Região do Isidoro volta a causar polêmica

Isidoro - Paisagem rural encrava na metrópole, região já sofre pressão de bairros do entorno e deve mudar bastante nos próximos anosA operação urbana da chamara região do Isidoro, considerada a última área verde de Belo Horizonte com mais de dois milhões de m², voltou a ser discutida pela Comissão de Meio Ambiente e Política Urbana da Câmara Municipal, nessa quinta-feira (22/04). A audiência deu seguimento às discussões feitas no dia 19 de abril , quando representantes da Prefeitura não conseguiram responder alguns questionamentos feitos pelos vereadores, representantes de associações profissionais, empresariais e cidadãos interessados na temática.

Segundo o vereador Leonardo Mattos (PV), autor do requerimento que solicitou a reunião, o evento foi provocado pelos internautas que enviaram diversos e-mails para os parlamentares pedindo providencias e discussões sobre o assunto. “A operação na área vai causar muito impacto na vida de todos os cidadãos de BH. Precisamos ter coerência e fazer com que as intervenções no local sejam feitas de forma planejada, sem deixar de preservar o meio ambiente”, afirmou Mattos.

Segundo o coordenador do Projeto Manuelzão, Apolo Lisboa deve haver mais planejamento e discussões sobre o assunto, antes que o projeto seja aprovado. “Nós estamos discutindo porque é assim que se prática a democracia. Seria melhor uma ocupação ordenada com planejamento desde que sejam respeitados os valores do meio ambiente e da qualidade de vida da população, podendo ser um exemplo para o Brasil”, destacou.

“A PBH teve a oportunidade de ouvir opiniões de especialistas como arquitetos, engenheiros, economistas e lideres de comunidade. Espero que o governo acolha as contribuições feitas”, afirmou Leonardo Mattos.

Mattos acrescentou, ainda, que irá fazer uma subemenda ao projeto com o objetivo de garantir as contrapartidas prometidas pela Prefeitura à área.

Veja Fotos

4 respostas para “Região do Isidoro volta a causar polêmica”

  1. As discussões do PL 820 não estão abordando dois pontos essencias para a classe media. 1- acabar com os descontos vai retirar as varandas dos apartamentos novos. ISTO FERE O INTERESSE DO POVO. 2- Reduzir ou acabar com os chamados descontos vai afetar a qtde de vagas de garagens e o crescimento na qtde de carro exige que exatamente o contrario. Cobrar do construtor para que ele possa fazer a segudna vaga, vai onerar o comprador final. MAIS UMA VEZ O INTERESSE DO POVO ESTA SENDO DEIXADO DE LADO.

  2. Eu acho essa idéia ridicula da operação urbana da chamada região do Isidoro. Bom, se é uma área onde vale a atenção para a preservação, pq eles não lavam o dinheiro fazendo um parque para as pessoas poderem ir visitar, ao invés de fazer uma obra que trará muitos gastos, tempo para planejamento, podendo assim mesmo dar um projeto inválido, que não trará um retorno positivo aos demais.

    Obrigada…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *