto a sua dúvida: o que quer dizer “tempo de carência em contribuições” e “tempo de carência considerada”, no meu caso deu 303 que seriam os meses, que daria 25 anos e meio de tempo que tenho de contribuição. No seu caso 374 meses, seriam 31 anos e 2 meses, nesse caso como leve faltariam 1 ano e 10 meses, em minha carta veio especificado na última folha.
    Espero ter ajudado
    Deus abençoe, abraços à todos.

    Responder

  352. Clovis Oliveira

    Gilson Luiz li sua postagem e fui no google e encontrei esta postagem, mas na verdade interessa a nós todos que temos deficiências, afim de nos inteiramos mais, creio que esteja atualizado não sei se há outra lei mais atual e especifica.
    1. Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004 – Presidência …
    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004…/2004/decreto/d5296.htm
    o
    o
    o
    DECRETO Nº 5.296 DE 2 DE DEZEMBRO DE 2004. …… (Redação dada peloDecreto nº 5.645, de 2005). § 1o O processo de regulamentação de que trata o …

    Responder

  353. HAROLDO DINIZ

    BOA TARDE A TODOS!!!!

    GILSON LOPES INFELIZMENTE SUA ESPOSA NÃO TEM NEM COMO RECORRER, POIS JÁ EXISTE JURISPRUDÊNCIA NOS TRIBUNAIS, INCLUSIVE NO STJ, QUE COLOCA OS MONOCULARES COMO PESSOAS SEM DEFICIÊNCIA. LÓGICO, QUE ESSA MESMA JURISPRUDÊNCIA PODE SER MODIFICADA EM ALGUM MOMENTO FUTURO. FICO TRISTE POR VC E ESPOSA.

    Responder

  354. Gilson Luiz Santos L

    Hoje com pesar, minha esposa recebeu a noticia do indeferimento de sua aposentadoria. Ela é portadora de visão monocular desde sua infância. Trabalha a 29 (vinte e nove) anos contribuindo para o INSS. Comprovou a deficiência durante todo o periodo trabalhado com laudos médicos. Superou todas as suas limitações, que são próprias dos monoculares. A Lei 142/13, foi editada para àquelas pessoas que trabalharam com limitações. Não consigo entender no que se baseia o INSS ao dizer que um portador de visão monocular é equiparado ao que tem visão binocular, pois não considera a deficiência nem como leve.

    Responder

  355. ZEZINHO

    BOM DIA NEGADA

    Responder

  356. Jose Aparecido

    Olá amigos passei pela perícia dia 27/05 a médica foi legal perguntou se sabia dirigir se cozinhava enfim poucas perguntas mais não tocou em mim não pediu pra ver minha perna tenho sequelas de pólio de 02 anos pediu alguns documentos mais o mais seguro é a reservista. dia 03/06 farei com assistente social

    Responder

  357. Clovis Oliveira

    Luiz Carlos, nós homens deficientes só podemos encaminhar a pericia se tivermos no minimo 25 anos de contribuição, Eu tenho 28 anos provado já no INSS e eles disseram que tenho 13 anos de contribuição. Então o erro já começa por ai.Amigos eu prefiro me comunicar pelo face in box, meu face é Clovis Oliveira Viva Sapucaia, mas não há problemas continuar por aqui.

    Responder

  358. Clovis Oliveira

    Luiz Carlos boa noite, fui no outro dia, mas não encontraram minha pericia pelo menos foi o que me disseram e me deram o formulário para mim entrar com o recurso, alegaram que era muito recente meu resultado, mas isso é só desculpa. Sugiro então que tu espere um dia ou dois para tramitar internamente os documentos, mas não precisa esperar a carta chegar. Minha deficiência é visual, enxergo 10% de uma pessoa normal, tenho acromatopsia e fotofobia espero que classifiquem como moderada se não entrarei na justiça.

    Responder

  359. Zezé Marques

    Boa tarde amigos!

    Algum tempo atrás, alguém postou um site que podemos fazer uma simulação para aposentadoria por tempo de serviço que é bem melhor e mais fácil que o da previdência (dataprev) alguem se lembra ou tem este site para me ajudar, não consigo encontra-lo. obrigada

    Responder

  360. luiz carlos

    Clóvis outra pergunta qual sua deficiencia e qual foi o grau que o Inss te classificou.
    Abraços.

    Responder

  361. luiz carlos

    Boa noite clóvis, voce esperou receber a carta em casa ou foi no Inss assim que viu no site que tinha sido indeferido? e outra coisa que preciso saber de você, caso tenha recebido a carta o que ela diz (grau que foi classificado e tempo que falta), pois estou com vontade de ir ja na segunda feira mesmo sem a carta para pedir sei lá informações sobre minha pericia ou cópia da do meu laudo médico acho que é isso, me corrija caso esteja errado. Agradeço sua atenção e se puder me responder fico muito grato. Boa noite e bom final de semana.

    Responder

  362. ZEZINHO

    É ESSE ANO KI TEM ELEIÇÃO??

    Responder

  363. Clovis Oliveira

    Luiz Carlos boa noite, sugiro que vá ao INSS, foi o que fiz, creio que tu terá que entrar com recurso, pois aconteceu o mesmo comigo eles não contarão uma parte das minhas contribuições.

    Responder

  364. JOSÉ WILSON

    BOA NOITE MARCOS

    MINHA PERÍCIA FOI TRANQUILA. A MÉDICA FOI MUITO LEGAL. RESPONDI TODAS A PERGUNTAS, POR SINAL, POUCAS. ELA PEDIU PARA EU TIRAR A CALÇA PARA ME EXAMINAR FISICAMENTE, JÁ QUE MEU PROBLEMA FOI PARALISIA INFANTIL NO MEMBRO INFERIOR ESQUERDO. APRESENTEI TODA A DOCUMENTAÇÃO SOLICITADA. GOSTEI MUITO DA PERÍCIA, SÓ NÃO SEI O RESULTADO PORQUE A PERITA NÃO CONSEGUIU ACESSAR O SITEMA NA HORA, POR ISSO NÃO FOI CONCLUIDO O TRABALHO. AINDA ESTOU AGUARDANDO A LIBERAÇÃO DA PERITA PARA PASSAR PELA AVALIAÇÃO SOCIAL.
    ABRAÇOS.

    Responder

  365. Miguel Batista Evang

    Washington, agora esta claro seu entendimento tanto como do Leonardo. Eu tenho buscado informações na internet, e confesso que não encontrei unanimidade. Voce então diria que no meu caso, recebo beneficio desde Novembro de 1979 teria 34 anos e 6 meses de contribuição? Qual a fonte, onde voce encontra resposta tão positiva, contundente/

    Responder

  366. FÁBIO MARCELINO

    Companheiros. Tive minha aposentadoria concedida em 05/05/2014. Tenho 35 anos de contribuição, paralisia infantil no MID. Fui classificado como grau leve. Boa sorte a todos, contando com as bençãos de DEUS.

    Responder

  367. Washington de jesus

    Miguel o auxilio acidente não só conta como também aumenta o seu valor de contribuição , o que pode aumentar o valor da sua aposentadoria.
    O auxilio doença , caso você se aposente logo em seguida, este tempo não será contado, mas caso você volte a contribuir normalmente depois do auxilio este tempo será contado.E para finalizar o Leonardo de Mattos está dizendo a mesma coisa que eu.

    Responder

  368. Joao

    Alex

    Conta sim , so nao conta para a carencia de , no minimo, 180 contribuicoes(para calculo da media salarial), mas como contagem do tempo conta sim

    Responder

  369. ZEZINHO

    DEFICIENTE TA MESMO SEM MORAL COM COM OS POLITICOS…

    Responder

  370. MARCOS

    BOM DIA JOSE WILSON DE SANTANA DE IPANEMA SERTÃO DE ALAGOAS, CADE VOCÊ PARA CONTAR COMO FOI SUA PERICIA EM MACEIÓ. AGUARDO COMENTÁRIOS. ABRAÇOS.

    Responder

  371. Miguel Batista Evang

    Bom dia Alex, Washington, bom dia a todos.
    A diferentes interpretações sobre o tema. Washington veja que a sua resposta é contraria a do Leonardo Mattos. No meu caso o INSS não considerou o tempo que recebo AUXILIO ACIDENTE como tempo de contribuição. Agendei retorno para o dia 20.08.14, onde vou recorrer contra esta decisão, enquanto espero esta eternidade vou juntando informações colhidas na internet e mais proximo do agendamento vou procurar um advogado que me ajude a montar o processo para recorrer.

    Responder

  372. Mariza

    “aposenadoria normal”

    Responder

  373. washington de jesus

    Para completar: DER = Data de Entrada do Requerimento

    Responder

  374. Washington de jesus

    Prezado Alex, bom dia!
    sua pergunta já havia sido respondido algum tempo atrás, inclusive eu já havia dito algo no dia 21/05.
    ao amigo Miguel evangelista eu lhe respondi , só não sei se você recebeu.
    Um abraço!

    Responder

  375. Mariza

    Olá Luiz Carlos, olha é melhor você esperar a carta, ela contém mais informações, é precisoq ue na carta esteja mencionando Lei 42, é assim que estão tratando a lei 142, é bom ficar de olho , pois já houve casos que o INSS tratou d eaposentadoria norma, e é o que está parecendo no seu caso. Se não constar o nº 42 , vc deve procurar a agencia.

    Responder

  376. ZEZINHO

    VEM AI COPA DO BRASILLLLLLL

    Responder

  377. Alex

    BOA NOITE A TODOS

    TINHA ESTA DÚVIDA E PERGUTEI AQUI. NÃO TIVE RESPOSTAS RTESULVI PURGUNTAR AO AUTOR DA LEI, VEJAM A RESPOSTA DO LEONARDO.

    DÚVIDA:

    Estive afastado do banco 06
    Meses com acidente de trabalho em 2010 Cod: B91 e atualmente estou afastado até,Abril de 2016 também com o Cod: B91 (acidente de trabalho), gostaria de saber se este período vai ser descontado no cálculo da minha contagem de tempo para minha Aposentadoria

    RESPOSTA:

    Olá Alexsander.

    Obrigado por seu contato.
    O inciso IX do Decreto nº 3.048/99 diz que o período em que o segurado esteve recebendo benefício por incapacidade por acidente de trabalho, pouco importando se intercalado ou não, também conta como tempo de serviço.
    Completando a resposta para análise comparativa entre auxílo doença e auxílio acidente, o art. 55, II da Lei nº 8.213/91 e o art. 60, III do Decreto nº 3.048/99 possibilitam a contagem, como tempo de serviço, do tempo intercalado em que o segurado esteve em gozo de auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez, para fins de concessão do benefício.
    Abraço,
    Leonardo

    OBS:: JÁ LI AQUI QUE AUXÍLIO DOENCA/ACIDEBTE DE TRABALHO FORAM DESCONTADOS NO CÁLCULO DO TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO, DEVEMOS FICAR ATENTENTOS!

    Responder

  378. luiz carlos

    Mariza a mensagem é esta 24 – FALTA TEMPO DE CONTRIBUICAO ATE 16/12/98 OU ATE DER, sabe me dizer o que significa?

    Responder

  379. luiz carlos

    Boa noite Mariza, acabei de consultar e aparece benenificio indeferido e uma data de 26/12/98, voce sabe me dizer se na carta que é enviada para nossa casa tem mais detalhes ou tenho que ir no Inss e pedir cópia do laudo?
    Obrigado pela atenção, abraços.

    Responder

  380. Clovis Oliveira

    Luiz com certeza deve ser moderada pra grave tua deficiência. É chato mas se não for avaliada assim, entre na justiça pegue um bom advogado com certeza dará tudo certo apesar da demora.

    Responder

  381. Leandro Santos

    Boa noite. Tive meu pedido de benefício negado. Tenho perda auditiva moderada bilateral e 31 anos de contribuição. Gostaria de saber o que é melhor: Recorrer à Junta de Recursos da Previdência ou entrar na justiça direto? Grato. Abraços.

    Responder

  382. Walter

    Clovis, boa noite! Dia 30/05 a DATAPREV vai dar uma modernizada no sistema , pode ser que atualizam também. Verifique no site apartir do dia 02/06/2014 ou ligue para 135 como fez Jose Antonio e também na mensagem da Andréia , ela diz para ir na Previdência e pedir uma COPIA do PROCESSO. Abs ….

    Responder

  383. luiz carlos

    Boa noite Barradas e clovis, tenho poliomelite desde 1 ano e meio, utilizo par de muletas para me locomover, é que não fiquei animado com tudo o que me perguntaram e também com o médico que me falou assim independente do grau que eu for classificado o importante na visão dele é que não teremos o fator previdenciário em nossa aposentadoria. Mas agradeço o apoio de todos e obrigado Mariza pela dica, vou deixar para ver amanhã se encontro o resultado. Abraços a todos.

    Responder

  384. Clovis Oliveira

    Luiz qual tua deficiência

    Responder

  385. Clovis Oliveira

    Boa noite amigos Teofilo, Carlos Prado, Luiz e demais. Fui hoje pela manhã no INSS, há muitos desencontros, porém não esta tudo perdido, mas renovo meu alerta, muitas aposentadorias estão sendo deferidas por tempo de contribuição sem ser por deficiência o que prejudica nossa categoria, pois estão colocando o fator previdenciário contra nós quando ele só pode ser aplicado para nos favorecer, fiquem alerta.

    Responder

  386. Mariza

    Luiz ,não desanime, e você pode ver o resultado no site, entre no google , digite “situação do beneficio” abre a pagina “situação do beneficio” digite seus dados e terá o resultado, se estiver em analise aparecerá “beneficio habilitado” se tiver concluido aparecerá “beneficio concedido” ou “beneficio indeferido”…boa sorte!

    Responder

  387. BARRADAS

    Não desanime! Se você trabalhou a vida inteira em projetos importantes para você ate o fim de sua carreira, insista, siga paciente por cada passo do caminho. Nessas horas, transforme a paciência em sua maior virtude. boa sorte

    Responder

  388. BARRADAS

    Luiz não desanime, força cara vai dar tudo certo, qual e a sua deficiencia ?

    Responder

  389. luiz

    Boa tarde a todos, hoje fiz minhas pericias e o que tenho a dizer é que desanimei, tanto o médico como a assistente social não me passaram esperança em ter minha aposentadoria com grau moderado, agora terei que esperar 15 dias, caso não receba a carta tenho que ir no INSS para procurar o resultado.
    Abraço a todos e boa sorte.

    Responder

  390. MARCOS

    PEDRO TRIACA, MAS O SISTEMA JA CORRIGE AUTOMATICAMENTE OS SALARIOS DE CONTRIBUIÇÃO DA EPOCA, EU JA FIZ A MINHA E DEU TUDO OK.

    Responder

  391. ZEZINHO

    É ESSE ANO KI TEM ELEIÇÃO ???VAMOS COLOCAR O PÉ NO CHÃO NEGADAAAAAA.

    Responder

  392. Jose Antonio

    Walter foi por tempo de contribuição,pois tenho 33 anos e 4 meses, mas eu ainda não sei qual o grau de deficiencia, pois eu só sei que eu liguei p/ o inss e me falaram que foi concedida, mas eu tinha que esperar a cartinha chegar.

    Responder

  393. Pedro Triaca

    Marcos. Para se ter o cálculo exato você terá que aplicar os indices de correção sobre os salários de contribuição desde julho 1994. A tabela com os índices está no site da Previdência. Depois você pode até utilizar uma planilha excel para classificar as 80% maiores contribuições e fazer a média.

    Responder

  394. Teófilo Valdir Fert

    Bom dia,
    Clóvis, não desanime, o Paiva, um pouco abaixo, deu uma dica interessante para solicitar uma revisão da situação na agência, mas no seu caso também acredito que houve uma falha na decisão final, pois não fala em aposentadoria 142/13. Boa sorte.

    Responder

  395. Carlos Prado

    É desanimador ler os comentários.
    Sofremos discriminação até com esta lei.
    Ao Clóvis de Oliveira, pelo jeito sua avaliação não foi com deficiente.
    Volte no INSS e peça outra perícia.

    Responder

  396. luiz

    Boa noite Clóvis, acredito que houve engano na solicitação de seu pedido de aposentadoria, o mesmo não dever estar como aposentadoria para deficiente e por este motivo esta dando toda essa diferença de tempo, o que você deve fazer é ir no INSS e pedir cópia do laudo e lá sim vai dizer qual foi o grau que você foi avaliado e o tempo que te resta para trabalhar.
    Boa noite e boa sorte.

    Responder

  397. ZEZINHO

    HUMM

    Responder

  398. Clovis Oliveira

    Boa noite amigos, após postar para que todos fiquem alerta ganhei um balde de água fria. Tenho 28 anos e cinco meses de contribuição já comprovados com o INSS por isso foi me permitido entrar com o pedido de aposentadoria pois sou deficiente visual do contrário não faria a perícia. Se eu for considerado grau moderado me aposento em dezembro mais ou menos com 29 anos grau moderado. Olhem o absurdo da resposta do INSS em relação ao meu caso e esta se repetindo em diversas deficiências. Estão simplesmente desrespeitando os deficientes.

    Situação do Benefício Indeferido

    COMUNICAÇÃO DE DECISÃO

    Número do Benefício:

    1658814875

    Espécie: 42
    Ao(a) Sr(a):
    CLOVIS DUTRA OLIVEIRA

    ASSUNTO: Pedido de Aposentadoria por Tempo de Contribuição
    DECISÃO: Indeferimento do Pedido.
    MOTIVO: Falta de tempo de contribuição até 16/12/98 ou até a data de entrada do requerimento.
    FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Emenda Constitucional nº 20 de 16/12/98 e Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048 de 06/05/99, Art. 187.

    Em atenção ao seu pedido de Aposentadoria por Tempo de Contribuição, formulado em 16/12/2013, informamos que, após análise da documentação apresentada, não foi reconhecido o direito ao benefício, pois até 16/12/98 foi comprovado apenas 13 anos, 11 meses e 16 dias, ou seja não foi atingido o tempo mínimo de contribuição exigida, 30 (trinta) anos se homem e 25 (vinte e cinco) anos se mulher, nem tampouco comprovou na data do requerimento o período adicional de contribuição equivalente a, no mínimo, 40% do tempo que, em 16/12/98, faltava para atingir o tempo mínimo exigível nessa data.

    Tempo de contribuição apurado até a DER: 27 anos, 11 meses e 06 dias.
    Tempo mínimo necessário até a DER: 35 anos, 00 meses e 00 dias.
    Desta decisão poderá ser interposto recurso à Junta de Recursos da Previdência Social, dentro do prazo de 30 (trinta) dias contados da data do recebimento da presente comunicação.

    De acordo com o art. 103 da Lei 8.213/91, e suas alterações posteriores, é de dez anos o prazo de decadência para Revisão do ato de concessão ou de indeferimento do benefício.

    Atenciosamente,
    INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL – INSS

    AGENCIA DA PREVIDENCIA SOCIAL ESTEIO

    Exigências cumulativas para o recebimento deste tipo de benefício:

    1 – Comprovação de tempo de contribuição, observado o disposto no Art. 55 da Lei nº 8.213/91 e Art. 60 a 63 do Regulamento aprovado pelo Decreto nº 3.048/99;
    2 – Comprovação da carência, isto é, período mínimo de contribuições mensais. No caso de contribuinte individual ou empregado doméstico, a primeira contribuição a ser contada deve ter o seu pagamento efetuado dentro do prazo legal de vencimento (Art. 27, Lei nº 8.213/91 e Art. 30 da Lei nº 8.212/91);
    2.1 – O tempo de gozo de auxílio-doença ou de aposentadoria por invalidez, intercalado com período de atividade não é computado para efeito de carência e somente para tempo de contribuição (Art. 55, Lei nº 8.213/91 e Art. 60, Regulamento aprovado pelo Decreto nº 3.048/99);
    2.2 – O tempo de serviço como trabalhador rural, anterior à 11/91, não é computado para efeito de carência ( § 2º, Art. 55, Lei nº 8.213/91).

    Responder

  399. Vladimir

    Parabens a todos os amigos de luta que conseguiram suas aposentadorias.
    A minha pericia esta agendada para 15 de julho aqui em Curitiba.
    Ai,ai,ai que agonia; que ansiedade.
    Faltam 48 dias.

    Responder

  400. Leandro Santos

    Boa noite. Como minha aposentadoria foi negada, consultei um advogado hoje para pedir que me ajudasse a elaborar o recurso junto a Previdência, porém o mesmo me disse que é melhor ir direto à justiça, por que a Previdência leva mais de ano para julgar. Gostaria da opinião doa amigos deste blog, pois estou em dúvida se entro com recurso ou vou para a justiça direto. Abraços

    Responder

  401. MARCOS

    Boa noite a todos vou dar uma dica para que você faça uma simulação de seu salario como vai +/- ficar salario beneficio.
    1- Você deve cadastrar uma senha no INSS, lembrar que quando for cadastrar deve ser agendada pelo próprio site na opção AGENDAMENTO OPÇÃO CADSENHA.
    2- De posse da senha entre no site MPS e abra em extrato de contribuição previdenciária e lá vai constar todas as contribuições em alguns casos só vão constar a partir de 1985 foi quando o INSS informatizou.
    3- Imprima todas as contribuições previdenciária a partir de JULHO/1994 e depois abra a área de SIMULAÇÃO DO CALCULO DE RENDA DO BENEFICIO.
    4- Preencha todos os campos de julho/94 ate quando você deu entrada no processo de sua aposentadoria. E der o OK final o sistema automaticamente ira lhe fornecer +/- de quanto vai ficar o salario beneficio.
    OBS>: No formulário que você vai preencher não consta o item aposentadoria por tempo de contribuição da pessoa com deficiência ai você vai na opção aposentadoria por tempo de contribuição COD. 42 e altere sua idade para que o sistema aceite.
    Espero poder ter ajudado a todos.

    Responder

  402. Clovis Oliveira

    Boa noite amigos, fiquem atento aos cálculos, pois esta havendo erros de toda ordem. Pessoas com pólio não sendo consideradas nem grau leve, penso eu que seja um absurdo o que esta sendo feito por alguns peritos inescrupuloso. Aposentadoria com cálculo do fator previdenciário. No meu entender estão concedendo aposentadoria para quem tem direito pela lei antiga e não pela lei dos deficientes, fiquem alerta.

    Responder

  403. Walter

    Jose Antonio boa noite! parabens, queria saber se foi pela idade ou contribuiçao e que grau vc pegou?

    Grato!

    Responder

  404. Azevedu

    boa noite!
    Depois de quantos dias sai o resultado no site da perita e social? se foi ou não aprovado?

    Responder

  405. Eduardo Leão

    Mariangela, boa tarde.

    O calculo é pelas 80 maiores contribuições e eu tinha um salário muito bom quanto eu trabalhei 15 anos em um banco e isto foi computado, o meu salário atual é bem menor, sendo assim desprezado e além de tudo eu estou com 34 anos e dois meses de contribuição.

    Responder

  406. Antonio

    APOSENTADORIA CONCEDIDA!!
    A minha é por idade. Tenho 64 anos , 33 anos de contribuição. Vejamos: Por idade a lei diz: 70% + 1% por período de 12 meses, no máximo de 30 meses. (portanto, tenho mais 30%. Ficaria com 100%. Como não tem fator previdenciário, eu teria que ficar no mínimo com o salário que estou ganhando. Então: Ficou menor do que estou ganhando. Acho que foi aplicado o Fator no meu caso. Vou consultar um contador, mostrando os extratos. Um abraço!! Boa sorte aos demais que aguardam .

    Responder

  407. Mariangela

    Eduardo Leão, desculpa-me a intromissão, mas como vc. pode explicar como a sua aposentadoria ficou maior do quê o seu salário? Quantos anos vc. tem?-Tempo de contribuição?-Sabe o grau de sua deficiência? Estou perguntando porque a minha aposentadoria ficou mais ou menos 68% do salário que recebo trabalhando, não entendi porque tenho 53 anos e 10 meses de idade, 32 anos e 3 meses de contribuição, tive pólio perna direita e tb.afetou o olho direito fui classificada no grau grave, desculpa-me mas estou precisando entender esse cálculos, sei que posso pedir revisão, mais primeiro quero entender, por favor se vc. poder mim ajudar agradeço.

    Responder

  408. Silvia

    Boa-tarde Vera Lucia,
    Sobre isto não sei te dizer, mas acho que não vai influenciar pois você estará pleiteando o benefício por idade que é de 55 anos para mulher mas tem que ter 15 anos de contribuição. Mas você terá que pedir a cópia do processo, para recomeçar. Eu fui atendida nos dias 20/05 e 23/05 aqui em SCS, a assistente social me disse que tanto pelo o beneficio por idade ou por contribuição tem que ter as avaliações, para eles estarei mais aptos para os procedimentos, sei que é chato algumas perguntas mas temos que responde-las com toda a sinceridade. Atenciosamente

    Responder

  409. Adeilson Marinheiro

    Pessoal, fiz minha Avaliação Social ontém, a mesma foi feita por duas assistentes sociais, que foram logo mim dizendo que eu seria o primeiro a ser avaliado nesta nova modalidade de aposentadoria, e que também não sabiam direito como fazer a coisa. Sou portador de deficiência – PÓLIO aos 9 meses com atrofia de má formação na perna esquerda. A avaliação demorou umas duas horas, foi consativa e chata, pois elas repetiam as mesmas perguntas, no final pediram meu telefone e disseram que se ainda tivessem alguma dúvida mim ligariam, e que eu aguardasse.

    Responder

  410. ZEZINHO

    OI

    Responder

  411. Marcos Silva

    Caros amigos, acabei de verificar com indeferimento do meu beneficio sob alegação 166 FALTA DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃQ, outros colegas tiveram seu indeferimento com o código 164. Pergunto-lhes existe alguma diferença nos códigos?

    Responder

  412. Eduardo Leão

    Barradas,
    Sim o benefício virá retroativo a data do agendamento.

    Responder

  413. Vera Lucia

    Bom dia Silvia, eu fiz as pericias e a minha aposentadoria por tempo foi indeferida pois não fui enquadrada em nenhum grau de deficiencia(mesmo tendo sequelas de pólio).
    vc sabe se esse não enquadramento vai interferir na aposentadoria por idade tb?

    Responder

  414. Silvia

    Bom-dia, cara Cibele independente do benefício ser por tempo de contribuição ou idade, tem que ser feita a perícia médica e avaliação social.
    Atenciosamente

    Responder

  415. BARRADAS

    Obrigado Eduardo, quando o beneficio for pago virá os atrasados da data do agendamento até a consessão do beneficio conf diz a lei ?

    Responder

  416. Maria

    Bom dia a todos! Alguém está tentando se aposentar por idade nessa aposentadoria por deficiência? Será que o grau não conta mesmo? Obrigado.

    Responder

  417. Paiva

    Teófilo,

    você pode entrar com pedido de reconsideração.

    No meu caso fui avaliado como leve, como tenho certeza que a deficiencia é grave, entrei com o pedido e vou fazer nova perícia com outros peritos no dia 3 de junho.

    Entrei tambem com pedido de cópia do processo para para ter embasamento no futuro junto a justiça

    Responder

  418. Eduardo Leão

    Bom dia! Barradas,

    Quando você entra no site da previdência “Carta de concessão memória de calculo de benefício previdenciário” além das informações de valor do benefício, nome do banco, Ag, data da concessão do benefício etc…, vem também uma planilha com a média dos 80 maiores salários atualizados, no meu caso o meu benefício ficou bem maior do que o meu salário atual.

    Responder

  419. BARRADAS

    Bom dia Eduardo Leão,quando o beneficio é concedido o valor do beneficio será 100% , sendo o valor do salário a ser calculado é a média de 1994 até hoje, pergunto alguem já consegui saber se realmente isto acontece ? o beneficio à receber será + – o que a pessoa recebe hoje trabalhando ? se mas alguem tiver a resposta e postar aqui todos agradece. abçs

    Responder

  420. Jose Antonio

    Gente entrei no site do inss p/ver minha situação de beneficio, e estava constando que eu falta contribuição em um periodo, ai eu liguei agora no inss e a atendente me deu uma noticia boa, pois o sistema não estava atualizado, ela me disse que foi consedido minha aposentadoria, mas era para eu aguardar a cartinha do inss, estou muito feliz, agraça a meu bom deus eu vou consegui.

    Responder

  421. Vera Lucia

    Bom dia!
    Cibele e Clovis obrigado pelas repostas! O que notei é que se tivermos boas condições finaceiras apesar da deficiencia, por tempo de contribuição não vamos conseguir. Mas se a aposentadoria por idade isenta o grau vale a pena pq acho que entrando com recurso pode demorar… abraços e boa sorte pra todos!

    Responder

  422. Eduardo Leão

    Amigos, bom dia!

    Se vocês já entrarão no site da previdência e tiveram o benefício concedido entre novamente no site em todos serviços do cidadão e entrem na página “Carta de concessão memória de calculo de benefício previdenciário” depois entre no “Atendimento” e irá constar o valor do benefício, a data da concessão, o nome do banco pagador etc…

    Responder

  423. Teófilo Valdir Fert

    Bom dia,
    Em resposta ao Clóvis Oliveira, é o que estou pensando em fazer agora, entrar com um recurso, que tem o prazo de 30 dias. Até breve e obrigado.

    Responder

  424. Cibele

    Clovis obrigada pela sua resposta, apenas espero que eles também não inventem que não sou deficiente como fizeram com a Vera Lucia. Abraços!

    Responder

  425. Cibele

    Silvia, são dois tipos diferentes de aposentadoria:
    Uma por tempo de contribuição que você deverá passar pela perícia para determinar o grau de sua deficiência, a outra é por idade, 55 anos completos para mulher e mínimo de 15 anos de contribuição e neste caso o grau da deficiência deixa de existir. Veja o Diário Oficial. Abraços!

    Responder

  426. Silvia

    Bom-dia pessoal, estou notando que muitos que tiveram seus benefícios indeferido pelo o INSS não tem a idade completa exigidos pela lei. O que entendi é que as mulheres tem que ter 55 anos completos e homens com 60 anos, tanto para aposentadoria por idade como por tempo de contribuição. tenho pólio na perna esquerda e já fiz tanto a perícia médica como avaliação social, e fim muito bem atendida pela a médica como a assistente social no posto do INSS de São Caetano do Sul, elas me responderam todas as minhas dúvidas.
    Atenciosamente

    Responder

  427. Clovis Oliveira

    Cibele no teu caso grau leve te serve e acho que o fator previdenciário deve te favorecer elevando o valor da tua aposentadoria, pois tu trabalhaste e contribui muito mais do que a lei exige.

    Responder

  428. Clovis Oliveira

    Boa noite, Teófilo Valdir Fertig, não sei se tu pode entrar com recurso administrativo pedindo revisão, mas igual creio que tu podes entrar com um advogado que no minimo grau leve deves ser considerado deficiente.

    Responder

  429. Leandro Santos da Si

    Boa noite. Tenho deficiência auditiva moderada bilateral. Entrei com pedido de aposentadoria pela Lei 142/13 dia 19/05/14, aqui em Porto Alegre / RS, mas a mesma foi indeferida em 22/05/14.O perito médico me informou, no dia da perícia, que o meu pedido foi o primeiro que atendeu na APS na zona Norte. O perito só olhou para os meus exames de audiometria, não tirou cópia para anexar ao processo, não perguntou nada a respeito dos exames e foi lançando no sistema por sua conta. Pelo que entendi, e lendo os comentários já postados aqui, a perícia que vale mais é a perícia social, mas se for assim, nenhum deficiente auditivo vai conseguir se aposentar por esta Lei, haja visto que podemos trabalhar normalmente. Vu procurar um advogado para me ajudar a fazer o recurso e, se o recurso for negado, vou entrar na justiça. Abraço.

    Responder

  430. Teófilo Valdir Fert

    Boa noite, pessoal,
    Pois é, também foi indeferida minha aposentadoria por falta pontos “não sou considerado deficiente. Tenho má formação congênita no pé direito só tenho um dedo, encurtamento de 5 cm na perna direita que ocasionou com o passar dos anos uma lesão grave no joelho,não posso mais subir escadas, diferença na bacia e coluna, e para ajudar uma eventração diafragmática congênita que deixou meu pulmão esquerdo com 20% da sua capacidade, mas, vamos em frente….a vida continua.
    Parabéns aos que conseguiram e boa sorte aos demais.

    Responder

  431. Selma

    Mariza, tenho o mesmo problema que o seu, passei na pericia e meu pedido foi indeferido. Vc passou pela agência de Cotia SP .

    Responder

  432. Paulo

    Luiz,
    Postei dia 23.

    Boa sorte.

    Responder

  433. luiz

    Boa noite a todos, onde está o Paulo de Curitiba? estou esperando você postar como foi sua pericia aqui em curitiba.A minha é dia 28 e estou bem ancioso.

    Abraços a todos e parabéns para aqueles que já conseguiram sua merecida aposentadoria.

    Responder

  434. Eduardo Leão

    Amigos, boa tarde!

    Se vocês já entrarão no site da previdência e tiveram o benefício concedido entre novamente no site em todos serviços do cidadão e entrem na página “Carta de concessão memória de calculo de benefício previdenciário” depois entre no “Atendimento” e irá constar o valor do benefício, a data da concessão, o nome do banco pagador etc…

    Responder

  435. Cibele

    Vera Lucia, a minha curiosidade foi por que eu estou exatamente na mesma situação que a sua. Tenho 30 anos de contribuição, pólio na perna esquerda com atrofia, e faço 55 anos em outubro.Já passei pelas duas perícias e estou aguardando desde o dia 16/05 uma resposta. Eu não acredito que eles não considerem uma pessoa com pólio como deficiente, então é o que?Quanto a sua pergunta está no diário oficial que a pessoa com deficiência se solicitar a aposentadoria por idade ela mulher, deverá ter 55 anos de idade e 15 de contribuição e com 100% de aposentadoria se não me engano. Entre com recurso, pois isto é um absurdo! Boa sorte!

    Responder

  436. Clovis Oliveira

    Vera Lucia recorra, pois com certeza você foi injustiçada e entre na justiça se for preciso, tendo pólio você é considerada deficiente é o que entendo.

    Responder

  437. Vera Lucia

    Olá Cibele!
    Na verdade eu já tenho 30 anos de contribuição e em junho completo 55 anos mas não fui enquadrada nem com deficiencia leve! Sendo assim não fui considerada deficiente!! Sabe o que percebí? Essa lei infelizmente está dando o bolsa deficiente pois se vc conseguiu alguma coisa boa na vida mesmo deficiente vc não poderá ter o direito de quem anda de onibus, não casou, não tem filho e nem casa! É uma vergonha isso!

    Responder

  438. Cibele

    Vera Lucia, quanto tempo de contribuição você tem? Qual foi a sua classificação? Leve?

    Responder

  439. Vera Lucia

    Olá, boa tarde! Sou deficiente física, pois tive Pólio aos 9 meses e tenho sequelas desde então e tive a aposentadoria por deficiência negada como se eu não fosse deficiente! Alguém saberia me dizer se só existe a alternativa de entrar com recurso? A aposentadoria por deficiência por idade também é integral? Obrigado.

    Responder

  440. Wladimir

    Sr. Barradas, pela mínima literatura que estou tendo sobre o assunto, parece que quanto menos pontos obter melhor para arguir a aposentadoria. Um abraço.

    Responder

  441. Ananias

    Bom dia Fernando,
    Parabéns pelo seu sucesso. Você teve polio não é isso? Gostaria de saber quantos anos você tem de contribuição ao INSS e em que grau lhe classificaram. Ananias

    Responder

  442. Walter

    Bom dia para todos, segue pelo BLOG DA PREVIDENCIA SOCIAL

    Assunto = Sistemas da Previdência Social estarão indisponíveis na próxima semana

    A partir de 30 de maio até 1 º de junho, os sistemas de atendimento do INSS estarão indisponíveis nas unidades de todo país. A interrupção será feita, para que o Centro de Processamento da Empresa de tecnologia Informações da Previdência Social, DATAPREV, seja modernizado. Será interrompido também os serviços previdenciários disponíveis no portal da Previdência Social (www.previdencia.gov.br) e na Central de Teleatendimento, que é feito pelo telefone 135. Serviços como agendamento de atendimento, extrato de pagamentos, inscrição na Previdência Social, Guia da Previdência  entre outros, estão suspensos neste período. Os serviços voltarão a funcionar normalmente a partir do dia 2 de junho.

    ATE MAIS,

    Responder

  443. Rogerio

    Bom dia a todos, sou amputado de 3 dedos da mão esquerda e o (médico) não me avaliou em nada no mínimo teria que ser leve sou deficiente fisico, que absurdo deste médico.
    alguém do site houve o mesmo caso, por favor meu email é rogeriofmoreira@bol.com.br

    Responder

  444. fernando

    Não vi as notas, apenas as perguntas que mencionei, falei das dificuldades não uso bota ortopédica, qdo gasta a sola do sapato entorta o pé, causando dificuldade para andar então tenho que calçar apenas sapato com sola fina. quando ando arrasto o sapato no chão, causando as vezes quedas, porém levei o laudo médico com a cid da pólio, e o exame de eletroneuromiografia, crei o que mais pesou foi estes documentos.ainda não recebi a carta fiz a pericia dia 21 porém já está o resultado no site do inss.

    Responder

  445. BARRADAS

    Alguém poderia me responder : fiz a pericia com o Social e o que não entendi é que as perguntas que diz respeito a minha deficiênçia (surdez) ele me deu em todas 50 e 75 pontos e muitas outras do questionario ele não me perguntava e marcava logo 100 pontos o que significa ? será que estou enquadrado na possibilidade de me aposentar ? estou com a esperança ! obrigado

    Responder

  446. BARRADAS

    Fernando quanto tempo demorou da sua avaliação ao beneficio concedido ?
    vc conseguiu ver quantos pontos 50 e 75 vc ganhou ? quanto menos pontos ganhar dentro da nossa deficiencia é melhor ou pior? obrigado

    Responder

  447. Fernando Valente

    Pessoal ! Boa Tarde!
    Venho ao Blog, indicado por um amigo que tem Deficiência auditiva e está no processo de aposentadoria.
    Tenho Atrofia do Nervo Ótico na Vista Esquerda desde pequeno. Os Médicos acreditam que foi o Sarampo, pois estive 21 dias no Hospital e quase morri muito pequeno.
    Gostaria que me dissessem se está deficiência me concede a Aposentadoria Especial para pessoas com deficiência ?
    Procuro alguém neste caso meu, não vi ninguém aqui com essa deficiência. Por Favor se tiver alguém faça contato por aqui ou no e-mail
    ftvalente@gmail.com
    Se tiverem algo que me esclareça
    favor me responderem.
    Desde já agradeço – Fernando

    Responder

  448. Mariza

    Parabéns Fernando!!!! Fiquei feliz por vc e também por perceber que a maioria estão tendo seus benefícios concedidos, e aqueles que foram negadas devem entrar com recurso, mas a lei está valendo!

    Responder

  449. Giordano

    Andreia Figueiredo, muito boa tarde,

    Seguindo sua orientação, consegui a cópia do meu processo, fui avaliado como grau leve, quando o correto, a meu ver, seria moderado.
    Tenho uma dúvida: o que quer dizer “tempo de carência em contribuições” e “tempo de carência considerada”, será que é o tempo que falta para ter direito a aposentadoria? no meu caso está informando 374.
    Por favor, se puder me esclareça.
    Muito Obrigado
    Giordano

    Responder

  450. fernando

    Mariza entrei agora no INSS: beneficio concedido. Agradeço ao Leonardo e a todo o pessoal do site esperei desde 2010 agora vi que valeu a pena não ter aposentado antes, MUITO OBRIGADO!

    Responder

  451. fernando

    Mariza pretendo trabalhar mais 4 anos, e fazer um pé de meia pois toda aposentadoria, a não ser as super-especiais de políticos etc. as nossas tendem ao salário mínimo devido reajustes inferiores, aos 58 anos receberei uma previdencia privada dos correios a postalis, ai saio dos correios, porém este postalis está sendo saqueado,vamos ver se sobra alguma coisa para mim. grato.

    Responder

  452. Mariza

    Olá Fernando, pelo que alguns amigos postaram aqui , sim podemos continuar trabalhando pois não é uma aposentadoria por invalides, mas eu sinceramente quero desfrutar da minha aposentadoria..rs

    Responder

  453. Paulo

    Também passei pela pericia essa semana. Na médica, o médico checou vários exames, pediu para eu tirar a roupa, fez eu caminhar, testou movimentos, enfim vários exames, mas não fez pergunta nenhuma, senti que será grau leve da parte dele. Ficou com meu laudos emitidos por outros médicos que atestam que não sou grau leve.
    Na social, foi perguntado, como me declaro em relação a minha cor, qual minha escolaridade, se tenho habilitação, se me socializo bem em casa, se preciso de ajuda em casa, se posso me lavar sozinho, se posso preparar pequenas refeições, entre outras. Respondi todas as perguntas de forma sincera, dizendo que não fazia da mesma maneira que uma pessoa sem deficiência. Por exemplo, se tenho sequela de pólio na perna, há risco de quedas ao tomar banho, em me vestir, se tenho sequela na coluna e na mão, há dores e dificuldades em manusear panelas grandes, há dificuldades em amarrar sapatos, entre outros.
    Porém, considerei a pericia social mais importante que a médica. Muitos estão enganados em relação a avaliação social, a assistente foi muito gentil, perguntou sobre as barreiras e dificuldades por quais eu passo, e disse que o que tem mais valor é o meio em que o deficiente esta inserido. Não perguntou meu salário.
    Por exemplo, eu moro em região de fundo de vale, onde há morros , preciso subir e descer ruas íngremes para acessar o transporte publico, mercados, e até o transporte fretado da empresa. Falei da minha grande dificuldades que é acessar escadas, tanto na minha casa como no meu trabalho, falei também de situações sociais familiares, entre outros.

    Enfim, me resta aguardar, mas estou mais otimista com a pericia social do que a médica. Estou pleiteando grau moderado.

    Até + ..

    Responder

  454. Alex

    Boa Noite a Todos!

    MARIZA, muito obrigado pelas informações, mas continuo com dúvidas, trabalho a 25 anos no banco, tive que sair em 2010 06 mese
    com o cod: B91 (acidene de trabalho LER/DORT) e atualmente fui suspemsso do programa de reabilitação profissicional por 02 anos até abril de 2016, segundo o perito do CRP(Centro de reabilitação profissional),não tenho condições de me enquadar em outra função no banco, poe este motivo me afastou até abril de 2016, gostaria de saber se neste caso eu deveria pagar o meu INSS como automono? OBRIGAdo A QUEM PUDER ME AJUDAR!!!

    ALEX!!!!

    Responder

  455. fernando

    Obrigado Mariza, você pode me informar se poderei continuar trabalhando caso seja deferida minha aposentadoria especial.

    Responder

  456. Mariza

    Olá Alex, achei esta noticia ,talvez possa te ajudar:
    Com a decisão proferida na Ação Civil Pública 2009.71.00.004103-4/RS, válida para benefíciosd requeridos a partir de 14/5/2012 (data da intimação do órgão), o tempo em afastamento por benefícios temporários será contado para efeitos de carência em benefícios previdenciários.

    O que muda?

    Antes funcionava da seguinte forma: Para concessão de benefícios previdenciários, salvo aqueles isentos de carência, é necessário um número mínimo de contribuições.

    Tomemos como exemplo a aposentadoria por tempo de contribuição, que exige uma carência de 180 contribuições e o mínimo de 35 anos de trabalho para o segurado (homem).

    Caso o cidadão tenha contribuido por 15 anos (180 contribuições) e passados outros 20 em afastamento por auxílio-doença, por ezemplo, estes 20 anos serão contados como tempo de trabalho, mas não como tempo de contribuição.

    Alterando o mesmo exemplo: cidadão tem 10 anos de trabalho (120 contribuições) e outros 25 em afastamento (auxílio-doença). Pelas regras antes da ACP este não teria o direito à aposentadoria, pois faltar-lhe-iam 60 contribuições para cumprir a carência.

    Com a regra da ACP, o tempo em afastamento conta como carência, portanto este mesmo cidadão poderia pleitear a aposentadoria por tempo de contribuição.

    Outro exemplo para melhor ilustrar:

    O auxílio-doença previdenciário requer uma carência de 12 contribuições.

    Suponhamos que o cidadão inicia no seu primeiro emprego e sofre um acidente de trabalho no primeiro mês. Acidente de trabalho isenta de carência e este cidadão tem somente uma contribuição. O acidente foi grave e este passa 18 meses em afastamento. Retorna ao trabalho e 3 meses depois é acometido de uma pneumonia.

    Neste caso, pelas regras antes da ACP o cidaão terá 4 contribuiições para efeitos de carência e mais 18 meses de tempo de serviço, ou seja, em decorrência da penumonia (auxílio-doença previdenciário) não terá direito ao benefício, pois não cumpriu a carência de 12 contribuições.

    Já pelas regras da ACP o cidadão terá 22 contribuições para efeitos de carência, tendo então direito ao benefício.

    O único se não da ACP é que o período em afastamento deve estar entre períodos de constribuição, ou seja: contribuiu, afastou, contribuiu de novo.

    Assim, valerá como carência o tempo em afastamento nos benefícios:

    31-Auxílio-doença previdenciário;

    32-Aposentadoria por invalidez previdenciária;

    91-Auxílio-doença decorrente de acidente de trabalho;

    92-Aposentadoria por invalidez decorrente de acidente de trabalho.

    É isso.

    Responder

  457. Alex

    Boa Noite a Todos!,

    CLOVIS, já perguntei no 135, mas
    mas não tive uma resposta concreta, já lê comentarios aqui que forem descontados estes períodos, de afastamento por acidente de trababro cod: B91, gostaria de saber se mesmo estando afastado por acidente de trabalho LER/DORT e sindrome pós pólio deveria continuar contribuindo pa o INSS, FAVAR ALGUÉM PODE ME AJUDAR?

    Responder

  458. Mariza

    Olá Azevedu, A Assistente social não pede documentos, mas é bom levar os mesmos da pericia ,vai que ela resolve pedir algum.

    Responder

  459. Mariza

    Olá Fernando, você consegue verificar no site da previdencias ao seu beneficio antes da carta chegar, entra no google e digite “situação de beneficio” e entre na pagina que aparece a tela pedindo o nº do beneficio , vc coloca os dados e consegue ver, se estiver em analise estara´”beneficio habilitado” ser negado “beneficio indeferido” se for concedido “beneficio concedido” boa sorte!Tem pessoas que ficam sabendo no memso dia.

    Responder

  460. Clovis Oliveira

    Boa tarde Alex. Creio que a melhor informação é no 135.

    Responder

  461. Antonio Alvim

    Olá Pessoal
    SERVIÇO: Sistemas da Previdência Social estarão indisponíveis na próxima semana

    23/05/2014 11:40

    Do Rio de Janeiro (RJ) – O INSS informa que, em decorrência da modernização do Centro de Processamento da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (DATAPREV), no período de 30 de maio a 1º de junho, os sistemas de atendimento do Instituto estarão indisponíveis em todas as suas unidades. No entanto, as agências estarão de abertas somente para prestação de orientações e informações aos segurados.

    Esta interrupção também afetará os serviços previdenciários disponíveis no portal da Previdência Social (www.previdencia.gov.br) e na Central de Teleatendimento 135. Serviços como agendamento de atendimento, extrato de pagamentos, inscrição na Previdência Social, Guia da Previdência Social entre outros estarão indisponíveis.

    Os serviços estarão restabelecidos no dia 2 de junho.

    Informações para imprensa:

    Responder

  462. Alex

    Bom Tarde a Todos!

    Favor quem puder tirar a minha
    Dúvida, estive afastado do banco 06
    Meses com acidente de trabalho em 2010 Cod: B91 e atualmente estou afastado até, Abril de 2016 também com o Cod: B91 (acidente de trabalho), gostaria de saber se
    Este período vai ser descontado no cálculo da minha contagem de tempo para minha
    Aposentadoria?

    Responder

  463. Azevedu

    Prezados, bom dia!
    quais documentos tem que levar pra assist social? aqui só fala da perita?

    Responder

  464. BARRADAS

    Waldomiro Costa Bom dia, esta lei não se trata de aposentadoria de invalidez é por tempo de contribuição veja a resposta do INSS:
    Entre a data do agendamento do atendimento e a data da conclusão do processo pelo INSS, o segurado precisará continuar trabalhando?
    O direito do segurado, se efetivamente preencher os requisitos da Lei, conta a partir do dia em que ele agendou o atendimento. Assim, o pagamento também retroagirá a essa data.
    A decisão de continuar trabalhando, após o agendamento, cabe exclusivamente ao segurado, tendo em vista que o INSS, não terá meios de confirmar se os requisitos estarão preenchidos, antes do atendimento, onde será realizada a análise administrativa dos documentos e as avaliações médico pericial e social.

    Responder

  465. waldomiro costa

    Prezados, bom dia!

    Pra me tirar dúvidas…. esta aposentadoria obriga o trabalhador a afastar-se definitivamente do seu emprego ou não quebra o vínculo empregatício??

    Responder

  466. Osmar Pedroso

    Boa Noite, hj também fui a assistente social e também fui questionado com as mesmas perguntas ai pro Fernando, mesmo esquema, vamos esperar o resultado.

    Responder

  467. fernando

    o resultado sai antes no site da previdencia?

    Responder

  468. fernando

    Boa noite!tenho polio dia 21 maio fui ao perito/assistente social que perguntou primeiro qual minha cor, depois escolaridade, se fazia compras em casa, se dependia dos outros para trabalho e em casa, qual o meio de transporte,tem alguma dificuldade para utilizar sanitário, etc. vou esperar 30 dias o resultado em carta do INSS.

    Responder

  469. ZEZINHO

    FERNANDO MACHO.SÓ DEPENDE DO SALÁRIO EM QUE O SENHOR GANHA E CONTRIBUI,TANTO FAZ SE FOR ENQUADRADO NA GRAVE,MODELADA OU LEVE.

    Responder

  470. Pedro Triaca

    Na minha perícia médica como deficiente auditivo foram feitas as seguintes perguntas:
    1-Há quanto tempo usa aparelho?
    2-Grau de escolaridade?
    3-Sabe dirigir ?Tem carteira de motorista?
    4-Usa telefone celular? Melhor responder que não usa. Se usa,responda que utiliza no modo de vibrar porque não ouve quando toca.
    Pelo que percebi para a maioria das respostas apontaram 100 pontos. Dia 28/05/14 vou passar pela avaliação social.

    Responder

  471. Washington de Jesus

    Amigos boa tarde!
    Participei hoje por alguns minutos no programa “Balanço Geral”do reporter “Eduardo Costa da Rádio Itatiaia” depois teve a participação do superintendente do INSS em Belo horizonte, afirmei que não é correta e foi perguntado a ele a respeito da perícia Social que está sendo feita aos deficientes.
    Ele respondeu que a perícia Social está prevista na lei 142.(não sei onde está escrito isto na lei).
    Caso algum amigo ache interessante acesse o site da radio e dê sua opinião no programa do Eduardo Costa.Quem sabe conseguimos chamar atenção para o que está sendo feito conosco!quanto mais pessoas mandarem sua opnião melhor.
    um abraço!

    Responder

  472. ANDRÉIA FIGUEIREDO

    Boa tarde à todos, Silvania e José Wilson, estive ausente nestes dias pois tive que fazer uma cirurgia e fiquei uns dias de molho…, recebi ontem a carta do indeferimento do INSS, ainda vou me consultar com um advogado na semana que vem, pois nessa semana não pude fazer nada pois ainda estava com os pontos da cirurgia, que retirei hoje, vou ver se no meu caso compensaria ação na justiça, pois pela contagem restante em Janeiro de 2015 completaria o tempo para aposentadoria. Aconselho à todos que tiverem seus pedidos indeferidos que solicitem cópia do seu Processo, pois lá diz os pontos de classificação e período faltante para concessão de aposentadoria, pois sem esse documento não tem como entrar na justiça pois a carta de indeferimento é muito vaga, no meu caso, foram 2 classificações, 10 anos considerada como moderada (sem uso de prótese) e 16 como leve (com uso de prótese), também fiquei 6 meses afastada com auxilio doença e esse tempo também foi descontado das contribuições. Rogério Luis no meu caso, em 1 semana depois da avaliação social já estava disponível no site do INSS, não esperei receber a carta do indeferimento, no mesmo dia que eu vi que estava indeferido no Site, fui até a agência do INSS e solicitei cópia do Processo, pois conforme a atendente me disse a resposta que chegaria em casa seria a mesma que estava no Site do INSS, sem detalhe nenhum. Uma semana depois fui retirar a cópia do Processo e aí lá constava que faltavam 9 meses para aposentadoria, após a avaliação social. Tendo novidades eu compartilho com vocês. Mesmo assim sempre estou mandando emails para os deputados, sobre o assunto, e falo sobre esse absurdo e abuso que é essa regulamentação. Abraços à todos e fiquem com Deus.

    Responder

  473. Washington de jesus

    Boa tarde!
    pessoal a pontuação com nota igual a 100, diz que você tem condição normal de fazer a referida tarefa.
    Ou indica que a pessoa não tem deficiência sobre o assunto.
    Quanto menor for a pontuação aos temas que forem perguntados melhor!

    Responder

  474. MARCOS

    JOSE WILSON BOA TARDE E PENA QUE EU NÃO VOU PODER COMPARECER, MAS VOU DEIXAR MEU TELEFONE CASO VOCÊ QUEIRA ENTRAR EM CONTATO COMIGO (TIM 9670-8057) BELEZA. GRANDE ABRAÇO.

    Responder

  475. Azevedu

    Bom dia a Todos!! vocês poderiam me informar quantas perguntas são de cada, da medica perita e da Ass.social?. Obrigado e boa sorte a todos.

    Responder

  476. JOSÉ WILSON

    BOM DIA PESSOAL.

    MARCOS, MINHA PERÍCIA ESTÁ MARCADA PARA ÀS 8;00 HORAS, NA AGÊNCIA QUE FICA NA RUA ENGº ROBERTO GONÇALVES, 149 (RUA DA PRAIA), SST (SEÇÃO DE SAÚDE DO TRABALHADOR. CARO AMIGO MARCOS, ESTOU INDO PELO ENDEREÇO, POIS CONHEÇO POUCO MACEIÓ. SE VOCÊ PUDER COMPARECER LAR PARA NÓS CONVERSARMOS SERIA UM PRAZER PARA MIM.
    UM ABRAÇO A TODOS.

    Responder

  477. Roberto Cairo

    Obrigado Eduardo.

    Responder

  478. Fernando Valente

    Pessoal ! Boa Noite!
    É a 1ª vez que venho ao Blog, indicado por um amigo que tem Deficiência auditiva e está no processo de aposentadoria.
    Tenho Atrofia do Nervo Ótico na Vista Esquerda desde pequeno. Os Médicos acreditam que foi o Sarampo, pois estive 21 dias no Hospital e quase morri muito pequeno.
    Gostaria que me dissessem se está deficiência me concede a Aposentadoria Especial para pessoas com deficiência ?
    Se tiver alguém neste caso, favor me esclarecerem e responderem.
    Aproveito para tirar uma dúvida que não vi ninguém perguntar no Blog?
    Em qualquer uma das 3 categorias de enquadramento da Deficiência, que o segurado vá a ser enquadrado,
    Pergunto ? Tem diferença de valor de beneficio pago entre as categorias, ou o valor será o mesmo?
    Desde já agradeço – Fernando

    Responder

  479. marcelo

    Prezados,

    Alguém poderia me explicar a tabela de conversão de tempo para o período sem comprovação de deficiência?

    Grato e boa sorte a todos

    Marcelo

    Responder

  480. BARRADAS

    Obrigado Eduardo e Mariza, hoje fiz a pericia e fiz exatamente como vcs informaram, o que não entendi é que as perguntas que diz respeito a minha deficiênçia (surdez) ele me deu em todas 50 e 75 pontos e muitas outras do questionario ele não me perguntava e marcava logo 100 pontos alguem pode me informar o que significa ? será que estou enquadrado na possibilidade de me aposentar ? estou com a esperança ! obrigado

    Responder

  481. Carlos

    Obrigado Eduardo Leão pela informação, com 34 anos de contribuição com certeza vc foi classificado como leve.
    Abraços
    Carlos

    Responder

  482. Eduardo Leão

    Carlos, Boa tarde!

    Eu não sei em que grau de classificação eu fiquei pois eu entrei no site da previdência e deu “Situação do beneficio Concedido” estou esperando a carta para saber, sobre o tempo de contribuição tenho 34 anos e 2 meses.

    Responder

  483. Eduardo Leão

    Roberto Caio, Boa Tarde!

    Eu não uso aparelho no dia da entrevista eu pedi a assistente que falasse mais alto devido a minha dificuldade, no seu caso eu acho que Vc. deveria levar os aparelhos e perguntar a assistente se a avaliação seria com os aparelhos ou não.

    Responder

  484. MARCOS

    JOSE WILSON AQUI EM MACEIO TEM TRES AGENCIA INSS ARY PITOMBO, MONTE MAQUINA E JATIUCA MEU PROCESSO TRANMITA NA AG MONTE MAQUINA E A SUA ESTA AGENDADA PARA QUAL DAS TRES.

    Responder

  485. José Wilson

    BOA TARDE A TODOS,

    CARO AMIGO MARCOS, ANTES DE MAIS NADA QUERO TE AGRADECER PELA PREOCUPAÇÃO. MARCOS VOU TE EXPLICAR. EU CONVERSEI COM O ATENDENTE DA AGÊNCIA DAQUI DE SANTANA DO IPANEMA, ELE ME FALOU QUE OS MÉDICOS PERITOS TEM QUE PASSAR POR UM TREINAMENTO DE 4 DIAS AI EM MACEIÓ, MAS PARA ISSO OS MÉDICOS SÓ VÃO SE TIVER DIÁRIAS E A INSTITUIÇÃO AINDA NÃO DISPONIBILIZOU RECURSOS PARA TAL E NÃO HÁ PREVISÃO NENHUMA. PORTANTO, O ATENDENTE ME SUGERIU FAZER AI EM MACEIÓ PARA ADIANTAR O PROCESSO.
    PESSOAL, POR FALTA DE INTERESSE DO INSS TENHO QUE ME DESLOCAR A UMA DISTÂNCIA DE 210 KM DA CIDADE QUE MORO, SENDO QUE AQUI TEM PERITOS. AINDA NÃO CAPACITADOS.
    UM ABRAÇO A TODOS.

    Responder

  486. Miguel Batista Evang

    Boa tarde Washintom de Jesus, boa tarde a todos,
    Voce fala com propriedade sobre o assunto, esta informação é oficial? Fiquei com duvidas a respeito do assunto quando li em um jornaL de SP que o período que o segurado esta recebendo o beneficio AUXILIO ACIDENTE, aquele que é pago ao segurado vitima de acidente de trabalho que ficou com sequelas, deve ser contado como tempo de contribuição se por acaso o segurado teve períodos intercalados de desemprego. No meu caso tive aproximadamente 4 anos que não contribui por estar desempregado entre 1997/1999 e 2003/2005. Na contagem do tempo de contribuição na agencia do INSS realmente não consideraram como tempo de contribuição. Como voce fala realmente só agora me dei conta de como os períodos sem contribuição estão me prejudicando. Aproveito para fazer mais uma pergunta: É possivel recolher agora como contribuinte individual mesmo com juros e multas?
    Aguardo retorno.
    copol_miguelb@hotmail.com

    Responder

  487. Mariza

    Barradas, boa tarde! O meu problema é o mesmo do seu , é importante que diga todas as suas dificuldades, eu disse até que dependo do meu esposo para me acordar pois não ouço o despertador, pura verdade, disse também que no ônibus ou na rua tenho muito medo de algum assaltante me abordar e eu não ouvir e levar um tiro , já fui assaltada antes e percebi que o ladrão estava muito nervoso, provavelmente já tinha gritado “assalto” e eu não ouvi…são pequenas coisa mas que nos prejudica e muito e para o INSS é isto que precisamos mostrar , as nossas dificuldades.

    Responder

  488. MARCOS

    BOA TARDE JOSE WILSON DE SANTANA DO IPANEMA-AL, COMPARECI HOJE NA AGENCIA DO INSS MONTE MAQUINA CENTRO DE MACEIÓ-AL PARA SABER COMO VOU TERMINAR MINHAS AVALIAÇÕES E A CHEFE DA AGENCIA ME INFORMOU QUE EU FIQUE NO AGUARDO QUE NO MOMENTO ESTA SEM SOLUÇÃO. EU DISSE A ELA QUE TENHO UM COLEGA DE SANTANA QUE ESTA VINDO DIA 23/05 PARA FAZER PERICIA E ELA RESPONDEU , LA EM SANTANA TEM AGENCIA DO INSS E PERITOS AI ELA FICOU SEM ENTENDER PORQUE VOCÊ ESTA VINDO, E EU TAMBÉM NÃO SOUBE RESPONDER.

    Responder

  489. Silvania

    Bom dia! Andreia vc procurou o advogado,o que ele te falou. Dê noticias, estou na mesma situação que vc. Obrigada

    Responder

  490. Washington de jesus

    Auxilio Doença!
    Uma grande dúvida que afrige muitas pessoas é saber se o auxílio doença é considerado tempo de contribuição da previdência Social. A dúvida é recorrente, e muita gente só se dá conta dela quando chega a hora de calcular o tempo de contribuição para se aposentar. Quem fica afastado do serviço por motivo de doença passa a receber o auxílio-doença pago pelo INSS, pode usar esse período sim para calcular o tempo de contribuição na hora que for se aposentar.
    Então a resposta é sim, pois mesmo o auxílio doença sendo um benefício que o trabalhador recebe do Governo, ele continua ligado diretamente a empresa ou serviço. E o período em que ele ficou afastado deve ser somado aos meses de contribuições normais.

    Mas esta soma tem sua limitações, pois o período de afastamento com auxílio doença só poderá ser somado às contribuições no caso de aposentadoria. Não é possível soma-lo para completar tempo de carência de contribuição. Como por exemplo para o trabalhador dar entrada em um novo pedido de auxílio doença ou maternidade, e assim por diante.

    O auxilio-doença é bem diferente do benefício de afastamento por acidente de trabalho. No auxílio doença o trabalhador não tem garantia de que seu emprego está garantido quando acabar o período de benefício do INSS, portanto ele pode retornar e perder o emprego imediatamente. Já no caso do afastamento por acidente de trabalho, é garantido ao trabalhador que quando acabar o período de recebimento do benefício pelo INSS, ele tem o seu emprego garantido por no mínimo 1 ano.

    Então agora não resta mais nenhuma dúvida, agora você já sabe que poderá somar o tempo que esteve beneficiado pelo auxílio doença ao seu período de contribuição da Previdência Social, mas só quando você for se aposentar.
    Para completar , quem recebe o auxilo acidente, não quer dizer que não esteja trabalhando, pois recebo desde 1986 e nunca deixei de contribuir.sendo assim o tempo que não será contabilizado é o tempo que a pessoa ficou desempregado sem contribuir.
    Um abraço!

    Responder

  491. Azevedu

    Bom dia Aline, desejo sucesso pra ti. Quantas perguntas são de cada? Da medica e Da assistente social?

    Responder

  492. BARRADAS

    Obrigado Eduardo, é exatamente isso tudo que ocorre comigo, fora as discriminações das pessoas que acham que somos normais, nos chamam de surdo, moco, gritam, e ainda acham ruim, e pensam que nos fazemos de propósito, costumo ter estresse, dor de ouvido, zumbido por forçar a entender o que as pessoas estão dizendo para poder compreender,é uma vida dificil, na televisão so se for legendado , e ainda tive sorte de não ter morrido pois alguem percebeu e me disseram que quase fui assaltado e não tinha escutado o que o ladrão estava falando e continuei a andar, assim como uma pessoa que não consegue enxergar(visão) valeu obrigado pela ajuda e desejo a todos que consiga seus objetivos se aposentar para curtir o resto da vida. abçs

    Responder

  493. CARLOS - São Roque-

    Parabéns Eduardo Leão.
    Vc foi classificado em qual grau, e com quantos anos de contribuição. sou deficiente auditivo neurossensorial bilateral de gral profundo, e com 28 anos de contribuição. estou esperando completar pelo menos 29 anos de contrib. para tentar o moderado.

    Responder

  494. Eduardo Leão

    Bom Barradas,Eu falei que sempre pedia as pessoas que falassem mais alto pela minha dificuldade em ouvir, sempre que vou a igreja procuro focar mais próximo do alto falante e quando into não é possível fico sem entender nada, quando desembarco do ônibus fico desorientado sem saber onde estão vindo as buzinas dos carros sendo que até já fui atropelado, em reunião no serviço já aviso logo do meu problema e peço que falem mais alto e muitas vezes peço para repetir, em casa fico com a televisão ligada quase no ultimo volume para poder compreender os programas na escola tive um apelido de surdinho, pois sempre ficava próximo ao professor e sempre o pedia para repedir em um outro emprego que eu tinha era chamado de lerdo ou metido pois sempre que estava ao telefone perdia contado com o externo e as pessoas conversavam comigo e eu não respondia pois não estava escutando e é só você responder sem ter vergonha que dará tudo cerdo.

    Responder

  495. BARRADAS

    Obrigado Eduardo, mas vc pode decifrar suas respostas, pois o nosso questionario é diferente dos outros, pois temos condições de executar todas as tarefas, exceto escutar/ouvir poderia me ajudar ?
    obrigado

    Responder

  496. Roberto Cairo

    Eduardo,
    Você usa aparelho auditivo? se sim, durante as avaliações você estava usando os mesmos? Gostaria de saber, pois tenho perda auditiva bilateral moderada para severa, utilizo aparelho nos dois ouvidos. Com os aparelhos tenho uma audição relativamente boa, porém sem os mesmos, não entendo quase nada do que é falado. Obrigado.

    Responder

  497. Eduardo Leão

    Barradas, as perguntas são basicamente as mesmas do médico perito, qual a sua dificuldade com o relacionamento social,no trabalho no deslocamento para o serviço, dificuldade em trocar de roupa, fazer um lanche e como é a comunicação entre as pessoas é o que a deficiência afeta na escola com os amigos etc… são perguntas bobas mas de grande relevância como pontuação. fale todas as suas dificuldades seja elas as minimas possíveis pois isto te ajudara e muito.

    Boa sorte e que Deus esteja com você.

    Responder

  498. BARRADAS

    Eduardo Leão, tenho o mesmo problema ,audição, poderia me informar quais as perguntas que a social fez? pois ja fiz a pericia medica parece que consegui a moderada e vou fazer Aval. social dia 21/05 para finalizar, Deus estará presente e com certeza vou conseguir. abçs a todos.

    Responder

  499. Aline

    Rio de Janeiro
    Olá a todos, hj foi feita a perícia médica. Achei tranquila, respondi a todas as perguntas da médica e da assistente social e acompanhei as marcações em 75 e 100. Faltou levar um laudo de ortopedista dizendo que sofri pólio. Vou providenciar e levar. Espero que tudo resolva rápido. abraços

    Responder

  500. BARRADAS

    Quem quizer reclamar das dificuldades que encontramos nesta lei, pode entrar no face ou blog da DILMA BOLADA que esta tendo muitos acesso e quem sabe divulgar esses problemas todos que estamos passando e teremos uma resposta mas rápidas. abçs

    Responder

  501. Eduardo Leão

    Bom dia a todos!
    Sigo este site a algum tempo e vejo o calvário de alguns de vocês, peço que não desanimem, pois eu tenho surdez aguda unilateral e fiz a entrevista com a assistente social ontem, e hoje consultado a previdência está escrito beneficio concedido. Eu já estava desacreditado, por isto estou escrevendo tenham muita fé e acreditem, pois Deus é muito poderoso.
    Abraços.

    Responder

  502. Mariza

    Bom dia , Já teve pessoas com pólio classificado em grau grave , mas também teve em grau leve , o importante é vocês lembrarem que quanto mais vocês dependerem de alguém ,dependerem de onibus , quanto menos estudo tiver , melhor a pontuação,fale de todos os preconceitos que sofreram e ainda sofrem, fale das dificuldades no trabalho , fale de todas as doenças que tem alem da sua deficiencia , fora isto responda apenas o que o medico perguntar,tipo se tem casa, carro.Aconselho a não mentir, pois a assistente social tem o direito de ir nas casas checar… espero ter ajudado.

    Responder

  503. fernando

    alguém tem mesmo problema e grau de sequela como eu, e que já passou na perícia e qual o grau apontado pelo perito?

    Responder

  504. fernando

    Boa noite! vou fazer a perícia dia 21/05 quarta-feira, alguém tem alguma conselho, informação, ou qualquer coisa , tive polio com 7 meses ando mancando com a perna defeituosa e fraca, será que vou classificar no grau leve, para mim está bom pois aí aposento tenho 37 de contribuição.

    Responder

  505. luiz carlos

    boa noite a todos, preciso saber se alguem com poliomelite e que usa muletas ja teve as avaliações e qual foi o grau avaliado pelos peritos do inss.Tive poliomelite com 1 ano e 6 meses e uso muletas, preciso ser avaliado com o grau moderado, mas o que estou lendo aqui neste blog parace que não vai ser facil. Mas não vou desanimar, vamos aguardar, nada de sofrer antecipadamente.Se alguém souber sobre deficiente aposentado nas mesmas condições da minha favor postar aqui no blog, desde já agradeço a todos e assim que tiver noticias da minha pericia eu vou postar aqui tambem.

    Responder

  506. NILZA RODRIGUES

    OI PESSOAL, FIZ A PERÍCIA ENTREI NO SITE
    DO INSS E COLOQUEI O NÚMERO DO BENEFÍCIO E ESTÁ ESCRITO HABILITADA.AINDA NÃO PASSEI PELA ASSISTENTE SOCIAL. DEI PÓLIO AOS 9 MESES E 29 ANOS DE PROFISSÃO. GOSTARIA DE SABER O QUE QUER DIZER
    r_nilza@yahoo.com.br

    Responder

  507. Marcelo

    Prezados,

    Alguém poderia me explicar como funciona a tabela de conversão do tempo de contribuição?
    Conforme expus abaixo, tenho 31 anos e 8 meses de contribuição, incluindo os últimos dois anos no auxílio-doença, pois estou com Parkinson há seis anos.
    Pelo que tenho lido dos relatos neste blog, acho que não estou enquadrado na aposentadoria especial, mas , talvez, só na aposentadoria por invalidez.

    Alguém pode me ajudar a esclarecer já que pelo 135 não tive sucesso nas consultas que fiz?

    Desde já agradeço e boa sorte a todos.

    Marcelo

    Responder

  508. Paiva

    Clovis não é uma crítica destrutiva, mas construtiva. Sinceramente eu preferiria que não tivesse votado essa lei da maneira que está. Sei que ele não tem culpa,m mas nesse momento estou achando-o omisso, haja vista tanta reclamação, principalmente um períto medico não fazer a perícia, mas responder um questionário com perguntas iguais a da assistente social.
    Podemos chamar então, isso de perícia? Não estaria Dona Dilma chateada por não ser ele de sua base TER CRIADO UM PROGRAMA DE GRANDE IMPÁCTO?

    Olha amigos já tem muitos meses que a assessoria do vereador reponde dizendo que está sendo elaborado um documento para ser entregue as autoridades.

    A lei quando o então dep. federal leonardo mattos fez, foi no intuito de reparar uma grande injustiça para com os deficiente, que tem menos perspectiva de vida.

    Responder

  509. Mariza

    Olá, Rogério Luiz, o prazo é de 30 ou 45 dias, eu tb fiz a pericia na mesma data e estou aguardando. Não acho justo dizer que não deviam ter aprovado a lei, muitos de nossos amigos conseguiram aposentadoria acho até que a maioria está conseguindo, também não acho justo ter sido negado a muitos outros, mas devem recorrer na justiça e também conseguirão. Boa sorte a todos!

    Responder

  510. Wladimir

    Nós fazemos parte da construção desta lei. Não é justo o que está acontecendo com vários colegas que lutaram tanto na vida e agora o INSS os julgam como inválidos. Eu por ex, tenho 30 anos de contribuição e não vou me conformar classificarem a minha deficiência como leve…Está na hora de unirmos, alguém tem alguma idéia que possa mudar o jogo?

    Responder

  511. Rogerio Luis

    Clovis, concordo plenamente com você, não fosse o Leonardo não teriamos nada, nem a deficiencia LEVE. com certeza temos que nos unir e não dividir. Pessoal se alguem souber poderia me esclarecer, fiz a pericia em 05/05 e até o momento não saiu nada, consulto na situação do beneficio e aparece habilitado, nem deferido e nem indeferido, demora assim mesmo pra quem já tem a resposta?

    Responder

  512. Clovis Oliveira

    Bom dia a todos, bom dia Paiva. Diante mão quero dizer que não conheço o vereador Leonardo Mattos, mas é uma pessoa que não merece criticas e assim como nós não é perfeito e muito menos o todo poderoso. Se queremos melhorar esta lei que esta com algumas falhas o que devemos fazer é nos unir e lhe oferecer nosso apoio afim de que consigamos promover tais mudanças.

    Responder

  513. Marcelo

    Prezados, este blog é, extremamente, esclarecedor em que pese os relatos serem decepcionantes. Criei uma expectativa tão grande e agora já me sido frustrado pelo que tem acontecido com quem já passou pela perícia.
    Será que alguém poderia me dar uma dica, quanto a minha situação? Sou baiano, tenho Parkinson, documentado há seis anos com relatórios de diversos médicos, tenho 51 anos de idade e 31 anos e meio de contribuição e estou no auxílio-doença há mais de dois anos, já tendo feito duas perícias médicas, antes desta lei, onde os peritos haviam comprovado minha incapacidade laborativa. Em Janeiro/14 marquei para o final de Abril/14, pelo site da previdência, o que eu julgava ser uma perícia, mas chegando no INSS, era apenas para entregar a documentação. Avaliaram meus papéis e disseram que eu estava dentro dos critérios para pleitear a aposentadoria especial. Me mandaram, então, retornar para casa, dizendo que eu receberia uma ligação do INSS informando a data da perícia médica. Só que estou preocupado porque até agora não me ligaram, ligo para 135 dizem que não tem nada agendado. Será que este prazo é normal? Pelo que tenho lido, em São Paulo, tem sido muito mais ágil, mas será que depende de cada estado? Tenho rigidez no membro superior esquerdo, apresento lentidão nos movimentos de forma geral, não tenho olfato, dificuldade na deglutição, não tenho tremor involuntário e tenho dificuldade em movimentos mais delicados como apertar um cadarço, abotoar uma camisa, pentear um cabelo, etc… entretanto estas dificuldades aumentam e diminuem a depender do momento e da medicação, além de fatores emocionais. Faço muita fisioterapia, caminhada, mas, pelo que tenho lido, tenho até receio de dizer isto na perícia, pois , em que pese a fisioterapia e a atividade física, serem fundamentais para quem tem Parkinson, pode ser mal interpretado como uma pessoa apta para tudo.
    Tenho lido poucos relatos de portadores de Parkinson. Alguém teria alguma informação que possa me ajudar de como devo proceder ou se já passaram por situação similar a minha? Desde já agradeço a todos, desejo boa sorte e que os critérios deste Lei venham ao encontro das necessidades dos portadores de deficiência e que não seja mais um dificultador em nossas vidas.
    Só como complemento, também, tenho artrite psoriásica há quase 10 anos mas meu afastamento é pelo Parkinson. Desde já agradeço a todos.

    Responder

  514. Isaque Ribas

    Paiva, peritos padrão Dilma.
    Também estou muito revoltado, cadê a justiça social para com os deficientes que o governo padrão PT prometeu?

    Responder

  515. Paiva

    Paulo,

    Não tem como argumentar mais com os mesmos peritos, o que tem que ser feito é remarcar(mesmo número) uma nova perícia, ou seja. um novo agendamento, só que nem o médico e assistente social que participaram da perícia anterior, ficarão impedidos de atuar nessa nova perícia, foi o que me explicou o chefe do INSS.

    Agora gente, eu fico imaginando que o vereador Leonardo Mattos lutou tanto por essa lei, e criou uma expectativa sem mensuração nos deficientes, que o melhor seria não ter aprovado essa avacalhação que estão chamando de Lei.

    O vereador tem respondido aqui que estão elaborando um documento e tal. E que documento será esse que precisa mais de ano pra poder ficar pronto? Enquanto isso nós estamos passando por vexame, sendo desqualificados.

    A Lei foi feito baseada em pesquisa que mostra e comprova que os deficientes tem menor perspectiva de vida que uma pessoa normal.

    Pelo visto esto querendo acabar com os deficientes de uma vez por toda.

    VIVA O BRASIL! VIVA OS PERITOS PADRÕES FIFA!

    Responder

  516. zegeraldo

    Paulo,
    vivo no Vale do Jequitinhonha, norte de Minas.

    Responder

  517. Walter

    bom dia todos!

    Lembrando:

    Classificação da Deficiência em Grave, Moderada e Leve
    Para a aferição dos graus de deficiência previstos pela Lei Complementar no 142, de 08 de maio de 2.013, o critério é:

    Deficiência Grave quando a pontuação for menor ou igual a 5.739.

    Deficiência Moderada quando a pontuação total for maior ou igual a 5.740 e menor ou igual a 6.354.

    Deficiência Leve quando a pontuação total for maior ou igual a 6.355 e menor ou igual a 7.584.

    Pontuação Insuficiente para Concessão do Benefício quando a pontuação for maior ou igual a 7.585.

    Responder

  518. Clovis Oliveira

    Bom dia Carlos Prado, trabalho com meu filho realmente seria muito difícil trabalhar para alguém sabemos que tudo que fazemos é mais demorado em função da baixa visão. O perito me perguntou se sou casado e qual minha profissão respondi que sou casado e trabalho com meu filho, para poder contribuir. Perguntou se preciso de acompanhante, com certeza preciso, pois mal consigo diferenciar um ônibus de um caminhão e é quase impossível para mim ler o destino dos ônibus.

    Responder

  519. Carlos Prado

    Em tempo:
    Corrigindo o que escrevi para evitar mal entendido :
    Onde está escrito:
    Disse que era um “privilegiado” comparado com as suas limitações.
    O correto é:
    Em meu outro comentário eu
    disse que eu era um “privilegiado” comparado com as suas limitações.
    Certo de uma correta interpretação agradeço a todos.

    Responder

  520. Carlos Prado

    Boa noite a todos.
    At.: Clóvis Oliveira.
    Em seu último comentário disse que passou pela perícia hoje dia 16. A minha foi no dia 14.
    Num outro comentário seu, fui citado pois relatei minha visão como 20/70 e a sua 20/200 e outras séries de dificuldades e problemas que tem.
    Disse que era um “privilegiado” comparado com as suas limitações.
    Qual seria seu ramo de atividade laboral?
    Sem querer mensurar as dificuldades de cada um, digo que sempre trabalhei na área administrativa e cada dia que passa sinto mais dificuldade em exercer minhas atividades que envolvem dados de extrema confiabilidade e que não podem incorrer em erros. Sofro muito com meu erros e numa certa insegurança em deixar passar valores errados.
    Em minha conversa com o assistente social relatei tudo isto e muito mais. Infelizmente não fomos avaliados só por nossas atividades desenvolvidas mas também por outros fatores sócio econômicos e afazeres do dia a dia que pesaram bem mais na avaliação.
    É uma lástima isso que aconteceu.
    Se não estamos mais aptos para exercer nosso trabalho cabe então entrar com um processo de afastamento para auxílio doença, ou o INSS vai nos reposicionar em um outro emprego tipo: Fazer comida, limpar a casa, descascar frutas e legumes que foram algumas das perguntas feitas.
    Um abraço a todos

    Responder

  521. Paulo

    Paiva,
    Se você conseguir argumentar com o perito, basta uma pergunta do questionário, passar de 100 para 50 pontos, para vc conseguir grau moderado. Tente conversar com ele.

    Sucesso.
    Paulo.

    Responder

  522. Paiva

    Hoje estive com o meu neurologista, e ele ficou pasmo com avaliação do INSS, que segundo ele de perícia médica não tem nada. como vou recorrer no proprio inss, peguei uma laudo com todo histórico

    Responder

  523. Teófilo Valdir Fert

    Boa noite a todos,

    Para minha surpresa, hoje fui agendado para pericia com a Assistente Social, fui bem atendido e consegui anexar laudos que faltaram no dia da perícia médica que foi 12/05. Agora é aguardar + 10 dias para saber o resultado.
    Até breve e um bom final de semana.

    Responder

  524. Teófilo Valdir Fert

    Boa noite, pessoal,

    No dia 12/05 fiz a perícia médica e como a Assistente Social estava junto com a Médica Perita, achei que também fosse a perícia social, mas para minha surpresa, marcaram para hoje de manhã esta perícia com a Assistente Social. Fui bem atendido, e consegui anexar os laudos do meu joelho que ficaram faltando. Sai de lá mais confiante, agora é aguardar 10 dias para saber o resultado da pontuação. Assim que tiver novidades informarei a vocês.
    Bom final de semana, fiquem com Deus.
    Até breve.

    Responder

  525. Osmar Pedroso

    Boa Tarde, hoje passei pela perícia médica na ag. sta marina/sp.
    A primeira pergunta que o médico fez, foi se eu tinha algum documento atestando a minha polio que contrai em 1962.
    É lógico que não!!!!
    O único documento que tenho daquela época, é o meu certificado de reservista de 1979, onde menciona o motivo de minha dispensa, polio!.
    Mas o médico questionou-me três vezes se tinha algum documento…
    Eu levei um Laudo Médico de um ortopedista do SUS, um Laudo Médico do posto de saúde onde moro, outro laudo médico particular exames que fiz, tipo escanometria, raio x do joelho esquerdo, etc.
    Então quem tiver algum documento da época que contrai a polio, ou outra doença, LEVE!!!!!
    o Médico faz um monte de perguntas, se anda sozinho, se come sozinho, se cozinha, etc…..
    Após tudo isso, ele pega uma brochura, onde tem váááriasss classificações de tipos de deficiência e tenta enquadrar nós em uma específica.
    Pessoal eu questionei ele, pois a minha polio não foi ontem, há dois anos, que adiquirir e sim a 52 anos!!!. Se o principal seria a gente comprovar a Deficiência e o Recolhimento para o INSS necessário?
    Falou que teria que classificar, coisa e tal….
    Após tudo isso falou que podia marcar o próximo passo que seria a assistente social.
    Não falou a pontuação e que ” talvez sairia algo para mim de aposentadoria
    “, vamos ver o próximo passo.
    E levem todos os documentos médicos laudos, os ” caras” são exigentes.
    A próximo dia dia será 22/05, manterei informado.
    Abraços a todos

    Responder

  526. Miguel Batista Evang

    Boa tarde a todos, parabens ZEZE E ZE GERALDO.
    Estive hoje na agencia do INSS – Cotia grande SP, a assistente social que me avaliou conseguiu junto a chefia da agencia a minha classificação que infelizmente ficou em LEVE, portanto tenho ainda que trabalhar mais 2 anos e 3 meses. Agendei uma novo visita para o dia 20.08.2014, onde vou tentar contestar o tempo de contribuição, pois tenho um recorte de jornal que diz: o período que o segurado recebe AUXILIO ACIDENTE e esteve desempregado, sem contribuir, deve ser contado como tempo de contribuição, recebo auxilio acidente desde 1978, portanto seria tempo mais que necessário. Pergunto: alguem recebe beneficio por acidente de trabalho? Alguem tem informações sobre esta noticia de jornal, se realmente o tempo é contado como salario de contribuição? Agradeço se alguem tiver ou conseguir informações e postar ou enviar para email: copol_miguelb@hotmail.com

    Responder

  527. Clovis Oliveira

    Bom dia a todos!
    Paiva como tu ficou sabendo tua pontuação?
    Fiz minha perícia hoje, o perito só pediu para tirar os óculos escuros, pois tenho fotofobia, perguntou se sou casado e qual a minha profissão Que diferença pode fazer ser casado e ter profissão independe de ser deficiente. Creio que todos que tiverem indefirido ou classificação indevida devem entrar na justiça.

    Responder

  528. Paiva

    Hoje entrei no site do INSS, e lá estava: 164 NÃO COMPROVOU CONDIÇÃO DEFICIENTE JUNTO A PERÍCIA I.

    Tenho mais de 26 anos de contribuição, somando com mais 2 que recebe auxilia doença.

    Por causa de 50 pontos deixei de ser incluí no moderado, o que é uma injustiça, pois no moderado eu teria que completar poucos meses, enquando no grau leve vou ter que pagar mais 5 anos.

    Tenho paralisia infantil – sendo que a perna direita é totalmente atrofiada e a esquerda também tem problema e ando de muleta -desde de 1 ano de idade, hoje tenho 51 anos.

    Estou esperando chegar a carta para recorrer da decisão

    Responder

  529. Isaque Ribas

    Donizete, vamos mandar nossas queixas para a impressa, estou tentando localizar o meio de acesso das entidades tipo Band, SBT e etc. Muitos comem na mão do governo porem a outros que não, tipo Folha de SP. Se um apenas se queixar vai parecer que se trata de alguém reclamando do não tem direito, porem se muitos reclamarem…
    É muito fácil quebrar uma vara, porem quebrar um feixe não. Vamos nos unir.

    Responder

  530. Paiva

    Eu soube através de um amigo do INSS. Sou def da perna direita e a esquerda tem pouca força e massa muscular ando de muleta.

    Responder

  531. Zezé Marques

    Obrigada amigo Vladimir, Paulo, Ananias e Zegeraldo!

    Qto a minha pontuação não sei, creio que foi na leve.
    A pontuação tem que ser dita pelos perito e assistente social, não temos como saber pelo site.
    abs.

    Responder

  532. Paulo

    Zé Geraldo, parabéns pela sua merecida aposentadoria. Os peritos foram justos com vc. Qual região vc mora ?
    Abç. Paulo.

    Responder

  533. Vladimir

    Parabens a você tambem, Zegeraldo.
    Aproveiteeeeeeeee!!!!!!!!!!!!

    Responder

  534. Vladimir

    Parabens Zeze!!!
    Graças a Deus, e muitas alegrias para você.

    Responder

  535. HAROLDO DINIZ

    OLÁ PESSOAL BOA NOITE A TODOS!!!

    PAIVA,

    QUAL É A SUA DEFICIÊNCIA? E COMO VC FICOU SABENDO DA SUA PONTUAÇÃO?
    GRATO!

    HAROLDO DINIZ

    Responder

  536. Clovis Oliveira

    Boa noite pessoal,se tu for grau leve e for mulher e tiver 29 anos de contribuição tu estas aposentada, pois mulher precisa de 28 anos, se for homem e for moderada e tiver os mesmos 29 anos também estará aposentado pois precisa 29 anos de contribuição.

    Responder

  537. zegeraldo

    GRAU GRAVE. Esse foi o resultado da minha perícia. O benefício foi concedido, pois já tenho 31 anos de contribuição.
    Tive pólio aos dois anos com consequências mais graves na perna esquerda e no braço direito. Ando de muletas.

    Responder

  538. Walter

    BOA TARDE A TODOS A VC TAMBEM PAIVA,

    Paiva, queria saber como vc soube da pontuação ,se foi pelo correio ou pelo telefone ou pela internet ? att.., Walter

    Responder

  539. Ananias

    PARABÉNS ZEZÉ,
    QUANTOS ANOS VOCÊ TEM DE CONTRIBUIÇÃO?

    Responder

  540. Paulo

    Parabens Zezé pela sua aposentadoria.
    Uma pergunta: você foi classificada com grau leve, ou moderado ?
    Paulo.

    Responder

  541. Jose Antonio

    Gente pelo amor de Deus, me ajude a saber com faço para ver minha pontuação, pois nem o médico e nem a assistente social não me falou, fico no aguardo, e ficarei muito grato se alguém me orientar.

    Responder

  542. Odair Pires de Campo

    Boa Tarde pessoal, eu acho que o Leonardo Mattos tem ou tinha tudo pra ganhar nosso apoio, invés de acontecer o simples que era,ou seja, Aposentadoria Especial para Deficientes, foi inventado um questionário que aposenta só quem é invalido. E depois de tudo, ainda passa a bola, como quem nem tivesse criado a Lei. Bom seria se não tivesse criado. Deixo como exemplo a minha pessoa: sou surdo desde os 07 anos, então, trabalhei e convevi com a deficiencia, com as dificuldade que só os que aqui escrevem sabem, completei 25 anos trabalhados, o que tem a ver os questionários médico e social com isso. Eu ganhei, sim, muita coisa nessa vida, mas perdi muitas outras, porém, com dificuldades completei meu tempo. Faça valer, Sr. Leonardo, a sua Lei. E não os outros poderes, para que você não saia prejudicado por nós, pois isso está prejudicando esta maravilhosa carreira que você conquistou até aqui. Aja Sr. Leonardo, pois sou surdo, mas escuto muitas coisas ruim te prejudicando por causa dessa Lei. Se você já passou a bola pra outros poderes, vá corrigi-las pois eles estão estragando a sua Lei.

    Responder

  543. Paiva

    dexei de ser incluído em moderado

    Responder

  544. Paiva

    Minha pontuação foi 6435, por causa de 60 pontos deixei de ser incluído em leve

    Responder

  545. Zezé Marques

    Olá pessoal, boa tarde!

    Dentro de tantos noticias triste por aqui, venho dizer que minha Aposentadoria foi concedida.
    Tive polio na perna direita, ando com uma muleta, mas quem atestou toda minha deficiencia foram os medicos da AACD, onde faço acompanhamento e tratamento.
    Boa sorte a todos, vamos rezar para que muitos consigam!
    Nunca desistam dos seus sonhos!

    Responder

  546. Ananias

    GENTE…
    COMO QUE ALGUÉM QUE TEVE PÓLIO PODE SER CONSIDERADO GRAU MODERADO OU LEVE??? ENTRADA IMEDIATA NA JUSTIÇA E AINDA PROCESSO CONTRA O INSS PELA DEMORA, DESRESPEITO E DESCASO… POR SERÁ QUE ANDARIAM AS NOSSAS ASSOCIAÇÕES PARA ENCABEÇAREM ESSES PROCESSOS?

    Responder

  547. Paiva

    Recebi a notícia hoje que a minha avaliação ficou em leve, estou revoltado, pois o médico me fez apenas 4 perguntas, e tenho pólio nas duas pernas, sendo que a perna direita é completamente comprometida com grau acentuado e ando com mulêta.

    Responder

  548. DONIZETE

    GERCINO LUCAS, veja a resposta que tive do GABINETE DA PRESIDENTA DILMA
    Prezado Senhor,

    Em resposta a sua mensagem endereçada à Presidenta Dilma Rousseff, informamos que o assunto foi encaminhado ao Ministério da Previdência Social para análise e eventuais providências.

    Caso julgue necessário obter informações sobre o tratamento do assunto, recomendamos-lhe escrever ao setor para onde ele foi encaminhado.

    Cordialmente,

    Claudio Soares Rocha

    Diretoria de Documentação Histórica

    Gabinete Pessoal da Presidenta da República
    ´

    É assim, ninguem, responde por nada, ninguem sabe nada, quando o assunto é contra eles, mais garanto se fosse de interesse estaria resolvido.

    Responder

  549. Jose Antonio

    Gente alguém de vocês que estão neste blog, por favor me oriente como eu faço para entrar no site do INSS e ver a pontuação minha, pois a assistente social não conseguiu me passar a pontuação.

    Responder

  550. Jose Antonio

    Gente eu passei ontem pela assistente social, e fiquei muito descepcionado porque ela só fazia perguntas da minha vida pessoal, se andava só, se eu conseguia fazer isso ou aquilo, até intimidades, depois eu disse a ela que eu estava revoltado com essa lei, pois eu tenho paralizia infantil desde criança, fraturei das duas pernas, depois a perita do inss me cortou e fez eu trabalhar de cadeira de roda, emquanto pessoas que tem problema na coluna já se aposentou a muito tempo.

    Responder

  551. Gercino Lucas Baraun

    Bom dia pessoal tambem fiz Pericia e mesmo com laudos medicos sendo grave a minha ficou moderada agora vou para a social, mas pelo que vejo vai ser dificil ser enquadrado como GRAVE. Hoje entrei no google e procurei FALE COM A PRESIDENTA e deixei minha mensagem de descontentamento com Lei Complementar 142. Peço que cada um de vocês façam o mesmo, vamos encher o correio eletronico da Presidenta com o nosso repudio e tambem solicitanto interferencia dela na revisão desta Lei. Abraços.

    Responder

  552. Paulo

    Os critérios de avaliação impostos aos deficientes, são para avaliar invalidez e não aposentadoria especial.
    INSS SACANA!SAFADO!ESPERTINHO!
    Vou lutar até o fim, não vou aceitar grau LEVE.
    Paulo.

    Responder

  553. ZEZINHO

    PELO QUE ESTOU NOTANDO AQUI NESSE MURAL,ESSA LEI NÃO VALEU NADA.OS POLITICOS JOGARAM PRO INSS COLOCAR CRITÉRIOS QUE ÉRA PRA PRA GENTE NÃO FICAR JOGANDO A CULPA NELES E SIM NO INSS,E OLHA QUE DEU CERTO.

    Responder

  554. Sinval

    Sr Leonardo Mattos, é possível enviar este documento que o Sr. com seu grupo está formulando a nossa Presidente ao invés de enviar ao Ministro da Previdência? Penso que ela que sancionou a lei e é ela quem deve questionar o Ministro, o momento é agora.

    Responder

  555. nilza

    Oi pessoal! Ontem fui fazer a minha perícia levei todos os meus exames e meu laudo sou portadora da pólio ando de muletas. A perita saiu com ele conversou com outro médico e veio falando que essa Lei é muito injusta e que estou encaixada na leve e terei que trabalhar mais um pouco. Eu respondi que não tenho que trabalhar,pois tenho 29 anos e 4 meses de profissão dei a pólio com 9 meses de idade. Perguntei quem entraria na grave, ela respondeu quem não come sozinho, não anda, não faz nada sozinho, respondi: Então está pessoa vegeta e não consegue trabalhar. Ela falou da moderada e usou os mesmos termos da grave. Eu acho que esses peritos não sabem muito dos critérios desta lei.

    Responder

  556. Clovis Oliveira

    Clovis Oliveira
    clovisoliveira2005@hotmail.com

    Enviado em 11/05/2014 as 21:47
    Sr. Leonardo Mattos, nós deficientes ainda precisamos de seu valoroso apoio, pois a avaliação social esta injustiçado alguns deficientes por terem condições econômica razoável conquistada com muita garra e sacrifício, estão sendo considerados deficiência leve, quando na verdade seriam moderada e podendo chegar-se ao absurdo de entenderem que um deficiente visual cego, possa ser classificado como moderado, pois tem boa desenvoltura e condição econômica razoável. Como se condição econômica determinasse o grau de deficiência – O sr. teria alguma orientação para nós.
    Resposta de Leonardo Matt
    Quero agradecer a atenção dispensada.
    Resposta
    Olá Clóvis.
    Obrigado por seu contato.
    O instrumento usado tem gerado insatisfação em muitas pessoas…eu também não concordo com ele!
    Um documento está sendo formulado por um grupo para ser encaminhado ao Ministro da Previdência Social.
    Estamos lutando…só nos resta aguardar.
    Abraço,
    Leonardo

    Responder

  557. Isaque Ribas

    Pessoal, boa noite!
    Este tipo de avaliação sócio econômico não esta de acordo com a lei LC 142/2013 e não condiz com nenhum tipo de aposentadoria por tempo de contribuição. A lei foi criada para igualar nós os deficientes com os demais contribuintes normais, não somos mais ou menos deficientes por possuirmos curso superior, carro, casa e etc.
    Há quem afirma, e eu concordo apesar de ser leigo, que isso torna este decreto criado pelo governo federal para o INSS tocar esta lei, inconstitucional.
    Resta então, uma representação de classe ajuizar o INSS na justiça e obrigar o INSS a estabelecer critérios dentro dos parâmetros da lei LC 142/2013 e na forma do direito de igualdade garantidos pela Constituição Federal.

    Responder

  558. MARCOS

    WLADMIR, BOA NOITE EU CONCORDO COM VOCÊ ESSAS PERGUNTAS ME FIZERAM. A CONCLUSÃO QUE CHEGO E QUE O DEFICIENTE TEM QUE SER MUITO COITADO NESSAS ENTREVISTA POR EX NÃO TENHO CARRO MAS ELA ME PERGUNTOU SE EU DIRIGIA E SE A MINHA CARTEIRA CONSTAVAM QUE EU DIRIGIA CARRO ADAPTADO RESPONDI QUE SIM , DEPOIS EU FIQUEI PENSANDO ERA PARA EU DIZER QUE EU NÃO TINHA CNH. NA REALIDADE ERA PARA EU NÃO DIZER QUE NÃO TINHA NADA DISSO (ESTUDO, CASA PRÓPRIA, CNH E ALGUNS CURSOS PROFISSIONALIZANTES QUE FIZ) E OUTRA ELES ESTA AVALIANDO TANTO OS PERITOS COM AS ASSISTENTE O NÍVEL SOCIAL ECONÔMICO E NÃO A DEFICIÊNCIA QUE NOS CARREGA ATE A MORTE INFELIZMENTE.

    Responder

  559. Walter

    Boa noite, Miguel! e a todos e voce tambem Andreia.

    vou ligar para ouvidoria, aguardar a resposta de tudo ate dia 28/05 , se não emviarem a carta e vou averiguar ana internet no site Previdencia , caso não sair, vou ao Posto de atendimento da Previdencia, como fez a Andreia!

    att…. Walter

    Responder

  560. Mariza

    Wladmir bom dia, a mim não foi feita nenhuma destas perguntas , me perguntaram se tinha adaptação na casa, carro e telefone.

    Responder

  561. Wladimir

    A conclusão que chego é a seguinte: Se relatarmos ao assistente social que temos carro, casa própria, uma vida econômico-financeira equilibrada e estabilizada, significa que não precisamos de ninguém para sobreviver e daí não haverá motivo para nos aposentarmos em um período menor, pois muito de nós serão enquadrados como deficiência leve, já que a CIF leva em consideração o estilo de vida da pessoa. Estou errado?

    Responder

  562. Carlos Prado

    Olá pessoal.
    Entrei no face do vereador e leiam nossa conversa.

    Conversa iniciada – Sábado

    Carlos Prado

    10/5/2014 22:59

    Carlos Prado

    Boa noite ao nobre Vereador, outrora Deputado.
    Venho solicitar a vossa excelência, percussor da lei 142, que venha nos auxiliar na concessão deste benefício.
    Em sua página http://leonardomattos.com.br/apsentadoriaespecial/, que venho acompanhando a um bom tempo, leio depoimentos e notei que está difícil valer este direito contido em nossa constituição e agora regulamentado com esta lei.
    Peço ao nobre Edil que leia alguns depoimentos ou que seja auxiliado por seus assessores e nos indique qual o melhor caminho para se valer deste direito, haja vista que está havendo uma deturpação desta lei.
    Sem mais para este momento, despeço agradecendo desde já seu empenho e desejando um bom fim de semana.

    .

    Nada encontrado | Leonardo Mattos
    leonardomattos.com.br

    .


    Hoje

    Leonardo Mattos

    16:04

    Leonardo Mattos

    Olá Carlos. Boa tarde! Acompanho o meu site diariamente e respondo, individualmente, cada solicitação feita nele, porém, meu site está sendo reformulado e as respostas serão mais dinâmicas. Bem, quanto ao instrumento adotado pelo INSS para avaliação, tem criado muito desconforto no segmento das pessoas com deficiência e até mesmo entre alguns peritos. Um documento está sendo formulado para ser encaminhado ao Ministro da Previdência. Estamos lutando…e só nos resta aguardar. Abraço.

    Responder

  563. Paulo

    OK Vladimir, conversamos após a pericia.
    Sucesso a todos nós.
    Paulo.

    Responder

  564. Vladimir

    Bom noite!
    Estive no Ortopedista hoje para consulta.
    Expliquei minha situação, ele analisou minha deficiencia e forneceu um Laudo bastante simplificado. Hemiplegia do lado esquerdo e o número do CID.
    Espero que seja suficiente para apresentar na perícia, porque não vou procurar mais médico nenhum.
    Nunca gostei de ficar expondo esse problema e ultimamente so tenho pensado nisso. E já está me afetando. Ando me sentindo um imbecil, porque sempre procurei superar esse problema e agora para exercer um direito tenho que provar o óbvio.
    Viu esperar pelas perícias e seja o que Deus quiser.
    Boa sorte a todos nós.

    Responder

  565. Rogério

    Boa noite a todos, alguém poderia me informar como eu faço para saber pelo site da previdência meu resultado da perícia médica se foi deferido ou não, Pois eu fiz a mesma dia 22 de abril.
    abraços.

    Responder

  566. Wladimir

    Sr. Osmar, minha perícia foi marcada na ag Santa Marina/SP também, e me interessa muito saber sobre o desfecho da tua perícia. Por favor poste aqui o resultado. Grato.

    Responder

  567. Teófilo Valdir Fert

    Boa tarde,

    Hoje foi minha perícia médica e da assistente social, a médica foi bem objetiva, sendo que ela quis os laudos originais, declaração de médico informando minha má-formação não vale (tenho eventração diafragmática e por consequência o meu pulmão direito tem somente 20% de sua área), meu joelho direito está com diversos problemas, tinha a cópias do laudo tanto médico, quanto da ressonância magnética do joelho, mas no momento fiquei nervoso e não encontrei os laudos originais, ela não considerou, infelizmente. Então para finalizar, somente foi considerado minha má formação no pé direito e encurtamento da perna direita, estou decepcionado.
    As dificuldades do dia-a-dia, não foram consideradas, a assistente social digitou o que a médica solicitou. Agora aguardar 20 dias…
    Até breve.

    Responder

  568. José Wilson

    Boa tarde a todos,
    Andreia Figueiredo, seu comentário é muito importante para nós, portanto, se possível mantenha-nos informados de tudo que ocorrer com relação a sua aposentadoria. Gostaria que você me falace como conseguiu cópias de seu processo no INSS, foi através de requerimento, solicitação verbal, de forma foi. No dia 23.05.2014 farei minha perícia médica, se eu não for enquadrado pelo menos grau moderado, vou recorrer a justiça.

    Responder

  569. Andréia Figueiredo

    Boa tarde Walter e à todos, fui hoje ao INSS para pegar a cópia de meu Processo de Indeferimento, nele diz o seguinte, que fui enquadrada como leve, mas fizeram contagem de conversão do tempo em que trabalhei sem prótese que foram 10 anos e 9 meses, fui considerada nesse período moderado, com 5875 pontos, e como leve 15 anos e 6 meses com pontuação 7175, portanto 25 anos e 6 meses, já descontados 6 meses de afastamento, e na contagem especial esse tempo foi para 27 anos e 3 meses, portanto restaria 9 meses para eu me aposentar, como deficiente leve. Sugiro a todos que tiverem seus pedidos indeferidos que solicitem cópia de seu Processo, pois a carta de indeferimento é muito vaga, não tem detalhe nenhum.No processo tem somente a contagem total as pericias médica e da assistente social ficam em um envelope e me disseram que é de sigilo do INSS, portanto não me forneceriam cópias dos relatórios. Vou mostrar para um advogado a cópia e ver o que ele me diz e posto aqui para vocês. Abraços à todos e fiquem com Deus.

    Responder

  570. Clovis Oliveira

    Obrigado Odair pela atenção. Ananias em dezembro fiz agendamento no 135 e marcaram meu atendimento para fevereiro onde levei minha documentação que provou que no momento tinha 27 anos e 9 meses de contribuição, onde pulei para a nova etapa, me deram um agendamento para pericia para 16/05 ai será avaliado minha deficiência e condição social, Tenho percebido que há um procedimento diferente de cada agência do INSS, será que não há algo errado?

    Responder

  571. Ananias

    BOM DIA A TODOS
    AQUI EM GOIÂNIA CONTINUA NA MESMA… FIZ A PRIMEIRA AVALIAÇÃO EM 06/02/2014 E ATÉ AGORA ESTOU AGUARDANDO AGENDAMENTO DAS PERÍCIAS, JÁ FUI DUAS VEZES AO INSS E APENAS ME DIZEM PARA TER CALMA QUE SEREI AVISADO, HAJA PACIÊNCIA, QUE DESCASO!

    Responder

  572. Osmar Pedroso

    Pessoal bom dia. sou aqui de São Paulo, capital, a minha expectativa é enorme, sexta feira, 16/05, tenho uma perícia agendada na ag. da av sta marina, li e re-li os comentários deste forum, estou levando todos os tipos de documentos que possuo e encontrei.
    Novidades informarei.

    Responder

  573. Miguel Batista Evang

    Bom dia a todos, Bom dia Walter.
    Meu caso é semelhante ao teu. Conforme postei a alguns dias acredito que seja uma falha ou uma tentativa do INSS de não pagar o beneficio desde a data de entrada do pedido. Estou aguardando contato da assistente social, a mesma ficou de ligar quando tivesse resultados das avaliações medica e funcional ( social ) vou aguardar até 21.05 se não tiver retorno irei pessoalmente na APS. Não sei se vai ajudar, formulei reclamação junto a ouvidoria do INSS via fone 135 e tambem via site da previdencia, dia 08.05.14, reclamei da falha no atendimento, pois, dei entrada no pedido de aposentadora especial para pessoa com deficiencia, conforme LEI 142/2013 e tive retorno via site de pedido indeferido por uma outra lei que me parece ser de aposentadoria proporcional. Acredito que se todos que estão na mesma situação reclamarem junto a ouvidoria poderemos ter retorno.

    Responder

  574. vladimir

    Bom dia a todos!
    Paulo e Luiz, vocês são de Curitiba e terão sua perícias neste mês. Também sou daqui e peço que assim que tiverem o resultado, por favor informem.
    A minha esta agendada para 15 de julho, e hoje tenho consulta com Ortopedista, que aliás foi uma orientação do pessoal da Associação Paranaense de Reabailitação.

    Responder

  575. Odair Pires de Campo

    Bom dia, Clovis, Donizete e amigos. Infelizmente o Leonardo Mattos, uns 05 dias atrás, respondeu meu email, dizendo o seguinte:
    Olá Odair.
    Obrigado por seu contato.
    O senhor tem razão….uma das falhas que percebo na aplicação do IFBR é que só analisa a situação do requerente no presente. Não há como fazer uma análise na linha do tempo de trabalho da pessoa verificando as condições sociais e funcionais de todo período trabalhado, o que torna o resultado subjetivo.
    Sou o autor da lei, porém, a regulamentação só cabe ao executivo…e ainda acredito que a pessoa com deficiência auditiva, na avaliação do IFBR que prioriza funcionalidade motora mais do que a sensorial, será a parte do segmento mais prejudicada neste tipo de perícia. Cabe somente buscar a via judicial.
    Abraço,
    Leonardo

    Responder

  576. DONIZETE

    BOM DIA, gostaria que todos, fizessem sua reclamação, diretamente aos politicos. É so procurar os emails destes politicos, e enviar, todos os dias, para todos, incluindo tambem a PRESIDENTA DILMA, é fácil entre no google e procurar falar com deputados, falar com presidenta, e voce vai FACILMENTE, conseguir colocar sua reclamação de falta de ATENDIMENTO A LEI 142 . SÓ ASSIM conseguiremos algum retorno. Caso contrário, ficamos aqui postando nossas lamentações, sem que haja efeito nenhum. TENHO poliomielite, já passei pelo perito, e igual a todos voces, o perito me acha que sou 100% normal.
    Um abraço a todos, VAMOS LÁ, ENVIE EMAILS A TODOS OS POLITICOS., por favor, façam a sua parte.

    Responder

  577. Walter

    Mariza, Boa Noite, sim eu conferi na internet, esta como Beneficio Indeferido por que não atingi os trinta e cinco anos cfe. Da emenda constitucional nr. 20 de 16/12/1998 e Regulamento da Previdência Social aprovado pelo Decreto nr. 3048 de 06/05/1999 Art. 187, só que não fala nada da lei Complementar 142/2013 e nem das Pericias ( Medica e Social ). Por isso, acho que devo aguardar mais um pouco!
    Att., Walter

    Responder

  578. Clovis Oliveira

    Sr. Leonardo Mattos, nós deficientes ainda precisamos de seu valoroso apoio, pois a avaliação social esta injustiçando alguns deficientes por terem condições econômica razoável conquistada com muita garra e sacrifício, estão sendo considerados deficiência leve, quando na verdade seriam moderada e podendo chegar-se ao absurdo de entenderem que um deficiente visual cego, possa ser classificado como moderado, pois tem boa desenvoltura e condição econômica razoável. Como se condição econômica determinasse o grau de deficiência – O sr. teria alguma orientação para nós.

    Responder

  579. Carlos Prado

    Olá pessoal.
    Vamos entrar no face e mandar mensagem ao vereador.
    https://www.facebook.com/leonardojmattos?fref=ts

    Responder

  580. MARCOS

    PARA OS AMIGOS QUE TEVE POLIO, GOSTO MUITO DE VER VIDEOS DR ACARY OLIVEIRA, ESSE NEUROLOGISTA E ARRETADO DEMAIS.http://www.youtube.com/watch?v=HNigPTvFw_o

    Responder

  581. MARCOS

    PAIVA, BOA NOITE VOCE BOTOU PRA QUEBRAR NA PERGUNTA QUE FEZ AO MEDICO, ESSES CARAS NÃO GOSTAM DE QUANDO FAZEMOS PERGUNTAS DESSA NATUREZA.

    Responder

  582. PAIVA

    ATENÇÃO TODA PESSOA QUE FOR REPROVADA NO INSS PEÇA O LAUDO DO PERITO TEMOS ESTE DIREITO. SERVIRÁ COMO PROVA PERANTE A JUSTIÇA.

    VAMOS ABRAÇAR ESTA CAUSA, NÃO VAMOS CRUZAR OS BRAÇOS!

    TEM MÉDICO QUE A INGNORANÇA É TANTO QUE SÓ FALTA É DIZER: “O SR. ESTÁ ÁPTO AO TRABALHO SERÁ LAVADO AINDA HOJE DE MACA PARA EMPRESA”

    Responder

  583. Paiva

    Quando eu fui fazer a perícia médica a primeira coisa que eu perguntei ao médico é se ele sabia quantos anos já fazia que a poliomielite está erradicada no Brasil. Perguntei também se ele sabia que a poliomielite era conhecida como paralisia infantil. Se era conhecida daquele jeito é porque só atacava nas crianças de 0 a 5 anos.

    Eu mostrei apenas o eletroneumiografia e um atestado médico com a CID. Não tem como contestar.

    O grande problema é que a grande maioria dos médicos praticamente são muitos novos – idade – e acabaram de sair da Universidade.

    Responder

  584. Rosni

    Olá pessoal,
    Sou de Ponta Grossa – Paraná tive pólio aos 6 meses de idade, dia 19/06/2014 vou completar 29 anos de contribuição, já consegui os laudos médicos da empresa onde comecei a trabalhar em 19/05/1985, onde consta a informação que tinha pólio na perna esquerda ( ficou 4 cm mais curta e 10 cm mais fina que a perna direita.
    Será que com essa documentação vai ser suficiente para conseguir aposentadoria pelo menos na classe leve.

    Responder

  585. Mariza

    Olá Ana Paula, veja o que o Carlos te respondeu “Eletroneuromiografia (informa deformação neurológica, quem teve pólio este exame acusa).
    - Com este exames solicitei laudo de um ortopedista e um neurologista. informando a deficiência e o CID.”Mas se o seu marido ainda não passou pela pericia espere passar pois para alguns dos nossos amigos não foi feito esta exigencia. Caso peçam eles te dão um tempo para ir atraz , daí vc pede para fazer este exame.espero ter ajudado.

    Responder

  586. Mariza

    Pessoal, bom dia! Eu postei aqui que alguns de nossos amigos estão tendo retorno de “deferido” ou indeferido” mais ou menos em 10 dias, mas alguns casos já passaram de 10 dias, o prazo do INSS conforme a atendente me disse são de 45 dias , então aguardem a cartinha do INSS ou acompanhe na consulta de beneficios se está “habilitado” quer dizer que está em análise, ou “deferido” aposentadoria concedia, ou Indeferido” aposentadoria negada.

    Responder

  587. Mariza

    Walter, bom dia ! Mas você conferiu na internet e deu “indeferido”? o prazo são +- 45 dias mesmo, é que alguns casos eles estão analisando mais rápido , mas já tem pessoas que passaram de 10 dias.

    Responder

  588. Ana Paula Baioni

    Desculpa, errei ao escrever . Não estou conseguindo provar o ano em que meu marido teve a pólio, visto que ele teve com 4 anos de idade e hj ele tem 61.

    Responder

  589. Ana Paula Baioni

    Bom dia a todos. Não estou conseguindo provar a síndrome de pós pólio do meu marido, visto que não guardaram nenhum documento dele da época, a médica que o tratou já faleceu a mais de 30 anos e o Hospital fechou e não guardaram os documentos visto que são obrigados só por vinte anos. Então amigos (as). se algum de vcs tiverem alguma sugestão para me ajudar eu agradeceria. Temos somente uma foto, declaração de 3 testemunhas e algumas radiografias recentes. Desde já agradeço.

    Responder

  590. Isaque Ribas

    Paiva, durante a perícia com o assistente social, ele virava a tela do seu PC várias vezes para eu ver a deficiência do aplicativo PRISMA e no final ele repetiu este gesto para me mostrar que havia finalizado seu trabalho. Eu notei no canto direito alto da tela o seguinte:
    PONTUAÇÃO 3775/3775.

    Responder

  591. Paulo

    Ok Luiz, Sou de Ctba. Conversamos no dia 22.
    O Isaque Ribas postou ontem, que uma colega dele(PCD auditiva) foi classificada como grau moderado. Estou pleiteando este grau, caso contrário, JUSTIÇA FEDERAL.
    ABÇ.
    Paulo.

    Responder

  592. luiz carlos

    Boa noite Paulo,você é de Curitiba?
    é que minha pericia aqui em curitiba vai ser dia 28 e também estou na expectativa, assim que fizer a sua por favor poste aqui como foi.
    Abraços a todos, e não vamos desanimar, caso nós sejamos considerador grau leve, vamos entrar na justiça federal e aguardar, pois tenho certeza que a lei não é para ser desta forma prejudicial a todos nós deficientes.

    Responder

  593. Paulo

    Mariza e demais colegas,
    Obrigado por postarem suas experiencias com suas pericias no INSS. Já estou sabendo o que vou enfrentar, e com suas dicas, posso ir mais preparado.
    A minha é dia 21.

    Abç.
    Paulo.

    Responder

  594. Walter

    Mariza boa noite, eu sou uma desta pessoa indeferida , a Assistente Social me disse para aguardar 30 dias , isto é , já foram dez dias , como vc disse . Agora não sei se devo procurar um bom Advogado que nem conheço, ou aguardo os trinta dias. Att, Walter

    Responder

  595. Mariza

    Pessoal, Eu fiquei esperando que o perito fizesse perguntas e deixei de dizer os meus outros problemas, por exemplo sou diabética e tenho pressão alta, comentei com a assistente social ,ela até marcou mas disse que eu deveria ter dito ao médico perito…então falem tudo que vocês tiverem de problemas de saude.

    Responder

  596. Mariza

    Ola Barradas, é isto que o Rogério falou , eu fui com a minha protese ,mas eles (medico e assistente)perguntaram se sabia ler lábios eu disse que sim então eles falaram olhando para mim para que eu conseguisse ler, fique tranquilo a assistente social que me atendeu foi muito bacana, mas fale todas as suas dificuldades, eu por exemplo quando perguntada o que me dificultava ao andar de onibus eu disse uma verdade ,coisa minha, mas que achei necessário dizer, que eu tenho muito medo de ser abordada na rua ou no onibus por um assaltante e não me dar conta que é um assalto e levar um tiro…mas vc pode ter outras dificuldades, outros medos…

    Responder

  597. Mariza

    Olá Rogério, olha eu sinceramente apóio ,mas não gosto muito de me compremter, pois não tenho muito tempo, mas se precisarem de alguma força do tipo passar e-mail´s, cobrar alguém pode contar comigo.

    Responder

  598. Rogerio Luis

    Pessoal, sou de Campinas, quem gostou da idéia peço que se identifique e se existe na sua região pessoas interessadas nessa união, e conclamo também se existir advogados interessados pois precisamos de todo apoio possivel, e é hora ou já passou da hora de termos uma representação voltada para quem esperou e está pleiteando aposentadoria. abraços.

    Responder

  599. Rogerio Luis

    Pessoal, gostaria de sugerir neste espaço a idéia de fundarmos uma associação ou ong que possa nos representar, pois vejo que as que estão ai além de não se pronunciar nos viram as costas e ficamos sem rumo, sem saber a quem re correr. Tem muita gente boa neste blog, tem muita gente inteligente e experiente comentando, ajudando e principalmente pleiteando o que nos é de direito, não seria perdido nos unir e criar uma instituição especifica voltada para fazer valer a LEI 142/13 que com muito sofrimento foi aprovada mas que o INSS insiste em nos prejudicar, queria até que se alguem ou algum advogado se pronunciasse a respeito, vi que até criaram um endereço no face, que tal partir para esse rumo? queria saber quem topa ou como podemos nos organizar, tem muito trabalho a fazer e muito deficiente a agregar, só assim podemos nos fazer representar, pois as instituiçoes que estão ai estão mais preocupadas em opinar na midia e a meu ver são oportunistas, a nossa e a quem conclamo todos vocês seria a oficial pois já sabemos que somos deficientes mas precisamos de representação, Mariza vc e tantos outros tem esse talento, que tal vamos nos organizar? Abraços!

    Responder

  600. Rogerio Luis

    Barradas, bom dia! tb sou deficiente auditivo, amigo o que ela vai observar (se o perito já não o fez e inseriu no relatorio que ela verá, são laudos e exames de fono e audiometria) com certeza vai perguntar como vc adquiriu o aparelho e quantos vc já utilizou (meu caso ganho do sus, já ganhei 2 e comprei um pois tem vida util de no máximo 3anos) e concordo plenamente com a Mariza, é falar a verdade pois se omitir qualquer dado agora poderá ser usado contra vc se pleitear na justiça a reparação. gostaria até que se algum advogado acompanhar este blog que se pronuncie para nos ajudar. Abraços

    Responder

  601. BARRADAS - RJ

    Tem alguém do RJ ? Que tal nos identificarmos ao lado do nome o nosso estado? Assim saberemos como esta o andamento de cada estado. Abçs a todos.

    Responder

  602. BARRADAS

    Mariza, o meu caso e deficiencia Auditiva vc poderia me informar se devo ir com o aparelho ou não ? quais as perguntas que o perito e ass social faz ? a minha pericia será 13/05 será que teremos chance ?
    obrigado pela ajuda.

    Responder

  603. Mariza

    José Antonio, deixa como está , é melhor mesmo falara a verdade ,vai que a assistente social resolve fazer uma visitinha e pela lei ela tem todo o direito para tal.Boa sorte!

    Responder

  604. Mariza

    Sinceramente eu sou a favor da verdade , não acho certo sermos avaliados pelo que conquistamos com tanto esforço , nós sabemos o quanto lutamos para isto. No meu caso a unica coisa que eu tenho é a prótese auditiva,ma spenso em quem vive em caderias de rodas e conseguiu com muito esforço uma qualidade de vida melhor…todos tem o direito, se nos for negado entramos com recurso e a vitória será garantida.

    Responder

  605. Jose Antonio

    Mariza gostei da sua idéia, mas tem um porém no meu caso já passei pelo médico perito e falei que eu tinha financiado um carro adaptado, e quanto casa ele vão investigar ai a coisa pega.

    Responder

  606. Mariza

    Pessoal bom dia! Gostaria de deixar uma dica para quem ainda não passou na assistente social…evitem dizer que tem casa, carro , cadeira ou qualquer coisa ADAPTADO, caso queriam falar , diga recebeu de doação …quanto mais dificuldades vc tiver no seu dia a dia mais fácil vc cair para grave ou moderada…Abraços.

    Responder

  607. MARCOS

    BOM DIA PAIVA NAO FIQUE ESPERANDO PELA CARTINHA,ENTRE SITE DA PREVIDENCIA E CONSULTE ANDAMENTO DE SEU BENEFICIO E LA QUE VOCE VAI TER ESSA CARTINHA PRIMEIRO. BOA SORTE.

    Responder

  608. MARCOS

    DONIZETE, BOM DIA PRIMEIRO DO QUE TUDO GOSTARIA DE DIZER QUE AQUI EM ALAGOAS LOCALIZDO NA REGIAO NORDESTE, QUE SE SE HOJE AS COISAS E MUITO ATRASADA IMAGINE NA DECADA DE 60. HOSPITAIS NÃO EXISTE MAIS DA EPOCA, MEDICOS QUE ME TRATEI JÁ MORREU SE O INSS FOSSE SOLICITAR UM ATESTADO DA EPOCA PODE TER CERTEZA QUE AQUI EM ALAGOAS NÃO IRIA SE APOSENTAR UM POR SEQUELA DE POLIO. PARA VOCE VER POR AI NA BANDA SUL/SULDESTE ALGUEM JÁ RECEBEU SEU INDEFERIMENTO OUTROS DEFERIDOS E AQUI SO EU POR ENQUANTO QUE FEZ ESSA AVALIAÇÃO POR ENQUANTO EU ESTOU SENDO O COBAIA E DEU TUDO ERRADO VOU TER QUE VOLTAR FAZER TUDO DE NOVO ESTOU AGUARDANDO ELES ME LIGAREM PARA VOCE TER UMA IDEIA QUE ATE NISSO NA EPOCA DE HOJE E TUDO ATRASADO POR AQUI. ACREDITO QUE PODE SER POR AI. O ÚNICO ATESTADO QUE TENHO MAIS ATINGO SERIA MEU CERTIFICADO DE DISPENSA SERVICO MILITAR.

    Responder

  609. Mariza

    Walter, bom dia! Ela disse que é tudo novo mas que o prazo máximo é de 45 dias , é para eu ir olhando na internet…mas as pessoas que estão se aposentando ou sendo indeferidas está na média de 10 dias

    Responder

  610. Wladimir

    É isso aí, Sr. Ricardo este é o país das desigualdades, que democracia que nada…Os políticos aproveitam da situação nas costas do pobre povo que paga pelos impostos em dia. Azar o nosso de ter nascido aqui e sorte deles que abusam do bom plágio.

    Responder

  611. Ricardo

    Caros Colegas isto que e aposentadoria.

    O deputado federal por Minas Gerais, Antônio Roberto (PV), desde esta quinta-feira não ocupa mais a vaga na Câmara. Ele foi aposentado por invalidez e a decisão foi publicada hoje do Diário Oficial da União (DOU). Roberto passou por avaliação da junta médica da Casa que concedeu o benefício para o parlamentar. Ele receberá o valor integral do subsídio, R$ 26.723,13, em valores brutos. Para a vaga deixada pelo verde quem assume é outro colega de partido, Luiz Gonzaga Ribeiro, conhecido como subtenente Gonzaga (MG).

    Nem precisou de entrevista social somente 8 anos como deputado federal.
    PARABENS……..

    Responder

  612. Walter

    Boa noite, Mariza!

    Quanto tempo que a Assistente Soaial, pediu para aguardar ?? att., Walter

    Responder

  613. DONIZETE

    CARO MARCOS, tenha uma boa noite. Como gostaria que fosse, conforme você pensa, mas não é assim, qdo se chega lá as coisas é completamente diferente, fazem de tudo para coloca-lo em deficiência LEVE e não acreditam de forma alguma que a poliomielite é de infância, você tem que provar a data, por meios de atestados na época, comprovantes da época, etc…. um grande abraço, e sucesso.

    Responder

  614. Mariza

    Olá pessoal , boa tarde! Passei hoje pela assistente social, foi muito tranquilo, fez várias perguntas sobre a minha deficiencia, não perguntou sobre salario, casa, carro…agora é aguardar.

    Responder

  615. MARCOS

    AOS COLEGAS QUE TEM SEQUELA DE POLIO, QUANDO PASSEI PELA PERICIA MEDICA ELA NÃO SOLICITOU NENHUMA COMPROVAÇÃO DE QUANDO EU TIVE A DOENCA. QUANDO EU DISSE QUE A MINHA DEFICIENCIA E SEQUELA DE POLIO ELA SO ME SOLICITOU SÓ UM ATESTADO DE MINHA DEFICIENCIA ACHO QUE ELA QUANDO VIU O CID B91 E OUTROS QUE A MINHA DRA FISIATRA COLOCOU, ELA SABE QUE POLIO SÓ DAR NA INFANCIA E TODOS NOS QUE DEU ENTRADA NESTE BENEFICIO NÃO TEM MENOS DE 40 ANOS DE IDADE. ACHO QUE ELA PEDE EXAMES E OUTRAS DECLARAÇÕES E AQUELE DEFICIENTE QUE TEVE SEQUELAS DE ACIDENTES E OUTRAS DOENCAS ACHO QUE ELES TRABALHAM EM CIMA DISSO PELO MENOS FOI O QUE EU SENTI NA MINHA PERICIA. SE CASO MEU BENEFICIO SEJA INDEFERIDO VOU PARA A JUSTICA SÓ QUE VOU BRIGAR PARA PROVAR QUEM TEM SEQUELA DE POLIO E DEFICIENCIA GRAVE. PORQUE DEPOIS DOS 40 COMECA A SE DELETAR. AOS COLEGAS QUE TEM A SEQUELA SABE DE QUE EU ESTOU FALANDO. ABRAÇOS A TODOS E ESTOU PARA SOMAR COM VOCES.

    Responder

  616. MARCOS

    JOSE WILSON, NÃO LEMBRO O NOME DA MEDICA PERITA MAS E UMA MENINA NOVA. MAS TEM OUTRAS PERITAS PARA FAZER ESSE TIPO DE TRABALHO APESAR DE ESTAR UM POUCO POR FORA DO ASSUNTO.

    Responder

  617. José Wilson

    Caro amigo Marcos de Maceió,

    Gostaria de saber o nome desta médica que fez sua perícia e se tem mais algum perito fazendo este tipo de perícia ai em Maceió. Grato pela a tenção.

    Responder

  618. Nome

    Eu entreguei também o exame de eletroneuromiografia e o certificado de reservista. E o médico pediu um atestado médico com a CID

    Responder

  619. DONIZETE

    PARA O FERNANDO, estou na mesma situação, preciso comprovar o inicio da minha deficiencia, mais tá dif´cil não tenho como, nestas épocas foi uma época estabilizadora da poliomielite, não procuravamos médicos, e ainda queria ser uma pessoa normal passando por barreiras. Hoje eu vejo que deveria ser mais rigoroso em relação a deficiencia, pois é assim que ele acham que deveriamos ser, DEFICIENTES e prontos. não podiamos levar uma vida social, vencendo nossas limitações, estou perplexo a respeito do que vejo hoje. TENHO 32 anos de contribuição, dei entrada, passeipor um perito, lastimavel, que quer que eu busque a data em uma papel velho em qualquer lugar do meu passado, porem não tenho, isto que ele quer, tenho laudo de médicos do DETRAN, mais não serve, tenho FOTOS, mais não serve, um abraço a todos, e vamos lá VAMOS LEVER ESTA INFORMAÇÃO EM REDE NACIONAL, PRECISAMOS QUE DIVULGUEM ESTA MATÉRIA. Um abraço a todos.

    Responder

  620. Paiva

    Ia esquecendo: eu entreguei o exame de eletroneumiografia, e o certificado de reservista e me pediu um atestado do meu médico com a CID

    Responder

  621. Paiva

    Fiz as perícias – médica e social – hoje, foram feitas poucas perguntas, haja vista que o sistema estava travando e eu fui o primeiro caso no meu municípios. Acredito que tenho 26 anos e alguns meses + 2 anos de auxulio-doença.
    Fui muito bem recebido. O médico só mandou eu ficar em pé para ver a minha deficiência, fez 4 perguntas e me encaminhou para assistente social, que não sabia mexer no programa, a todo momento chamava o médico para ajuda-la.
    eles me disseram que nem eles vem a pontuação, quando termina o programa fecha e envia ao administrativo, que vai analisar a soma que o programa mostrou com tempo de contribuição que você tem.
    Resta agora esperar pois o chefe do inss disse que receberei uma cartinha em minha casa.

    Responder

  622. MARCOS

    JOSE WILSON, MORO EM MACEIO FIQUE SABENDO QUE AS COISAS POR AQUI NÃO ESTA SENDO FACIL, EU FUI O PRIMEIRO A SER AVALIADO E RESULTADO E QUE VOU TER QUE FAZER TUDO DE NOVO QUE O SISTEMA FALTOU ALGUMAS ANOTAÇOES POR PARTE DA MEDICA PERITA . E EU ESTOU NO AGUARDO DO INSS LIGAREM PARA MIM RETORNAR. ESPERO QUE ATE DIA DE SUA PERICIA TUDO JÁ ESTEJA NORMALIZADO POR QUE ATE PRESENTE MOMENTO ESTA TUDO ATRAPALHADO. ABRÇO E BOA SORTE.

    Responder

  623. Jesuino

    José Wilson

    Tem também o fato do perito não ser o especialista no caso para contestar o laudo do seu especialista, bem como o PARECER do Sindicato dos Perítos repudiando ás regras da funcionalidades.

    Responder

  624. Jesuino

    Jose Wilsom

    Você está correto em entrar na justiça com advogado; que poderá entrar com medica cautelar, pedir danos morais causado por vários fatores como; descaso, inconstitucionalidade, direito, constrangimento pela demora, pois existe um decreto que regulamente que a aposentadoria deve ser concedida em até 45 dias, no comprovante de agendamento também está escrito que: Seu pedido será analisado no ato do atendimento, o que não ocorre. Abcs

    Responder

  625. José Wilson

    Olá pessoal,
    Tenho acompanhado atentamente todos os comentários, desabafos, angústia e ansiedade de todos que fazem parte desta camada da sociedade. Sou mais um destes sofredores. Estou com a perícia médica marcada para dia 23.05.2014 que será realizada em Maceió a 210 km de onde resido. Moro em Santana do Ipanema/AL. Até o momento não há médico capacitado para este tipo de perícia, por isso terei que me deslocar até a capital do estado para realizar esse procedimento doloroso. Já tenho 29 anos de tempo de contribuição para o INSS e 53 anos de idade, se eu não for enquadrado pelo menos no grau moderado, com certeza vou recorrer a justiça e se meu advogado encontrar brechas na lei vou requerer também indenização por danos moras por conta deste questionário absurdo. torço por todos. Um forte abraço.

    Responder

  626. José Antonio

    Gente alguém poderia denunciar no Datena da Band, o que esse politicos principalmente essa presidente que colocou na lei a vida social de um deficiente, pergunto que tem haver deficiencia com vida social, se um deficiente tem uma vida social melhor que outro deficiente, o que menda é que a lei é para aposentadoria por contribuição de deficiente.

    Responder

  627. Antonio Alvim

    07/05/2014 – 20h36

    Câmara lança guia para a imprensa falar sobre deficientes

    Laycer Tomaz/Câmara dos Deputados

    Rosinha da Adefal (C): é preciso tratar as pessoas com deficiência com igualdade, nem vitimizando nem supervalorizando seus feitos.

    O Guia “Como falar sobre deficiência” foi lançado nesta quarta-feira (7) na Câmara dos Deputados. O manual para profissionais de comunicação traz, em um texto leve, exemplos do que é preciso evitar no tratamento da pessoa com deficiência. Segundo o guia, é preciso evitar o termo “deficiente” porque passa a ideia de que a deficiência está presente nessa pessoa inteira, o melhor é usar pessoa com deficiência.

    Tratamento e preconceito
    O texto, proposto pela Frente Parlamentar do Congresso Nacional em Defesa das Pessoas com Deficiência, traz ainda frases veiculadas na imprensa que demonstram preconceito e por isso precisam ser evitadas.

    A deputada Rosinha da Adefal (PTdoB-AL) coordenou o trabalho de produção do guia. Na opinião da parlamentar, que é cadeirante, é preciso tratar as pessoas com deficiência com igualdade, nem vitimizando nem supervalorizando seus feitos. “Nós deficientes temos que ser vistos pela sociedade de uma forma geral, antes da cadeira, antes da muleta, antes dos óculos, do aparelho auditivo, da bengala, como uma pessoa, como um cidadão que tem direitos e deveres como qualquer outro.”

    00:00

    01:59

    Assista reportagem da TV Câmara sobre o lançamento do manual.

    O presidente nacional do Movimento Orgulho Autista Brasil, Fernando Cotta, participou da cerimônia de lançamento da cartilha e explicou que a forma de chamar uma pessoa com deficiência é um meio de combater ou reforçar o preconceito.

    Cotta destacou que o guia vai balizar toda a imprensa que “carrega toda essa responsabilidade de passar para essa sociedade como se dirigir a essas pessoas, sem que seja de uma forma difamatória, de uma forma com que essas pessoas se sintam mal”.

    Pessoas com deficiência
    Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial.

    Reportagem – Karla Alessandra
    Edição – Regina Céli Assumpção

    A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura ‘Agência Câmara Notícias’

    Comentar
    Enviar opinião para os deputados
    Imprimir

    Câmara Notícias
    Expediente

    Responder

  628. Mariza

    Olá Rogério Luiz, sendo assim fique trnaquilo não tem como eles negarem…pelo que soube a palavra “deferido” aparece no campo que hoje aparece “habilitado” ou seja quando for concluido deixara de ser habilitado e pasa a ser “deferido”…abraços

    Responder

  629. MARCOS

    ANA PAULA, BOM DIA QUERO LHE INFORMAR QUE NEM A MEDICA E ASSISTENTE SOCIAL ME SOLICITOU SÓ PERGUNTOU SE TINHA UM ATESTADO DA MINHA DEFICIÊNCIA MAS SE SOLICITASSEM EU ESTAVA COM MEU CERTIFICADO DE DISPENSA DO SERVIÇO MILITAR QUE TIREI COM 17 ANOS DE IDADE. MAS ELAS NÃO SOLICITOU NADA A NÃO SER MEU ATESTADO DA MINHA DEFICIÊNCIA. DESEJO UMA BOA SORTE PARA SEU MARIDO ABRAÇOS.

    Responder

  630. Isaque Ribas

    Pessoal, boa noite!
    Acabei de postar o texto abaixo no contato da Dep. Rosinha, no site da Camara Federal, foi a deputada Rosinha que liderou a lei 142/2013, em sua aprovação final, já que o Leonardo Mattos não mais fazia parte da câmara, vou agora postar o mesmo texto para o Romário, ela também defendeu a lei.

    Exma. Deputada Rosinha, boa noite! Ilustríssima, o governo através do INSS esta deturpando a lei da APOSENTADORIA ESPECIAL PARA DEFICIENTES. Fui chamado hoje na APS, depois de passar pela pericia médica e social, para ouvir do gerente que minha deficiência foi considerada leve, respondi que os médicos sequer olharam minha perna deficiente e o assistente social apenas perguntou se eu possui automóvel, casa própria, etc. Não me perguntou se eu tinha outras doenças, tipo osteoporose, varizes, diabetes e outras. Então meu grau de deficiência foi julgada pelo minha condição social e não pela minha condição funcional. Me senti ofendido, com encurtamento de 12 cm e sem a articulação do joelho e outras mazelas decorrentes disto, fui chamado de leve deficiente, isto é uma afronta, um descaso ao sofrimento alheio. Estou próximo dos 50 anos, 29 anos e três meses de contribuição, só não tenho mais tempo pois o preconceito e a desconfiança dos empregadores me fizeram trabalhar por mais de 5 anos sem registro em carteira. Veja no site do Leonardo Mattos – autor desta lei – lá estamos desabafando e procurando, juntos a outros irmãos deficientes, buscar soluções e compartilhar informações. Está difícil, precisamos da sua voz para nos defender deste abuso. Agradeço sua atenção, certo do seu apoio, despeço com votos de estima e paz.

    Responder

  631. Isaque Ribas

    Marisa, boa noite!
    Obrigado pela força e conselho, estou feliz por você e pela amiga com deficiência auditiva que fez as pericias junto comigo aqui na APS Brumado-BA, ela conseguiu grau moderado, nos dois fomos os primeiros aqui em Brumado.
    Fui chamado hoje na APS para ouvir do gerente que minha deficiência foi considerada leve, respondi que os médicos sequer olharam minha perna deficiente e o assistente social apenas perguntou se eu possui automóvel, casa própria, etc. Não me perguntou se eu tinha outras doenças, tipo osteoporose, varizes, diabetes e outras. Então meu grau de deficiência foi julgada pelo minha condição social e não pela minha condição funcional.
    Me senti ofendido, com encurtamento de 12 cm e sem a articulação do joelho e outras mazelas decorrentes disto, fui chamado de leve deficiente, isto é uma afronta, um descaso ao sofrimento alheio.

    Responder

  632. Rogerio Luis

    Pessoal, gostaria de saber qual caminho estão seguindo para ter a informação “Deferido”? consultei a pouco pelo nr do beneficio e consta “Habilitado” vcs saberiam me informar? passei pela assistente social dia 05/05 estranho pois ela me disse para esperar no minimo 15dias. Agradeço desde já.

    Responder

  633. HAROLDO DINIZ

    OLÁ PESSOAL BOA NOITE!!!!

    PELOS RELATOS LIDOS ATÉ AQUI, FICA CLARO QUE QUEM FOR SUBMETER-SE A PERÍCIA DO INSS SEM TER NO MÍNIMO 33 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO, VAI TER A SUA APOSENTADORIA NEGADA. ISSO NÃO QUER DIZER QUE O INSS NÃO CONSIDERA A PESSOA DEFICIENTE. SÓ QUE ESSE ÓRGÃO SÓ ESTÁ ENQUADRANDO O DEFICIENTE NA DEFICIÊNCIA LEVE. ENTÃO PARA QUEM NÃO TIVER PELO MENOS 33 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO, SÓ RESTA TENTAR RECORRER AO PRÓPRIO INSS MAIS UMA VEZ, E TENDO A SUA APOSENTADORIA NEGADA NOVAMENTE, PROCURAR OS MEIOS JUDICIAIS. DE OUTRA MANEIRA, SÓ AGUARDANDO COMPLETAR OS 33 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO E AÍ SIM PLEITEAR NOVAMENTE A APOSENTADORIA. ADEMAIS, ESSA NEGATIVA NÃO É SURPRESA PRA NINGUÉM, AFINAL A GRANDE MAIORIA DE NÓS JÁ ESPERÁVAMOS POR ISSO, PRINCIPALMENTE QUANDO TIVEMOS CONHECIMENTO DO QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO SOCIAL QUE SERIA USADO NAS PERÍCIAS.
    DESEJO A TODOS BOA SORTE!!!
    VOU AGUARDAR MAIS 04 ANOS ATÉ COMPLETAR OS 33 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO. SE ATÉ LÁ MUDAR ALGUMA COISA OU A JUSTIÇA COMEÇAR A OLHAR POR NÓS, AÍ SIM TENTAREI ME APOSENTAR.

    Responder

  634. Rogerio Luis

    Oi Mariza, boa noite, não vi critica não, pelo contrário estamos todos juntos, o que já passamos foi uma tortura até aprovarem a LEI, agora precisamos nos unir para fazer valer a LEI. Meu caso tenho problema auditivo, mas também fui atropelado e possuo 7pinos no tornozelo e duas placas, tive LER onde recebo o beneficio 94 acidente, atualmente fui diagnosticado com Bursite nos dois ombros e neste ano passado fui afastado por auxilio doença, retornei ao trabalho mas é muito dificil conviver com dor e pressão, meu caso só tenho um carimbo na carteira, com 31anos e ainda tenho 10meses como estágio remunerado que o inss não reconhece e tudo na mesma empresa. posso dizer que sou um deficiente 3em1, e ainda neste mês de abrir descobri a diabete (que não aposenta, mas vai corroendo minha qualidade de vida). minha esperança é essa, por isso assim que sair o resultado vou além de colocar nas mãos de Deus, no me advogado pois não podemos mais ser discriminados por quem devia nos proteger. Abraços.

    Responder

  635. fernando

    Boa Noite! tenho um atestado médico do ortopedista declarando minha deficiencia e que adquiri na infancia , e o exame de eletroneuromiografia, fui atendido no HC, porém não obtive qualquer documento sobre o inicio da doença será que não aceitarão o atestado do ortopedista? tive polio com 7 meses

    Responder

  636. ZEZINHO

    A CULPA NÃO É DO PESSOAL DO INSS ,NEM DA ASSISTENTE SOCIAL E NEM DOS FUNCIONÁRIOS DO INSS.A CULPA É TODINHA DOS POLITICOS QUE FIZERAM ESSA LEI MAL FEITA.DANDO BRECHA PRO INSS FAZER DA MANEIRA MELHOR PRA ELES.

    Responder

  637. Adeilson Marinheiro

    OK, Carlos, OBRIGADO e BOA SORTE.

    Responder

  638. Mariza

    Odair, você precisava se encaixar na grave? Mas olha não espere muito não, não são 30 dias para recorrer?

    Responder

  639. Carlos

    Boa tarde a todos.
    Adeilson,
    o valor do benefico e 80% da media das ultimas 180 maiores contribuicoes efetuadas ao INSS.
    Na carta de concessao eles ate fazem uma simulacao para encontrar o fator previdencario, no meu caso = 0,5663, mas no final eles consideram fator 1 ou seja o fator NAO e aplicado.
    Nao foi preciso ir ate o INSS a carta vai para sua residencia.

    Responder

  640. José Antonio

    Odair Pires Muito obrigado também pelo apio estou muito confiante, só espero que eles perito e assistente social não me descepicione.

    Responder

  641. José Antonio

    Marcos muito obrigado pelo apoio, torço para que voce esteja certo.

    Responder

  642. Odair Pires de Campo

    José Antonio, tem sim. Disso eu tenho certeza. Mesmo que for deficiência leve, você já completou o tempo de 33 anos.

    Responder

  643. MARCOS

    JOSE ANTONIO PODE TER CERTEZA QUE SEU PROCESSO VAI SER DEFERIDO. DESEJO DESDE JA MEUS PARABENS.

    Responder

  644. Odair Pires de Campo

    Boa Tarde, pois é, Mariza, Wlademir e amigos, entrei no site da previdencia hoje e assim estava escrito. Fico muito triste, mas não desanimem antes de passar pelo INSS. Infelizmente temos que passar por isso, mas eu só me apego e confio em Deus. Vou dar mais um tempo, depois eu vejo o que faço. Me simpatizei pelo nosso blog, não conheço ninguem de vista, mas conheço todos dentro do meu coração. Abraços e estarei sempre com vocês.

    Responder

  645. Jose Antonio

    Gente tenho paralizia infantil nas duas pernas e escoliose na coluna, já passei pelo perito com todos documento nescessario, agora me convocaram para passar pela assistente social no dia 14, queria saber se eu tenho alguma chance, pois tenho 34 anos e 3 meses de contribuição.

    Responder

  646. Mariza

    Oi Rogério Luiz, eu entendi sim que vc estava compartilhando as injustiças sofridas pelos nossos amigos, mas eu perguntei mesmo porque pelo que já li vc tem a mesma deficiencia que eu e o Odair tem perda profunda nos dois ouvidos e não conseguiu…desculpe se pareceu crítica…eu acho mesmo que temos que fazer alguma coisa sim.

    Responder

  647. Rogerio Luis

    Mariza, boa tarde! ainda espero o resultado, mas pelo que tenho observado o relato dos que aqui escrevem, estou frustrado, não basta saber que foi ou não concedida no meu caso, mas saber e compartilhar com cada pessoa que aqui escreve e nos concluem a injustiça que estão sendo expostos, é revoltante saber que esperamos tanto tempo, tantos sonhos, um fim de calvário e o INSS concluir que ou vc não tem deficiencia ou seu grau é leve, que dai trabalhar mais 2anos ´pouco importa, vc não ficará mais rico ou pobre, vai perder saude isso é evidente. ainda tenho uma esperança Mariza e amigos, que a LEI nos ampare, que tenhamos sorte de contratar um advogado preparado e não oportunista. Abraços.

    Responder

  648. Wladimir

    Sr. Odair, vc pode entrar com recurso contra esta decisão, não desanime e corra atrás!!!!

    Responder

  649. Sinval

    Pessoal,

    sabe o que me deixa mais perplexo com todas estas injustiças.
    é que estamos totalmente desamparados pelos políticos, poder público e demais.
    NESTAS HORAS, TODOS ESTÃO ESCONDIDOS, NENHUM DÁ A CARA PARA BATER.
    é uma vergonha o que está acontecendo.
    Será que a nossa Presidenta tem idéia desta armação que estamos metidos?
    INSS PODRE…..

    Responder

  650. Mariza

    Nossa Odair, mas o que alegaram?

    Responder

  651. Odair Pires de Campo

    Quero informar a todos que fiquei muito triste, pois foi indeferido a minha aposentadoria e fiquei decepcionado por ter acompanhado esperançosamente desde o ano de 2005 todos os procedimentos. Nem acredito que foi desta maneira. Desejo boa sorte a todos, e verei o que posso fazer daqui em diante. Minha deficiencia é auditiva, grau profundo nos dois ouvidos. Abraços a todos.

    Responder

  652. Mariza

    Olá Rogério Luiz, bom dia! A sua aposentadoria também foi “indeferida”?

    Responder

  653. Mariza

    Izaque ,bom dia! Que pena…mas olha eu te aconselho a recorrer da decisão, demora um pouco mas você recebe tudo desde a data d eagendamento.

    Responder

  654. Adeilson Marinheiro

    Bom DIA, Recife-PE, Tive pólio aos 8 meses, e tenha sequelas na perna esquerda com defeito de formação. A minha perícia foi por uma perita que não sabia nem entrar no sistema para digitar os dados, mas no final acabou tudo bem, assim espero. Estou postando esta mensagem para informar que é fundamental que levem todos os documentos que comprovam a sua deficiência, principalmente um documento que comprove o início da deficiência, algo como RESERVISTA. Carlos, parabéns pela sua conquista, gostaria de saber se após a concessão você precisou comparecer ao INSS para assinar alguma coisa, se realmente o FATOR PREVIDENCIÁRIO não é utilizado.

    Responder

  655. Mariangela

    Bom dia Carlos,
    Parabéns pela conquista,fico muito feliz em saber da aplicação da lei, mas informa a sua cidade.
    Abraço

    Responder

  656. Mariangela

    Ana Paula, bom dia! Eu fiz a pericia médica e faltou a data da doença tive pólio com 1 ano e 4 meses, então fui no ortopedista e ele fez um relatório informando a doença e data , e a situação a qual me encontrou, levei também exame de eletroneuromiografia e relatórios de 2 ortopedista, faltou ainda passar pela assistente social. Espero ter lhe ajudado.

    Responder

  657. Vladimir

    Carlos, bom dia!
    Parabens pela sua conquista. Justiça foi feita.
    Lendo os e-mails e as dificuldades dos amigos, me conforta em saber que alguem esta tendo o amparo da Lei.
    Não podemos deixar de lutar pelos nossos direitos.

    Responder

  658. rogerio luis

    Cabrini, não sei se msg anterior foi recebida, mas gostaria que sua equipe acompanhasse a LEI 142/13 que trata da aposentadoria a pessoa com deficiencia, sancionada em 08/05/13 pela presidenta e que só em 04/12/13 foi possivel agendar as etapas junto ao inss, só em Fev/14 foi feito atendimento adm onde juntamos toda documentação para “provar” que contribuimos e temos o direito a requerer o beneficio, em Abril começaram as pericias e mesmo apresentando todos laudos, documentos, exames, somos privados de saber qual nota o perito deu, assim também ocorreu na etapa com assist.social que nos recomenda 30dias de espera pois volta o resultado a adm do inss. nesta etapas são feitas “perguntas” vc faz isso sozinho? parece que tratamos de auxilio doença, queremos a execução da LEI, somos deficientes e sofremos além da discriminação, a omissão daquilo que está na frente dos peritos. se possivel peço ao jornalismo do sbt acompanhar relatos no blog do Leonardo Mattos, quem criou a LEI 142/13. Abs.
    Pessoal vamos informar ao maior numero de jornalistas, segue acima o que enviei no site do sbt ao cabrini.

    Responder

  659. Rogerio Luis

    Pessoal, acompanho como a maioria a decepção quanto as pericias médica e social, acho que não podemos parar, esperamos muito, confiamos muito, reunimos todas as provas de nossas deficiencias, antes de mais nada gostaria de sugerir a todos que tem o mesmo sentimento que eu a divulgar na midia, tv,rádio,internet,grupos sociais pois é ano eleitoral e uma das primeiras formas de garantir nossos direitos (antes até de constituir um bom advogado) é a midia saber deste descaso com a Lei, saber das perguntas que nos fazem mesmo sendo visivel nossas deficiencias, que claro não interessa ao INSS pois o maior deficientes são eles que são cegos, surdos e omissos a realidade e estão confundindo condição de continuar trabalhando como é feito no auxilio doença com aposentadoria a pessoa com deficiencia, dois abismos pois não pedimos favor, apenas o cumprimento da LEI. Estou fazendo a minha parte, escrevendo nos sites da Record, Sbt, Globo e Bandeirantes.

    Responder

  660. Isaque Ribas

    Pessoal, boa noite!
    Fiz a avaliação com o assistente pessoal hoje pela manhã, acabei de consultar no site o INSS e estava INDEFERIDO por falta de tempo de contribuição. Eu tenho atrofia na perna direita com encurtamento de 12 cm, uso bota ortopédica para compensar o encurtamento, não tenho o movimento do joelho.

    Responder

  661. Carlos

    na Paula tive pólio com 11 meses de idade.
    Documentação que levei na pericia medica:
    - Informação sobre a primeira internação – HC SP.
    - Escanometria (informa a diferença de tamanho ósseo).
    - Eletroneuromiografia (informa deformação neurológica, quem teve pólio este exame acusa).
    - Com este exames solicitei laudo de um ortopedista e um neurologista. informando a deficiência e o CID.

    Responder

  662. Carlos

    Boa noite a todos.
    Haroldo , Luiz..
    Com certeza fui enquadrado em deficiência leve.
    Minha deficiência é sequela de pólio na perna esquerda – monoplegia, faço uso de bengala e sapato ortopédico.
    Minha certeza sobre o grau parte do principio de que:
    - Poucas perguntas foram feitas pela perita (digitou direto no computador)
    perguntas básicas: consegue se vestir, tomar banho sozinho, cozinhar, etc.
    - Pela assist. social que escreveu no papel para depois passar no computador (conseguia ver a nota) recebi poucas notas 75, restante tudo 100.

    Responder

  663. Ana Paula Baioni

    Boa Noite . Marcos, como vc provou que teve pólio aos dois anos de idade ?? Foi com fotografias, depoimentos ???? Por favor, precisamos saber.Meu marido teve com quatro anos e não temos documentos médicos que comprovem este tempo. Obrigada.

    Responder

  664. antonio

    Sorocaba – SP , consegui pelo site da previdencia, consulta situação do beneficio, tem que ter a senha e entrar em “detalhe”. boa sorte

    Responder

  665. Ana Paula Baioni

    Boa noite . Carlos vc disse que teve pólio aos dois anos de idade. Gostaria de saber, se possível, como vc provou que teve com esta idade. Foi com depoimento, fotos ??? Obrigada.

    Responder

  666. Walter

    Andreia, boa noite!

    Desejo a voce uma boa sorte, mas mantenha-nos informado. att, walter

    Responder

  667. HAROLDO DINIZ

    OLÁ PESSOAL BOA NOITE A TODOS!!!

    PRIMEIRAMENTE QUERO PARABENIZAR O CARLOS PELA CONCESSÃO DA SUA APOSENTADORIA.

    CARLOS VC PODE NOS DIZER AQUI COMO SÃO AS SEQUELAS DE PÓLIO QUE VC TEM. ISSO NOS AJUDARIA BASTANTE, HAJA VISTA QUE O SEU ENQUADRAMENTO DEVE TER SIDO NA DEFICIÊNCIA LEVE(33 ANOS)E COMO VC JÁ TINHA (33) ANOS E (08) MESES, ENTÃO FOI FÁCIL PARA O INSS.

    Responder

  668. Mariza

    Carlos, Parabéns! É bom vc postar isto, pois a maioria está sofrendo mas nem ao menos sabem a resposta ainda, eu creio que muitos de nós vamos aposentar ainda. Seja feliz , você mereceu assim como cada um de nós aqui merecemos, mas sabemos que as cabeças dos Peritos pensam diferentes e alguns terão mais dificuldades que outros…

    Responder

  669. luiz

    Boa noite Carlos, com todo este tempo de contribuição não tinha como não conseguir a aposentadoria, peço a você se for possivel conseguir junto ao INSS qual foi a sua avaliação(qual o grau de deficiência) isto me ajudaria muito pois tambem tenho poliomelite mas não tenho tanto tempo de contribuição igual a você, sei que se for no INSS e solicitar eles fornecem esta informação.
    Grato e boa noite a todos, minha pericia ainda será no fim do mês e esta dificil esperar com tantas incertezas.

    Responder

  670. MARCOS

    Boa noite a todos, fui hoje ao INSS, fazer minha avalição social mas não foi possível porque na avaliação medica foi avaliada minha deficiência. Tive pólio aos dois anos de idade e a medica avaliou minha vida dos meus dois anos ate hoje só não avaliou de quando eu nasci ate aos dois anos e por essa razão hoje na avaliação social o sistema não seguia a frente depois de muitos babados chegaram a essa conclusão não avaliou minha vida do nascimento ate os dois anos quando tive a pólio. Fiquei muito p da vida porque não encerrou essas avaliação hoje , agora vou ter que voltar a avaliação medica para terminar o trabalho para poder prosseguir com a avaliação social. Pode ser uma coisa dessa o que vocês acham desse relato. Deu muita vontade de na hora dizer assim: (SABE DE UMA COISA ZERA ESSA MERDA DE BENEFICIO QUE COSNTA EM MEU NOME QUE AQUI EU NÃO VOLTO MAIS) sai com minha boca ressecada amarga com minha pressão alta e ficaram de me ligar para dizer o dia de minha avaliação. Isso e uma vergonha.

    Responder

  671. salatiel jose de sou

    Caro colega Antônio ,também sou monocular e tenho 32 anos e 8 meses paga a essa bandida previdência, depois desta desisto. obrigado

    Responder

  672. Carlos

    Boa noite.
    Apos pericia e ass. social, veio e resposta do INSS:
    Informamos que sua aposentadoria foi concedida.
    (Poliomielite – 33 anos e 8 meses de INSS).
    Posto apenas para encorajar, pois estou numa mistura de alegria e tristeza, pois sinto na pele a grande dificuldade de todos.

    Responder

  673. Paulo

    Do jeito que a coisa esta indo, a gente vai brigar para ser considerado deficiente grau leve.
    Onde estão as associações dos deficientes para nos ajudar/representar ? Porque só o sindicato dos peritos se manifestou a nosso favor ?

    Mas, eu ainda creio na justiça e podem ter certeza, aqueles que tiverem direitos a aposentadoria especial, pode demorar, mas conseguirão, e com juros e correções.

    abç.

    Responder

  674. Miguel Batista Evang

    Boa tarde Antonio,
    Poderia dizer quando recebeu esta noticia do INSS? Qual a sua cidade?

    Responder

  675. Cibele

    Tenho 54 anos e 30 de contribuição.Tive pólio com meses de idade onde fiquei com uma sequela na perna esquerda de atrofia e 4cm e encurtamento. Passei pela perícia médica dia 30/04/14 no INSS da Santa Cruz em São Paulo. Em seguida anotaram meus dados em uma folha de papel e disseram que era para aguardar um telefonema. Poderiam por favor me dizer quanto tempo demorou a marcação com a assistência Social para vocês? Abraços!

    Responder

  676. antonio

    Obs.: Sou Monocular e tenha 34 anos 4 meses de contribuição.

    Responder

  677. antonio

    Em atenção ao requerimento de Aposentadoria por Tempo de Contribuição da pessoa com deficiência, efetuado em 10/12/2013, a Previdência Social comunica que, após a análise dos documentos e da avaliação médica e social, não houve enquadramento da deficiência declarada como leve, moderada ou grave, não sendo preenchido, portanto, o tempo de contribuição necessário para a concessão da Aposentadoria por Tempo de Contribuição à pessoa com deficiência, na forma prevista no art. 3º da Lei Complementar nº 142/2013:

    Responder

  678. ZEZINHO

    E AINDA VEM ME DIZER QUE ESSA LEI VEIO PRA INSENTIVAR OS DEFICIENTES A TRABALHAR E PAGAR O INSS.ÓLAS BÓRAS,DESSE JEITO DEFICIENTE NENHUM VAI QUERER TRABALHAR.PRA TER OS DIREITOS NEGADOS …..

    Responder

  679. João Carlos Spirand

    Voce esta certo Donizete, ja havia me indguinado antes de começar sair os resultados, essa lei foi um tiro no pe,vamos confiar em quem nesse pais. vejam que não e apenas nos deficientes que estamos reclamando ou desclente, e a população em geral, é muito desmando e sacanagem com a população.

    Responder

  680. João Carlos Spirand

    Concordo com voce e Zezinho, essa Lei deixou muita margem de interpletação,ai acabou com os deficientes. A vida do deficiente ja e dura e ainda vai continuar…

    Responder

  681. João Carlos Spirand

    Boa tarde pessoal, lendos os relatos do pessoal fico mais indgnado com esse pais. Não e a questão de ser pessimista ou não, se apagar em Deus, gente quem fez essa regulamentação são seres humanos, e pra falar a verdade estou descrente no ser humano e no nosso pais. cunclusão, acabou o amor pela patria amada.

    Responder

  682. Clovis Oliveira

    Boa noite amigos, os absurdos são claros, mas não podemos desanimar. Quero reforçar sobre a postagem do ISAQUE RIBAS, creio ser muito importante para orientarmos advogados dando algum norte.
    PARECER DO SINDICATO DOS PERITOS SOBRE O MODELO DE AVALIAÇÃO DE APOSENTADORIA ESPECIAL PARA DEFICIENTES PROPOSTO PELO INSS

    Artigos 31 jan 2014
    No comments
    PARECER DO SINDICATO DOS PERITOS SOBRE O MODELO DE AVALIAÇÃO DE APOSENTADORIA ESPECIAL PARA DEFICIENTES PROPOSTO PELO INSS
    deficienciasPARECER DO SINDICATO NACIONAL DOS PERITOS MÉDICOS DO INSS SOBRE O INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE FUNCIONALIDADE BRASILEIRO ADOTADO PELO INSS PARA ANÁLISE DE CONCESSÃO DE APOSENTADORIA ESPECIAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA – LC 142/13
    Fundamentação legal:
    Constituição Federal de 1988, art.201
    Lei 8.213/91
    Lei 8.742/93
    Lei Complementar 142/13
    Decreto 3.048/99
    Decreto 8.145/13
    Decreto 6.949/09
    Decreto Legislativo 186/2008
    Portaria Interministerial AGU/MPS/MF/SEDH/MP Nº 1 DE 27/01/2014
    1) Preliminares
    A aposentadoria especial de pessoas com deficiência está sediada na Constituição da República, Art. 201, § 1º, regulamentada pela Lei Complementar 142/2013 e Decreto 8.145/13.
    A definição de pessoa com deficiência adotada para fins destas leis está contida no Artigo 1 da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com deficiência da ONU, acolhida pelo Estado Brasileiro como Emenda Constitucional conforme o Decreto Legislativo 186/2008, promulgada pela Presidência da República por meio do Decreto 6949/2009, ratificada pela LC 142/13.
    A definição de pessoa com deficiência independe de sua condição financeira ou status social. Estamos aqui falando de deficiência física e mental, não de insuficiência sócio-econômica. Essa condição social pode ser útil para análises de outras formas de acolhimento ou incentivo estatal, mas não servirá para qualificar ou desqualificar determinada barreira física ou mental que o ser avaliado possua na análise estritamente física e funcional da deficiência. Ninguém deixa de ser “deficiente” por ser rico. Facilidades proporcionadas por uma boa condição sócio-econômica não podem servir para subestimar o grau de deficiência funcional e física de um cidadão.
    2) Da Condição de Deficiência

    A Convenção define a deficiência, para efeito das normas protetivas dos Direitos das pessoas com deficiência, como sendo um atributo de determinada pessoa, a qual, ao interagir com as barreiras estruturais, urbanísticas, atitudinais, à comunicação, além de outras seja impedida ou tenha dificuldade de desfrutar de tudo o que houver na sociedade, em todo e qualquer espaço ou ambiente, em igualdade de oportunidade com as demais pessoas.
    Portanto temos aqui que a deficiência deve ser medida sob dois aspectos: O primeiro é aquele que diz respeito à limitação física, orgânica, anatômica ou cognitiva. Sob este prisma, a deficiência deve ser diagnosticada a partir de um conjunto de sinais e sintomas enquadradas sob um diagnóstico nosológico, complementado ou não por exames acessórios, sendo o médico o profissional apto a determinar a deficiência e sua gravidade.
    O segundo aspecto é o da funcionalidade do corpo humano, ou seja, aquele em que se analisa se uma pessoa com diagnóstico de determinada limitação anatômica ou orgânica, ao interagir com as barreiras existentes nos espaços públicos ou privados, nos espaços urbanísticos de qualquer natureza, nos passeios e travessias públicas e privadas, nos transportes coletivos e individuais de qualquer natureza, nos prédios, nos equipamentos de lazer e trabalho em geral, nos aparelhos, meios, sistemas e dispositivos de comunicação, nos ambientes domésticos, escolares, do trabalho e outros, possam ter dificuldades ou impedimentos de qualquer tipo, de desfrutar de tudo o que houver na sociedade em igualdade de oportunidade com as demais pessoas, sendo nesse caso a necessidade da presença não só de médicos, como de outros profissionais da área da saúde, em especial terapeutas ocupacionais, além de engenheiros, arquitetos e outras áreas afins.
    Qualquer coisa que fugir destes parâmetros são ilegais ou inconstitucionais, além de se afastarem da lógica e de qualquer critério de justiça e de equidade, que são previstas na Convenção.
    3) Da empregabilidade do deficiente e do objetivo de sua aposentadoria especial

    Por um lado, é grande a chance de uma pessoa deficiente não estar apta ao trabalho, parcial ou completa, temporária ou permanente. Nesses casos existem já benefícios concedidos pelo Estado para o amparo dessa pessoa. Obviamente, o grau de benefício poderá variar de acordo com o status sócio-econômico do deficiente.

    Por outro lado, todas as pessoas com deficiência que conseguirem ingressar no mercado de trabalho, sem qualquer dúvida, são pessoas reabilitadas, ou seja, pessoas com deficiência dotadas do devido treinamento para desenvolverem várias habilidades e capazes de, em algum grau, suprir aos cuidados corporais e as demais habilidades da vida diária, como fazer comida, limpar a casa, lavar os pratos, fazer compras, contratar serviços, ter vida conjugal normal, gerar e cuidar da prole etc, além de ter domínio da execução das tarefas a serem desempenhadas no trabalho. Se uma pessoa com deficiência não detiver estes atributos, por certo, não terá as devidas condições para ingressar no mercado de trabalho e, em via de conseqüência, nunca poderá requerer aposentadoria por tempo de trabalho, por absoluta falta de objeto.
    Portanto, a pessoa alvo da Lei Complementar 142/13 não é o deficiente incapaz, sem condição de prover a sua subsistência por si próprio por quaisquer meios, ou que era capaz e ficou incapaz. A pessoa alvo da LC 142/13 são deficientes com diversos graus de independência social e que estão inseridas no mercado de trabalho, dentro de suas limitações.

    Logo, um instrumento de avaliação para fins de aposentadoria especial de deficientes deve, ou deveria, focar neste cidadão apto e laborativo, jamais no incapaz. Como toda aposentadoria especial, pressupõe trabalho contínuo por anos, cuja aceleração da aposentadoria visa minorar efeitos maléficos da insalubridade do labor (especial clássica) ou efeitos maléficos do labor na condição de deficiente (especial de deficiente).

    4) Do instrumento proposto pelo INSSO INSS baseia a avaliação pericial do benefício contido na LC 142/13 em dois eixos: avaliação médica e avaliação funcional, ao qual designa a atuação do corpo de assistentes sociais do INSS e determina a utilização de um índice, o Índice de Funcionalidade Brasileiro Aplicado para Fins de Aposentadoria – IFBrA.Este instrumento de funcionalidade brasileiro ainda não possui validação técnica ou científica, mas foi regulamentado por uma Portaria Interministerial (norma infralegal), a Portaria Interministerial AGU/MPS/MF/SEDH/MP Nº 1 DE 27/01/2014.O IFBrA que, repito, ainda está sob processo de validação, está fulcrado na CIF, a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde, da OMS (clique aqui).
    O INSS inovou ao chamar de “social” a avaliação “funcional” prevista em Lei específica.

    5) Sobre o IFBrA

    Usar a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde como mola mestra do IFBrA é inadequado pois a CIF não se presta para este tipo de avaliação, simplesmente porque ela não tem um capítulo específico tratando da pessoa com deficiência que já estão inseridas no mercado de trabalho e nem poderia ter, porque ela é um documento que tem por objetivo, justamente, mostrar as falhas de funcionalidade orgânicas e anatômicas ao interagirem com as diversas barreiras, com a finalidade de que os profissionais especialistas possam adotar as medidas necessárias para que estas limitações sejam minoradas ou totalmente superadas, quando for possível.

    Se a pessoa com deficiência está no mercado de trabalho, sem dúvida, é porque já superou várias das etapas funcionais previstas na CIF. Consequentemente, se o instrumento de funcionalidade brasileiro está inteiramente baseado na CIF, por óbvio, não se presta para mensurar com justiça e equidade, as diferentes graduações de deficiência, para efeitos de concessão de aposentadoria especial por tempo de contribuição
    Não obstante isto, o instrumento de funcionalidade brasileiro validado pela Portaria Interministerial apresenta várias falhas metodológicas, as quais, sem a menor dúvida, ferem a dignidade da pessoa humana com deficiência e, por certo, se permanecerem, irão causar negativas indevidas de direitos e danos morais, expondo o INSS a uma tempestade de ações judiciais reparadoras tanto da negativa do benefício como indenizatórias pelo dano moral. O IFBrA é uma fonte de significativa injustiça e falta de equidade.Em um mundo ideal, os técnicos do governo deveriam ter feito primeiro uma pesquisa de campo com amostra estatística, para se familiarizarem dos conceitos próprios dos trabalhadores com deficiência sujeitos ao Regime Geral da Previdência Social. Assim sendo, eles conheceriam os conceitos de pessoas com deficiência, primeiramente à luz do diagnóstico exclusivamente médico, considerando apenas a CID-10, para depois passarem a análise das barreiras existentes, bem como, quais tipos de deficiências encontram dificuldades ao interagirem com estas ou aquelas.
    Sem a demonstração de como está estruturada no Brasil o trabalho do deficiente, qualquer metodologia proposta vira chute de teórico de academia desconectado da realidade social ao qual deveria estar ciente e inserido. Não á toa, a inadequação da metodologia adotada no instrumento, baseada meramente na CIF , o nos leva a concluir que, para o governo, todas as pessoas com deficiência, sem qualquer exceção, são deficientes físicos e/ou cognitivas e devem/deveriam ser aposentadas por invalidez, porque, como ao ingressarem no mercado de trabalho não tinham tais deficiências, haja vista que se as tivessem não seriam admitidas, só se pode concluir é que as deficiências diagnosticadas foram contraídas durante o pacto laborativo.
    Isso para mim só tem uma explicação: A total falta de metodologia na construção do modelo. A título de exemplo, vamos ver algumas perguntas formuladas no instrumento:

    3.1 Mudar e manter a posição do corpo
    3.2 Alcançar, transportar e mover objetos
    3.3 Movimentos finos da mão
    3.4 Deslocar-se dentro de casa
    3.5 Deslocar-se dentro de edifícios que não a própria casa
    3.6 Deslocar-se fora de sua casa e de outros edifícios

    Diante de tais perguntas, como já foi preparado acima, algumas conclusões são inexoráveis. A pessoa com deficiência que respondê-las negativamente, nunca ingressará no mercado de trabalho e nunca se aposentará, pelo menos por tempo de contribuição, que é o objeto desta lei.
    Aliás, a pessoa com deficiência que responder tais perguntas negativamente, sequer o fará diretamente, mas por meio de seu representante legal, eis que não terá o desenvolvimento cognitivo necessário para compreender tais questionamentos, logo não o terá também para responder.
    Por outro lado, estas perguntas não se aplicam às pessoas com deficiência mental leve, visual, auditiva e física, porque estas pessoas, como dito acima, só estarão no trabalho, se tiverem o devido discernimento das coisas da vida e do mundo e dominarem bem as habilidades comuns da vida diária e o talento para desempenhar as atribuições inerentes ao seu ofício. Sendo assim, por qualquer ótica, perguntas desta estirpe não têm cabimento, quando se estiver cogitando de aposentadoria especial por tempo de serviço.

    Não há nexo entre o tipo de pergunta e o tipo de avaliação ao qual ele se presta. Vejamos esta pergunta símbolo da total distócia entre o objetivo da lei e o instrumento regulamentado:

    6.3 Trabalho remunerado

    Aqui evidencia-se a total falta de critério do Instrumento de avaliação. É justamente a pessoa que trabalha remunerada que irá, em algum momento, pleitear uma aposentadoria especial por deficiência.

    Se a pessoa NÂO TRABALHA REMUNERADA, ela JAMAIS irá solicitar tal benefício. A pergunta é descabida, imprópria, absurda e somente beócios ineptos podem achar que faz algum sentido este tipo de pergunta, cuja resposta encontra-se no próprio CNIS do cidadão, previamente levantado pelo administrativo.

    6) Sobre a “perícia social”.
    A LC 142/13 e o decreto 8.145/13 determinam claramente que a avaliação para fins de aposentadoria será fruto de perícia própria do INSS e através de avaliação médica e funcional.
    A única perícia própria do INSS é a perícia médica. O corpo de assistentes sociais do INSS não se constitui, sob nenhuma ótica, em corpo de peritos. A atuação do Analista do Seguro Social – formação em Serviço Social, é regida pelo artigo 88 da Lei 8.143/91, que assim reza:
    Art. 88. Compete ao Serviço Social esclarecer junto aos beneficiários

    seus direitos sociais e os meios de exercê-los e estabelecer conjuntamente

    com eles o processo de solução dos problemas que emergirem da sua

    relação com a Previdência Social, tanto no âmbito interno da instituição

    como na dinâmica da sociedade.
    O art.20 da Lei 8742/93 (LOAS) também dá ao Serviço Social do INSS a atribuição de fazer a avaliação social de um benefício específico: O BPC LOAS.
    Não há um único texto legal que permita aos assistentes sociais do INSS realizar “perícia médica”, “perícia funcional” ou mesmo “perícia social” dentro do INSS, fora do contexto do BPC LOAS. Não há um único texto legal que diga que o deficiente tenha que se submeter a perícia social para obter seu benefício.
    A tentativa do INSS de, através de portarias, documento legal que não tem o poder de inovar na estrutura legal das profissões públicas ou de alterar leis, é claramente ilegal, inconstitucional e uma afronta ao direito constituído nesse país.
    Nesses termos, o parágrafo segundo do artigo dois da Portaria Interministerial 01 supracitada, que reza que: “§ 2º A avaliação médica e funcional, disposta no caput, será realizada pela perícia própria do INSS, a qual engloba a pericia médica e o serviço social, integrantes do seu quadro de servidores públicos.” é DUPLAMENTE ILEGAL. Ilegal pois a Lc 142/13 não prevê avaliação social e ilegal pois assistente social não tem regulamentação para fazer perícias fora do LOAS.
    A ilegalidade se multiplica quando ao analisar o instrumento de avaliação, vemos que as assistentes sociais serão instadas a ter que avaliar questões que dizem respeito ao exame físico, cognitivo e cinesio-funcional do cidadão, ao qual não possuem previsão legal segundo sua Lei de Carreira.
    7) Discussão
    A ausência de metodologia, o uso da CIF como única matriz de desenvolvimento do modelo, a inovação legal em colocar serviço social para fazer avaliação física e mental, todas essas características deixam claro que o INSS está se utilizando de uma oportunidade de regulamentar um novo benefício para implementar, na força bruta, ideologias pessoais de um grupo ligado ao pensamento sanitarista clássico de multiplicação dos atores e diminuição do espaço de atuação médica, trazendo para a área da saúde a luta de classes que marcou os dois últimos séculos, colocando a medicina e os médicos como detentores de um biopoder a ser combatido.
    O problema é que se utilizar de um mecanismo legal de regulação de direitos para brincar de luta de classe e fazer discurso sectário anti-médico se traduz em uma deturpação completa do objetivo da lei, o que irá inviabilizar a aplicação da mesma, por estar contaminada de ranço ideológico que se sobrepõe á necessária ciência para poder julgar com razão e isenção todos os casos de solicitação de aposentadoria especial por deficiência.
    O instrumento é burro e nulo, o uso da avaliação social é ilegal e colocará em risco profissional todos os assistentes sociais do INSS. O INSS, por mera ideologia sectária, quer transformar avaliação funcional em social, misturando conceitos. Uma coisa é aposentadoria especial, aposentar em menos tempo. Outra coisa é oferecer facilidades, bolsas e estímulos sociais a quem é mais exposto socio-economicamente..
    Além disso, o modelo obrigará o assistente social a fazer tarefa de médico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, nutricionista, engenheiro, desviando a função profissional desses importantes colegas. Na prática, diversos deficientes com barreiras funcionais deixarão de ser avaliados em prol de pessoas com problemas sociais, deturpando a função do instrumento.
    Não podemos dizer que uma pessoa é mais deficiente que outra apenas pela questão monetária ou social. A deficiência é igual e ambos merecem o mesmo tempo de aposentadoria, pois ambas trabalham e estão expostas à insalubridade secundária à deficiência.
    O INSS vai punir o deficiente que tenha uma família mais estruturada com MAIS TEMPO de trabalho em prol de uma outra pessoa com a mesma ou até menor deficiência mas que é mais pobre. O INSS está, por um misto de ideologia e falta de idéias, querendo transformar a aposentadoria do deficiente em um grande LOAS.
    Quando se for aferir se uma pessoa tem uma deficiência merecedora de um tratamento especial, no momento da concessão da aposentadoria por tempo de serviço, devem ser apenas aquelas que podem dificultar ou impedir, que quando esta pessoa, ao interagir com as barreiras típicas do trabalho, tenha dificuldade de superá-las com autonomia e segurança ou, simplesmente, precise buscar um atalho para continuar seu destino.
    8) ConclusõesO modelo proposto pelo INSS para a avaliação de aposentadoria especial para deficientes é: a) ilegal, por colocar profissionais do serviço social para fazerem avaliações médicas e cinesiofuncionais; é b) restritiva de direito pois foi concebida sob uma matriz construída para avaliar incapacidade e não capacidade laborativa, logo por definição quem está trabalhando, justamente os aptos a requererem o benefício, dificilmente conseguirão enquadramento grave independente do grau de deficiência; e é c) inválida cientificamente, pois não foi construída mediante uma metodologia previamente estruturada e não foi submetida à validação.
    Desta forma, considerando que o instrumento estabelece que as pessoas com deficiência que obtiverem pontuação superior a 6.335 pontos serão consideradas apenas “deficiência leve” ou sequer serão consideradas merecedoras de aposentadoria especial se acima de 7.584 pontos, por não serem consideradas deficientes, fica claro, na prática, que o instrumento em foco tem a finalidade única de criar um meio legalista de fazer com que as pessoas com deficiência tenham negado seu direito à aposentadoria especial ou tenham enorme dificuldade em obter deficiência grave, uma vez que a quantidade de pontos perdidos necessários para chegar a tal graduação praticamente impede a pessoa de exercer qualquer trabalho.

    Portanto, ao ser aplicado indiscriminadamente, essa estultice de modelo vai, oficialmente, criar no Brasil apenas duas categorias de deficientes: os inválidos, que jamais poderão pedir aposentadoria especial pois não trabalham, e os deficientes leves. Os deficientes moderados e graves trabalhando serão tão raros quanto o eclipse lunar.

    O Sindicato Nacional dos Servidores Federais Peritos Médicos Previdenciários defende o abandono do modelo IFBrA atual e o recomeço, urgente, da construção de um modelo mais justo, humano e que julgue com ciência e isenção a real gravidade da deficiência do trabalhador investigado.

    Responder

  683. Carlos Prado

    Olá a todos que leem e escrevem dando o seu depoimento.
    Ontem, zapeando minha TV, parei na Globo e no Fautão estava apresentando a história de uma rapaz, Aaron Fotheringham, que fora adotado e que nasceu com um problema na medula que o impediu de andar mas que com muita perseverança se adaptou muito bem a cadeira de rodas e faz praticamente tudo sozinho. O que ele faz de extraordinário é que com sua cadeira ele executa manobras em pistas de skate e rampas de bicicleta.
    Parece piegas o que ouvi no comentário deste programa onde disse que não deveríamos ser considerados “coitadinhos” e sim “normais”
    Confesso que fiquei com vergonha e parei pra pensar. Porque estamos aqui discutindo uma lei que, a princípio, não considera ninguém com uma deficiência grave. Numa hipótese deste garoto no Brasil, se não conseguir provar que tem esta deficiência de nascença, mesmo com as duas pernas atrofiadas seria desacreditado.
    Lembrei de um caso de Nick Vujicic que nasceu em Melbourne, na Austrália, com uma doença rara chamada Tetra-Amelia em que a pessoa está sem membros e que superou todas as adversidades e hoje dá palestras pelo mundo. Qual seira seu caso se fosse avaliado pelo nosso INSS.
    Se querem que não sejamos “coitadinhos” e sim “normais” qual o objetivo desta lei?
    Nunca me considerei um deficiente. Por vergonha, não ser aceito, bullyng, etc. Não é fácil viver sem ter 100% de visão e não poder tirar CNH ou ter de sentar na primeira carteira de uma sala de aula ou na primeira poltrona do cinema. Se acontece algum acidente ou erro já vem com aquela história. Coitado, não enxerga direito.
    Ora, somos ou não especiais, nossas dificuldades são bem maiores que da maioria das pessoas. Ou será que temos “privilégio”?
    Minha avaliação social foi desmarcada, estou aguardando um novo telefona com nova data.
    Abraço a todos.

    Responder

  684. Beatriz

    Fernando, em resposta a sua pergunta, a minha sequela é na perna direita, além de ser mais curta que a outra é tb mais fina, tenho vários problemas no joelho, hoje ando com a ajuda de uma bengala, além disso tenho escoliose e lordose, além de hérnias de disco na coluna cervical. Mencionei a dificuldade para usar transporte público e de fazer limpeza em casa em minha pericia. Outro fator que pode ter me ajudado é que estou desempregada desde novembro de 2012. Uma boa noite para todos!

    Responder

  685. Mariza

    Boa noite amigos, conforme prometido passo as informações da minha pericia; Perito direto ,atencioso , fez perguntas objetivas dos tipo quando começou a minha doença e a progressão da mesma, se tenho estudo , se sou formada, casada, filhos, se dirijo, se pego onibus…ficou com alguns exames de audiometria e alguns laudos,o próximo passo é com a assistente social dia 08/05…continuo com fé!

    Responder

  686. Mariza

    Ola´Donizete, entendo sua revolta, mas olha ,será que vc não tem nada depois de adulto ,nem uma consulta ,exames, declaração de empresa que trabalha na cota…sei lá qualquer coisa, não precisa ser desde criança, precisa provar que desde que trabalha é deficiente, assim penso eu.

    Responder

  687. Jadir

    Pessoal, recebi um e-mail com assunto abaixo que pode ser de nosso interesse, quando aposentados, vejam:

    A maioria dos idosos, principalmente aqueles que já contam com
    mais de 65 anos, estão passando dificuldades financeiras.
    Com a idade avançada, o idoso tem mais despesa com tratamento de saúde, planos, remédios, fisioterapias, melhor alimentação, etc.
    Paradoxalmente, quando mais precisa de recursos para garantir sua sobrevivência e do seu cônjuge, o reajuste de sua aposentadoria não acompanha o índice de reajuste do salário-mínimo para o pessoal da ativa.
    Significa dizer, que passam a receber menos, para sobreviver.
    A isenção do Imposto de Renda diminuirá esse impacto.
    http://www.avaaz.org/po/petition/ISENCAO_DO_IMPOSTO_DE_RENDA_PARA_PESSOAS_COM_MAIS_DE_65_ANOS_DE_IDADE

    Responder

  688. DONIZETE DA SILVA

    O Perito do INSS me deu 30 dias pra comprovar minha deficiencia, agora eu falo pra voces, como vou comprovar, se minha deficiencia é visivel, e de infancia. Porem não tenho daquela época nada que possa comprovar a deficiencia, a não ser fotos familiares. Quanto as perguntas e os despreparos dos peritos é de arrepiar, os caras não sabem, nem porque ali estão. abraços, tenham uma boa noite.

    Responder

  689. Cibele

    Fiz minha perícia médica dia 30/04/14, e anotaram em uma folha de papel meus dados e disseram que irão ligar para marcar a assistente Social ou será por carta. É isto mesmo? quanto tempo demora este retorno para a marcação com a assistente Social?

    Responder

  690. Andréia Figueiredo

    Walter perdão estava olhando no calendário do mês passado, fui no INSS na sexta-feira dia 02/05 e as cópias vou retirar dia 12/05, desculpe, rs

    Responder

  691. Andréia Figueiredo

    Walter, boa tarde, não querendo te desanimar pois torço por todos nós deficientes, estive no dia 04/04 sexta feira aqui na agência do INSS em Bragança Paulista e a pessoa que me atendeu, me disse que tinha a mesma informação que eu, conforme estava no Site foi indeferido, que é essa resposta que virá por correspondência, e que para ter detalhes em que grau fui avaliada, tive que entrar com pedido de cópia de meu processo, me agendaram para o dia 12/04 às 10:00 horas, para retirar uma guia, pagar no Banco do Brasil e retornar para retirar as cópias. A própria atendente disse que é um absurdo essa regulamentação da Lei, com as cópias em mãos eu entrarei na justiça, não vou entrar com recurso pois é o próprio INSS que julga. Não estou aqui pra desanimar ninguem, quero que todos vocês sejam abençoados por essa lei, minha intenção é compartilhar informações e de repente ajudar alguem que como eu teve seu pedido indeferido. Fiquem com Deus.

    Responder

  692. Wladimir

    Alguém poderia me dizer se esta lei só vale para nós brasileiros, ou seja, em outro país há lei igual a esta, para que possamos nos balizar e ter em mãos subsídios para interposição de recurso? Grato.

    Responder

  693. Rogerio Luis

    Pessoal, passei hj pela 4a. etapa, assistente social, apesar de comprovar meus documentos, disse que seu trabalho não era periciar e sim dar a enfase ao meu pedido, conversamos por 2horas, paciente ela foi muito receptiva e compartilhou a dificuldade dos funcionários do orgão INSS, como em qualquer empresa a falta sobrecarrega os demais, e a demora é tanto pela lei ser nova quanto a falta de gente no atendimento. Perguntado sobre minhas dificuldades, relatei, conversa amistosa e ao final do relatorio vai encaminhar junto com o relato da perita e quem vai definir… adivinhem, novamente a área administrativa e demora em torno de 20 a 30dias. agora é esperar, minha expectativa é ser considerado deficiente moderado, para fazer juz a aposentadoria, se considerarem leve entro com processo, não há mais nada a fazer alem disso, pois que vantagem teremos em trabalhar mais 2anos? não ficarei nem Rico nem mais pobre, mas poderei agravar minha deficiencia pelas péssimas condições de trabalho. Abraços.

    Responder

  694. NADIA MARISA KOOP

    Bom dia amigos!desejo a todos um bom inicio de semana,minha percia está marcada paa o dia 13/05 assim que eu puder dou noticias de como foi..GENTE VAMOS SER MAIS POSITIVOS,VAMOS ACREDITAR QUE VAI DAR TUDO CERTO..DEUS NOS ABENÇOE….

    Responder

  695. Mariza

    Ricardo, bom ver você de volta amigo! Você é um exemplo de superação!Abraços!

    Responder

  696. Mariza

    Olá, bom dia! Precisamos de bons fluidos, pessoas positivas , pensamentos positivos para atrairmos coisas boas! Boa sorte a todos nós, que Deus nos abençoe! “Não diga para Deus o tamanho do seu problema, mas diga para seu roblema o tamanho do seu Deus”…

    Responder

  697. Ricardo Rinaldini

    Boa madrugada amigos.
    Estou aqui com insônia e pensando nos próximos passos.
    Vou fazer um comentário sobre a atualização do CINS com o grau da deficiencia, pois se hoje formos enquadrados em grau Leve mais infelizmente por essa avaliação Medica / Social não tenhamos o tempo de contribuicao necessário.
    Quando completar-mos essas contribuicoes pela lógica teremos direito sem a necessidade de passar-mos novamente por esse avaliação acredito.
    Portanto nosso CINS deve ser corretamente atualizado.
    Só espero não termos surpresas do tipo que mesmo atualizado o CINS nossa Deficiência evoluiu de LEVE para SEM DEFICIENCIA.
    Meu Deus que pais é esse ser PNE e não ter Direito a LEI e a Nossa Constituição Federal.
    Podemos ser deficientes aos olhos da sociedade mais não aos olhos dos governantes e administradores do estado.
    Nossas barreiras estão ai a nossa frente salta aos olhos da sociedade, mais os administradores do INSS entendem que nossos barreiras estão limitadas à 41 perguntas imbecis de uma avaliação Médica / Social, perguntas que ferem o direito da privacidade Humana como por exemplo sua atividade sexual é normal, francamente o que tem haver todos esses anos que contribuo como por exemplo precisa de ajuda para tomar banho e se vestir.
    Sem comentário, vamos aguardar o futuro para ver se nossa classe de mais de 46 Milhões de Brasileiros que possuem algum tipo de Deficiencia tenham a coragem de ir para rua se manifestar contra essa distorção que estão fazendo a nossa constituição.
    Até breve

    Responder

  698. fernando

    Grato Beatriz, também tive pólio aos 7 meses de idade, tenho uma perna deformada, penso que sou grau leve, mas tudo bem pois já estourei o limite esperando esta lei, tenho 37 de contribuição, porém tenho medo de não ser classificado como deficiente, pois posso andar, etc… você também teve sequelas, mas foram graves ou leves?

    Responder

  699. Beatriz

    Obrigada Jesuíno, estou torcendo por todos vocês !!

    Responder

  700. Beatriz

    Nilson, não estou entendendo, pois nunca peguei senha. Com relação a minha deficiência, sou vítima de pólio desde 1 ano e 4 meses de idade.

    Responder

  701. Isaque Ribas

    Pessoal, entra neste link abaixo, vejam informações importantes.
    “http://www.periciasindical.med.br/parecer-do-sindicato-dos-peritos-sobre-o-modelo-de-avaliacao-de-aposentadoria-especial-para-deficientes-proposto-pelo-inss/”

    Responder

  702. fernando

    Beatriz, poderia dizer qual a sua deficiencia grato!

    Responder

  703. Isaque Ribas Pires

    O Haroldo Diniz tem razão, vamos BOTAR A BOCA NO TROMBONE, o governo quer dar uma de bom moço a nossas custas.

    Responder

  704. Walter

    Boa noite Andreia!

    No meu caso quando entrei no site Previdência também apareceu o comunicado de decisão: INDEFERIDO O PEDIDO DE APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO, o Motivo é que estão analisando as Pericias Medica e Social.

    Lembre-se quando fomos fazer a primeira Pericia Administrativa, ou seja, levar todos os documentos do trabalho e carnes. Então saiu no Sistema, discriminado como pessoa normal leva para aposentar, digo por tempo de contribuição: 35 anos homem e 30 anos mulher. Por isso,para nos( PCD) saiu como HABILITADO, para que podemos seguir pela lei 142/13 e fazer as Pericias.

    O Motivo disto tudo é que ainda não saiu o resultado das Pericias, para que possam Atualizar o Sistema, ao meu ver dentro dos trinta dias deve-se sair o resultado.

    Vamos aguardar com Paciência e Calma, se DEUS quiser vai dar tudo certo para mim , para você e para todos!

    Att,

    Walter

    Responder

  705. Jesuino

    BEATRIZ

    PARABÉNS, QUE VOCÊ SEJA A PRIMEIRA DE MUITOS DE NOS…

    Responder

  706. ZEZINHO

    OS POLITICOS TINHAM QUE TER FEITO ESSA LEI SEM DAR CHANCE PRO INSS INTERFERIR NA REGULAMENTAÇÃO.

    Responder

  707. nilson sena

    Ola Beatriz, obrigado pela orientação, mas para entrar no site da previdencia e ver a situação do beneficio é obrigatorio ter senha, somente as pessoas que já cadastrarão junto a algum posto do INSS conseguem visualizar sua situação, inclusive liguei para o 135 para mais informações e já agendei p/ obter a senha. Abs. Nilson.

    Responder

  708. HAROLDO DINIZ

    OLÁ PESSOAL BOM DIA A TODOS!!!

    A BEATRIZ TEM TODA RAZÃO. NÃO ADIANTA FICAR CULPANDO OS PERITOS DO INSS. COMO EU JÁ TINHA MENCIONADO MUITO TEMPO ATRÁS, ELES TEM QUE OBEDECER AS REGRAS DO INSS QUE É O PATRÃO DELES. AGORA EU PERGUNTO, ALGUÉM DE NÓS DESOBEDECE AS DIRETRIZES OU AS ORDENS QUE VEM DE NOSSOS SUPERIORES HIERARQUICOS? CLARO QUE NÃO. NÃO ADIANTA NADA TENTAR FICAR COLOCANDO OS PERITOS COMO OS NOSSOS ALGOZES, POIS TODOS SABEMOS ISSO NÃO CONDIZ COM A VERDADE. A ÚNICA VERDADE É QUE PARA CONSEGUIRMOS MUDAR ESSA SITUAÇÃO SOMENTE ENTRANDO NA JUSTIÇA PARA MUDAR O QUESTIONÁRIO E A AVALIAÇÃO DA DEFICIÊNCIA, INFORMANDO OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOBRE ESSA SAFADEZA DO INSS(GOVERNO), ENTRANDO EM CONTATO COM O SINDICATO DOS PERITOS MÉDICOS QUE PODEM NOS ORIENTAR ATRAVÉS DO SEU DEPARTAMENTO JURÍDICO COMO QUESTIONAR ESSE TIPO DE AVALIAÇÃO FUNCIONAL NA JUSTIÇA DE FORMA MAIS RÁPIDA, ETC. MANDEM E-MAIL PARA JORNAIS, RÁDIOS, PORTAIS DE INTERNET, INFORMANDO DE FORMA CLARA O QUE ESTÁ OCORRENDO COM VC E OS DEMAIS, QUANDO A NOTÍCIA COMEÇAR A SE ESPALHAR NA MÍDIA E TOMAR PROPORÇÕES MAIORES O GOVERNO VAI TENTAR SE MEXER. SÓ NÃO FIQUE COM A BUNDA NA CADEIRA CULPANDO O PERITO E A ASSISTENTE SOCIAL, ISSO DE NADA ADIANTA.

    GRANDE ABRAÇO A TODOS!!!!

    Responder

  709. Beatriz

    Pessoal, a perita e as assistentes sociais da agencia que fui atendida, não concordam com o questionário, mas não tem nada que eles possam fazer. É importante na hora da entrevista mencionar todas as nossas dificuldades inclusive para uso de transporte coletivo, mesmo que você não faça uso com frequência. Concordo com vocês , e o pessoal da perícia também acha, que ninguém vai ser classificado como grave, pois para encaixar nessa faixa a pessoa teria que ter uma deficiência onde trabalhar é impossível. Não faz sentido e todos, inclusive o pessoal do INSS, concordam com isso. Precisamos fazer um movimento no sentido de melhorar esses parâmetros.

    Responder

  710. Beatriz

    Nilson, bom dia! Para você saber sua situação basta acessar o site da previdência e clicar em situação do benefício , fica na lista de serviços logo que você abre a página, a sua esquerda. Lá você informa o número do beneficio e outros dados pessoais. Primeiro vai aparecer beneficio habilitado, e assim que aprovado aparece concedido. Não precisa de senha para esse procedimento.

    Responder

  711. Joao

    Bom pessoal, acho que alguns relatos feitos ate aqui por quem ja passou pelos peritos nao sao novidades. O questionario que postei algum atras parece ser mesmo usado. Bom como alguem disse os criterios parecem claros:
    1) grave – so com certidao de obito.
    2) Moderado – em coma
    3) Leve – hospitalizado(pelo menos)
    4) Sem deficiencia – todo o resto .

    Ainda nao passei pelos peritos, mas assim que passar, e tiver minha solicitacao indeferida, vou procurar um advogado e ver a possibilidade, nao de requerer grau moderado para minha deficiencia, mas sim de questionar o modelo de mensuracao do grau de deficiencia.
    O Problema maior é, parece que nao tivemos deficientes na elaboracao do regulamento. Ou, se teve, sao pessoas abastadas que nao precisam se aposentarem.
    Acho que o caminho para resolver o problema, nao so para nos, mas outro tambem, é tentar rever estas regras para determinacao do grau.
    E como é um assunto de interesse publico vai rapido ao supremo. E O que o supremo decidir, nao cabe apelo.

    Responder

  712. Isaque Ribas Pires

    Pessoal, precisamos botar a “boca no trombone”, as pessoas foram informadas pelos noticiários e estão crentes que, a Exma. Dilma sancionou uma aposentadoria para favorecer os deficientes e que nos basta comparecer mancando na agencia e já está aposentados. Mal sabem as pessoas que a intenção do governo é fazer com que eles acreditem que nos estamos bem amparados, enquanto na verdade caímos numa armadilha.

    Responder

  713. Nilson Sena

    Ola Beatriz, preciso de sua ajuda. Já fiz todos os seus “passos”, meu caso foi classificado como deficiencia leve, tentei acessar o site da previdencia para saber o andamento da minha situação, porem aparece que tenho que informar a CADSENHA, como foi que voce conseguiu esta senha para acessar o site? Aguardo. Abs. Nilson.

    Responder

  714. Paulo

    COLEGAS,
    NÃO PODEMOS ENTREGAR OS “BETES” SEM LUTAR, POIS SÓ NÓS, PESSOAS COM DEFICIENCIAS, SABEMOS O QUANTO LUTAMOS CONTRA AS ADVERSIDADES, PRECONCEITOS, DORES, DESGATES, ETC.
    É ABSURDO, OS MÉDICOS(QUE ESTUDARAM MUITOS ANOS O CORPO HUMANO) SE PREOCUPAREM EM APENAS PREENCHER RELATÓRIO, QUE SELA NOSSAS ESPERANÇAS, ATRAVES DE PERGUNTINHAS, COMO: CONSEGUE COMER, VESTIR-SE SOZINHO, CONSEGUE SE LAVAR, CONSEGUE REGULAR A DEFECAÇÃO, POSSUI TRABALHO REMUNERADO, ETC. E SEQUER EXAMINAR CLINICAMENTE, VERIFICAR EXAMES E LAUDOS MÉDICOS QUE APRESENTAMOS.
    O INSS QUER APOSENTAR TODOS NO GRAU LEVE, OU SEJA, PELO QUESTIONÁRIO DIABÓLICO QUE CRIARAM, NÃO VAI TER NINGUÉM CLASSIFICADO EM GRAU MODERADO OU GRAVE, E VAMOS DIMINUIR APENAS DOIS ANOS DE DIFERENÇA EM RELAÇÃO AS PESSOAS “NORMAIS” SEM DEFICIENCIA. NO MEU CASO DE 35 PARA 33 ANOS DE CONTRIBUIÇÃO.
    MINHA PERICIA É NO FINAL DE MAIO, ESTOU COM 31 ANOS DE DEFICIENCIA E CONTRIBUIÇÃO. ESTOU DOCUMENTADO COM LAUDOS E PARECERES MÉDICOS DE ORTOPEDISTAS ATESTANDO QUE MINHA DEFICIENCIA NÃO É LEVE E SIM NO MINIMO MODERADA. MAS DE ACORDO COM OS RELATOS ABAIXO, NÃO ESTOU OTIMISTA, ESTOU COMEÇANDO ACEITAR DESDE JÁ O GRAU LEVE PARA NÃO SOFRER DEPOIS.
    VOU COMEÇAR A ME PRERARAR PARA INGRESSAR COM AÇÃO NA JUSTIÇA, LOGO A PARTIR DA CARTA DE INDEFERIMENTO. PELO INSS, VOU TER QUE AGUARDAR MAIS DOIS ANOS(GRAU LEVE), POREM VOU TER ESSES DOIS ANOS PARA LUTAR NA JUSTIÇA E PLEITEAR O GRAU MODERADO E RECEBER TUDO CORRIGIDO DESDE QUANDO PROTOCOLEI A SOLICITAÇÃO EM DEZEMBRO/2013. PODEM TER CERTEZA, EU VOU GANHAR ESSA LUTA!
    MÃO DESISTAM NUNCA DO QUE ACREDITAM, VAMOS A LUTA!
    PAULO.

    Responder

  715. Beatriz

    Boa noite a todos! Hoje entrei no site da previdência e para minha surpresa a minha aposentadoria por idade como deficiente físico foi concedida. Contribui por 21 anos, tenho hoje 57 anos, e minha perícia foi realizada no dia 22 de abril de 2014. Não percam a esperança, vamos conseguir sim desde que tenhamos os requisitos para nos encaixarmos na lei. No site encontrei também a carta de concessão e informações sobre a certidão como aposentada para que eu possa retirar o PIS. Essa certidão deverá chegar em meu endereço domiciliar. Se tiverem alguma dúvida que eu possa ajudar a esclarecer, estou as ordens. Um abraço a todos. AGORA EU ACREDITO NESSA LEI.

    Responder

  716. MARCOS

    Boa noite Andreia Figueiredo, pelo que estou vendo essa previdência não quer aposentar ninguém, pelo seu relato nunca vai chegar um deficiente nas condições todo quebrado, para eles dar uma aposentadoria, porque um deficiente todo quebrado esse nunca jamais teria condições de trabalhar, um desse já teria aposentado por invalidez a muito tempo. Mas pelo quer entendi de seu indeferimento você foi enquadrada no grau leve e leve você teria que contribuir mais 2 anos, porque você tem 26 anos contribuído ok. Isso e uma tremenda sacanagem eu sabendo disso já estou p da vida imagine você que já recebeu indeferido. Sugiro você procurar um advogado muito bom na área previdenciária e brigar para se enquadrar na moderada que essa Lei 142 tem muitas falhas, que eu já conversei com alguns advogados amigos meus e eles me disseram que vai dar muito processo na justiça federal. Vou ficando por aqui lhe converso que estou muito triste pela decisão que lhe deram, mais não desanime vá em frente que essa guerra só esta começando e no final todos nos sairemos dela como vencedor em nome de Jesus. Abraços e boa sorte depois que eu receber meu resultado lhe informarei.

    Responder

  717. BARRADAS

    Boa tarde Mariza, vc sabe informar qual é a Idade e a deficiencia dessa pessoa que consegui a aposentadoria ?

    Responder

  718. Mariza

    Olá Amigos,eu já soube de alguém que conseguiu esta aposentadoria hoje , foi “deferida” a pessoa ganhou a aposentadoria por idade…já é uma esperança a mais…abraços!

    Responder

  719. ZEZINHO

    FIZERAM A LEI MAL FEITA.MANDAR O INSS DECIDIR QUEM PODE E QUE NÃO PODE FOI O MAIOR ERRO.É MESMA COISA CRIAR UMA LEI ONDE O PATRÃO É QUEM VAI DECIDIR O SALARIO DO EMPREGADO.É LÓGICO QUI O PATRÃO VAI FAZER DE TUDO PRA NÃO PAGAR NADA.

    Responder

  720. ANDRÉIA FIGUEIREDO

    Boa tarde Marcos, quando fiz a pericia o médico me pediu algum documento que comprovasse que a minha deficiência era de nascença e o que eu apresentei foi um pedido médico solicitando a minha primeira prótese e lá continha os CIDS da minha deficiência, levei todos documentos vários laudos porém ele só me solicitou esse, tinha exames que comprovaram que alem de minha deficiência, possuo 4 problemas de coluna, artose, escoliose, lordose e bico de papagaio, porem ele nem olhou só anotou, recebi várias notas 100 em questões que me fizeram que nada tem a ver com minha deficiência, comer vestir, ouvir, etc., e sobre minha deficiência pontuação foram 50 e 75, quanto a avaliação social foram as mesmas perguntas porem ele ainda quis saber se dependia de transporte públicos para o trabalho, dificuldades de locomoção, acessibilidade no serviço e em casa, basicamente as mesmas coisas, no meu caso não pediram comprovantes de renda não me perguntaram se eu tinha casa ou se pagava aluguel, porem eu meu disse que pagava financiamento da casa e que não tinha carro, não sei se foi colocado isso em meu prontuário, pois tanto o perito quanto a assistente social, não passaram no computador na hora, apenas rascunharam. Vou indo agora no INSS, saber o porque do indeferimento pois a carta é muito vaga, não fala quanto tempo ainda falta e o grau que fui avaliada, tendo notícias eu compartilho com vocês. Fiquem com Deus.

    Responder

  721. DONIZETE

    BOA TARDE A TODOS, será que ninguem deste site, conheça alguem, que tem uma noticia favoravel, que consegui aposentar nos termos desta LEI 142, O perito que me avaliou, disse que eu matei a charada. “Eu disse que se estivesse na forma que eles querem nas perguntas feitas, eu nem estaria aqui para pedir minha aposentadoria, eu já estaria MORTO.” Gente não adianta mais ficarmos aqui postando noticias negativas, não entrarei mais neste site. Pois acaba ficando desagradavel, ter que conviver com isto, sei que todos somos especiais, mais é muita desafronta, conosco, ANTES NÃO HOUVESSE APROVADO ESTA MALDITA LEI. Uma abraço, peço desculpas a todos, mais é minha forma de desbafar…

    Responder

  722. Roberto

    Nem tudo é tristeza por aqui, acabo de acessar o Site do INSS e ter a felicidade de saber que meu benefício foi concedido, com a graça de DEUS que nos acompanha e abençoa todos os dias.
    Acompanho esse blog desde a publicação da LC/142 em Maio de 2013.
    As informações obtidas aqui foram sempre de grande valia e importância.
    Tenho 52 anos, 35 anos de contribuição, deficiência nos membros superiores (artrose em grau avançado em ambas as mâos e ombro esquerdo e também sequela de fratura grave em ombro direito) comprovada através de exames e laudos desde 2007. Em Dezembro de 2013 fui a agência do INSS em Birigui-SP, onde o primeiro atendimento por parte do atendente foi excepcional, o mesmo estava muito bem informado sobre a LC/142 e orientou-me corretamente sobre todo o processo. O atendimento de todos na agência de Birigui foi digno de um País de primeiríssimo mundo. Foi grande a Presteza do atendimento da Médica e Assistente Social, ambas muito bem treinadas e orgulhosas da nova atribuição, detalhistas e pacientes, pois o atendimento em cada perícia foi em torno de 2 horas.
    As Perícias foram baseadas no IBF BR, já tratado muitas vezes aqui.
    Todos do INSS foram respeitosos e atenciosos, Atendentes, Perícia, Gerência (que acompanhou pessoalmente o atendimento). Meu desejo é que esse tratamento seja estendido a todos nos Brasileiros.
    A aqueles que aguardam ansiosamente o desfecho de seus processos, tenham Fé e esperança pois a Lei está aí para nos proteger e o INSS, esse é o meu sentimento, pronto para cumprir a Lei com responsabilidade e coerência.

    Responder

  723. jose dos santos

    bom dia amigo joao,acabei de crer que esse inss e de lascar o cano mesmo,já faz 3 meses que dei entrada aqui no inss de linhares esp santos,estive la segunda feira para ver como estava o procedimento.a atendente me atendeu mostrei o nª do beneficio ela mostrou para a chefe, aresposta que tivve foi a seguinte vamos treinar os médicos porque e uma modalidade nova e para esse mes de maio não dar para comfirma só em junho ou julho,isso para min é uma humilhação se fosse para eles duvido se tinha treinamento sou deficiente de nascensa e tenho quaze 34 anos de contribuiçao e uma vergonha no nosso brasil.

    Responder

  724. Paiva

    A partir do momento que voce dá entrada na documentação, se você tem o tempo mínimo, o sistema já te habilita, porém voce tem que passar pelas outras etapas que são perícia médica e social.

    Responder

  725. MARCOS

    Andreia Figueiredo bom dia, quando você fez sua avaliação Medica eles pediram alguns exames ou atestados de quando começou a sua deficiência ou foi só perguntas e conversas fiadas. Porque no meu caso a medica do birô não saiu, não me pediu exames nem me examinou e sim um atestado com o CID da minha deficiência que foi pólio B-91. Como dependo de muleta canadense e calhas nos dois pês não sei se vão deferir este processo mas ainda vou fazer na terça feira 06/05/14 a avaliação social. Mas me informe também como foi essa conversa mole ou avaliação como dizem da assistente social. Abnraços

    Responder

  726. Isaque Ribas

    Olá pessoal, fiz a perícia médica em 30/04, os médicos se queixaram do aplicativo de informática usado para fazer os registros, um tal de prisma, era uma briga entre os médicos, foram 2, e mais o gerente da agência, com este tal de prisma. A reclamação é que o programa é horrível e limitador.
    Parece que acreditaram quando disse que adquiri minha deficiência na infância ou pelo menos não me pediram provas. Aguardo contato para fazer a avaliação social.

    Responder

  727. Andréia Figueiredo

    Walter, boa noite, no meu caso quando eu entrei pra consultar o beneficio estava indeferido por falta de tempo de contribuição e falava sobre a lei 142/2013, só não detalhou quanto tempo ainda falta e não definiu qual o grau de deficiência, é tudo muito vago, com certeza essa é a resposta oficial, já entrarei com recurso antes mesmo de receber a correspondência, pois conforme você comentou, me deram o mesmo prazo de 30 dias, não acredito que mude a situação, por isso vou me precaver, pois em minha opinião o meu grau é moderado e jamais leve, tenho 26 anos de contribuição com a deficiência, qq novidade eu posto pra vocês. Abraços a todos e fiquem com Deus.

    Responder

  728. Teófilo Valdir Fert

    Boa noite,
    Na consulta do meu benefício no site do INSS consta, habilitado, mas a minha perícia está marcada para 12/05/2014, em Jaraguá do Sul(SC).
    Qualquer alteração, volto a informar, boa sorte a todos.

    Responder

  729. Walter

    Andreia. boa noite, tive lendo os seus comentários, inclusive fizemos na mesma data as pericias, fui site previdência entrei com meu NIT e verifiquei e consta como indeferido,,,, so que no pedido deles como indeferido consta a lei antiga e não atual 142/13 e outra coisa e também não discrimina nada sob as pericias que fizemos . Quando passei pela Assistente Social, ela disse que chegaria uma carta na minha casa num prazo de 30 dias, eu não sei se falaram a mesma coisa para você, no aguardo …. att walter

    Responder

  730. BARRADAS

    Na consulta da minha situação do Beneficio consta Habilitado, mas ainda não fiz a pericia, alguém pode me explicar o que significa ?

    Responder

  731. Miguel Batista Evang

    Amigos boa noite,
    Não quero a tristeza de ninguem, porem leiam o que escreve a Andreia Figueiredo, eu também verifiquei no site do INSS atraves do meu numero de beneficio e a situação é a mesma, INDEFERIDO, porém tem uma janela ” detalhar” onde estão as explicações, contudo ao meu ver parece uma grande confusão, estão tratando o meu pedido de aposentadoria especial como se fosse uma aposentadoria com tempo proporcional de contribuições. Nao tive ainda nenhum retorno sobre as avaliações e não acredito, baseado no atendimento que tive até agora, que a aposentadoria seria indeferida sem conhecer o resultado das avaliações medica e social. Sugiro a todos, principalmente quem ainda não foi periciado, que consultem no site a situação de seu beneficio, lembrando que esse numero de beneficio nos foi informado no inicio do processo. Consultem e postem informações. Acredito que seja um truque do INSS para que sejamos obrigados a dar nova entrada e consequentemente não recebermos nossos direitos desde a entrado no processo.

    Responder

  732. ZEZINHO

    ALGUÉM SABE ME DIZER PORQUE OS POLITICOS NUNCA FAZ NADA CERTO?PORRA MEU PORQUE NÃO FEZ ESSA LEI CERTO SEM DAR BRECHA PRO INSS TESOURAR .O CERTO SERIA O SEGUINTE:—SE TRABALHOU 25 ANOS,TEM DEFICIENCIA COMPROVADA,JÁ TA APOSENTADO.AGORA ELES FICAM INVENTANDO UM MONTE DE OBSTACULOS SÓ PRA NÃO DAR APOSENTADORIA PRA NINGUEM.ENTÃO ACABA COM ISSO LOGO DE VEZ.

    Responder

  733. Carlos Prado

    Olá a todos. Em especial a Clovis Oliveira que me citou em seu comentário.
    Lendo sua situação me sinto privilegiado em relação a você e aos outros que narram aqui sua situação.
    Parafraseando a música dos Titâs, Epitáfio, “Queria ter aceitado as pessoas como elas são. Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração”.
    É complicada a vida de todos que tem necessidade especial. Só nós sabemos onde o sapato aperta.
    Como disse, Odair Pires de Campos Filho, qual a diferença sentida para uma avaliação grau leve de 35 para 33.
    Se hoje temos algo foi com muita luta e superação e é por isso que estamos trabalhando. Nosso desgaste é bem maior comparado as outras pessoas.
    Qual era a ideia desta lei e no que ela se transformou.
    Na minha avaliação pessoal (pelas dificuldades que passo no trabalho, pela baixa auto estima de não competir em condições de igualdade com outras pessoas, pelo constante constrangimento de errar e ser rotulado com cegueta, etc) deveria ser enquadrado na graduação moderada e o seu caso grave em virtude do que você narrou.
    Como são pessoas normais que irão nos avaliar fica difícil saber como nos enquadrarão.
    Recebi uma ligação, nesta quarta feira, 30/04, marcando minha entrevista com a assistente social para o dia 08/05.
    Vamos ver no que vai dar.
    Abraço a todos

    Responder

  734. MARCOS

    BOA NOITE PESSOAL, COMPARECI HOJE NA APS DE MACEIO-AL PARA FAZER MINHA AVALIAÇÃO MEDICA A DRA QUE ME ATENDEU FOI MUITO BACANA, SO QUE PELO MEU VER FOI UMA AVALIÇÃO SO DE PERGUNTAS, DEPOIS SEM SAIR DA CADEIRA PEDIU PARA VER MINHA PERNA NEM SE QUER TOCOU NELA, DEPOIS VEZ AS PERGUNTA COM RELAÇÃO MINHA INFANCIA ATE HOJE. IMAGINEI QUE SERIA COMO A AVALIAÇÃO DO DETRAN QUE FIZ PARA TIRAR MINHA CARTEIRA QUE VERIFICOU MINHA PRESSAO ARTERIAL, PEDIU PARA EU ANDAR, COLOCOU EU EM UM TESTE APARELHO QUE MEDIRIA A PRESSÃO DE MINHA PERNA PARA VER A FORCA QUE TIVE PARA ENPURRAR A EMBREAGEM. IMAGINEI QUE SERIA ASSIM, QUERO VER OMO VAI SAIR ESSA PONTUAÇÃO MAS JÁ MARCARAM MINHA AVALIÇÃO SOCIAL PARA DIA 06-05 TERCA FEIRA. VAMOS VER COMO E QUE ELES VAM AVALIAR ESSE GRAU SO COM PERGUNTAS. UM FORTE ABRAÇOS PARA TODOS E LOGO APÓS MINHA AVALIAÇÃO SOCIAL ENTRAREI EM CONTATO. BOA SORTE PARA TODOS COM ESSAS PERGUNTAS DE AVALIAÇÕES.

    Responder

  735. antonio

    Fiz a pericia medica e social tudo junto em Sorocaba, um medico e 2 mulheres acho que eram assistentes social, sou monocular pressão alta no olho, transplante de córnea rejeitada por causa da pressão alta, o medico disse que estava tudo bem que eu era deficiente, as mocinhas fizeram umas perguntas, agora fui consultar pelo nº do beneficio foi indeferido, falando que não comprovei que sou deficiente, eles estão brincando com a gente, porque não falam na hora, o medico nem, é médico nem é oftalma,
    Queria saber qual o próximo passo, mandado de segurança ou abrir um processo em cima do INSS?

    Responder

  736. DONIZETE

    LEONARDO MATTOS, por favor, diga-nos o que sua Exa. pode fazer, para ajudar-nos. Pode ver que todos tem o mesmo problemas, e estes problemas comum, se chama PERITO INSS. eles não querem de forma alguma resolver a situação dos deficientes. um grande abraço, sempre te admiro, pela sua luta e por tudo que tem feito para nossa classe.

    Responder

  737. HAROLDO DINIZ

    OLÁ BOA NOITE A TODOS!!!

    DONIZETE,
    O MELHOR QUE VC DEVE FAZER PARA GANHAR TEMPO É MARCAR UMA CONSULTA COM UM ORTOPEDISTA E COM UM NEUROLOGISTA, PEDINDO A AMBOS QUE FORNEÇA UM ATESTADO MÉDICO MENCIONANDO SUA DEFICIÊNCIA FÍSICA QUE É NOTÓRIA COMO VC MESMO DISSE. E PEÇA SOMENTE QUE ELES COLOQUEM A DATA INFORMADA POR VC. PODE TER CERTEZA QUE SE ESSES DOIS PROFISSIONAIS TIVEREM BOM SENSO OS MESMOS NÃO VÃO SE NEGAR A ATESTAR O SEU PEDIDO. ATÉ MESMO COMO VC BEM DISSE E TODOS NÓS SABEMOS A PÓLIO ESTÁ ERRADICADA A PELO MENOS 20 ANOS, E COMO A MESMA SÓ ATINGIA BASICAMENTE CRIANÇAS RECÉM NASCIDAS FICA MAIS QUE PROVADO QUE A SUA AFIRMAÇÃO É VERDADEIRA.
    GRANDE ABRAÇO!!!
    BOA SORTE!

    Responder

  738. DONIZETE

    Boa noite, Galera! gostaria muito de poder convocar a todos que estão utilizando este site a se unir em prol da LEI 142, e verificar a verdadeira intenção desta lei, se é em reduzir o tempo da aposentadoria, OU CONTAR AS PESSOAS QUE TEM DEFICIENCIA, pois esta bastante estranho. o perito me avaliou, fez uma bateria de perguntas, e me disse que eu tenho a deficiencia porem não pode precisar quando eu adquiri esta deficiencia, vejam só que absurdo, um médico perito não saber que a POLIOMIELITE já foi radicalizada a aproximadamente 30 anos do brasil, e ele ainda quer que eu comprove. boa noite a todos, estou muito desuludido com isto tudo, cada vez mais barreiras a vencer, agora com 32 anos comprovados de contribuição ter que passar por mais esta barreira. BOA NOITE A TODOS.

    Responder

  739. Andréia Figueiredo

    Boa tarde à todos,
    Venho com notícias nada agradaveis, conforme já havia previsto meu pedido foi indeferido acabei de consultar atraves do site da previdência com meu nº de benefício e la constou indeferimento por falta de tempo de contribuição, eu estava pleiteando aposentadoria moderada, tenho 26 anos trabalhado dos quais 10 anos sem uso de prótese, deficiência de nascença, se vocês lerem as postagens abaixo tem todos detalhes, minha avaliação foi com pontuações de 100, bastante 75 e poucos 50, fiz a avaliação social na sexta feira passada e hoje de manhã constava no site da previdência como beneficio habilitado e para minha surpresa acabo de entrar e ter essa notícia, vou recorrer, mas estou muito indignada, pois não sei se me consideraram leve ou se nem sequer me consideram deficiente. Indignação é essa palavra que define o que governo esta fazendo com nós deficientes que trabalhamos a vida todo mesmo com limitações e sermos tratados dessa maneira e nossos politicos se aposentando com 8 anos de trabalho, lembrem-se disso nas próximas eleições. Pelo visto nenhum de nós na opinião deles somos deficientes. Deus abençoe a todos.

    Responder

  740. Vladimir

    Caro Donizete!
    Leia, por favor, meus comentários feitos há pouco sobre poliomelite.

    Algum tempo atrás, conversei com meu médico que trata da minha hipertensão há 20 anos. E expliquei a ele que eu iria precuisar comprovar minha deficiência ao INSS para requerer a Aposentadoria, e perguntei a ele que tipo de exame deveria fazer.
    A pergunta dele foi:
    - Exame para provar o quê???
    - Não precisa de exame para provar. Eu estou vendo sua deficiência.
    Então, tornei a explicar que seria exigido. Ele achou um absurdo, mas recomendou procurar um Neurologista.
    O engraçado, que o Neurologista teve a mesma reação:
    - Porque você precisa provar. Sua deficiência é visível!
    Insisti, e ele recomendou uma Ressonância.
    O exame apontou sequela encefálica que provocou a paralisia parcial do membro superior e inferi