Blog

Comunidade e ambientalistas pedem Parque do Brejinho, na Pampulha

29 de junho de 2016

Segundo denúncias, outras formas de ocupação estariam sendo estudadas pela PBH Ambientalistas e moradores temem destinação da área para outras finalidades (Imagem: Projeto Manuelzão) A implantação do Parque do Brejinho no Bairro Liberdade, na Regional Pampulha, voltará à pauta da Comissão de Meio Ambiente e Política Urbana da Câmara Municipal na próxima quinta-feira (30/6). Criada por um decreto da PBH em 2007, a área verde não teria sido efetivamente implantada até a presente data. Segundo reclamações e denúncias de moradores do entorno, outras finalidades e formas de ocupação estariam sendo cogitadas pelo Município. No intuito de esclarecer a situação e debater a destinação da área, o encontro requerido pelo vereador Leonardo Mattos (PV) será às 13h30, no Plenário Helvécio Arantes, e é aberto à participação de qualquer cidadão interessado. Disponíveis no site da prefeitura, informações apontam que o Parque Ecológico do Brejinho, com uma área de 57.600m², foi criado por meio do Decreto Municipal nº 12.830, de 2007, e sua implantação seria realizada através do Orçamento Participativo (OP) Digital 2007/2008. Entretanto, segundo denúncias da comunidade local, apesar de ter vencido o OP com 20 mil votos, o parque, que previa equipamentos de lazer, pistas de caminhada e área de camping, entre outras atrações, nunca foi efetivamente implantado; a prefeitura teria apenas cercado a área e instalado uma guarita. As propostas atuais, segundo os moradores, já apresentam muitas alterações e a planta não reflete o que foi acordado com a administração municipal. De acordo com as reclamações, a guarita e o cercamento estão destruídos e o local encontra-se abandonado. Em audiência anterior, realizada na mesma comissão em setembro de 2014, foi denunciado que uma área lindeira ao parque teria sido desapropriada, em 2011, para a construção de uma bacia de contenção do Córrego São Francisco, gerando na população o receio de que o equipamento invadisse o perímetro do parque ou inviabilizasse sua própria existência. Na ocasião, também houve relatos de que a construção estaria sendo feita sem o devido processo legal e respeito às normas ambientais. De acordo com a assessoria de Leonardo Mattos, a solicitação do debate partiu de ambientalistas do Projeto Manuelzão, que atua em defesa dos recursos hídricos e naturais, especialmente em Minas Gerais. Convidados Com a finalidade de informar a comunidade sobre o andamento da implantação do parque e esclarecer as dúvidas e rumores sobre a possível desvirtuação da finalidade da área, foram convidados para representar a PBH o secretário municipal de Meio Ambiente e presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam), Vasco Araújo; o secretário adjunto da Regional Pampulha, José Geraldo Prado; e o gerente da Divisão de Gestão de Águas Urbanas da Sudecap, Ricardo Aroeira. Para defender os interesses da sociedade civil, são aguardados o coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, promotor Carlos Eduardo Pinto; a promotora estadual de Meio Ambiente, Lilian Marota; o presidente do Comitê do Rio das Velhas (CBH Velhas) e representante do Projeto Manuelzão, Marcus Vinícius Polignano; e da Organização Não Governamental Ponto Terra, Ronaldo Vasconcellos. O debate é aberto à participação de qualquer pessoa interessada ou pode ser acompanhado em tempo real pela TV Câmara, no portal da Casa ou no aplicativo CMBH Ao Vivo.

Fonte: CMBH

Palavras Chaves:

Meio Ambiente, Parque do Brejinho,

Comentários